18 de fevereiro – Dia Internacional do Asperger

Síndrome de Asperger

Fonte: Bengala Legal

A Síndrome de Asperger compreende outro transtorno invasivo do desenvolvimento, entretanto diferentemente do autismo infantil, a criança com Síndrome de Asperger apresenta desenvolvimento cognitivo e intelectual normal e não apresenta atraso no desenvolvimento da fala.

O desenvolvimento da criança parece normal, mas no decorrer dos anos seu discurso torna-se diferente, monótono, peculiar e há com freqüência a presença de preocupações obsessivas. Sua capacidade de interagir com outras crianças torna-se difícil, é pouco empática, apresenta comportamento excêntrico, suas vestimentas podem se apresentar estranhamente alinhadas e a grande dificuldade de socialização tende a torná-la solitária. Há prejuízo na coordenação motora e na percepção visoespacial.

Esse jovem freqüentemente apresenta interesses peculiares e pode passar horas assistindo ao canal da previsão do tempo na televisão ou estudando exaustivamente sobre temas ou assuntos preferidos como dinossauros, carros, aviões ou mapas de ruas, por exemplo.

Algumas coisas são aprendidas na idade “própria”, outras cedo demais, enquanto outras só serão entendidas muito mais tarde ou somente quando ensinadas.

Alguns pesquisadores acreditam que Síndrome de Asperger seja a mesma coisa que autismo de alto funcionamento, isto é, com inteligência preservada. Outros acreditam que no autismo de alto funcionamento há atraso na aquisição da fala e na Síndrome de Asperger não.

Muitas pessoas afirmam que a importância da diferenciação entre Síndrome de Asperger e Autismo de Alto Funcionamento seja mais de cunho jurídico do que propriamente para escolhas relacionadas ao tratamento. Por um lado, para algumas pessoas dizerem que alguém é portador de Síndrome de Asperger parece mais leve e menos grave do que ser portador de autismo, mesmo que de alto funcionamento. Por outro lado, a maioria das instituições de autismo no mundo alegam que esta divisão em duas patologias diferentes enfraquece um movimento que necessita de tanto apoio, como o dos que trabalham pelo autismo.

Síndrome de Asperger

Fonte: Comportamento infantil

Transtornos Invasivos do Desenvolvimento (TID) ou Pervasive Developmental Disorder (PDD) ou Espectro Autístico se referem a um grupo de quadros clínicos diagnosticados em crianças cujo comportamento apresenta o tripé de sintomas descritos por Wing: falha na interação social recíproca; dificuldade na comunicação verbal e não-verbal; comprometimento da imaginação com repertório restrito de interesses e atividades.

O prejuízo de interação social recíproca e na linguagem, seria aspectos centrais da Tríade proposta por Wing (1992) na qual o Autismo faria parte de um spectrum ou continuum no qual essas características podem variar quanto ao tipo e grau de severidade. A Síndrome de Asperger seria a parte mais elevada deste espectro.

Na Síndrome de Asperger os aspectos formais da linguagem estariam preservados, contudo a comunicação humana abrange aspectos verbais e não-verbais que combinadas permitem a transmissão de informações. Neste transtorno os aspectos não verbais encontram-se comprometidos.
Ex: dificuldade em identificar a expressão corporal de outra pessoa.

Muitas vezes, por seu Alto QI verbal, estas crianças atravessam toda a vida sem um diagnostico correto, sendo consideradas desatentas (ou com TDAH), tímidas ou cheias de manias.

Características:

*
Dificuldade no estabelecimento do contato visual face-a-face
*
Dificuldade em mostrar objetos
*
Orienta-se pelo nome quando chamadas
*
Inversão pronominal (uso da terceira pessoa do singular no lugar da primeira)
*
Podem aprender a ler sozinhas (Hiperlexia)
*
Ecolalia (repetição de palavras ou expressões ouvidas anteriormente)
*
Rigidez de significados (a dificuldade em associar diversos significados a um único significante)
*
Brincar de faz de conta
*
Dificuldade em colocar-se na perspectiva dos outros (Teoria da Mente)
*
Manifesta interesses sociais e engaja-se em brincadeiras conjuntas
*
Uso de palavras difíceis ou pouco usuais para a idade cronológica e a construção de frases rebuscadas
*
Dificuldade de compreensão pela tendência em entender de forma literal, não conseguindo abstrair duplo sentido ou metáforas

A excelente capacidade de memória é utilizada para um campo restrito de interesses, decorando tudo sobre assuntos não usuais como Astrologia, Matemática, ruas, mapas, aranhas, dinossauros, logomarcas, jingles…

Nestes casos a presença dos sintomas vem desde o nascimento ou estes podem aparecer antes dos três anos de idade. Através da terapia e com o passar do tempo um sintoma pode se tornar mais leve.

O diagnóstico é clínico, os exames complementares somente irão investigar a presença de outras patologias associadas (comorbidades).

A terapia deve aliar o tratamento psicoterápico aliado à terapia fonoaudiológica. Na terapia fonoaudiológica o principal objetivo é estimular a linguagem verbal e não verbal, aliada a psicomotricidade, minimizando dificuldades apresentadas.

Dentro as terapias psicológicas, a Terapia Cognitiva Comportamental (TCC) tem se mostrado eficaz e se baseia na teoria que um problema comportamental ou psicológico como depressão e ansiedade e que aparece como resultado de distorções cognitivas. Deste modo, o objetivo desta abordagem é identificar e re-estruturar os pensamentos irracionais, aliviando assim suas conseqüências emocionais e comportamentais. Os princípios da TCC podem ser adaptados para que sejam aplicáveis de maneiras diferentes, mas seus componentes típicos são:

1. Acessar o Problema
2. Psicoeducação – para ilustrar as conexões entre pensamentos deficitários ou destorcidos e as emoções e comportamentos;
3. Reestruturação Cognitiva: para lidar com o pensamento disfuncional de uma forma mais lógica, implementando formas mais saudáveis de pensar;
4. Manejo do Estresse e da Ansiedade
5. Reflexões sobre si: para melhorar insights sobre os pensamentos
6. Prática diária dos princípios aprendidos nas situações do dia-a-dia.

A TCC é utilizada no trabalho com pessoas com a Síndrome de Asperger, que tendem a apresentar um funcionamento cognitivo elevado, um alto QI verbal e são receptivos ao pensamento lógico, além de serem suscetíveis a distúrbios emocionais que, como se sabe, são aliviados pela TCC. Um mínimo de cognição é necessária para esta abordagem, o que a torna não eficaz para crianças muito pequenas ou com uma baixo intelectual cognitivo.

A terapia é então orientada para a diminuição da ansiedade em trocas de rotina, a orientação dos pais e da escola, treino das habilidades sociais e reconhecimento emocional, adequação social e psicomotricidade. Nem sempre o psicólogo é habilitado para tratar todas as questões envolvidas na Síndrome de Asperger e faz-se necessário o trabalho de equipe com uma fonoaudióloga ou psicomotricista treinada para tal.

JULIANA PEREIRA
Fonoaudióloga
fgajuliana@hotmail.com
PRISCILA TENENBAUM
Psicóloga Cognitivo Comportamental
priscila@canadabrasil.com.br

Sintomas da síndrome de Asperger

Fonte: Guia Infantil

por Vilma Medina

Um diagnóstico preciso e seguro do Asperger

Como sempre afirmamos, cada criança é um mundo e não se pode generalizar. Menos ainda nos casos de Asperger. Um diagnóstico preciso e seguro só poderá ser dado por um médico especialista, assim como o devido tratamento.

No entanto, existem algumas características que podem ser observadas pelos pais quando seus filhos tenham entre 2 e 7 anos de idade. Normalmente, uma criança com Asperger pode apresentar algumas características com maior frequência. Aqui, apresentamos algumas:

1- Habilidades sociais e controle emocional

– Não desfruta normalmente do contato social. Relaciona-se melhor com adultos que com crianças da mesma idade. Não se interessa pelos esportes.

– Tem problemas de brincar com outras crianças. Não entende as regras implícitas do jogo. Quer impor suas próprias regras, e ganhar sempre. Talvez por isso prefira brincar sozinho.

– Custa-lhe sair de casa. Não gosta de ir ao colégio e apresenta conflitos com seus companheiros.

– Custa-lhe identificar seus sentimentos e os dos demais. Apresenta mais birras que o normal. Chora com facilidade por tudo.

– Tem dificuldades para entender as intenções dos demais. É ingênuo. Não tem malícia. É sincero.

2- Habilidades de comunicação

– Não pode olhar nos olhos quando fala contigo. Crê em tudo aquilo que lhes dizem e não entende as ironias. Interessa-se pouco pelo que dizem os outros. Custa-lhes entender uma conversa longa, e muda de tema quando está confusa.

– Fala muito, em tom alto e peculiar, e usa uma linguagem pedante, extremamente formal e com um extenso vocabulário. Inventa palavras ou expressões idiossincrásicas.

– Em certas ocasiões, parece estar ausente, absorto em seus pensamentos.

3- Habilidades de compreensão

– Sente dificuldade em entender o contexto amplo de um problema. Custa-lhe entender uma pergunta complexa e demora para responder.

– Com frequência não compreende uma crítica ou um castigo. Assim como não entende que ele deve portar-se com distintas formas, segundo uma situação social.

– Tem uma memória excepcional para recordar dados e datas.

– Tem interesse especial pela matemática e as ciências em geral.

– Aprende a ler sozinho ainda bem pequenos.

– Demonstra escassa imaginação e criatividade, por exemplo, para brincar com bonecos.

– Tem um senso de humor peculiar.

4- Interesses específicos

– Quando algum tema em particular o fascina, ocupa a maior parte do seu tempo livre em pensar, falar ou escrever sobre o assunto, sem importar-se com a opinião dos demais.

– Repete compulsivamente certas ações ou pensamentos para sentir-se seguro.

– Gosta da rotina. Não tolera as mudanças imprevistas. Tem rituais elaborados que devem ser cumpridos.

5- Habilidades de movimento

– Possui uma pobre coordenação motora. Corre num ritmo estranho, e não tem facilidade para agarrar uma bola.

– Custa-lhe vestir-se, desabotoar os botões ou fazer laço nos cordões do tênis.
6- Outras características

– Medo, angústia devido a sons como os de um aparelho elétrico.

– Rápidas coceiras sobre a pele ou sobre a cabeça.

– Tendência a agitar-se ou contorcer-se quando está excitado ou angustiado.

– Falta de sensibilidade a níveis baixos de dor.

– São tardios em adquirir a fala, em alguns casos.

– Gestos, espasmos ou tiques faciais não usuais.

2 thoughts on “18 de fevereiro – Dia Internacional do Asperger

  1. Amigos,
    Meu filho tem problema de asperger.Necessito de material didático para ensinar ele.quero ajuda,aceito doação de video,cd,livros etc…
    Estou em gravataí-RS.
    Me envie um email para q/ possa enviar meu endereço.
    agradeço

    Cybele Reply:

    Olá Luísa, tudo bem?

    Estou publicando para que as pessoas possam ter acesso e lhe ajudar. O seu email fica gravado aqui. Assim que houver contato eu envio e você dá o endereço direto para a pessoa, ok!
    beijinhos e boa sorte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *