Educação na mesa também é saber o que comer

Comer à mesaHouve uma grande mudança na alimentação depois da modernização da produção dos alimentos, a vida moderna nos força ao consumo chamado de prático, mas que traz consequências assustadoras para a saúde.

Um ponto pertinente e sempre atual é a alimentação das crianças, levando em consideração que o contato inicial com o que ela vai ingerir é dado pelos pais ou por quem está com a responsabilidade de alimentá-las, torna possível investir na escolha do que é menos processado e mais salutar.

As grandes produções de alimentos geram baixa qualidade nutricional porque exigem aumento de conservantes, substâncias químicas, corantes e uma infinidade de outros aditivos para preservá-los por mais tempo dentro de latas, embalagens e caixas. Sabemos que muitos desses processos foram desenvolvidos durante e após as Grandes Guerras e, infelizmente, foram adotadas pela sociedade e perduram até hoje, mesmo em um cenário diferente.

Investir em uma boa alimentação é uma maneira eficaz de evitar doenças e gastos em um futuro próximo, observar se a merenda escolar ou lanche na cantina da escola do seu filho segue uma alimentação balanceada e inclui frutas e sucos frescos por exemplo é uma atitude válida.

Tentar ensinar aos pequenos a seguir contra a corrente da publicidade que mais investe na aparência do produto do que nas suas qualidades – muitas vezes não é comida que está sendo vendida, mas sim uma embalagem que enche os olhos das crianças e o que se come são calorias vazias, com ausência de qualquer substância importante para o funcionamento e desenvolvimento do organismo, principalmente em fase de crescimento.

Os pais devem dedicar um olhar mais atencioso no que diz respeito ao que vai para o carrinho do supermercado, menor quantidade e mais variedade. Tão importante quanto os cuidados em visitar o pediatra, escolher um eficaz plano de saúde, a educação alimentar deve entrar no roll das atitudes diárias, mesmo que exija um pouco mais de trabalho, porém o resultado é mais satisfatório, afinal ninguém quer ter crianças doentes.

Pesquisas revelam que uma das principais causas da obesidade infantil é o mau hábito alimentar, sem dúvida, esse erro está na exagerada alimentação de fast-food, salgadinhos e refrigerantes em exagero. Aproveite a infância dos seus filhos e ofereça a chance para eles conhecerem o sabor de alimentos saudáveis.

O que você faz para melhorar a alimentação do seu filho?

Colaboração de Roberta Clarissa Leite

FABIO MESTRINER E EDITORA M.BOOKS LANÇAM 4 PEQUENAS HISTÓRIAS QUE JUNTAS MUDARAM O MUNDO

livro 2

Livro conta a trajetória da escrita do papel e da gravura em uma narrativa surpreendente.

“O conhecimento da história enriquece a criança em seu aprendizado e fortalece o adulto em suas ações. Todos se beneficiam igualmente do conhecimento, pois é ele que proporciona o progresso da civilização e dos indivíduos que a compõe”.

Fabio Mestriner e a editora M Books lançam o livro 4 pequenas histórias que mudaram o mundo, uma surpreendente narrativa que conta a trajetória da escrita do papel e da gravura e seu importante papel na evolução da humanidade.

Afinal, a maioria das pessoas que recebe uma formação educacional conhece a história da escrita e das letras. Muitas conhecem também a história do papel, material tão presente na vida atual e onde são impressos os livros que possibilitam conhecimento, estudo e cultura.

Já a história da gravura é conhecida apenas e principalmente por aqueles que trabalham com alguma forma de impressão. Estes sabem que a gravura é a mãe das artes gráficas e de todas as formas de impressão dela derivadas.

O que quase ninguém conhece é a história de como a escrita, surgida na mesopotâmia em 3300 antes de Cristo, o papel, que surgiu na China no ano 105 e a gravura, criada no século VII pelos monges budistas, se espalharam pelo mundo indo se fundir na prensa de Gutemberg na cidadezinha de Mainz na Alemanha no ano de 1455.

Para escrever o livro Fabio estudou e pesquisou exaustivamente a jornada da escrita, do papel e da gravura, partindo da Mesopotâmia e da China imperial em anos remotos, cruzando caminhos difíceis e perigosos onde não faltaram batalhas, personagens heroicos e acontecimentos extraordinários.

Para Fabio esta é uma saga que merece ser conhecida, pois quando estas histórias se fundiram na prensa de Gutemberg deram início a uma grande revolução.

Segundo o Professor, estas são realmente as “4 pequenas Histórias que juntas mudaram o mundo”, pois quando a escrita, o papel e a gravura se fundiram na prensa de Gutemberg, criaram a plataforma e a ponte por onde passou a maior parte do conhecimento da humanidade”.

O livro tem distribuição nacional.

Ficha técnica

4 pequenas histórias que mudaram o mundo

Editora: M Books

Autor: Fabio Mestriner
Páginas:144
Formato:21 x 27cm
Preço sugerido: 68,00
Lançamento: novembro de 2013
ISBN:978857680228-0
Venda on-line e mais informações:www.mbooks.com.br/

Links úteis 

http://www.4historia.com.br

Sobre Fabio Mestriner

Um dos mais renomados profissionais de design do país, Fabio Mestriner é professor Coordenador do Núcleo de Estudos da Embalagem da ESPM, Escola Superior de Propaganda e Marketing e professor do MBA de Marketing da Fundace USP.

Com 39 anos de experiência profissional, Mestriner é responsável por alguns cases icônicos do design de embalagem brasileiro. Entre eles está o formato curvilíneo da lata do Leite Moça, que chegou a ser patenteado pela Nestlé devido ao sucesso que causou.

Foi também curador setorial de embalagem na 1º Bienal de Design, Presidente da ABRE Associação Brasileira de Embalagem e representante do Brasil no Board da WPO World Packaging Organization entre 2002 e 2006. Como designer de embalagem, conquistou vários prêmios internacionais.

Como autor publicou importantes livros sobre design de embalagem como Design de Embalagem – Curso Básico, Design de Embalagem – Curso Avançado e Gestão Estratégica de Embalagem.

Sobre a M Books

Criada em 2002 pelo editorMilton Mira de Assumpção Filho, a M Books é hoje uma das principais editoras brasileiras com 250 títulos publicados na área de Negócios, Saúde e Nutrição, Pais e Filhos e Interesse Geral.

Com reconhecida qualidade literária seu catálogo apresenta alguns consagrados Best Sellers como A Biblia de Vendas, Gravidez, Parto e Aleitamento, Marketing segundo Peter Drucker, Inovação como Rotina, História da matemática, História da Fisica, História da Medicina, Os Julgamentos de Nuremberg, Posicionamento, O Grande livro do Marketing, Convivendo com autismo e Síndrome de Asperger.

Eduque seu filho para ser um bom motorista

motorista

Educar através de exemplos é sempre o mais indicado. Mais forte do que mil palavras é o que a criança observa no comportamento dos pais. Em todas as áreas exemplos podem ser dados e, sem sombra de dúvida, os pequenos estarão de olhos atentos. O comportamento dos pais ou responsáveis na direção de um carro também é um momento para educar.

A sociedade busca muitas mudanças em infra-estrutura e fiscalização, mas o comportamento individual no trânsito tem a mesma importância quanto à uma rua bem sinalizada ou um asfalto de qualidade.

Respeitar as leis de trânsito não só é dever de qualquer cidadão que dirige mas também é um momento de orientar as crianças para que desde pequenos percebam a importância da responsabilidade pessoal e que envolve os terceiros, como é no trânsito. Sabemos que seguir as orientações de segurança no carro é essencial e é uma oportunidade também de explicar o porquê eles existem para facilitar o entendimento das crianças desde a pequena infância quanto ao respeito às regras.

A responsabilidade e prudência são quesitos de ensinamento e a atividade de dirigir um veículo é uma chance de mostrar na prática o que a falta dessas atitudes pode provocar, até porque toda a atividade de direção é baseada em regras em conjunto, de todos os motoristas em ação.

Acidentes de trânsito é uma das principais causas de morte de jovens no mundo, o que indica claramente que algo não está indo bem. A adrenalina e o gosto pelo perigo faz parte da cabeça dos jovens na fase da adolescência e pós-adolescência, o que aumenta o desejo de provar situações de risco. Mas, a atitude dos pais no trânsito cria uma mentalidade bastante forte nos filhos. Caso haja sempre uma tendência ao respeito de regras é certo que em algum ponto essa atitude vai também ser repetida pelo filho.

Mostrar rivalidade ao dirigir, querer estacionar onde não é permitido, fazer ultrapassagens desnecessárias ou querer sempre ser o mais rápido são atitudes que podem deixar uma imagem negativa e, a pior consequência, serem realizadas novamente pelos jovens.

Da mesma maneira que tomamos decisões para proteger nosso bem, como pagar um seguro auto, fazer as revisões corriqueiras no automóvel, o comportamento do motorista resulta em grande diferença, ou seja, a educação no trânsito deve ser levada em conta com a mesma importância como ao seguir as leis e regras para quem dirige.

As escolas também podem contribuir com aulas educacionais sobre trânsito e usar inclusive jogos que visualizem as situações nas ruas e avenidas. Brincadeiras e aulas sobre leis de trânsito também são incentivadoras do conhecimento e são geralmente bem aceitas pelas crianças, a maioria deseja no futuro ter sua carteira de motorista e poder usufruir da ação de dirigir.

Você educa seu filho para ser um bom motorista?

Por Roberta Clarissa

CORAÇÃO, INTELIGÊNCIA, CORAGEM e SORTE #M.Books

Livro 1

Este livro vai ao fundo da alma do empreendedor com clareza e bom senso, o que torna este texto inspirador e uma leitura excelente.

Neste livro, três importantes líderes de negócios e consultores de CEOs – compartilham as qualidades necessárias para atingir metas de sucesso. Essas qualidades obrigatórias são: Coração, Inteligência, Coragem e Sorte.

Embora não exista um arquétipo único para o sucesso no empreendedorismo, este livro irá ajudá-lo a entender em que qualidades você deve “aumentar” ou “diminuir” o volume para realizar todo o seu potencial, e quando essas qualidades são mais úteis (ou prejudiciais) durante momentos críticos do ciclo de vida de uma empresa. Você não só saberá como construir um negócio melhor mais rápido, mas também como levar seu estilo natural de liderança para um nível superior.

Este livro inclui o primeiro E.A.T. (Entrepreneurial Aptitude Test) – Teste de Aptidão Empreendedora, uma ferramenta simples que ajuda a determinar seu perfil específico.

SOBRE OS AUTORES:

Anthony K. Tjan – é sócio administrador da Cue Ball, uma empresa decapital de risco, além de sócio sênior e vice-presidente do conselho do The Paternon Group. Fundou o grupo pioneiro em consultoria para a Internet, o ZEFER.

Richard J. Harrington - é presidente do Conselho da Cue Ball. Começou sua carreira como proprietário de uma pequena empresa; como CEO da Thomson Corporation, transformou a holding diversifi cada na Thomson Reuters, a maior empresa do mundo de serviços de informação.

Tsun-yan Hsieh – é um guru de negócios largamente respeitado que, ao longo de 30 anos de carreira como diretor sênior na McKinsey & Company e presidente do conselho na LinHart, tornou-se um consultor de confiança de CEOs e conselhosde Administração em todas as Américas e na Ásia.

VITÓRIA NO PACÍFICO – Do Ataque a Pearl Harbor à Vitória em Okinawa #Sorteio

Vitória

 Recebi mais um belíssimo livro da M.Books EditoraVITÓRIA NO PACÍFICO – Do Ataque a Pearl Harbor à Vitória em Okinawa. 

Vou sortear um exemplar. Veja como participar no final da postagem.

Excelente sugestão, em especial, aos professores de História.

Ricamente ilustrado como o Ataque Kamikaze perto de Okinawa registrado do convés de voo do porta-aviões Bunker Hill que mostra a luta d tripulação para conter o fogo.

Vitória2

 Enquanto os Fuzileiros Navais americanos lutavam para abrir caminho pelo Oceano Pacífico, do inferno verde da Nova Guiné a Okinawa nas ilhas japonesas, forças britânicas, indianas e gurkhas do “exército dos esquecidos” lançaram um ataque que acabaria por levá-los de volta a Rangoon.

Da luta selvagem pelas ilhas do Pacífico à reconquista da Birmânia, contra todas as chances, pelo “esquecido” 14º Exército, Vitória no Pacífico conta toda a história de como a guerra contra os japoneses no Extremo Oriente foi finalmente vencida.

As ações são muito bem localizadas nos diversos mapas ilustrativos.

Vitória1

Karen Ferrington, que é escritora e ex-jornalista do Fleet Street se especializou no estudo de conflitos ao longo do século XX.

Tenho um exemplar do livro para sortear. Para participar basta acessar este link e clicar em Quero Participar! http://www.yesganhei.com/promocoes/84401

Boa sorte!

Viajar também é um exercício de educação

Foto 2

 

Encarar a realidade de outros países com situações melhores ou piores que a nossa é uma forma de avaliarmos o que podemos melhorar em nossas ações diárias como cidadão. Sair do que estamos acostumados a ver e observar como outras sociedades se comportam, abre uma visão mais ampla de como soluções e problemas são encarados, por isso viajar também é um caminho para evoluir.

Quando um brasileiro viaja de férias para o exterior, para a Europa por exemplo, em alguns países, o que mais chama à atenção é a limpeza das ruas e coleta separada do lixo. Se a estadia for mais longa e a pessoa participar dessa ação de separar o lixo para reciclagem, ao voltar ao país de origem, sente a necessidade de dar continuidade à tarefa.

A pergunta que vem à cabeça é por que funciona em outros países e não no nosso? Existe a necessidade é claro da presença de programas do governo, tanto de incentivo quanto punição – como multa para quem joga lixo no chão. Entretanto, através da ação de cada um, o cenário pode também ser modificado. Não há como negar, as grandes ações partem de indivíduos que começam a fazer diferente em suas comunidades.

Outra atitude muito difundida é evitar usar sacolas plásticas nas compras em supermercado, no lugar usar bolsa ecológica, assim diminuindo a quantidade de lixo acumulado e uso indiscriminado de plástico, essa ação já é comum e faz parte do dia a dia das pessoas em vários países.

Por outro lado, quando em uma viagem observamos em algumas situações que temos também no nosso lugar características positivas, é saudável a valorização e reconhecimento do que temos de bom. E isso pode ser notado em várias áreas, produtos locais, alimentos ou até mesmo nas relações humanas. Quando um estudante passa por um período de intercâmbio volta com alguma mudança ou visão mais ampla da vida e do mundo, por isso é tão importante a troca e interação entre as pessoas.

Aproveite sempre uma viagem para observar o que de bom você pode levar para seu país e o que de negativo você pode evitar. Não esqueça do planejamento e lembre-se que um seguro viagem internacional é importante para qualquer viagem para fora do Brasil.

A troca de informações é uma rica oportunidade de vivenciar pessoalmente as características de outras cidades ao redor do mundo, e essa evolução é tanto pessoal quanto coletiva, já que você estará compartilhando suas experiências através de suas  atitudes nos grupos em que você se socializa.

Qual viagem mudou sua forma de encarar o mundo?

Por Roberta Clarissa Leite