Dia da Alfabetização – 14 de novembro

Dia da Alfabetização – 14 de novembro

Fonte: Letrinhas e Companhia

O papel do professor é fundamental nesta fase tão importante da criança.

Incentivar e motivar são palavras intrinsecamente ligadas, mas com algumas nuances:

* motivar: é ter motivo para executar uma ação;
* incentivar: é o estímulo para executar uma ação;

O maior desafio do educador é educar a emoção dos alunos e torná-los pensadores.

TRABALHANDO ATRAVÉS DE GRAVURAS

Projeto Alfabeticanção

Fonte: Letrinhas e Companhia

Assunto: Músicas infantis e Cantigas de roda


Justificativa:
Toda criança gosta de músicas, cantigas e brincadeiras de roda. Todas elas pertencem à cultura de nosso povo e todo esse conhecimento deve ser discutido, pesquisado e vivenciado no contexto escolar. O bom de trabalhar com elas na alfabetização é que as canções são facilmente memorizáveis e acompanhadas de brincadeiras tornam o aprendizado mais lúdico e prazeroso. Assim, a criança participa de situações de leitura e escrita mais facilmente. Afinal, ela já sabe o que está escrito e pode prestar mais atenção à forma como se escreve.
“A música estimula áreas do cérebro não desenvolvidas por outras linguagens, como a escrita e a oral.”

Objetivos:

Desenvolver a oralidade;
Estabelecer correspondência entre partes do oral e do escrito, ajustando o que se sabe a escrita convencional.
Resgatar brincadeiras e canções que fazem parte de nossa cultura.
Cantar e ampliar o repertório musical; produção de imagens de apoio às canções.
Perceber a música como parte essencial de nossa história e cultura.
Desenvolver habilidades em conteúdos propostos no plano de ensino, nos diferentes componentes curriculares, através da utilização de músicas e cantigas.
Conhecer alguns instrumentos musicais;
Desenvolver a criatividade e a imaginação;

Desenvolvimento:

1ª etapa

Resgataremos o conhecimento musical dos alunos através de brincadeiras e pesquisas junto a família.
Apresentaremos algumas cantigas e brincadeiras integrantes de nossa cultura que hoje já não são tão vivenciadas.

2ª etapa

Durante a apresentação dos conteúdos propostos em nosso plano de ensino, utilizaremos a música como principal recurso para alcançar os diversos objetivos almejados.
As músicas serão escolhidas de modo que venham ressaltar e enfatizar o assunto discutido.
Através delas realizaremos atividades como reescrita, identificação de palavras, produção e organização formal de um texto, discussão sobre o assunto principal incutido na música, memorização e organização do pensamento, confecção de fantoches e representações de algumas músicas, entre outras.
Estas atividades ao final do projeto serão integrantes de uma pasta com o seguinte tema e sub tema:
Projeto Alfabeticanção
“ Aprendendo com a música”

3º etapa

Resgataremos as cantigas e brincadeiras que hoje já não são priorizadas. Após a pesquisa e envolvimento dos alunos convidaremos as outras salas a participarem de algumas brincadeiras e canções no pátio da escola.

4ª etapa

Baú da doce infância
Confeccionaremos um baú de cantigas e músicas infantis, explorando a criatividade e a imaginação do aluno. Os alunos participarão da parte escrita e ilustração das músicas e cantigas selecionadas.

5ª etapa
Apresentação para os pais.
Neste dia os alunos além da exposição de seus trabalhos apresentarão:
Encenação de uma cantiga de roda ( Rosa Juvenil)
Apresentação de algumas músicas e cantigas que contarão com a participação dos visitantes
Ensinarão algumas brincadeiras aos pais
Falarão sobre a importância da música, especialmente das cantigas de roda, bem como as brincadeiras que já não fazem parte da infância de hoje, pois foram substituídas pela tecnologia.

Avaliação

A avaliação será contínua, dando real importância ao empenho, dedicação e participação nas atividades propostas.

Lembrancinha:
Aos alunos:
1 CD com as músicas que as crianças mais gostaram e se envolveram durante o projeto.
1 joguinho de 5 Marias
Aos visitantes:
1 flor de balinhas de goma e uma mensagem

Materiais de Apoio:
Coleção Cirandinha
Coleção Alfabetizando através da música

Algumas sugestões de atividades…

COELHINHO

DE OLHOS VERMELHOS, DE PÊLO BRANQUINHO
DE PULO BEM LEVE EU SOU COELHINHO
SOU MUITO ASSUSTADO PORÉM SOU GULOSO
POR UMA CENOURA JÁ FICO MANHOSO

EU PULO PRA FRENTE, EU PULO PRA TRÁS
DOU MIL CAMBALHOTAS SOU FORTE DEMAIS
COMI UMA CENOURA COM CASCA E TUDO
TÃO GRANDE ERA ELA FIQUEI BARRIGUDO

Desenhe o coelho:

Recorte e cole o alimento que o coelho mais gosta;

1- CIRCULE NA MÚSICA AS PALAVRAS QUE VOCÊ CONSEGUE LER SOZINHO.
2- COPIE AQUI O TÍTULO DA MÚSICA ____________________________________________________________________________________

O SAPO NÃO LAVA O PÉ

O SAPO NÃO LAVA O PÉ
NÃO LAVA PORQUE NÃO QUER
ELE MORA LÁ NA LAGOA
NÃO LAVA O PÉ PORQUE NÃO QUER
MAS QUE CHULÉ

1- MARQUE O NOME DO ANIMAL QUE APARECE NA MÚSICA:
( ) SAGUI
( ) SAPO
( ) CAVALO

1- DESENHE ESTE ANIMAL:

2- FAÇA UMA LISTA DE ANIMAIS QUE VOCÊ GOSTA:
_______________________
_______________________
_______________________
_______________________
_______________________

PINTINHO AMARELINHO

MEU PINTINHO AMARELINHO
CABE AQUI NA MINHA MÃO, NA MINHA MÃO
QUANDO QUER COMER BICHINHO
COM SEU PEZINHO ELE CISCA O CHÃO

ELE BATE AS ASAS ELE FAZ PIU-PIU
MAS TEM MUITO MEDO É DO GAVIÃO
ELE BATE AS ASAS ELE FAZ PIU-PIU
MAS TEM MUITO MEDO É DO GAVIÃO

PINTE O NOME DOS ANIMAIS QUE APARECEM NA MÚSICA;

ESTES ANIMAIS TÊM O CORPO COBERTO POR:
( ) PENAS
( ) PÊLOS
( ) ESCAMAS

A PALAVRA PINTINHO ESTA NO DIMINUTIVO, POIS INDICA UM TAMANHO PEQUENO; ENCONTRE NA MÚSICA OUTRAS PALAVRAS QUE TAMBÉM INDICAM TAMANHO PEQUENO E PINTE-AS;

CIRCULE A ÚLTIMA SÍLABA DA PALAVRA PINTINHO E ESCREVA MAIS DUAS PALAVRAS COM NH;
__________________ _____________________

Nossas letras são assim…

Fonte: Paixão de Educar

Procedimentos para conhecer o traçado dos caracteres do alfabeto

Depois de proporcionar várias situações de convivência com as letras, nas quais as crianças possam sentir, através do tato, as suas variadas formas e montar com elas algumas palavras como, por exemplo, seus nomes, o professor pode propor um trabalho mais formal de aprendizagem, com vistas ao domínio das formas gráficas das letras, para que o alfabetizando se aproprie definitivamente do alfabeto – chave para a utilização do código lingüístico, na escrita.

Esse apropriar-se do alfabeto tem um sentido muito amplo que objetiva:

• identificar a letra, seu nome e sua forma;
• comparar as letras para estabelecer as relações de semelhanças e diferenças entre elas, sob o ponto de vista da forma gráfica e, posteriormente, dos sons;
• classificar as letras segundo as formas que elas apresentam,

Compete ao professor oportunizar situações que venham a facilitar o alcance destes objetivos e a conseqüente construção de estruturas mentais que favoreçam o desenvolvimento de habilidades e sirvam de suporte à aprendizagem da leitura e da escrita.

Para facilitar essas construções, cabe ao professor chamar a atenção para os tipos de traços que formam cada letra, auxiliando os alunos para que possam nomeá-los e classificá-los, incentivando-os a criarem uma nomenclatura que identifique cada traçado. Por exemplo:


• letras com traços de pé;
• letras com traços deitados;
• letras com traços inclinados;
• letras com curvas;
• letras com pontas etc.

É conveniente que o professor use o vocabulário que surgir das crianças, adequando-o, se necessário.

As denominações e conseqüentes classificações vão sendo feitas pelas crianças com o auxílio do professor.

Material utilizado:
As crianças poderão trabalhar com alfabetos de plástico, madeira ou papelão.
Os alfabetos de papelão podem ser confeccionados pelo professor, utilizando caixas de sapatos ou outras encontradas em supermercados. É preciso tomar cuidado na confecção de cada uma das letras, para que elas estejam corretamente traçadas. Além disso, é necessário que a face correta da letra seja identificada através de um colorido. Esse colorido pode ser feito pelo professor juntamente com os alunos. A atividade de colorir o lado correto da letra constitui-se num contato próximo, quase íntimo com ela. O colorido, por sua vez, vai permitir que o aluno identifique o lado correto ao manusear a letra e não o inverso e, conseqüentemente, fixe sua forma correta.

Procedimento em aula:
Com os alunos dispostos em grupos, para que possam trocar opiniões, manuseando e comparando as letras, o professor vai lançando perguntas, questionando-os, fazendo com que eles se manifestem e estabeleçam conclusões a respeito dos tipos de traços que formam cada letra. Exemplo: – Vamos observar a letra A? Ela tem:
– traços de pé?
– traços deitados?
– traços inclinados?
– curvas?
– pontas?
– como ela se apresenta?

Para registrar essas observações e para que as letras fiquem classificadas de forma organizada, o professor pode propor a elaboração de um livrinho, que terá tantas páginas quantas forem as classificações encontradas pelas crianças. Uma folha mimeografada ou xerocada dá para 4 páginas do livro.

EXEMPLO:
Letras com traços deitados
A E F…
Letras com curvas
C D G…
Letras com traços de pé
B D E F H l L…
Letras com pontas
A M N…

Cada página do livro é feita da seguinte maneira: o professor entrega, por exemplo, a folhinha com o título Letras com traços de pé. As crianças observam todas as letras, em ordem alfabética, e vão selecionando as que têm traços de pé. Os grupos comparam quais as letras que foram selecionadas e que, portanto, pertencem a esta classificação. Se houver alguma divergência, o professor pode propor que todos juntos analisem a situação até que se chegue a um consenso.

Cada um escreve as letras selecionadas na sua folhinha.

O trabalho prossegue, enquanto houver interesse por parte dos alunos. O professor pode combinar com eles que se elabore duas páginas por dia até montar o livrinho.

Não se pode esquecer de inventar um título para o livrinho que pode ser: Nosso Alfabeto ou Estudo das Nossas Letras ou Nossas Letras São Assim e colocá-lo na capa que pode ser ilustrada com uma técnica artística interessante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *