Projeto – Abelhas

Fonte: Tia Áurea

VIVER COLÉGIO E CURSO

TEMA: “Abelhas – não faz mal, faz mel.”

SÉRIE: INFANTIL III

TEMPO DE DURAÇÃO: 04 SEMANAS

APRESENTAÇÃO:

Este projeto sobre abelhas será desenvolvido com os alunos do Infantil III série do Ensino Infantil, turno manhã. Trabalhará diversas pesquisas.Explorando o seu valor didático para a compreensão do importante papel das abelhas para a natureza.

JUSTIFICATIVA:
As abelhas são sem dúvida, os insetos de maior utilidade para o homem. Digo para o homem, porque para a natureza, perante as leis da criação divina, todos os seres, são úteis e tem a sua razão de ser, fazendo parte de um contexto geral no qual o próprio homem tem o seu lugar. Chamados de “insetos sociais” ,as abelhas conseguiram atingir certo grau de desenvolvimento social, agrupando-se em comunidades nas quais existe nítida distribuição de trabalhos e responsabilidade entre os indivíduos que a compõe, todos contribuindo para um fim comum: a sobrevivência do grupo.
Sendo assim, desenvolveremos um projeto a fim de possibilitar ao grupo um estudo detalhado sobre as abelha, buscando uma visão ampla de sua biodiversidade, importância e consciência da responsabilidade que temos para sua preservação; desenvolvendo o instinto de preservação à natureza.
A culminância deste projeto será apresentada na Feira de Conhecimentos e arte( FEIRARTE) da nossa escola em outubro de 2008.

OBJETIVOS:

v Apreciar as evidências de um planejamento e de inteligência na criação;

v Pesquisar o que a Bíblia diz sobre certos insetos (formigas, abelhas, gafanhotos…) e o que podemos aprender com eles;

v Pesquisar e conhecer como as abelhas eram conhecidas na antiguidade;

v Conhecer a fauna e a flora em seu habitat natural;

v Conhecer a diversidade de espécies das abelhas (nativas, africanas, européias);

v Conhecer todo o ciclo evolutivo das abelhas;

v Identificar as três classes principais das abelhas européias e suas funções específicas na colméia;

v Reconhecer que as flores não são simples ornamentos que embelezam as plantas, mas sim um engenhoso recurso da natureza destinado a promover a propagação das espécies vegetais;

v Conhecer como ocorre a polinização;

v Reconhecer a função da apicultura e a importância do trabalho de um apicultor;

v Presenciar a retirada do mel de uma colméia;

v Conhecer a anatomia da abelha, por meio de estudo prático sobre seus órgãos internos;

v Identificar todo o processo de preparação do mel e seus derivados;

v Conscientizar de que é preciso proteger o ecossistema;

v Conhecer a apiterapia (tratamento de acumputura com a apitoxina – veneno das abelhas).

ETAPAS PREVISTAS:

v Assistir ao vídeo BEEMOVIE – A história de uma abelha.
SINOPSE: Barry B. Benson (voz de Jerry Seinfeld) é uma abelha que acaba de se formar na faculdade, mas não se sente satisfeito em executar uma única função durante toda a sua vida, na fabricação de mel. Em uma viagem fora da colméia, ao lado das abelhas que colhem néctar, Barry tem sua vida salva pela florista nova-iorquina Vanessa (Renée Zellweger). Enquanto o relacionamento entre os dois cresce, ele descobre que seres humanos colhem e vendem mel. Por isso, decide processar toda a raça humana.

v Educação Física: caminhada na trilha ecológica (zoológico); recreação dirigida;

v Linguagem:Trabalhar os fonemas lh, nh, produção textual, pesquisa e leitura.

v Artes:
criação e confecção de materiais nas atividades relacionadas às pesquisas, cartazes, maquetes, dramatizações.;

v Matemática: Quantitativo das espécies, tempo de vida, comercialização dos produtos/apicultura.

v Bíblia: referências bíblicas e reflexões nortearão todo o projeto.

CRONOGRAMA:

ETAPAS:

Realização de pesquisas:

Realizar debates:

Realizar visita a um apiário:

Construir cartazes/maquetes

Visualizar Power Point

Fazer Power Point

AVALIAÇÃO:

Será processual, através do desempenho nas pesquisas, debates, questionamentos orais e discussões, visando agir e intervir diante de eventuais dúvidas ou dificuldades do aluno durante o projeto.
Espera-se que os envolvidos sejam capazes de ter atitudes de responsabilidade e cuidado com o ecossistema.

BOLO DE MEL (FOI UM SUCESSO!É UMA DELÍCIA)

Ingredientes:.
2 ovos inteiros . 1 xícara de mel . 1 xícara de açúcar . 1 xícara de leite . 3 xícaras de farinha de trigo . 1 colher de sopa de caldo de limão . 1/2 colher de sopa de bicarbonato de sódio . 1/2 colher de sopa de fermento em pó . 1 colher de sopa de margarina

Modo de preparar:
Bater tudo no liquidificador muito bem, colocar em forma retangular untada com margarina e enfarinhada. Levar para assar até que espetando um palito este saia seco.

ABELHAS PARA CRIANÇAS

Fonte: SMARTKIDS

ABELHAS

Zum…zum…zum… Você está na praia, com um delicioso sorvete na mão e ela está rondando… Na lanchonete ao ar livre também… As abelhas adoram alimentos doces, por isso estão sempre por perto, parecendo muito simples e persistentes, esses insetos vivem de forma muito interessante, tem uma organização de trabalho complexa e muitas vezes mais organizada do que nós, humanos!

A Sociedade das Abelhas

As abelhas são insetos sociais, isto é, a maioria delas convive harmoniosamente em um mesmo espaço, chamado de colônia. São extremamente disciplinadas, trabalhadoras e principalmente organizadas. Para você ter uma ideia, em uma mesma colônia convivem cerca de 60 mil abelhas, distribuídas da seguinte forma: uma rainha, dezenas de zangões e milhares de operárias. Dessa forma podemos perceber que existem funções diferentes em uma colmeia.

A rainha é a principal componente da colmeia porque mantém a harmonia no trabalho, além de ser responsável pela reprodução. Uma rainha pode viver até 6 anos, vencendo qualquer indivíduo da colmeia em termos de tempo de vida.
Os zangões são responsáveis por fecundar a rainha, dando continuidade à vida na colmeia. Eles vivem pouco, no máximo três meses, isso porque são mortos pela rainha logo após a fecundação.

Responsáveis pelo trabalho duro dentro da colmeia, as operárias cuidam da higiene da colmeia, garantem o alimento e a água de que a colônia necessita coletando pólen e néctar, produzem a cera para formar os favos, alimentam a rainha, os zangões, as larvas por nascer e ainda cuidam da defesa da família. Ufa, quanto trabalho! Talvez por isso elas vivam tão pouco tempo: somente 6 meses.

Várias espécies

A estimativa dos pesquisadores é que existam mais de 20 mil espécies de abelhas no mundo todo. Só no Brasil contamos com 5 mil espécies diferentes.
A espécie mais conhecida por aqui não é nativa de nosso país, mas sim da Europa. O nome científico dessa espécie é Apis mellifera, chegou aqui no período colonial, trazida pelos colonizadores europeus.

Importância das abelhas

As abelhas são muito importantes para o equilíbrio ecológico, principalmente porque são responsáveis pela reprodução das plantas através do processo de polinização – ou seja, transferem o pólen de uma flor para outra, propiciando a troca de gametas (células sexuais) entre as plantas. Esse processo resulta em uma grande variabilidade genética e a formação de bons frutos.

Além disso, o trabalho das abelhas nos fornece alimento e outras substâncias excelentes. Vamos conhecer um pouco mais sobre isso…
O mel é o principal produto do trabalho realizado pelas operárias. Além de ser muito gostoso, ele ajuda a prevenir doenças porque atua no sistema imunológico, serve como expectorante e também tem propriedades analgésicas.

A geleia real é outra substância natural, secretada pelas abelhas jovens. Têm vários compostos importantes para o organismo: proteínas, carboidratos, enzimas, lipídios e minerais. Isto tudo é importante para vários processos, como por exemplo, na regeneração das células, no combate às doenças respiratórias e até mesmo contra úlceras.

Já o própolis não é muito gostoso não, mas faz muito bem à saúde por suas propriedades antimicrobiana, antiinflamatória, cicatrizante e anestésica.
Quer criar abelhas? Então monte um apiário!

Um apiário é o local próprio para a criação de abelhas, com o objetivo de retirar mel, geleia real, própolis e outras substâncias importantes. Para formar um apiário é preciso de muito espaço, vestimentas e ferramentas próprias. Quer conhecer mais?

E a picada das abelhas???
A abelha é um inseto que ataca com muita facilidade, basicamente a região da cabeça e pescoço. A picada das abelhas é muito dolorida, seu ferrão fica no local da picada e através dele ela injeta uma substância tóxica (veneno) que pode ser letal, quando em grande quantidade, ou seja, mais de três abelhas picando a mesma pessoa, pode ser muito perigoso. Por isso, nada de tentar mexer em colmeias ou nas caixas de um apiário!

Curiosidades
1. Uma abelha produz 5 gramas de mel por ano. Para produzir um quilo de mel, as abelhas precisam visitar 5 milhões de flores.

2. As abelhas-rainhas põem 3 mil ovos num único dia.
(fonte: Guia dos Curiosos)

ATIVIDADES SMARTKIDS

A Abelha Chocolateria

Era uma vez uma abelha que não sabia fazer mel.

– Mas você é uma operária! – gritava a rainha – Tem que aprender.

Na colméia havia umas 50 mil abelhas e Anita era a única com esse problema. Ela se esforçava muito, muito mesmo. Mas nada de mel…

Todos os dias, bem cedinho, saía atrás das flores de laranjeira, que ficavam nas árvores espalhadas pelo pomar. Com sua língua comprida, ela lambia as flores e levava seu néctar na boca. O corpinho miúdo ficava cheio de pólen, que ela carregava e largava, de flor em flor, de árvore em árvore.

Anita fazia tudo direitinho. Chegava à colméia carregada de néctar para produzir o mais gostoso e esperado mel e nada! Mas um dia ela chegou em casa e de sua língua saiu algo muito escuro.

– Que mel mais espesso e marrom… – gritaram suas colegas operárias.

– Iac, que nojo! – esbravejaram os zangões.

Todo mundo sabe que os zangões se zangam à toa, mas aquela história estava ficando feia demais. Em vez de mel, Anita estava produzindo algo doce, mas muito estranho.

– Ela deve ser expulsa da colméia! – gritavam os zangões.

– É horrorosa, um desgosto para a raça! – diziam outros ainda.

Todas as abelhas começaram a zumbir e a zombar da pobre Anita. A única que ficou ao lado dela foi Beatriz, uma abelha mais velha e sábia.

Um belo dia, um menino viu aquele mel escuro e grosso sobre as plantas próximas da colméia, que Anita tinha rejeitado de vergonha. Passou o dedo, experimentou e, surpreso, disse:

– Que delícia. Esse é o mais saboroso chocolate que eu já provei na vida!

– Chocolate? Alguém disse chocolate? – indagou a rainha, que sabia que o chocolate vinha de uma fruta, o cacau, e não de uma abelha.

Era mesmo um tipo de chocolate diferente, original, animal, feito pela abelha Anita, ora essa, por que não…

Nesse momento, Anita, que ouvia tudo, esboçou um tímido sorriso. Beatriz, que também estava ali, deu-lhe uma piscadela, indicando que tinha tido uma idéia brilhante.

No dia seguinte, lá se foram Anita e Beatriz iniciar uma parceria incrível: fundaram uma fábrica de pão de mel, juntando o talento das duas para produzir uma deliciosa combinação de mel com chocolate.

Moral da história: as diferenças e riquezas pessoais, que existem em cada um de nós, são singulares e devem ser respeitadas.

Fábula de Katia Canton*, ilustrada por ionit
*com idéia de João Roberto Monteiro da Silva, 7 anos.

Plano de aula

Material necessário
Cópias do texto A abelha chocolateira, de Katia Canton

Objetivos

Reconhecer a fábula como gênero da língua portuguesa; identificar os elementos desse tipo de texto; e refletir sobre a moral e a ética no convívio social.

Com diálogos curtos e texto econômico, a fábula é uma história de ficção, escrita em verso ou em prosa. Uma de suas principais características é ter como personagens animais e plantas e objetos animados, que ganham características humanas. Essa forma alegórica de contar uma história apresenta as virtudes e os defeitos do mundo dos homens e leva a interpretações sociais para ilustrar um ensinamento ou uma regra de conduta. É por isso que toda fábula tem, no desfecho, uma moral.

Essa narrativa de natureza simbólica tem origem remota e incerta, pois se mescla à necessidade do homem de criar e de contar histórias para transcender as atividades cotidianas e recriar o mundo. Algumas fontes indicam que a fábula começou a ser contada na Suméria, no século 8 a.C. Mas foi na Grécia Antiga, em meados do século 5 a.C., pelas mãos do escravo Esopo, que ela ganhou a fórmula atual: sintética, alegórica, tendo animais demonstrando sentimentos e uma pitada de humor. Esopo sempre terminava as fábulas explicando a moral e, assim, ensinava valores. Graças ao francês Jean de la Fontaine (1621-1692), a fábula introduziu-se definitivamente na literatura ocidental, dessa vez de forma menos sintética e mais contextualizada. Ontem e hoje, com nuanças e autorias diferentes, as histórias se repetem.

A principal proposta do gênero é a fusão de dois elementos, o lúdico e o pedagógico. A leitura de A abelha chocolateira, da escritora Katia Canton, vai ajudar seus alunos a entendê-lo melhor. O texto pode ser explorado com turmas de 2a série de acordo com o plano de aula elaborado pela pedagoga Wânia Menezes Picchi, professora da Escola Viva, em São Paulo.

O que cada animal faz, na natureza e na ficção

Antes de apresentar a fábula à turma, provoque uma discussão sobre o comportamento dos animais em seu ambiente. Divida os estudantes em grupos e questione-os sobre as funções que cada bicho exerce no seu grupo. O que se espera da formiga? Que ela transporte folhas, cascas e outros materiais para construir o formigueiro. E da leoa? Que ela saia para caçar e traga alimentos para os machos e os filhotes. Na colméia, a função da abelha operária é colher o néctar para fazer mel. Registre no quadro-negro ou em um papel grande as hipóteses que a garotada levanta.

Distribua o texto A abelha chocolateira para as crianças e peça para acompanharem a leitura que você faz em voz alta. Ainda em grupos, elas vão marcar no texto palavras ou trechos que indicam ações humanas atribuídas às abelhas – “gritava”, “tem que aprender”, “fazia tudo direitinho”, “esbravejaram”, “indagou”, “fundaram uma fábrica de pão de mel” etc. – assim como características – “é horrorosa”, “um desgosto para a raça”, “rejeitado de vergonha” etc.

Hora de retomar a primeira discussão sobre as funções de cada animal na natureza e comparar o registro que está na lousa ou no papel com os trechos grifados no texto. Provoque um diálogo sobre as conclusões do grupo e vá registrando as idéias: o que vocês perceberam quando compararam as atitudes do animal em seu hábitat natural e na história? Na natureza, a abelha age de um jeito e no texto ela se comporta mais como as pessoas. Vá conduzindo a discussão de forma que os alunos percebam os elementos estruturais da fábula. Peça para copiarem as conclusões no caderno.

O próximo passo é fazer a leitura de fábulas de autores diversos para os estudantes perceberem sua estrutura. A repetição facilita a assimilação e a generalização das características do gênero, permitindo que eles compreendam que aqui é a estrutura que prevalece e não a autoria, como num romance.

Esses textos podem ser dramatizados. Divida a turma em quatro grupos e entregue a cada um uma fábula diferente. Após a leitura, cada grupo vai bolar um roteiro e definir quem será cada personagem. Como lição de casa, peça para treinarem suas falas – um aluno deve ser o narrador. Reserve uma aula para um ensaio geral outra para a apresentação dos grupos.

A importância de respeitar as diferenças

Retome o texto A abelha chocolateira para refletir sobre a moral da história. Em dupla, os alunos devem discutir com o colega e escrever qual a função da abelha operária dentro da colméia. Depois, individualmente, eles vão responder o que a autora quis dizer com a frase “Anita fazia tudo direitinho”. Como as outras abelhas operárias reagiram ao comportamento de Anita? No final da fábula, Anita esboçou um tímido sorriso. Pergunte: como ela estava se sentindo ao produzir um mel diferente? Alguma vez você já esboçou um tímido sorriso por algum sentimento? Conte em detalhes como foi.

A idéia é ver se o aluno se identifica com a moral da história. Lembre que a moral deve ser trabalhada como conseqüência da situação que a fábula apresenta e nunca isoladamente. Por fim, sugira que as crianças produzam uma narrativa em que apareçam personagens com características bem distintas. O objetivo é incentivá-las a trabalhar com as diferenças e as riquezas que existem em cada pessoa, a base da moral da fábula de Katia Canton.

12 thoughts on “Projeto – Abelhas

  1. Oi Cybele!!!
    Gostaria de saber se tem uma programação de formatura para o 5º ano (mensagem, solenidade…) pode me ajudar??
    Bjos e obrigada desde já

  2. Olá Devanir, tudo bem?

    Na verdade, a passagem do 5º para o sexto ano, por estar integrado ao Ensino Fundamental, não requer formatura, o que algumas escolas fazem é uma comemoração simples só para formalizar a passagem, que é automática e não certifica como conclusão de curso.
    Use a criatividade e faça uma reunião gostosa.
    beijinhos

  3. ADOREI O PROJETOO

    Cybele Reply:

    Olá Anelide, tudo bem?

    O Projeto é bem elaborado e motivador, não é mesmo?
    Obrigada por acompanhar o Educa Já!
    Volte sempre!
    Com carinho

  4. Educa Já, muito bom, vou aproveitar a idéia para desenvolver um belo trabalho com meus alunos do técnico em agropecuária sobre apicultura. Parabéns e que Deus continue iluminando os seus passos e as vossas mentes. Feliz 2011.

    Cybele Reply:

    Olá Prof. José, que bom encontrá-lo por aqui.
    Fico feliz que tenhas gostado e depois compartilhe conosco o resultado.
    Obrigada por acompanhar o Educa Já!
    Volte sempre que quiser.
    abraços

  5. Muito bom o projeto. Tem dado resultado? Vcs poderiam acrescentar as abelhas sem ferrão, que são nossas abelhas nativas ao projeto. Parabéns e continuem a ampliar.

    Cybele Reply:

    Olá Ana Lucia, tudo bem?
    Obrigada pelo carinho do comentário e por acompanhar o Educa Já!
    Volte sempre!
    abraços
    Equipe Educa Já!

  6. Otimo! Este projeto de vcs vou aproveitá-lo para desenvolver com meus alunos.

    Cybele Reply:

    Olá Francieli, tudo bem?

    Obrigada pelo carinho do comentário.
    Continue nos acompanhando, pois sempre teremos novidades.
    abraços e sucesso!
    Equipe Educa Já!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>