Fernando Pessoa – 120 anos

No dia 13 de junho de 1888, exatamente 120 anos atrás, nascia em Lisboa um dos maiores poetas do século XX: Fernando Pessoa.

Fernando Pessoa inventou 72 heterônimos – personagens que possuíam data de nascimento, nome e sobrenome que ele usava para assinar os livros. Os heterônimos do escritor tinham personalidade definida e um modo próprio de escrever. Os mais famosos são Ricardo Reis, Alberto Caiero e Álvaro de Campos.

Leia e assista um pouco mais dessa figura genial e enigmática no LivroClip

Sobre a obra
O livro “Dias melhores pra sempre!”, da editora Ateliê, elaborado pelo Canal do Livro, reúne 31 lições do grande poeta Fernando Pessoa para cada dia do mês.
O principal diferencial da obra é ressaltar trechos importantes do escritor de uma forma simples e com uma linguagem jovem.

As frases selecionadas mostram como lidar com sentimentos como o amor, a perda, a solidão, a amizade e a desilusão ao longo da vida e das experiências vividas no dia-a-dia

Sobre o autor
Nascido em Lisboa, no dia 13 de junho de 1888, Fernando Pessoa é considerado o maior poeta português do século XX.

Sua obra foi produzida por meio de heterônimos como Álvaro de Campos, Ricardo Reis e Alberto Caeiro, que são personalidades poéticas completas, com biografias próprias, estilos literários e recursos estilísticos diferenciados, e que produzem obras paralelas às criadas pelo escritor.

O poeta desenvolveu suas obras com influências do Cubismo, do Surrealismo, do Expressionismo e do Simbolismo

Espaço do Professor

Para desenvolver a atividade em sala de aula, o professor pode associar as frases do livro com as experiências vividas pelos próprios alunos, já que as lições do poeta Fernando Pessoa mostram como lidar com sentimentos como a desilusão, a solidão, a perda, o amor, a amizade, o medo e a alegria.

Fernando Pessoa

Fonte: Jornal de Poesia

Fernando Pessoa

Navegar é Preciso

Navegadores antigos tinham uma frase gloriosa:
“Navegar é preciso; viver não é preciso”.

Quero para mim o espírito [d]esta frase,
transformada a forma para a casar como eu sou:

Viver não é necessário; o que é necessário é criar.
Não conto gozar a minha vida; nem em gozá-la penso.
Só quero torná-la grande,
ainda que para isso tenha de ser o meu corpo e a (minha alma) a lenha desse fogo.

Só quero torná-la de toda a humanidade;
ainda que para isso tenha de a perder como minha.
Cada vez mais assim penso.

Cada vez mais ponho da essência anímica do meu sangue
o propósito impessoal de engrandecer a pátria e contribuir
para a evolução da humanidade.

É a forma que em mim tomou o misticismo da nossa Raça.

Alberto Caeiro

XLIX – Meto-me para Dentro

Meto-me para dentro, e fecho a janela.
Trazem o candeeiro e dão as boas noites,
E a minha voz contente dá as boas noites.
Oxalá a minha vida seja sempre isto:
O dia cheio de sol, ou suave de chuva,
Ou tempestuoso como se acabasse o Mundo,
A tarde suave e os ranchos que passam
Fitados com interesse da janela,
O último olhar amigo dado ao sossego das árvores,
E depois, fechada a janela, o candeeiro aceso,
Sem ler nada, nem pensar em nada, nem dormir,
Sentir a vida correr por mim como um rio por seu leito.
E lá fora um grande silêncio como um deus que dorme.

Ricardo Reis

Pois que nada que dure, ou que, durando

Pois que nada que dure, ou que, durando,
Valha, neste confuso mundo obramos,
E o mesmo útil para nós perdemos
Conosco, cedo, cedo.

O prazer do momento anteponhamos
À absurda cura do futuro, cuja
Certeza única é o mal presente
Com que o seu bem compramos.

Amanhã não existe. Meu somente
É o momento, eu só quem existe
Neste instante, que pode o derradeiro
Ser de quem finjo ser?

Álvaro de Campos

Escrito Num Livro Abandonado em Viagem

Venho dos lados de Beja.
Vou para o meio de Lisboa.
Não trago nada e não acharei nada.
Tenho o cansaço antecipado do que não acharei,
E a saudade que sinto não é nem no passado nem no futuro.
Deixo escrita neste livro a imagem do meu desígnio morto:
Fui, como ervas, e não me arrancaram.

Fernando PessoaCronologia

1888
Nasce Fernando Antônio Nogueira Pessoa, em 13 de junho, no Largo de São Carlos, em Lisboa.

1893
O pai morre de tuberculose. A família é obrigada a leiloar parte de seus bens.

1894
Fernando Pessoa cria seu primeiro heterônimo, Chevalier de Pas.

1895
Escreve o seu primeiro poema, intitulado À Minha Querida Mamã. A mãe casa por procuração com o comandante João Miguel Rosa, cônsul de Portugal em Durban.

1896
Parte com a mãe e um tio-avô para Durban.
1897
Faz o curso primário na escola de freiras irlandesas da West Street. No mesmo instituto, faz a primeira comunhão.

1899
Ingressa na Durban High School, onde permanecerá durante três anos e será um dos primeiros alunos da turma. Cria o heterônimo Alexander Search.

1901
É aprovado com distinção no seu primeiro exame. Escreve os primeiros poemas em inglês. Parte com a família para Portugal.

1902
A família retorna a Lisboa em junho. Em setembro, Pessoa volta sozinho para a África do Sul. Tenta escrever romances em inglês.

1903
Submete-se ao exame de admissão à Universidade do Cabo da Boa Esperança. Não obtém uma boa classificação, mas tira a melhor nota entre os 899 candidatos no ensaio de estilo inglês.

1904
Termina seus estudos na África do Sul.

1905
Vai de vez para Lisboa, onde passa a viver com uma tia. Continua a escrever poemas em inglês.

1906
Matricula-se no Curso Superior de Letras. A mãe e o padrasto retornam a Lisboa e Pessoa volta a morar com eles.

1907
A família retorna mais uma vez a Durban. Pessoa passa a morar com a avó. Desiste do Curso de Letras. Em agosto a avó morre e lhe deixa uma pequena herança.

1908
Começa a trabalhar como correspondente estrangeiro em escritórios comerciais.

1910
Escreve poesia e prosa em português, inglês e francês.

1912
Pessoa estréia como crítico literário, provocando polêmicas junto à intelectualidade portuguesa.
1913
Intensa produção literária. Escreve O Marinheiro.

1914
Cria os heterônimos Álvaro de Campos, Ricardo Reis e Alberto Caeiro. Escreve os poemas de O Guardador de Rebanhos e também O Livro do Desassossego.
1915
Sai em março o primeiro número de Orpheu.

1918
Pessoa publica poemas em inglês, resenhados com destaque no “Times”.

1920
Conhece Ophélia Queiroz. Sua mãe e seus irmãos voltam para Portugal. Em outubro, atravessa uma grande depressão, que o leva a pensar em internar-se numa casa de sáude. Rompe com Ophélia.

1921
Funda a editora Olisipo, onde publica poemas em inglês.

1925
Morre em Lisboa a mãe do poeta, em 17 de março.

1929
Volta a se relacionar com Ophélia

1931
Rompe novamente com Ophélia.

1934
Publica Mensagem.

1935
Em 29 de novembro, é internado com o diagnóstico de cólica hepática. A sua última frase, escrita em inglês, diz: “I know not what tomorrow will bring”. Morre no dia 30.

FERNANDO PESSOA

Fonte: O PENSADOR

FRASES


Fernando Pessoa, por Almada Negreiros

“Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?”

“As vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido.”

“Tenho em mim todos os sonhos do mundo”

“Tudo vale a pena quando a alma não é pequena.”

“A arte é a auto-expressão lutando para ser absoluta.”

“Sentir é criar. Sentir é pensar sem ideias, e por isso sentir é compreender, visto que o universo não tem ideias.”

Educação prorroga inscrição para cursos de Pós-Graduação

Fonte: governo de Pernambuco

A Secretaria de Educação oferece nova oportunidade aos professores da rede estadual de cursar, gratuitamente, cursos de Pós-Graduação Lato Sensu e de Atualização. As inscrições foram prorrogadas e acontecem até o próximo dia 27, em oito instituições de ensino superior, públicas e privadas, que vão ministrar as aulas. Para as duas formações, o Governo investiu R$ 6 milhões e disponibiliza, inicialmente, três mil vagas em 33 modalidades de todas as áreas de ensino, mas, com os cursos a distância o número de inscrições pode até dobrar.

Os comunicados contendo a ficha de inscrição e as informações sobre locais de inscrição e o processo de seleção estão disponíveis no www.educacao.pe.gov.br e nas universidades. A seleção será realizada pelas instituições de ensino contratadas pela Secretaria de Educação para realizar os cursos. “A iniciativa mostra o compromisso e a preocupação do Governo com o profissional de Educação e faz parte da política de valorização profissional, adotada como um dos eixos norteadores do Governo do Estado e da Secretaria de Educação”, disse Danilo Cabral, secretário de Educação.

O resultado da seleção dos inscritos será divulgado até o dia 24 de julho no site da Secretaria de Educação e nas universidades onde o candidato efetuou a inscrição. O início das aulas está previsto para agosto. Para assegurar uma vaga na especialização (duração de 15 meses), o professor terá que fazer uma prova dissertativa, marcada para 6 de julho, em locais a serem definidos pela instituição de ensino.

Para se inscrever, os profissionais devem preencher o formulário e entregá-lo na universidade pretendida, juntamente com uma foto (3×4) recente e cópia autenticada dos seguintes documentos: diploma e histórico escolar do curso de graduação; curriculum vitae; declaração do órgão de lotação, função e tempo de serviço; Identidade; CPF; Título de Eleitor com comprovante de votação da última eleição (primeiro e segundo turnos); e certificado de Serviço Militar, para os candidatos do sexo masculino.

Podem concorrer os professores efetivos com algum tipo de graduação em qualquer área de conhecimento, que já cumpriram o estágio probatório de 3 anos e que não estejam a menos de 5 anos para requerer a aposentadoria. Também é uma exigência que os docentes estejam desempenhando suas atividades nas áreas de docência, gestão escolar, equipe técnico-pedagógica da rede. Para a especialização é necessário que o professor tenha formação em licenciatura plena em Pedagogia ou nas demais licenciaturas, que não tenham realizado curso de pós-graduação, em especialização, mestrado ou doutorado na área de educação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *