Projetos variados

Projeto Nosso Corpo

Fonte: Brincando e Educando

Objetivos:

No final do projeto os alunos deverão ser capazes de:
Identificar todas as partes do corpo;
Conhecer as partes do corpo;
Reconhecer os sentidos;
Identificar e diferenciar as partes do próprio corpo com as partes do corpo dos amigos;
Vestir-se e desvestir-se sozinha;

O professor deverá:Estimular as crianças a: rolar, agarrar, sentar, engatinhar, andar em um pé só, andar sobre linhas – Trabalhando assim atividades de Psicomotricidade;Estimular o raciocínio e a atenção; Estimular a Socialização Estimular as crianças a explorar todos os 5 sentidos de forma abrangente.

Culminância:

Ginástica orientada com músicas;
Montagem de um mural e de dois bonecões para brincar e enfeitar a sala de aula.

Na “rodinha”:

Num segundo momento o professor deve conversar de forma informal sobre cada parte do corpo: boca, nariz, orelhas, braços, mãos, tronco, pernas, pés… Para que servem? – O professor deve provocar as crianças com esta pergunta para Cada parte do corpo que for citada.

Deixar que os alunos se expressem livremente, fazendo as devidas colocações e orientações. Ao fim da conversa sugerimos o trabalho com as músicas já bastante conhecidas em sala de aula, as quais as crianças adoram.

1 – Partes do Corpo:

Cabeça, ombro, joelho e pé.
Cabeça, ombro, joelho e pé.
Olhos, ouvidos, boca e nariz.
Cabeça, ombro, joelho e pé.

Cantar a música dramatizando-a; Pedir que as crianças mostrem as partes do corpo em si e nos amigos; Mostrar gravuras e pedir que indiquem as partes do corpo.

2 – Pop Pop:

Coloque a mão para frente,
Coloque a mão para o lado,
Coloque a mão para frente,
Balança ela agora
Eu danço pop pop
Eu danço pop pop
Eu danço pop pop
Assim é bem melhor!

(Repetir com todas as partes do corpo possíveis.). Cantar a música dramatizando-a.

3 – Remexo:

Ponha a mão na cabeça
Ponha a mão na cintura
Dá um abraço no corpo
Dá um abraço doçura
Sai sai sai Oh! Piaba Sai lá da lagoa.

Cantar a música dramatizando-a.

Relaxamento…

Concluir com o relaxamento da música: Feche os olhos – Do CD Xuxa só para baixinhos 1 ou outra música apropriada.

Brincar com o corpo e com os sentidos…

O professor deve propiciar atividades diversas de Psicomotricidade:

Pular em um pé som ao ritmo de uma música;Andar em cima de uma linha traçada no chão com uma bola na mão;Subir e descer escadas ao ouvir determinados sons; Engatinhar, saltar, com ritmo ou livremente; Virar cambalhota com auxílio do professor em um colchonete; Vestir e desvestir-se, com a roupa pedida, a cada ordem do professor; Dançar em diferentes ritmos;Pular entre bambolês; Imitar animais; Andar em curvas; Arremessar e agarrar bolas;Brincar de Chefinho mandou;Brincar de Morto-Vivo; Brincar de Estátua; Brincar de cabra-cega; E inúmeras outras atividades de acordo com a necessidade da turma, material disponível, tempo e desejo do professor…

Sugestões de alguns jogos de trabalho com corpo e explorando os sentidos:

1-Caçador de tartarugas: Os jogadores dispersam-se pelo pátio: são as tartarugas. Ao sinal, o caçador sai correndo para pegar as tartarugas. Estas evitarão ser apanhadas deitando-se de costas, pernas e braços encolhidos, imitando tartaruga deitada de costas. Enquanto estiverem nesta posição, não poderão ser caçadas. O jogador que for apanhado será eliminado.

2 – Jogo das Cores:

Sentados em círculos, os alunos devem aguardar a indicação do professor. Ao indicar uma cor, exemplo: verde – Todos devem sair correndo e tocar em algo da cor indicada.

3 – Me dá um abraço:

Os alunos devem estar distantes um do outro. Ao sinal especificado: Três palminhas dadas pelo professor, por exemplo, todos devem correr e encontrar um amigo para abraçar.

4 – Lobos e Carneirinhos:

Formação: Traçar no chão duas linhas afastadas cerca de 5 metros uma da outra. As crianças são divididas em dois grupos: lobos e Carneirinhos. Cada grupo se coloca atrás de uma linha. O grupo dos lobos fica de costas para o grupo dos Carneirinhos.
Desenvolvimento: Ao sinal do professor, os Carneirinhos saem a caminhar, o mais silenciosamente possível, em direção aos lobos. Quando estiverem bem próximo deles o professor diz: “Cuidado com os lobos”!Estes, então, voltam-se rapidamente em partem em perseguição aos Carneirinhos. Os Carneirinhos apanhados antes de alcançar a linha original (de onde vieram) passam a ser lobos. Na repetição da brincadeira invertem-se os papéis.

Sugestão: Antes de proporcionar essa brincadeira, é interessante que se explore o que se sabe e se discuta sobre esses animais: Como são? Quem já viu um carneirinho? Quem já viu um lobo? Onde? Quando? Se viu o que achou do animal? Vamos imitar um lobo? Vamos imitar um carneirinho? O professor deve explorar o tema de acordo com o interesse das crianças.

PROJETO: O CORPO DO GRUPO

Fonte: Paixão de Educar

Conceito-chave: corpo/movimento; espaço

Indicação: Crianças até 11 anos

Objetivo: Identificar as diferentes formas de relação do corpo em movimento com os espaços.

Desenvolvimento:

Pedir que os alunos deitem no chão em qualquer posição. Todos deverão estar interligados entre si por qualquer parte do corpo.
Um dos alunos deverá ser escolhido para contornar com giz os colegas. Após isso, todos deverão se levantar, afastar-se numa certa distância e ficar lado a lado atrás de uma linha riscada no chão. O professor dá o sinal e todos deverão correr, escolher um dos corpos contornados, cumprir as mensagens lançadas pelo professor:

Exemplo de mensagens:

– ocupar o corpo de pé, em um pé só.
– ocupar o corpo sentado; de cócoras.
– ocupar a posição desenhada no chão.
– ocupar o maior espaço possível do corpo escolhido.

Variante: Contornar apenas a metade da turma e realizar a atividade com toda a turma. Indicando que ninguém poderá pisar nas linhas de contorno, procurando ocupar o interior do corpo contornado.
Nesta atividade pretendemos que o aluno de uma forma lúdica, perceba e identifique as partes do corpo e as diferentes formas de relação que ele pode estabelecer com o espaço limitado. E também desenvolver a atenção do aluno que poderá ficar sem espaço para ocupar. Promover uma discussão com os alunos analisando quais as partes mais ocupadas e as partes esquecidas.

“É tarefa da Educação Física escolar, portanto, garantir o acesso dos alunos às práticas da cultura corporal, contribuir para a construção de um estilo pessoal de exercê-las e oferecer instrumentos para que eles sejam capazes de apreciá-las criticamente.”( Parâmetros Curriculares Nacionais de Educação Física )

PROJETO TRABALHANDO COM LENDAS

Fonte: Paixão de Educar

Objetivo:
– Estimular o interesse do aluno pelo Folclore Brasileiro, colocando-o em contato com Lendas e Mitos do nosso Folclore, desenvolvendo assim sua criatividade através da utilização de jogos e brincadeiras propostos, de atividades artísticas além de aguçar sua observação e percepção. Visa também uma interdisciplinaridade.

Lenda da Bruxa Nicácia

É uma lenda do sertão nordestino, onde o regime irregular de chuva criou esse personagem.
Conta a lenda que há muitos anos, no sítio das Limeiras, Sertão do Piauí, vivia uma bruxa chamada Nicácia. Ela era a sétima filha de um casal, e tinha que cumprir o triste destino de sugar o sangue de criancinhas na Quaresma. A bruxa vivia com a sua amiga coruja, numa cabana afastada de todos. Quando ela sumia, todos diziam que ela ia visitar o diabo. Quando voltava desses encontros ela preparava suas terríveis porções e fazia previsões, como a de que um dia o rio Corrente sairia do seu leito, causando uma enchente e afogaria a todos. Certo noite houve uma horrível tempestade, inundando tudo. Depois de passada a chuva, a bruxa, sua cabana e sua coruja sumiram. Alguns contam que ela foi arrastada para o fundo de um poço e se transformou num animal horrendo, o qual foi visto algumas vezes tomando sol nas margens do rio, espantando as lavadeiras com seus urros.

SUGESTÕES DE ATIVIDADES:
– Levar os alunos a discutirem sobre a lenda. Se acreditam ou não, justificando.
– Propor que pesquisem outras lendas e contem-nas de forma original para a turma. Um livro com a reescrita e ilustração das lendas pode ser confeccionado.

PROPOSTA DE ATIVIDADE ARTÍSTICA BASEADA NA LENDA DA BRUXA NICÁCIA:

– Dividir a classe em grupos e pedir para que construam a cabana da Bruxa Nicácia e em um segundo momento modelem a bruxa e sua coruja.

MATERIAIS NECESSÁRIOS:
Isopor para a base, palitos de sorvete ou de dente, massa colorida para modelar, argila, papelão, tampas de garrafas, sucatas em geral, sementes, casca de troncos de árvores, areia, palha, tesoura, cola branca, cartolina, hidrocor, lápis de cor ou giz de cera, tinta guache e pincel. Folhas secas também podem ser utilizadas para a construção do telhado, colando-as no papelão.

CURIOSIDADE:
No sertão nordestino, os períodos de seca se estendem por até três anos, ocasionando a redução dos cursos dos rios, que se transformam em simples poças de água. Assim, quando chove, as águas sobem rapidamente de nível causando terríveis enchentes. Provavelmente foi isso que aconteceu na história A Bruxa Nicácia.

SUGESTÕES PARA A CONTINUIDADE DO TRABALHO:

O professor pode relacionar as lendas e mitos com as regiões brasileiras e problemas atuais, para melhor aprendizado do aluno.

a) Discutir a problemática da seca no Nordeste como causa do êxodo nordestino (pedir aos alunos para que pesquisem em revistas e jornais a atual situação do nordeste, para onde estão indo as pessoas que abandonaram o nordeste e como vivem, os problemas para as áreas de imigração dos nordestinos, etc).

a) Explorar o tema “Meio Ambiente”: como e porquê preservá-lo, as conseqüências da destruição do meio ambiente para o homem, como está sendo destruído, como explorar o meio ambiente sem agredí-lo, o que está sendo feito para preservá-lo (ex: reciclagem de lixo, campanhas); citar Chico Mendes (mártir da luta pela preservação da Floresta Amazônica), como e porquê foi morto, o que fez pelo meio ambiente, etc.

Para as crianças menores a lenda pode ser contada de forma lúdica e realizado o trabalho artístico propondo brincadeiras de bruxas e corujas.
Um dos intuitos desta dica é variar as lendas não caindo na mesmice.

Bibliografia:
1. Lendas e Mitos do Folclore Brasileiro: Região Nordeste. São Paulo: Rideel, 1991
2. Cascudo, L.C. Dicionário do Folclore Brasileiro. Edições de Ouro, 1972
3. Santos, Theobaldo Miranda. Lendas e Mitos no Brasil. Editora Nacional S.P, 1974

PROJETO: Lendo através das embalagens

Fonte: Brincando e Educando

Por que ensinar a ler etiquetas e embalagens?

As etiquetas e embalagens são portadores de textos que cumprem a função de informar. Dizem a composição do produto, que cuidados são exigidos para seu funcionamento e manutenção, data de validade, modo de usar e de armazenar o produto… Veiculam textos escritos curtos e utilizam imagens. Ser capaz de compreender esses textos é fundamental para o exercício da cidadania e, se bem utilizados na alfabetização, podem trazer contribuições importantes também para os avanços dos alunos no processo de aquisição de procedimentos de leitor da escrita verbal e não-verbal.

Objetivos

Ao final das atividades, espera-se que o aluno esteja apto a:

* Reconhecer situações em que faz sentido buscar informações nas embalagens e etiquetas; * Identificar o tipo de informação possível de ser encontrada em cada texto desses portadores; * Identificar as principais informações trazidas nas embalagens e nas etiquetas; * Utilizar estratégias de leitura para buscar informações nos textos: antecipar o significado; utilizar as informações não verbais; * Utilizar o conhecimento de mundo; auto corrigir-se quando as antecipações não forem confirmadas pelo texto.

Recursos didáticos

* Embalagens de produtos diversos . * Etiquetas ou reproduções das mesmas (destas que vêm pregadas no interior dos tênis, nas roupas de cama, de mesa e banho e nas vestimentas pessoais) . * Papel sulfite. * Cola e tesoura.

Procedimento:

Peça a seus alunos que tragam embalagens vazias de casa,junte as que foram usadas durante o lanche,limpe-as bem.

As crianças devem identificar qual o produto e o que deve estar escrito. Entregue a embalagem e peça ao grupo para responder: Qual é o produto? Para que ele serve? O que deve estar escrito na embalagem? Onde está o nome do produto? (Peça para que apontem). Quais outras informações devem estar escritas? Por que existem letras grandes e letras pequenas? Peça para que colem a embalagem recebida no papel sulfite e apresente para a sala. Como lição de casa, solicite aos grupos que procurem outras etiquetas e embalagens.

Durante o jogo, vá chamando os alunos. Para aqueles com menos informação dê dicas do tipo Começa com a mesma letra do seu nome, Tem seis letras.

* Monte com eles o cantinho dos rótulos,criem cartazes,separe os produtos por grupos:Doces,salgados,quente,frio.

* Lição de casa: peça às crianças que perguntem aos adultos com quem moram se costumam ler as embalagens quando vão comprar algum produto.

PROJETO: PROJETO ELEIÇÃO

Fonte: Paixão de Educar

Destinado a alunos do 1o Ciclo do Ensino Fundamental.

JUSTIFICATIVA:

Estamos em ano de eleições… Será que os alunos sabem o que fazem aqueles políticos que querem o voto dos eleitores?
Será que também estão preocupados com os problemas do seu país? Da sua escola? Do seu bairro?
Que tal organizar uma eleição para escolher um representante, aquele que irá representar os alunos da escola, no clube, no condomínio, lembrando que os candidatos deverão apresentar suas propostas para, então, se submeterem à eleição? O candidato que demonstrar maior envolvimento com as causas sociais e atividades que desenvolvam o senso de cidadania, provavelmente, será a escolhido.
Desta forma, o voto se faz instrumento de transformação social, onde os eleitos estarão nos representando. Devemos cobrar deles atitudes honestas que beneficiem toda essa sociedade.
Será que seus alunos estão preparados para votar?
Com o desenvolver do projeto as crianças poderão aprender mais sobre a importância do voto e também escolher um candidato para representar seus interesses da sua escola ou dos moradores do seu bairro.

OBJETIVOS:

– Desenvolver a cidadania;
– Compreender a cidadania como participação social e política;
– Levar os alunos a compreender seus direitos e obrigações;
– Compreender características fundamentais das eleições, construindo a noção de identidade nacional;
– Aprender a questionar a realidade;
– Construir o conceito de: democracia; eleição; deputado (estadual e federal), senador e governador; convenção, comício, assembléia; urna, voto; título de eleitor;
– Identificar os candidatos, seus partidos políticos e siglas.

METODOLOGIA:

– Pesquisar e explicar o processo de eleição do Brasil;
– Analisar propagandas e programas eleitorais;
– Desenvolver um processo de eleição da escola.

ATIVIDADES:

Cada dupla ou grupo de alunos deverá:
– Criar um nome e um partido para o seu candidato;
– Criar um logotipo para o partido (não podendo ser de um partido já existente. Deve ser feito à mão livre)
– Explicar quem é esse político e o que ele pretende fazer (uma proposta de governo com sugestões e medidas que poderão ser tomadas para minimizar problemas da comunidade escolar, do clube, do condomínio);
– Criar um slogan para a Campanha;
– Detalhar as prioridades do seu governo (ex: saúde, educação, meio ambiente);
– Justificar por que devem votar no seu candidato.

PRODUÇÃO FINAL:

– Disponibilizar os candidatos, siglas dos partidos e propostas de cada um deles
– Realizar uma eleição
– Organizar debates com os alunos da escola, onde cada candidato terá oportunidade de esclarecer suas propostas;
– Confeccionar título de eleitor;
– Promover um concurso de charges sobre as eleições;
– Organizar um dia da eleição (mesários, apuradores, local da votação e apuração, horário, fiscal de boca de urna);
– Apurar os votos dos candidatos;
– Divulgar da apuração e realizar uma cerimônia de posse do presidente eleito.

O que pode ser trabalhado com este projeto?

Língua Portuguesa: Leitura e escrita informal; Elaboração de discursos; Produção de textos.

Artes: Confecção de cartazes, faixas para a campanha, urnas, botons, Cédula Eleitoral, Título de Eleitor.

História/Geografia: História das Eleições, Estudo dos Três Poderes; Poluição sonora e visual.

Matemática: Número de candidatos, de eleitores e de vagas; horários dos programas; datas e horários das eleições.

Projeto Estudando as Abelhas

Fonte: Paixão de Educar

O projeto deve ser adaptado ao nível, realidade e necessidades de cada turma.

Desenvolvimento
1 – trazer uma abelha morta para a sala de aula e observar detalhes da sua anatomia:
? Número de patas;
? Antenas;
? Mandíbula;
? Olhos;
? Ferrão;
? Abdômen e tórax;
? Asas.

2 – Desenhar e dar os respectivos nomes das fases da metamorfose da abelha. Antes, pesquisar sobre o que é metamorfose e quais os outros insetos que sofrem metamorfose.

3 – Completar a partir de pesquisas orientadas pelo professor os esquemas abaixo:

FUNÇÕES
? Abelha-rainha:
? Abelhas-operárias:
? Zangões:

ABELHAS
? Onde vivem:
? De que se alimentam:
? Como se defendem:
? Quanto tempo vivem:
? O que produzem:

4 – Dividir a turma em quatro grandes grupos. Cada um deve pesquisar sobre a organização social dos seguintes insetos: abelhas, formigas, cupins e vespas.

5 – Construir nas aulas de Educação Artística, móbiles com gravuras ou desenhos de abelhas. Fazer uma armação de arame com sombrinhas velhas, recortar as gravuras, colar a papelão, amarrá-las num barbante e pendurá-las na armação. Os móbiles devem ficar fixos no teto da sala de aula.

6 – Procurar notícias e gravuras sobre o mel (extração, utilidades, curiosidades) e montar um grande mural ou painel.

7 – Pedir ao alunos que tragam receitas simples que tenham o mel com ingrediente. Escolher uma que possa ser feita na escola, juntamente com as crianças.
Listar os ingredientes que devem ser levados pelos alunos. Aproveitar esta atividade e fazer um comentário sobre o valor do mel na alimentação.

8 – Entrevistar um apicultor. Preparar, anteriormente, com os alunos as perguntas a serem feitas.

9 – Pesquisar quais são os estados maiores produtores de mel no Brasil. Localizá-los no mapa, colorindo-os.

10 – Procurar no dicionário o significado das palavras: enxame, colméia, alvéolos, néctar, pólen, própolis, polinização, apicultura e favo. Propor aos alunos que elaborem 1 frase coerente para cada palavra.

Culminância
Trabalhar a letra da música A Abelha Mestra, de Vinicius de Moraes e Bacalov, cantada por Moraes Moreira. Levando, se possível em aparelho de som a fim de que os alunos escutem a melodia e possam acompanhar a letra.

Abelha mestra
A abelha mestra e as abelhinhas
estão todas prontinhas pra ir para a festa.
E zune, que zune,
lá vão para o jardim,
brincar com a cravina,
roçar com o jasmim,
da rosa para o cravo
e do cravo para a rosa,
da rosa para o favo
e de volta para a rosa.

E vem ver como dão mel
As abelhas do céu.

A abelha-rainha
Está sempre em casa.
Engorda a pancinha
e não faz mais nada.

PROJETO: Se meu corpo falasse…

Fonte: Projetos Pedagógicos Dinâmicos

Ler de maneira lúdica e agradável um ou mais livros da coleção CORPIM de Ziraldo.
Comentar com os alunos o tema principal dos livros: As partes do corpo e seus sentimentos, pensamentos, ações, ideais e planos futuros.
Propor aos alunos que imaginando a voz de cada parte do corpo respondam perguntas como: Se o nariz falasse, o que ele diria?
E o dente cariado? E os seus pés depois de você andar muito? E a barriga quando você come demais?
Após esta etapa, quando o grupo estiver bastante incentivado pedir que as crianças façam perguntas para as partes do corpo dos amigos.
Deixar que as crianças expressem suas idéias, pensamentos, elaborem suas frases, intervindo o menos possível – mas estimulando sempre, mostrando interesse na brincadeira.
Em um segundo momento o professor – dinamizador deve propor que a turma divida-se em grupos monte os quebra-cabeças das partes do corpo – Modelo em anexo.

Deixar que os alunos montem e desmontem enquanto houver interesse.

É interessante apresentar um cartaz com as partes do corpo e deixar fixo na sala de aula.

Montar bonecos articulados com as crianças, fazendo-as pintar, e deixar que brinquem a vontade por algum tempo – Modelos em anexo.

Os Sentidos…

Já tendo explorado bastante as partes do corpo, observado no espelho, dançando, tocando-o, relaxando… Passar para a segunda fase do projeto: Explorar os sentidos.

Visão: Mostrar figuras coloridas pequenas, médias e grandes; figuras preta e brancas pequenas, médias e grandes; mostrar de longe, de perto, de muito perto – sempre perguntando o que estão vendo e como. Provocar os alunos para que percebam a importância da visão. E repetir a pergunta: Para que servem nossos olhos?

Audição: Brincar de identificar sons de instrumentos, da natureza,vozes, barulhos em geral; falar bem baixinho, falar alto, propor que todos sussurrem, gritem, fiquem em silêncio. Enfim, através de diversas brincadeiras provocar para que percebam a importância dos ouvidos e da audição. Repetir a pergunta: Para que servem nossos ouvidos?

Olfato: Brincar de distinguir diferentes cheiros de olhos vendados – Dizer cheiros que agradam e os que desagradam – provocando-os até perceberem a importância de nosso nariz, de nosso olfato.

Paladar: Brincar de provar diferentes tipos de alimentos de olhos vendados – provocando-os até perceberem a importância da língua, de nosso paladar.

Tato: Brincar de sentir diferentes texturas: algodão, lixa, esponja, água fria, água morna, gelo etc.) – provocando-os até perceberem a importância do tato, de sentir o toque. O professor pode criar uma caixa fechada com um buraco apenas para caber as mãos das crianças, e dentro dela devem conter diferentes materiais onde poderão tocar e dizer o que sentem se é macio ou áspero. Outra brincadeira legal é: de olhos fechados, descobrir em que parte dos eu corpo o colega está tocando.

Brincar com o corpo e com os sentidos…

O professor deve propiciar atividades diversas de Psicomotricidade:

• Pular em um pé som ao ritmo de uma música;
• Andar em cima de uma linha traçada no chão com uma bola na mão;
• Subir e descer escadas ao ouvir determinados sons;
• Engatinhar, saltar, com ritmo ou livremente;
• Virar cambalhota com auxílio do professor em um colchonete;
• Vestir e desvestir-se, com a roupa pedida, a cada ordem do professor;
• Dançar em diferentes ritmos;
• Pular entre bambolês;
• Imitar animais;
• Andar em curvas;
• Arremessar e agarrar bolas;
• Brincar de Chefinho mandou;
• Brincar de Morto-Vivo;
• Brincar de Estátua;
• Brincar de cabra-cega;
• E inúmeras outras atividades de acordo com a necessidade da turma, material
disponível, tempo e desejo do professor…

Sugestões de Alguns Jogos de Trabalho com corpo e explorando os sentidos:

1 – Caçador de tartarugas:

Os jogadores dispersam-se pelo pátio: são as tartarugas. Ao sinal, o caçador sai correndo para pegar as tartarugas. Estas evitarão ser apanhadas deitando-se de costas, pernas e braços encolhidos, imitando tartaruga deitada de costas. Enquanto estiverem nesta posição, não poderão ser caçadas. O jogador que for apanhado será eliminado.

2 – Jogo das Cores:
Ver acima “Projeto nosso corpo”

3 – Me dá um abraço:
Ver acima “Projeto nosso corpo”

4 – Lobos e Carneirinhos:
Ver acima “Projeto nosso corpo”

5 – Onça Dorminhoca:

Formação: Formar com os alunos uma roda grande. Cada criança fica dentro de um pequeno círculo desenhado sob os pés, exceto uma que ficará no centro da roda, deitada de olhos fechados. Ela é a Onça dorminhoca.

Desenvolvimento: Todos os jogadores andam a vontade, saindo de seus lugares, exceto a onça dorminhoca que continua dormindo. Eles deverão desafiar a onça gritando-lhe: “Onça dorminhoca”! Inesperadamente, a onça acorda e corre para pegar um dos lugares assinalados no chão. Todas as outras crianças procuram fazer o mesmo. Quem ficar sem lugar será a nova Onça dorminhoca.

Sugestão: O professor poderá proporcionar um estudo sobre a onça, de acordo com o interesse das crianças: Quem já viu uma onça?
Aonde? Quando?
Como ela é? Como vive? O que come?
Quem quer imitá-la?
Confeccionar uma máscara de cartolina ou papelão para aquele que fará o papel da onça.
Partindo deste estudo, a criança, quando for desenvolver a atividade, criará um personagem seu relativo à brincadeira.

6 – Corrida do Elefante:

Formação: As crianças andam à vontade pelo pátio. Uma delas separada utiliza um braço segurando com a mão a ponta do nariz e o outro braço passando pelo espaço vazio formado pelo braço. ( Imitando uma tromba de elefante).

Desenvolvimento: Ao sinal, o pegador sai a pegar os demais usando somente o braço que está livre ( O outro continua segurando o nariz). Quem for tocado transforma-se também em elefante, logo, em pegador, adotando a mesma posição. Será vencedor o último a ser preso.

Sugestão: As crianças, durante a brincadeira podem caminhar como um elefante.

Sempre é bom…

• Trabalhar com parlendas, adivinhas, trava-línguas;
• Desenhar livremente ou de maneira orientada – Exemplo: Desenhe seus olhos.
• Trabalhar pesquisas. Deixar que as crianças recortem e colem diferentes
figuras de corpo humano;
• Usar as cantigas e brincadeiras de roda;
• Modelar bonecos, procurando colocar todas as partes do corpo;

Para finalizar o projeto sugerimos a criação de um boneco do tamanho das crianças feito de sucata – Nomeá-lo, listar suas características de personalidade e caráter, cada parte do corpo que for sendo criada o professor aproveita para revisar tudo que já trabalharam.

Autoria: Patrícia Fonte

Modelos de bonecos articulados:

• Xerocar 2 vezes para cada aluno;
• Propor que as crianças pintem os modelos;
• Colar em papel cartão;
• Prender as partes do corpo com bailarina para maior resistência.
• E estará pronto para brincar!

Exemplo de Atividade Artística Sistematizada:

Cole lã da cor de seus cabelos na cabeça da figura e complete o rosto recortando e colando os órgãos do sentido nos lugares cor
retos:

A importância do brincar com o corpo na Educação Infantil:

Durante muito tempo as creches, Pré-Escolas ou Jardim de Infâncias foram consideradas locais para deixar a criança com alguém de segurança para os pais poderem exercer seus trabalhos, ou, no máximo, um local para brincar. Hoje sabemos a importância e o papel pedagógico, educativo, social desta fase da criança.
Pesquisas demonstram que quando a escola é um ambiente altamente estimulante, onde possam ter como se explorar, imitar, olhar, escutar, expressar-se através de sua fala e em contato com crianças da mesma faixa etária, tendo a professora como facilitadora e orientadora, as crianças com menos de 6 anos desenvolvem sua inteligência de forma surpreendente.
A nós educadores cabe propiciar atividades diversificadas e criar ambientes educativos cada vez mais ricos e desafiadores.

“Brincar com crianças não é perder tempo, é ganhá-lo; se é triste ver meninos sem escola, mais triste ainda é vê-los sentados enfileirados em salas sem ar, com exercícios estéreis, sem valor para a formação do homem.”
( Carlos Drumond de Andrade )

A brincadeira é o caminho do desenvolvimento cognitivo na infância. E é a partir da exploração do seu próprio corpo e dos amigos que iniciam as construções dos conhecimentos e habilidades principais. Em vez de impedí-las de brincar, o ideal é apresentar materiais que incentivem brincadeiras diversas e enriqueçam cada vez mais o processo ensino-aprendizagem.

Desabafo de Mãe promove Concurso de Fotos na Bienal do Livro

O site Desabafo de Mãe, primeiro site de conteúdo de nicho no Brasil feito com a participação do internauta, promove neste mês de agosto o Concurso de Fotos da Bienal do Livro com objetivo de ressaltar a importância do hábito de leitura dentro de casa. A idéia é que visitantes com crianças enviem fotos do evento que retratam a relação entre a criança e livro. A melhor foto ganhará um kit de livro, conforme a faixa-etária do filho.

É importante ressaltar que os participantes são responsáveis pelo uso da imagem, porém, precisam se cadastrar no site para permitir a publicação das fotos na seção Fotogaleria do site Desabafo de Mãe.

O concurso é patrocinado pela Livraria Sobrado que doará um dos três kits de livros montados exclusivamente para os concursos culturais do Desabafo de Mãe. A equipe de jornalistas do Desabafo de Mãe será responsável pela seleção dos ganhadores.

As fotos poderão ser inseridas por qualquer internauta a partir do dia 14 de agosto até o dia 5 de setembro na seção Fotogaleria. A divulgação do vencedor está prevista para 12 de setembro e o envio do kit deverá ser feito até o dia 30 de setembro pelo Correio.

Segue abaixo os livros oferecidos pela Livraria Sobrado de acordo com a faixa etária da criança, cujo premiado ganhará apenas um dos kits conforme a faixa etária da criança da foto publicada neste concurso:

Kit Primeira Infância ( até 3 anos)
Soft Shapes
Coleção Bloco de Animais – Gatinho + Patinho
Falatório no Jardim
Casas Divertidas

Kit Segunda Infância ( até 6 anos)
Dedinhos de Gente
O Homem que Amava Caixas
O Pote Vazio

Kit Terceira Infância ( até 10 anos)
O Duende da Ponte
Como Fazíamos Sem

3 thoughts on “Projetos variados

  1. PARABÉNS…. TUDO MUITO ÓTIMO!

    “Se quiser colher em curto prazo, plante cereais;
    Se quiser colher em longo prazo, plante árvores frutíferas;
    Mas se quiser colher para sempre,
    Eduque crianças.”

    (Provérbio Chinês)

    Cybele Reply:

    Olá Marieli, tudo bem?

    ADOREI!
    Volte sempre que quiser!
    beijinhos

  2. ADOREI TODAS AS IDÉIAS AQUI MENCIONADAS…….TENHO CERTEZA QUE SERÃO DE EXTREMA UTILIDADE A QUEM REALMENTE TIVER INTERESSE DE PÔR EM PRÁTICA……….PARABÉNS!!!!!!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *