Brasília – 50 anos

Revista Manchete - Edição Histórica de 21 de abril de 1960

Quando Brasília foi inaugurada eu tinha apenas 5 anos, porém minha família que sempre foi muito patriota, guardou através dos anos os jornais e revistas que contaram, com toda a emoção do momento, como foi a inauguração da nossa capital.

Sendo eu muito comprometida com o meu país e sendo o meu coração verde-amarelo, recebi de presente todo este material que guardo com muito carinho e cuidado.

Assim sendo, compartilho neste momento, os registros da inauguração de Brasília com toda a energia daquele momento, que pode ser comprovada através do amarelado do papel, dos vincos bem marcados, dos hábitos e estilos e da ortografia da época.

Presto aqui a minha homenagem aos 50 anos da  nossa capital federal.

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

Esta foto é uma homenagem da Cia Rádio Internacional do Brasil.

Diz o texto no seu original:

No dia histórico em que a cidade de Brasília se investe do título de Capital da República dos Estados Unidos do Brasil, saudamos S. Excia o Sr. Presidente da República e todos os Membros do seu Govêrno assim como os lídimos representantes do povo, nas duas Casas do Congresso que com espírito realizador uns e cooperador outros, levaram a efeito obra tão assinalada.

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

No retângulo dentro da foto principal diz o seguinte:

Sob os aplausos do povo e do Sr> Goulart, JK ergue o símbolo da nova sede do Govêrnos.

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

Texto original:

O ponto alta da parada foi a sensacional proeza de um dos aviões, que desceu verticalmente, em audacioso piquê, desaparecendo por trás do Palácio do Supremo. A multidão angustiada, já o supunha espatifado no solo, quando de novo se elevou, na vertical. Suspiros de alívio e exclamações de entusiasmo escaparam de tôdas as bôcas.

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

O Presidente beija o anel do Cardeal Dom Manuel Gonçalves Cerejeira, legado Pontifício. Assistem à comovente cerimônia mais de trinta Bispos brasileiros e as Missões Diplomáticas.

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

Receou-se que suas artérias coronárias não resistissem ao impacto de tantas emoções. Jango olha-o preocupado. Israel agradece a ajuda de Deus.

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

A sessão inaugural do Congresso foi uma das mais emocionantes de tôda a sua história. Era a primeira vez que o Sr. Juscelino Kubitschek comparecia perante o Parlamento reunido. As galerias e o plenário estavam repletos. Aquêle era o Congresso que não havia recusado nenhuma das leis e recursos que o Govêrno lhe pedira para a transferência.

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

Exército, Marinha e Aeronáutica empolgam a  cidade.

Durante mais de uma hora desfilaram cinco mil homens das fôrças armadas. Depois, um representante de cada uma das unidades compareceu em frente ao palanque presidencial para oferecer um diploma de homenagem do seu batalhão. Os componentes da unidade de pára-quedistas apresentaram um uniforme novo e colorido.

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

A Catedral de Brasília, concebida por Oscar Niemeyer, serrá única, no mundo, pelas suas linhas originalíssimas. Ainda em construção, já desperta o interêsse de todos os visitantes, com sua forma circular, que proporciona a mesma visão de todos os ângulos. Vinte e um montantes compõem a fachada, de quarenta metros de altura. Cimento, aço e placas de vidro refratário, de côr neuttra, se conjugam nesse monumento erguido à fé no Planalto Central.

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

Até mesmo o Marquês de Pombal falou em levar a Capital para o interior do Brasil. Do século XVIII para cá, outros chefes de Govêrno sonharam com a obra que o Presidente Juscelino Kubitschek afinal realizou em tempo nunca julgado possível. Desde quando o Presidente entrou pela primeira vez no “Catetinho” de madeira, que mundo de problemas e emoções êste país viveum à espera da sua nova Capital! Nesta semana de festas, o Brasil inteiro vive com o Presidente da República as emoções de uma obra que vai enquadrar o País nos seus destinos de grandeza.

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

Aquêle, sim, foi um grande dia! Diziam que em Brasilia não havia água e ela estava ali.

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

Mal. Lott. Gen. Nelson de Melo, Min. Meira Lima e outros, com o Presidente, que ouve as primeiras impressões sôbre o local em que a sede do Govêrno seria instalada.


Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

Belém – Brasília

Mais de dois mil quilômeros foram rasgados nas selvas.

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

Quando os tratores e as primeiras levas de operários partiram de Belém com o objetivo de abrir uma estrada em plena selva amazônica, um homem alto e forte centralizava as operações. Dono de uma resistência física fora do comum, Bernardo Sayão foi, durante muito meses, a alma do empreendimento. Um dia, a queda inesperada de uma árvore gigantesca supultou-o sob seus galhos milenares. Hoje, a rodovia, que parecia impossível e concretizou o milagre da integração nacional, leva o nome do seu pioneiro, que foi assassinado pela floresta.

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

Não houve em Brasília apenas solenidades  oficiais, com programas protocolares. Houve também festas populares em que a alegria comunicativa da juventude representou uma das contribuições mais espontâneas ao Júbilo geral. Garôtas e rapazes de escolas primárias e secundárias tomaram conta da Praça dos Três Podêres, brincando de roda, jogando ola, pulando carniça ou fazendo evolução sob os olhos vigilantes de seus mestres. Um dia que jamais será esquecido.

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

O PRIMEIRO BAILEm

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

Revista Manchete - Edição Histórica - 21/04/1960

Revista Manchete – 07 de maio de 1960

Um pouco antes da meia-noite, o Presidente Kubitschek, acompanhado de D. Sarah, começou a subir a grande rampa que dá acesso ao Palácio do Planalto e sôbre a qual se enfileiravam alas dos Dragões da Independência. A obrigatoriedade do uso da casaca foi quebrada por muitos convidados e o ator Leo Carrillo compareceu metido numa fantasia de “cowboy” com apliques dourados. Todos se acercavam da mesa presidencial levantando um brinde, entre político e entusiasta, formado por uma sigla original: “JK 65”

Revista Manchete – 07 de maio de 1960

A recepção no Palácio do Planalto é um acontecimento social que ficará na História do Brasil.

Revista Manchete – 07 de maio de 1960

Revista Manchete – 07 de maio de 1960

Na primeira e histórica reunião do Ministério, o Presidente da República fêz questão de dizer que ali se virava uma página da história, em todos os instantes, a esperança fôra sempre o seu grande valimento.

A Tribuna – Santos – Sexta-feira, 22 de Abril de 1960

Centenas de milhares de brasileiros viram nascer a Capital da República – O toque da alvorada na Praça dosTrês Poderes – “A bandeira que vai tremular nos céus do Brasil simbolizará um país maior”, disse o ser Juscelino Kubitschek – Instalados o Executivo, o Legislativo e o Judiciário – Parada cívico-militar – O povo vibra nas ruas.

A Tribuna – Santos – Sexta-feira, 22 de Abril de 1960

Prece Natalícia a Brasilia

Agora e aqui é a Encruzilhada Tempo-Espaço;

Caminho que vem do Passado e vai ao Futuro;

caminho do Norte, do Sul, do Leste e do Oeste;

caminho de ao longo dos séculos,

caminho de ao longo do mundo:

– agora e aqui todos se cruzam

pelo sinal da Saanta Cruz.

Guilherme de Almeida

Ano I, Dia 1º de Brasília

A Tribuna – Santos – Sexta-feira, 22 de Abril de 1960

A Tribuna – Santos – Quinta-feira, 21 de Abril de 1960

A Tribuna – Santos – Quinta-feira, 21 de Abril de 1960

A Tribuna – Santos – Quinta-feira, 21 de Abril de 1960

A Tribuna – Santos – Quinta-feira, 21 de Abril de 1960

A Tribuna – Santos – Quinta-feira, 21 de Abril de 1960

A Tribuna – Santos – Quinta-feira, 21 de Abril de 1960

A Tribuna – Santos – Quinta-feira, 21 de Abril de 1960

3 thoughts on “Brasília – 50 anos

  1. Pingback: Parabéns Brasilia #51anos | Educa já

  2. Adorei o seu compartilhamento desta raridade.

    Cybele Reply:

    Olá Ana, tudo bem?

    Obrigada por acompanhar o Educa Já!
    Sempre temos novidade!
    Abraços
    Equipe Educa Já!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *