Datas Comemorativas – DIA MUNDIAL DA ÁGUA

Extraído do site do meu amigo Professor Rafael:
Rafaelnink.com

Dia 22 de março é comemorado como dia Internacional da Água, prepare sua aula utilizando o conteúdo do site WWF – Água para todos. Conteúdos:

Dia Mundial da Água

Ambiente Brasil
A Assembléia Geral das Nações Unidas adotou a resolução A/RES/47/193 de 22 de fevereiro de 1993, através da qual 22 de março de cada ano seria declarado Dia Mundial das Águas (DMA), para ser observado a partir de 93, de acordo com as recomendações da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento contidas no capítulo 18 (sobre recursos hídricos) da Agenda 21. E através da Lei n.º 10.670, de 14 de maio de 2003, o Congresso Nacional Brasileiro instituiu o Dia Nacional da Água na mesma data.

Os Estados foram convidados, como fosse mais apropriado no contexto nacional, a dedicar o Dia a atividades concretas que promovessem a conscientização pública através de publicações e difusão de documentários e a organização de conferências, mesas redondas, seminários e exposições relacionadas à conservação e desenvolvimento dos recursos hídricos e/ou a implementação das recomendações da Agenda 21.


No mês em que se comemora o Dia Mundial da Água, é preciso lembrar que, em diversos lugares do planeta, milhares de pessoas já sofrem com a falta desse bem essencial à vida.
A água é um bem precioso e insubstituível. É um elemento da natureza, um recurso natural. Na natureza podemos encontrar a água em três estados: sólido (gelo), gasoso (vapor) e líquido. Ainda classificando a água ela pode ser: doce, salobra e salgada.

É de domínio público e de vital importância para a existência da própria vida na Terra. A água é um recurso natural que propicia saúde, conforto e riqueza ao homem, por meio de seus incontáveis usos, dos quais se destacam o abastecimento das populações, a irrigação, a produção de energia, o lazer, a navegação.

De acordo com a “Gestão dos Recursos Naturais da Agenda 21, a água pode ainda assumir funções básicas, como:

- Biológica: constituição celular de animais e vegetais.
- Natural: meio de vida e elemento integrante dos ecossistemas.
- Técnica: aproveitada pelo homem através das propriedades hidrostática, hidrodinâmica, termodinâmica entre outros fatores para a produção.
- Simbólica: valores culturais e sociais.

Muito se fala em falta de água e que, num futuro próximo, teremos uma guerra em busca de água potável. O Brasil é um país privilegiado, pois aqui estão 11,6% de toda a água doce do planeta. Aqui também se encontram o maior rio do mundo – o Amazonas – e o maior reservatório de água subterrânea do planeta – o Sistema Aqüífero Guarani.

No entanto, essa água está mal distribuída: 70% das águas doces do Brasil estão na Amazônia, onde vivem apenas 7% da população. Essa distribuição irregular deixa apenas 3% de água para o Nordeste. Essa é a causa do problema de escassez de água verificado em alguns pontos do país. Em Pernambuco existem apenas 1.320 litros de água por ano por habitante e no Distrito Federal essa média é de 1.700 litros, quando o recomendado são 2.000 litros.


Mas, ainda assim, não se chega nem próximo à situação de países como Egito, África do Sul, Síria, Jordânia, Israel, Líbano, Haiti, Turquia, Paquistão, Iraque e Índia, onde os problemas com recursos hídricos já chegam a níveis críticos. Em todo o mundo, domina uma cultura de desperdício de água, pois ainda se acredita que ela é um recurso natural ilimitado. O que se deve saber é que apesar de haver 1,3 milhão de km\3 livre na Terra, segundo dados do Ministério Público Federal, nem sequer 1% desse total pode ser economicamente utilizado, sendo que 97% dessa água se encontra em áreas subterrâneas, formando os aqüíferos, ainda inacessíveis pelas tecnologias existentes.

Políticas públicas e um melhor gerenciamento dos recursos hídricos em todos os países tornam-se hoje essenciais para a manutenção da qualidade de vida dos povos. Se o problema de escassez já existente em algumas regiões não for resolvido, ele se tornará um entrave à continuidade do desenvolvimento do país, resultando em problemas sociais, de saúde, entre outros.

O país está tomando medidas concretas para impedir esse futuro, entre elas a criação da Agência Nacional de Águas, a sobreposição do rio São Francisco, adoção de técnicas de reuso de água e construção de infra-estrutura de saneamento, já que hoje 90% do esgoto produzido no país é despejado em rios, lagos e mares sem nenhum tratamento.

Segundo a Organização das Nações Unidas – ONU, 50% da taxa de doenças e morte nos países em desenvolvimento ocorrem por falta de água ou pela sua contaminação. Assim sendo, o rápido crescimento da população mundial e a crescente poluição, causado também pela industrialização, torna a água o recurso natural mais estratégico de qualquer país do mundo.

Para cada 1.000 litros de água utilizados, outros 10 mil são poluídos. Segundo a ONU, parece estar cada vez mais difícil se conseguir água para todos, principalmente nos países em desenvolvimento. Dados do International Water Management Institute – IWMI mostram que, no ano de 2025, 1.8 bilhão de pessoas de diversos países deverão viver em absoluta falta de água, o que equivale a mais de 30% da população mundial. Diante dessa constatação, cabe lembrar que a água limpa e acessível se constitui em um elemento indispensável para a vida humana e que, para se tê-la no futuro, é preciso protegê-la para evitar o futuro caótico previsto para a humanidade, quando homens de todos os continentes travarão guerras em busca de um elemento antes tão abundante: a água.

Devido à grande expansão urbanística, a industrialização, a agricultura e a pecuária intensivas e ainda à produção de energia elétrica – que estão estreitamente associadas à elevação do nível de vida e ao crescimento populacional – crescentes quantidades de água passaram a ser exigidas.

As crescentes necessidades de água, a limitação dos recursos hídricos, os conflitos entre alguns usos e os prejuízos causados pelo excesso de água exigem um planejamento bem elaborado pelos órgãos governamentais, estaduais e municipais, visando técnicas de melhor aproveitamento dos recursos hídricos. Além das responsabilidades públicas, cada cidadão tem o direito de usufruir da água mas o dever de preservá-la, utilizando-a de maneira consciente, sem desperdícios, assim dando o valor devido à água.

Use a água racionalmente, a fonte não pode secar!

22 DE MARÇO – DIA MUNDIAL DAS ÁGUAS

Datas Especiais


A Assembléia Geral das Nações Unidas adotou a resolução A/RES/47/193, de 22 de fevereiro de 1993, através da qual 22 de março de cada ano, a partir de 1993, seria declarado o “Dia Mundial das Águas” (DMA).

A comemoração do Dia Mundial da Água traz um alerta: prevê-se que, em 2050, 2 bilhões de pessoas sofrerão com a escassez de recursos hídricos. Dados da ONU mostram que apenas 3% de toda a água terrestre é própria para consumo.

A água é o elemento que deu origem e sustenta a vida no planeta Terra. Sem a água, nenhuma espécie vegetal ou animal, incluindo o homem, sobreviveria. Cerca de 70% de nossa alimentação e de nosso próprio corpo são constituídos por água. Mais da metade de todas as espécies de animais e plantas do mundo é aquática.


Os oceanos, os mares, as geleiras, as neves, os lagos e os rios cobrem aproximadamente dois terços da superfície da Terra. Os cientistas calculam o seu volume total em 1,42 bilhões de km, cuja maior parte (95,1%) está composta pelas águas salgadas dos mares e oceanos.

Os 4,9% restantes constituem-se de água doce, distribuída entre as geleiras polares, que ocupam 97% desse precioso volume; e a água na forma líquida, disponível para o nosso uso, cujo volume é estimado em pouco mais de 2 milhões de km. Assim, 99,9% das águas de nosso planeta são águas salgadas ou permanentemente congeladas.

Leia a música de Guilherme Arantes com a mais linda homenagem ao nosso Planeta Água

PLANETA ÁGUA
Guilherme Arantes

Água que nasce na fonte serena do mundo
E que abre um profundo grotão
Água que faz inocente riacho e deságua na corrente do ribeirão
Águas escuras dos rios que levam a fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias e matam a sede da população
Águas que caem das pedras no véu das cascatas, ronco de trovão
E depois dormem tranqüilas no leito dos lagos, no leito dos lagos
Água dos igarapés, onde Iara, a mãe d’água é misteriosa canção
Água que o sol evapora, pro céu vai embora, virar nuvem de algodão
Gotas de água da chuva, alegre arco-íris sobre a plantação
Gotas de água da chuva, tão tristes, são lágrimas na inundação
Águas que movem moinhos são as mesmas águas que encharcam o chão
E sempre voltam humildes pro fundo da terra, pro fundo da terra
Terra, planeta água (2x)
Terra, planeta á…gua

PROJETO ÁGUA NA BOCA – TV CULTURA

Ensinar e Aprender
Propostas de atividades relativas aos conteúdos dos 5 programas

1. Solicite aos alunos que façam uma análise da letra de duas músicas, procurando encontrar diferenças e semelhanças quanto às mensagens, apelos, informações e linguagens de cada uma. Sugerimos as letra das músicas ‘Planeta Água’, de Guilherme Arantes e ‘Planeta Azul’, de Xororó e Aldemir.

PLANETA ÁGUA Letra acima.
(Guilherme Arantes)

PLANETA AZUL
(Xororó e Aldemir)

A vida e a natureza
Sempre à mercê da poluição
Se invertem as estações do ano
Faz calor no inverno
E frio no verão
Os peixes morrendo nos rios,
Estão se extinguindo espécies animais
E tudo o que se planta, colhe,
O tempo retribui o mal que a gente faz
Onde a chuva caía quase todo dia
Já não chove nada
O sol abrasador rachando
O leito dos rios secos,
Sem um pingo d’água
Quanto ao futuro inseguro
Será assim de norte a sul:
A Terra nua semelhante à Lua
O que será desse Planeta Azul?
O que será desse Planeta Azul?
O rio que desce as encostas
Já quase sem vida parece que chora,
Num triste lamento das águas
Ao ver devastada a fauna e a flora
É tempo de pensar no verde,
Regar a semente que ainda não nasceu,
Deixar em paz a Amazônia,
Preservar a vida,
Estar de bem com Deus


2. Proponha aos alunos a observação e análise de águas de origens diferentes (rio, manancial, lago etc). Para tanto, utilize critérios como:

a) lixo flutuante ou acumulado nas margens
. nenhum lixo (boa qualidade)
. pouco lixo ou apenas árvores, folhas, aguapés (qualidade média )
. muito lixo (água poluída)

b) peixes
. muitos (boa qualidade)
. poucos, raros (qualidade média)
. nenhum ou só guarus (água poluída)

c) material sedimentado
. ausência, não é possível medir (boa qualidade)
. baixa quantidade, menos de três milímetros (qualidade média)
. alta quantidade, mais de três milímetros (água poluída)
Obs.: utilize um copo cheio de água para essa experiência.

d) cheiro
. nenhum (boa qualidade)
. fraco, de mofo ou capim (qualidade média)
. fétido ou cheiro de ovo podre (água poluída)

Atenção: oriente os alunos no manuseio do material coletado e na utilização correta de equipamentos como luvas, aventais, máscaras etc.

3. Os alunos podem pesquisar cartas e fotos de satélites que mostrem a poluição das águas no globo terrestre e a concentração de clorofila na camada superficial das águas, determinando as condições de vida dos seres marinhos. Para informações sobre cartas e fotos de satélites.

4. Solicite aos alunos que construam uma linha do tempo que mostre a evolução das sociedades relacionada à tecnologia do manejo e utilização da água, destacando aspectos como culturas agrícolas irrigadas, água encanada, esgoto, água tratada, construção da roda d’água, construção de hidrelétricas.

5. Proponha uma pesquisa sobre invenções de máquinas movidas a água e sua importância; a partir dessa pesquisa, sugira a elaboração de desenhos, pinturas, maquetes, protótipos relativos ao tema.


6. Divida a classe em grupos e oriente para que cada grupo estude um ecossistema aquático brasileiro. Sugere-se que o estudo aprofunde os aspectos:
a) características gerais e capacidade de adaptação dos seres vivos que compõem o ecossistema;
b) cadeia alimentar dos seres vivos aquáticos;
c) ação do homem nesses ecossistemas.

7. Desenvolva, no início do semestre, a seguinte atividade:
a) solicite que os alunos tragam cópias das contas de água de suas residências, para uma explicação sobre os campos onde estão registrados o volume de água consumida, o período, o valor;
b) realize um trabalho de conscientização sobre a importância da água para a preservação da vida. Esse trabalho pode ser iniciado com a leitura de um texto ou com a apresentação de um vídeo da série ‘Água na Boca’;
c) faça um levantamento e registro de sugestões dos alunos para evitar o desperdício de água;
d) estimule, através da confecção de cartazes e elaboração de textos, o combate ao desperdício da água na escola e nas residências;
e) promova um concurso: vencerá o aluno cuja família demonstrar que soube economizar mais água num período determinado. No decorrer desse período, os alunos levarão à escola as contas de água e farão comparações de gastos e custos, para checar se a campanha surtiu o efeito desejado e para acompanhar a evolução do concurso.

8. Solicite um estudo sobre “sociedades sustentáveis” no aspecto referente à preservação da água e promova as seguintes atividades:
a) debate: divida a classe em duas alas, sendo que uma defenderá a “sociedade sustentável” e a outra fará a oposição;
b) providencie o registro das idéias favoráveis e desfavoráveis para posterior reflexão e elaboração de um relatório final.

9. Após localizar num mapa de onde vem a água que abastece a cidade, os alunos deverão mostrar, com desenhos, o caminho da água até chegar às casas, e a sua saída, já como esgoto.

10. Oriente os alunos a realizar em grupo o planejamento e construção da maquete de uma casa colocando hidrômetro, canos, caixas d’água, torneiras, chuveiros, vasos sanitários e ralos. Durante a construção da maquete, discuta com os alunos o caminho da água dentro das nossas casas e enfatize a origem e o local de tratamento dessa água.

11. Promova um estudo do meio com a realização das seguintes atividades:
a) visita a uma estação de tratamento de água, em que um técnico explique aos alunos os processos de decantação e filtração e qual o papel das algas no processo de purificação da água;
b) a partir dessa visita, proponha aos alunos a elaboração de um relatório ilustrado sobre as fases de tratamento da água;
c) peça aos alunos que expliquem quais as conseqüências do aumento e da diminuição da quantidade de algas nas águas.


12. Visite uma estação de tratamento de esgotos e chame a atenção dos alunos para as medidas obrigatórias de segurança e higiene adotadas (vestimentas adequadas dos trabalhadores, calçados, máscaras, sinalizações etc.). Solicite a um técnico da estação que faça uma exposição oral a fim de mostrar a relação entre consumo de água e produção de esgoto, entre quantidade de lixo e poluição da água. Em sala de aula, promova um debate e reflexão sobre a importância de não se jogar o lixo e o esgoto em lugares inadequados.

13. Solicite aos alunos que façam um estudo sobre as causas de poluição das águas (como agrotóxicos, esgotos, detritos industriais etc.) e suas conseqüências para a vida na Terra.

14. Peça uma pesquisa sobre o que os governos estão fazendo pela preservação de mananciais e como ONGs – organizações não governamentais – colaboram com esse trabalho.

15. Promova uma campanha de coleta e seleção de lixo na escola:
a) divida os alunos em grupos;
b) divida a campanha em etapas (planejamento, distribuição e execução das tarefas, registros);
c) combine uma data para a apresentação de relatório das tarefas já realizadas.

Os grupos poderão se responsabilizar:

- pela elaboração de textos, confecção de cartazes de propaganda e de sinalização;
- pela obtenção de lixeiras com cores diferentes, as quais deverão ser padronizadas para cada tipo de material reciclável;
- por entrar em contato com alguma agência do bairro que trabalhe com coleta seletiva de lixo (vidros, plásticos, papéis, latas), a fim de verificar a possibilidade de venda desse material para arrecadação de verbas para a escola.
16. Proponha aos alunos que procurem em jornais e revistas matérias sobre a situação da água nas grandes cidades e montem dois murais: um que mostre matérias com informações positivas sobre essa situação e outro que mostre matérias com informações negativas.
O professor pode orientar os alunos para uma reflexão sobre esse assunto.

17. Solicite aos alunos a observação de uma localidade de sua cidade: sua casa, a rua onde mora, uma área de lazer, o percurso que faz até a escola, registrando qualquer sinal de desperdício ou poluição das águas. Na seqüência, realize as seguintes atividades:
a) estabeleça uma discussão em sala de aula e indique um aluno para registrar todas as conclusões dos participantes;
b) defina como trabalho individual o que cada um pode assumir para melhorar a situação observada;
c) estabeleça como trabalho individual o que cada um sugere para que a comunidade resolva ou amenize os problemas constatados;
d) o professor poderá apresentar aos alunos a síntese final das sugestões.

18. Sugira a elaboração de um jornal ecológico, no qual os alunos expressem, por meio de pequenas reportagens, denúncias de agressões à natureza e divulgação de campanhas de preservação e uso adequado da água potável. É importante que os alunos, orientados por professores, tenham a liberdade de se expressar utilizando sua própria linguagem.
Algumas sugestões de como fazer:
a) discussão das possíveis seções do jornal;
b) definição dos temas ecológicos das matérias principais;
c) visita aos locais das reportagens para uma melhor coleta de informações e para verificar a possibilidade de obter fotos que ilustrarão a reportagem;
d) elaboração de textos individuais e coletivos, posteriores à discussão em grupo;
e) entrevistas com pessoas relacionadas com os temas escolhidos;
f) fechamento e digitação das matérias;
g) distribuição das matérias e fotos nas páginas do jornal (diagramação);
h) elaboração das legendas e manchetes;
i) distribuição na escola e na comunidade.

PROJETO “ÁGUA E ÓLEO NÃO SE MISTURAM”

Professor Antonio Cornélio de Morais Filho
Secretário Municipal de Educação

Elaine de Araújo Gubany Sampaio
Diretora Pedagógica


A questão ambiental vem sendo considerada cada vez mais urgente e importante para a sociedade, pois o futuro da humanidade depende da relação estabelecida entre a natureza e o uso pelo homem dos recursos naturais disponíveis.Por esta razão os educadores vêm incluindo a temática meio-ambiente como conteúdo que permeia toda prática educacional.Uma destas iniciativas, o projeto “Água e Óleo Não se Misturam”, vem sendo desenvolvido na Rede Municipal de Educação de Ilhabela. O projeto elaborado pela Coordenadora de Projetos professora Valéria Lazzaro e pela Bióloga e Educadora Ambiental da Secretaria Municipal Educação, Rafaela A. Nery, foi implantado no início do ano letivo de 2007, atendendo 04 escolas regulares: EM Prefeito Leonardo Reale, E.M. José Benedito de Moraes, E.M. Sebastião Leite da Silva, E.M.DR. Salvador Arena e as 08 Escolas das Comunidades Tradicionais.

A primeira etapa realizada em março de 2007 constou de enquête, na qual, participaram 456 famílias. O objetivo era fazer um diagnóstico inicial coletando dados sobre: o descarte do óleo de fritura nas residências dos alunos; quantas pessoas moram na casa, quantos litros de óleo a família gasta aproximadamente por mês, quantas vezes por semana é feito frituras nas refeições, que tipo de alimentos a família costumam comer frito, se é usado detergente biodegradável na lavagem dos recipientes e onde despejam esgoto.

As análises dos resultados demonstraram que 26% das famílias jogam o óleo no ralo da pia, 17% jogam na terra e 32% dizem que fazem outras coisas, como por exemplo, reutilização no preparo de outras refeições, fabricação de sabão, armazenam em garrafas pets e outros fervem com sabão e jogam nas plantas.

Na etapa seguinte os indicadores da pesquisa serviram de material para conteúdo didático a ser trabalhado com os alunos, evidenciando ações de conscientização sobre o impacto ambiental decorrente de algumas atitudes apontadas na pesquisa. Desde então as Unidades Escolares e as organizadoras do projeto vem refletindo e propondo ações para minimizarem impactos gerados ao meio, principalmente às águas e solo. As primeiras ações indicadas foram palestras e oficinas para a fabricação de sabão caseiro.


Já foram realizadas 2 palestras:15/05 na EM Sebastião Leite da Silva e 16/05 na EM Leonardo Reale.
No dia 16 de maio pela manhã, na EM Leonardo Reale,o Secretario de Educação, Professor Antonio Cornélio de Morais Filho, fez a abertura do encontro enfatizando a importância do mesmo e evidenciando a necessidade da participação da comunidade dentro da Escola.

A palestra realizada pela Bióloga Rafaela A.Nery junto a comunidade escolar esclareceu sobre importância da água para o nosso dia-a-dia e como podemos colaborar enquanto cidadãos tendo o ponto de partida a nossa casa. Esclareceu-se que uma gota de óleo contaminam 25 litros de água e assim devemos criar soluções que minimizem os impactos gerados pelo descarte errôneo do óleo de fritura, uma vez que, o Município de Ilhabela depende única e exclusivamente dos seus Recursos Hídricos devido a sua geografia.

Após a palestra houve uma oficina com as mães de alunos da própria Escola para a produção do sabão caseiro tendo como matéria prima o óleo de fritura.

As receitas foram enviadas pelas próprias mães que oportunizaram a todos os presentes o “passo-a-passo” para chegar ao produto final, o sabão. Foi orientado a todos os presentes de como coletar e armazenar esse óleo.

A realização da oficina esclareceu a comunidade sobre o assunto oportunizou conscientização sobre o destino do óleo de fritura, além de incentivar o descarte correto deste óleo de maneira que não prejudique o meio ambiente.

A Gestora da escola Leonardo Reale, Profª Marie Zeitler se mobilizou indicando a Escola para se tornar posto de coleta do óleo na Comunidade.

Vale salientar que a participação de cada um é imprescindível para contribuir com a conservação dos nossos mananciais, por meio de pequenas, mas significativas atitudes.

Este projeto contará com outras etapas nas quais serão discutidos outros encaminhamentos para o destino do óleo e sabão, que além de diminuir a contaminação de um patrimônio mundial “a água”, também poderá ser fonte de renda familiar.

Projeto Água Animada

Presidente Agostinho Neto
Autor: Amelia Maria Mattos de Araújo
Professor II / Professora responsável pela Sala de Informática CRE: 2ª CRE

Sinopse:


Este ano, o tema do projeto da escola é “água”, todas as turmas estãopesquisando e debatendo o tema, inclusive na sala de informática com pesquisas eatividades. O resultado dessas reflexões será mostrado por meio de animações feitas comcâmera fotográfica digital, utilizando diversas técnicas de animação, realizadas pordiversas turmas, onde o aluno é o produtor de sua mídia de expressão e divulgação.

Midias utilizadas: câmera fotográfica digital, comoutadores, scanner, softwares paratrabalhos gráficos, internet, livros, filmes, animações, jornais e músicas.

Tema do Século XXI utilizado: Água

Séries e Turmas: Trabalho realizado com a turma de progressão, 3ª série (301 e 302), 4ªsérie (40 l , 402 e 403) e o grupo do Clube do Origami da escola (composto por alunosdas séries citadas anteriormente).

Objetivo: Auxiliar a integração das turmas da escola no projeto deste ano, trabalhando com o tema proposto pelos professores. Integrar e ampliar o trabalho desenvolvido em sala de aula pelas turmas com as atividades desenvolvidas no projeto.

Ampliar a discussão sobre o tema água na escola. Oferecer, aos alunos, ferramentas de expressão e comunicação para que possam se posicionar quanto ao tema debatido pela escola. Apresentar propostas onde os alunos deixem de ser unicamente receptores de informação e mídia, mas que possam se expressar por suas próprias criações. Utilizar a mídia de animação como processo de expressão e comunicação, levar assim os alunos a refletir e utilizar esta mídia, ficando só como espectadores.

Justificativa: Todo ano, os professores debatem e escolhem o tema central que irá nortear o projeto da escola naquele ano.

Este ano o escolhido foi ”água”, que dá continuidade ao tema do ano anterior ”meio ambiente”. Todas as turmas e atividades da escola trabalham em torno deste assunto, unificando ainda mais o trabalho desenvolvido nas turmas e na escola.

A Sala de Informática trabalha de forma integrada à Sala de Leitura, buscando a integração entre as séries e turmas da escola, utilizando para isso o tema norteador do projeto da escola. Ao tema água, foi acrescentada a mitologia grega, por causa das olimpíadas desse ano.


Acreditando que permitir o acesso à informação e debater este tema ainda não torna o trabalho completo, resolvi propiciar meios dos alunos se expressarem de forma prazerosa e de interesse dos alunos.

Escolhi a animação por ser uma das mídias de grande interessse das crianças. Tornando o processo de criação da animação uma forma de expressão dos alunos sobre o tema desenvolvido.O trabalho de animação já havia sido realizado na escola no ano anterior, mas só com asturmas de 3ª série (atual 4ª série) e 4ª série (que este ano no se encontram mais naescola).

Era só um experimento, sem grande envolvimento com o tema do projeto da escola. Este ano, resolvi retomar o trabalho de uma forma que servisse como elo integrador, de forma mais expressiva e critica.

Midias utilizadas: O debate sobre o tema foi desenvolvido nas salas de aula e sala de leitura, utilizando livros, jornais, musicas e revistas sobre o assunto.

Na sala de informática, as turmas iam buscar informações relativas ao tema na internet. Alguns filmes e desenhos animados que envolvem o tema, foram utilizados pelas turmas. O processo de animação costuma ser de acesso restrito a equipamentos caros esoftwares próprios.

Minha preocupação era por adaptar o trabalho aos equipamentos disponíveis da escola e localizar softwares tipo freeware para utilização. Quanto aos equipamentos, utilizamos o scanner como mesa de luz e captação de imagens, a câmera digital tipo webcam foi utilizada também para confecção das animações.

Recursos utilizados:
Como todo projeto desenvolvido nas escolas, temos que tentar nos limitar aos materiais disponíveis no próprio ambiente escolar, para que uma boa idéia não fique inviabilizada por falta de recursos.

Além dos equipamentos disponíveis na própria sala de informática e softwares disponíveis na internet, fizemos o uso do Irfan View para visualizar, dimensionar e converter imagens,VueSlide como sequenciador de imagens e Gif animado como criador de gifs animados.

Utilizamos materiais de uso normal da escola como: lápis de cor, massa de modelar,sucata, objetos de uso do cotidiano, transparências e câmeras para retroprojetor e em muitas vezes os próprios alunos como personagens dos filmes de animação.

Descrição do processo:

Propus aos alunos das séries a serem trabalhadas com animação, que fizéssemos uma nova forma de mostrar o que estávamos aprendendo com o projeto daquele ano, os alunos da 4ª série, por já terem iniciado o trabalho com animação no ano anterior, se mostraram bem empolgados.

Já os alunos de 3ªsérie se espantaram com a idéia, como senão fosse material para se produzir na escola. Os alunos da progressão se mostraram descrentes de sua capacidade de fazer o trabalho, eles possuem baixa auto-estima. No todo, toparam enfrentar o desafio. Vou relatar como foi o processo de criação das animações, pegando um de cada série para exemplificar.

Com a progressão, o entendimento da confecção do quadro a quadro, era muito difícil de acontecer, então propus que eles mesmos fossem os personagens da animação,começamos fotografando os alunos fazendo movimentos simples e sem uma história encadeando, eles brincaram de se fotografar e observar a sensação de movimento ao passar as imagens.

Só então, pudemos levantar o que eles gostariam de contar na animação com o tema água, escolheram algo bem do dia a dia deles, o cuidar da horta, uma animação mostrando a rega dos canteiros.

A professora foi registrando no quadro de giz o que eles iam falando, enquanto eu ia orientando sobre a sequência da animação. Uma aluna ficou encarregada de registrar. Levamos o registro para a horta e dividimos o grupo que ia dirigir, fotografar e atuar.

Foram feitas as fotos e descarregadas no computador,redimensionadas as imagens e convertidas para o formato gif, para depois sequenciá-las no software de criação de gif animado. Depois, na sala de aula, os alunos receberam uma folha dividida nos passos que eles tinham organizado para desenharem e descreverem cada cena como um story board, para depois criarem uma história coletiva do processo da animação deles.

Este material foi disponibilizado num mural do corridor para todas asturmas verem. A 3ª série escolheu mostrar a água pelo enfoque da mitologia grega que estavam estudando. Escolheram o mito de Poseidon para retratar, estavam bastante empolgados com os livros e filmes sobre mitologia que haviam assistido.

Resolveram contar a históriada origem da água mineral de acordo com a mitologia grega e outro grupo resolveu enfocar o esporte na água, mostrando o surf. O trabalho da lenda da água mineral foi feito com animação de bonecos de massa de modelar. Os alunos discutiram as cenas da história, se dividiram em grupo para confeccionar os personagens e elementos de cena, depois se revezaram fotografando e manuseando os personagens.

O material foi transformando em gif animado. A animação do surf foi feita usando a animação desenhada quadro a quadro, onde a mesa de luz foi substituída pelo scanner, o acetato pela transparência, os alunos decidiram o roteiro, desenharam o fundo que foi escaneado e usado como cenário único, com a transparência sobre o fundo ia sendo desenhado o personagem quadro a quadro e se escaneando, depois visualizado e transformado em gif animado.

A 4ª série decidiu escolheu os seres do mar para animação, também utilizaram a técnica de animação com bonecos em massa de modelar e transformaram em gif animado. O clube do origami, resolveu fazer uma animação com os animais de origami que eles tinham feito para o mural da escola, fazendo assim uma animação de objetos quadro a quadro fotografados, dimensionaram as imagens, visualizaram a sequência e transformaram em gif animado. Essas animações e as demais com o tema água, serão passadas na ”Mostra de Animação- Água Animada” para todas as turmas, na Sala de informática, na 1ª semana de dezembro.

Os alunos vão confeccionar o convite com a programação do evento, cada turma terá o seu horário marcado e a sessão terá a orientação de um grupo de alunos das turmas que produziram as animações, os materiais utilizados para a animação como bonecos, transparências, story boards etc, estarão em exposição e para explicação dada pelos autores para os demais alunos da escola.

No dia l0 de dezembro, está marcado o evento de encerramento do projeto da água para os pais, convidados e alunos, para este evento, as 3ª series escolheram transformar a Sala de informática, ambientando como territorio de Poseidon, um aluno estará fantasiado de deus grego dos mares e guiará os vigilantes no seu reino.


A sala estará decorada com seres do mar, sons de água, golfinhos e baleias, alunos estarão fazendo cenográficamente o movimento das ondas e Poseidon convidará a todos para ver as animações sobre suas histórias e dos seres do mar.

Nesses dois eventos, todo o trabalho será apresentado para os demais alunos,responsáveis e convidados, permitindo que esse processo seja mais que uma forma dos alunos se expressarem e também possa ser um meio de divulgarem o que pensam e oque fazem.

O projeto e o site do Século XXI

O site do Século XXI serviu de subsidio para embasar o tema do projeto – a água. Mostrei para os alunos a animação do site sobre a água, e eles inclusive mostraram interesse em ver as demais animações.

Os links para demais sites contidos na Vitrine, foram bem aproveitados. Os textos serviram para me aprofundar no assunto e indicar para os demais professores das turmas envolvidas também. O textos ” Risco de sede planetária – O desafio da água no Conceito e ” Água que mata – Água, fonte de vida e de morte”.
Hoje,foram aproveitados com algumas turmas, selecionados trechos para leitura e discussão dos alunos.

Avaliação:

Esse projeto teve início em abril de 2004 mas, teve alguns problemas que levaram o trabalho a ser suspenso por diversas vezes como: defeito na câmera digital da escola,depois de várias tentativas de conserto, tive que passar a usar minha própria câmera, o que nem sempre permitia estar a disposição do trabalho, por diversas vezes tive que suspender o trabalho na Sala de informática para poder substitutir a falta e os casos delicença de professores em turma, atrasando ainda mais o trabalho a ser realizado.

Apesar de todos estes imprevistos, uma das razões que me motivavam a continuar com o projeto apesar da descontinuidade, foi o interesse e cobrança dos alunos, que mesmo com intervalos no processo de criação, não desistiam e me incentivavam. Os alunos da 3ª série, de início, estranharam a atividade, não a reconheciam como uma forma de colocar o que estavam trabalhando na escola, mas depois que começaram, se interessaram muito e até montaram outras animações de temas diferentes que estavam estudando, como meios de transporte na cidade do Rio de Janeiro, tendo como objetos a serem animados, uma maquete feita pelos alunos, também resolveram fazer uma animação sobre as formas geométricas, utilizando canudos de refrigerante.

A turma da Progressão, que de início se mostrava retraída, se sentindo incapaz de realizar o trabalho, se mostrou muito interessada inclusive para registro escrito em relatório e na montagem do story board da animação.

O orgulho deles em apresentar otrabalho escrito em mural no corredor da escola, demonstra o estímulo pela realização daescrita e maior segurança em realizar. lndo além das minhas expectativas e objetivos traçados, estimulando a escrita dos alunos.Com isso pude avaliar que o processo foi um sucesso entre os alunos, os incentivou a produzir, sugerir e construir seu próprio projeto, transferiram o que aprenderam nas técnicas de animação para se expressarem em outros temas que não eram do projeto inicial.


Este trabalho está fazendo sucesso mesmo com as turmas que não participaram, que pedem que também faça com eles estas atividades, sendo assim, no próximo ano, devo estender esse trabalho para as turmas do ciclo.

O projeto auxiliou a integrar o projeto ”água”, na escola, nas turmas envolvidas, despertou o interesse das demais turmas e certamente irá servir de integração com as demais turmas na ”Mostra de Animação” e no encerramento do projeto da escola.

Esse trabalho veio a reforçar minha crença que a mídia não deve ser apenas utilizada pelos alunos como meio de informação e de utilização mas, também como forma de produção e expressão.

5 thoughts on “Datas Comemorativas – DIA MUNDIAL DA ÁGUA

  1. Pingback: Datas comemorativas – Dia Mundial da Água | Educa já

  2. Excelente! Vou usar como base para atividades em sala de aula.

    Cybele Reply:

    Olá Marines, tudo bem?

    Obrigada pelo carinho de sempre.
    Continuamos juntas em 2013.
    abraços
    Cybele Meyer e Equipe Educa Já!

  3. Olá querida Cybele amei as dicas e o projeto para trabalhar este tema tão necessário de conscientização a economia e a a preservação deste be comum. Quero compartilhar com vc um projeto que realizei ainda em SP um pequeno vídeo feito a partir de modelagem pelos alunos em conjunto com o professor de artes . Se desejar compartilhe aqui http://www.youtube.com/watch?v=530ZlPVoJo0

    Cybele Reply:

    Que lindo!
    Adorei Paula!
    Já compartilhei na página do Educa Já! no Face.
    Parabéns, mais uma vez, pelo excelente trabalho.
    Super beijo e obrigada por compartilhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>