Cantigas de roda

Brincadeira de Roda
Acrílico sobre tela
70 x 70 cm

Os sons da infância
Biblioteca Virtual do Estudante – Músicas para Crianças

João Luís de Almeida Machado Doutor em Educação pela PUC-SP; Mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP); Professor Universitário e Pesquisador; Autor do livro “Na Sala de Aula com a Sétima Arte – Aprendendo com o Cinema” (Editora Intersubjetiva).

http://www.bibvirt.futuro.usp.br/sons/infantil/infantil.html

Desenho-do-Globo-Terrestre-amarelo-com-criancas-de-maos-dadas-em-volta

Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar, vamos dar a volta e meia, meia volta vamos dar… Quem consegue esquecer esses versos tão singelos e vívidos que animaram a infância de gerações de brasileiros de norte a sul do país? E se cantássemos O cravo brigou com a rosa? Que tal Escravos de Jó ou ainda Fui à Espanha? São apenas alguns exemplos de músicas que foram celebrizadas a partir da voz doce e suave de nossas mães ou avós, das professoras da educação infantil ou dos primeiros anos do ensino fundamental e que fazem parte do rico acervo cultural brasileiro.

Cantigas de roda que embalavam brincadeiras e que, ao mesmo tempo, ajudavam a melhorar a comunicação, a entender um pouco do Brasil ou mesmo a escrever e ler com maior precisão e qualidade. E as novas gerações de famílias e professores, estão a par dessas cantigas? Será que as nossas escolas de educação infantil ainda utilizam tais músicas? Quantas dessas canções são ainda cantaroladas para as nossas crianças em sala de aula?

A modernidade tem muitas e muitas vantagens. Os computadores e a Internet permitiram aos educadores ter um acesso muito mais ligeiro e variado a fontes de pesquisa e aperfeiçoamento. Com o uso da Web e de todos os seus recursos podemos elaborar estratégias, incrementar nossas aulas, variar instrumentos e, principalmente, encantar mais nossos alunos. Ao usarmos filmes e músicas gravadas em CDs podemos não apenas interessar mais os estudantes nos tópicos que estamos retratando, há também a possibilidade de desencadear inúmeros projetos que podem nos ajudar a efetivar a educação.

Criancas-brincando-de-maos-dadas-em-circulo
As cantigas de roda ajudam a embalar a infância, a prolongá-la.
Dessa forma permitem que nossos meninos e meninas
continuem sendo crianças por muito mais tempo…

Mas, ao mesmo tempo em que desfrutamos de todos esses importantes recursos não devemos abrir mão de ferramentas e práticas que fizeram tanto sucesso num passado próximo ou longínquo. Pelo contrário, devemos tentar atualizar sua utilização de forma a transformá-los em instrumentos que nos possibilitem mexer com os estudantes, fazê-los colocar a mão na massa e, literalmente, permitir que eles interajam com o mundo real.

Vivemos uma era onde a tecnologia está cada vez mais presente no cotidiano das pessoas e, constantemente nos surpreendemos ao perceber que isso está afastando as pessoas, fazendo com que elas deixem de estar juntas, de conversar, de socializar experiências e informações. Tenho um grande contingente de alunos e amigos que parecem preferir conversar uns com os outros através de comunicadores instantâneos, e-mails ou mandando mensagens através de sites de relacionamento (como o Orkut) ao invés de se encontrar com as pessoas para as quais endereçam seus recados, suas palavras e seus sentimentos.

Quando a televisão chegou e se incorporou ao cotidiano das famílias, devido ao seu alto custo que a tornava inacessível para a maior parte das pessoas, ocorreu um interessante fenômeno que reunia membros de uma mesma rua ou bairro na casa daquele que possuísse um aparelho de TV para que todos, reunidos, pudessem desfrutar das benesses dessa máquina. Isso gerava convivência, ocasionava conversas, estimulava intercâmbio de opiniões.

Atualmente as casas possuem vários aparelhos de televisão e os membros de uma mesma família acabam se separando e se mantendo isolados em seus próprios quartos. Com as outras tecnologias que se incorporaram ao cotidiano doméstico, o distanciamento se tornou ainda maior. Momentos de encontro e lazer como os jogos de tabuleiro, as cantigas de roda, as brincadeiras de pega-pega ou esconde-esconde, o jogo de bola na rua, as brincadeiras de bonecas e casinha, a leitura de livros para as crianças ou o contador de “causos” foram desaparecendo gradualmente.

O que pretendemos ao destacar o rico trabalho da Biblioteca Virtual do Estudante ao realçar e preservar através da Internet o valoroso acervo brasileiro de cantigas infantis (antigas e recentes) é permitir que as pessoas saibam que o novo não apaga o antigo e que, sim, é possível uma saudável convivência entre esses recursos. Visitem e se deliciem com o acervo de sons da infância da Biblioteca, é verdadeiramente imperdível!

Imagem-de-metade-da-face-de-crianca-com-o-olho-bem-aberto
Temos que encantar nossas crianças nas escolas. Cantigas, jogos de montar,
histórias, massa de modelar ou livros ilustrados são recursos
indispensáveis para esse encantamento.

O Site

Os sons da infância constituem apenas um recorte da valiosíssima Biblioteca Virtual do Estudante (http://www.bibvirt.futuro.usp.br), um dos portais destinados à educação que mais contribuem para a preservação da cultura nacional. Através desse artigo estamos apenas destacando e referendando uma de suas webpages como endereço especial de visitas a Biblioteca. Nosso intuito é o de facilitar a busca e renovação de acervo, práticas e idéias por parte dos professores, especialmente aqueles de Educação Infantil e Ensino Fundamental I. E o que há de interessante nessa parte da Biblioteca Virtual do Estudante? Veja abaixo o que há disponível:

1 – O primeiro destaque vai para as Rondas Infantis Brasileiras de Veríssimo de Melo. A partir do incentivo e exemplo dado pelo mestre Luís da Câmara Cascudo em sua luta pela preservação das bases e tradições culturais de nosso país, o pesquisador Melo se dispôs a encontrar as cantigas, suas partituras e, através do site, disponibilizar a maior parte dessas músicas para que as novas gerações também conheçam seus sons.

2 – Logo a seguir temos a atualíssima e rica obra de Hélio Ziskind. Quem é ele? É o compositor das músicas dos programas infantis da TV Cultura, como o Castelo Rá-Tim-Bum, o Cocoricó e o Glub Glub. Seus hits são grandes sucessos entre a criançada. São músicas que divertem e estimulam sem ofender a inteligência da criançada.

3 – A Palavra Cantada é um selo musical que trabalha CDs para crianças e que através da Biblioteca Virtual do Estudante coloca boa parte desse acervo ao alcance das crianças. São músicas novas, diversificadas em ritmo e letra, de qualidade indiscutível e que, se utilizadas em casa ou na escola adicionam idéias, vocabulário e conhecimento aos pequenos ouvintes.

4 – Há ainda dois outros bons recursos, ou sejam:- Uma versão em áudio da história de Chapeuzinho Vermelho (adaptada a realidade de nosso país) e o CD Rádio Jacarandá, que traz rádio-novelas infantis, cantigas cantadas por crianças, piadinhas para o público formado pelos pequenos,…

Cena-do-Glub-Glub-da-Tv-Cultura
As músicas dos inesquecíveis programas da TV Cultura (Como o Glub Glub,
acima retratado) também fazem parte do acervo disponibilizado
pela Biblioteca Virtual do Estudante.

Para Refletir

Nossas crianças estão deixando a infância muito cedo. Precocemente trocam as bonecas, bolas e carrinhos pelas preocupações dos adolescentes ou do mundo adulto. Gostaria de lançar uma campanha pela preservação da infância por muito mais tempo do que permitimos que ela exista nos dias de hoje. Chega de adiantar as coisas. É muito bom ser criança para que sacrifiquemos essa etapa tão rapidamente como estamos fazendo atualmente.

E que culpa temos nisso tudo?

Muitas. Somos nós que deixamos nossos filhos se renderem aos encantos da babá eletrônica sem que nos preocupemos em fiscalizar o que está sendo assistido, se é pertinente e adequado a idade das crianças. Enquanto pais temos que ficar de olho e até mesmo restringir as horas de televisão para que as crianças saibam e gostem de brincar. Vejo crianças que têm muitos brinquedos e não sabem pular corda, chutar bola, subir em árvore, brincar de casinha, disputar figurinhas em “bafinhos”,…

Também são os pais que permitem às crianças ficar por horas e horas brincando com videogames ou conectados à Internet. Isso significa que eles não devam aprender a usar jogos eletrônicos ou a mexer com os computadores e a Web? Não, em absoluto, o que estou dizendo é que temos que orientar esse uso e, ao mesmo tempo, permitir seu uso por períodos reduzidos para que nossas crianças e adolescentes não se tornem escravos da tecnologia.

Eu e minha esposa demoramos seis anos para permitir que nossos filhos tivessem contato com games e computadores. Alguns de nossos melhores amigos nos criticaram e não entenderam como nós, adeptos da tecnologia estávamos fazendo isso com nossas próprias crianças. Durante esse tempo líamos histórias, brincávamos com eles, andávamos de bicicleta, jogávamos jogos de tabuleiro,…

Queríamos apenas que eles fossem crianças. Que não deixassem passar esse maravilhoso momento de suas vidas. Desejávamos que eles olhassem para trás e sentissem que foi uma etapa feliz de suas vidas. Sonhávamos apenas com uma infância saudável e alegre para eles. Quando pensamos no que fizemos então concluímos, sempre, que não mudaríamos uma linha, uma ação,…

A Biblioteca Virtual da Educação no resgate dos sons da infância presta contribuição de inestimável valor para a infância ao trazer para os educadores e pais as cantigas e músicas de ontem e de hoje que fazem com que nossas crianças desejem, a cada novo dia, que as horas passem cada vez mais devagar para que elas continuem sendo crianças por muito mais tempo… E viva Peter Pan!

O Tesouro das Cantigas para Crianças
Cantando, Brincando e Aprendendo

Fonte: Planeta Educação

João Luís de Almeida Machado Doutor em Educação pela PUC-SP; Mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP); Professor Universitário e Pesquisador; Autor do livro “Na Sala de Aula com a Sétima Arte – Aprendendo com o Cinema” (Editora Intersubjetiva).

Capa-do-livro-Tesouro-das-Cantigas-para-criancas

“Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar, vamos dar a volta e meia, meia volta vamos dar”. Quem, entre as pessoas com mais de 30 anos, não conhece os versos que embalaram tantas e tantas brincadeiras infantis até os anos 1970?

“Cadê o toucinho que estava aqui? O gato comeu. Cadê o gato? Fugiu pro mato. Cadê o mato? O fogo queimou. Cadê o fogo? A água apagou…”, e as cantigas de roda? Onde foram parar? Essas tradicionais canções que durante tanto tempo serviram de porta de entrada para o conhecimento popular e para uma primeira e inesquecível aventura pelos campos da prosa e do verso simplesmente sumiram de cena…

Foram substituídas pela televisão, por videogames ou por conversas através dos computadores. O corpo a corpo da criançada, a amarelinha e a queimada foram esquecidos e, com o passar do tempo, passaram a habitar somente os porões da memória de pessoas que viveram aquela delícia de infância. Não, não estou sendo saudosista. Longe de mim qualquer intenção de comparar o ontem e o hoje.

Muitas coisas mudaram e temos que conviver com as alterações, nos adaptar aos novos tempos, saborear as novas possibilidades. Penso apenas que para isso não precisamos abandonar aquilo que tínhamos de melhor, o que mais nos animava e comovia. Jogar taco na rua, subir em goiabeiras ou mangueiras, bater bola descalço pelos campos improvisados de terrão ou ainda curtir as maravilhosas cantigas e parlendas não pode ser esquecido…

Desenho-de-crianca-deitada-rindo-com-sorvete-nas-maos-e-menino-acenando-de-camisa-chapeu-e-gravata
Sambalelê tá doente,
Tá com a cabeça quebrada,
Sambalelê precisava
É de uma boa lambada…

Nesse ínterim o papel da escola é fundamental como espaço de resgate e preservação cultural. Tanto as novas gerações quanto aquelas que já possuem mais experiência em sala de aula, no trabalho com crianças, tem que perpetuar essa matéria prima tão original e rica oriunda das brincadeiras de criança. Se os novos professores desconhecem esse acervo, que tal pesquisar com os profissionais que já as conhecem e utilizam?

Outra alternativa para tomar contato com as cantigas e parlendas é realizar uma boa pesquisa na bibliografia especializada ou ainda pelos caminhos da Internet (tenha sempre a preocupação de verificar as credenciais de quem escreve e as referências utilizadas para a efetivação da pesquisa). Entretanto, para facilitar ainda mais o encontro entre esse conhecimento e as novas gerações de professores, a escritora Ana Maria Machado reuniu várias dessas cantigas nos dois livros da coletânea “O Tesouro das Cantigas para Crianças”.

“Um, dois, Feijão com arroz. Três, quatro, Feijão no prato…”, é bem no ritmo dessa tradicional toada que o livro nos coloca em contato com muitas cantigas, parlendas e histórias. Para facilitar a leitura e o trabalho com as crianças na escola, os livros foram organizados em tópicos como “Dias de Festa”, “Brincando com Números”, “Brincando de Roda”, “Brincadeiras com o Corpo”, “Perguntando e Respondendo” ou ainda, “Contando Histórias”.

Dentro de cada um desses “capítulos” inseridos no primeiro livro, por exemplo, encontramos verdadeiros clássicos como:- Eu fui no Tororó, Pai Francisco, Carneirinho, Cinco Porquinhos, Capelinha de Melão, Teresinha de Jesus e tantas outras cantigas inesquecíveis. Para aumentar ainda mais o interesse e a facilidade de trabalho com as crianças, o livro é acompanhado por um CD contendo todas as músicas e parlendas.

Desenho-de-cravo-e-rosa
O cravo brigou com a rosa
Debaixo de uma sacada.
O cravo saiu ferido
E a rosa, despedaçada…

E como os professores de Educação Infantil e das séries iniciais do Ensino Fundamental podem fazer uso desse material?

O primeiro passo seria um exame aprofundado do livro e uma pesquisa de campo junto a professores ou pessoas da comunidade que conheçam tais cantigas e que as utilizem em sua vida profissional ou pessoal. Isso permite a todos aqueles que estão iniciando um trabalho com esse recurso uma maior familiaridade e segurança para falar a respeito das cantigas.

O professor que fizer essa prospecção irá conhecer histórias de famílias que cantavam tais cantigas, como eram cantadas (as variações), possibilidades de diálogos a se estabelecer com as crianças sobre esse recurso ou ainda irão pensar em proposições pedagógicas de exploração desse conteúdo em sala de aula. Idéias irão brotar e poderão ser socializadas com outros educadores. É justamente o que se espera no contato entre os profissionais da educação e os variados meios disponíveis para enriquecer o trabalho em classe.

O uso de músicas, imagens, danças, folclore e literatura pode e deve ser encarado como atividade lúdica, de encantamento entre as crianças. Jogos e brincadeiras variadas podem ser estimulados a partir do reconhecimento e identificação das cantigas. Desenhos, histórias seriadas, dramatizações ou pequenos jograis e corais são alternativas de trabalho objetivo a se desenvolver em aula com as crianças.

Desenho-de-soldado-marchando-e-de-crianca-rindo-imitando-atras
Marcha, soldado,
Cabeça de papel.
Se não marchar direito,
Vai preso pro quartel.

É possível, inclusive, mobilizar as crianças para entrevistar pais, tios, avós, amigos ou vizinhos para saber como foi a infância dessas pessoas e de que forma essas cantigas estavam inseridas em suas brincadeiras.

Outra possibilidade interessante de utilizar essas referências seria propor a transformação e/ou atualização da temática das músicas. Por exemplo, ao invés de “O balão tá subindo…”, o professor poderia pedir que os alunos recriassem a cantiga utilizando os modernos meios de transporte, como aviões, trens ou automóveis…

O mais importante em relação a obras desse tipo é a revalorização de um valioso manancial de informações culturais. Se trabalhos como esses não fossem disponibilizados seria pouco provável que as novas gerações de educadores se interessassem em preservar e utilizar esse conhecimento em suas aulas.

Tendo todo um projeto já desenvolvido e que trouxe a tona todas essas cantigas, fica muito mais fácil para os professores reconduzir esse recurso para suas atividades regulares. O que não pode acontecer é a acomodação e a não utilização desse material. É imperativo que nas escolas se converse a respeito das possibilidades de uso por professores de diversas áreas do conhecimento e, de preferência, realizando entre eles um importante e imprescindível movimento interdisciplinar…

Coletânea de cantigas de roda

As brincadeiras de roda desenvolvem os movimentos e a oralidade, além de colaborar com a iniciação musical na pré-escola

Foante: Nova Escola

Educação Infantil

Edição 230 | Março 2010

Além de ser uma importante manifestação cultural, brincar de roda é um exercício que estimula os movimentos, trabalha o equilíbrio, desenvolve a linguagem oral e contribui para a iniciação musical das crianças na pré-escola.

Conheça abaixo as letras de algumas cantigas e saiba como cirandar com as crianças. Mas lembre-se: é importante respeitar o ritmo de aprendizagem de cada um.

Bambalalão

Bambalalão,
Senhor capitão
Espada na cinta
Ginete na mão.

PARTICIPANTES No mínimo dois.
ORGANIZAÇÃO Em roda ou livre.
COMO BRINCAR As crianças cantam e se balançam como se estivessem montadas em cavalinhos, no ritmo da canção.

Bela Roseira

I
Na mão direita, tenho uma roseira
Que dá flor na primavera.
Ó bela roseira entrai na roda
E abraçai a mais faceira

II
Dolin, dolê
Dolin, dolá
Tocar viola
Pra nós dançá(r)

III
Eu não comprei,
Mas eu vou comprar
Sapatinho branco
Para nós dançá(r)

PARTICIPANTES No mínimo oito.
ORGANIZAÇÃO Em roda simples, com quatro crianças fora da roda.
COMO BRINCAR De mãos dadas, as crianças giram em sentido horário. Quando cantam “Ó bela roseira”, as quatro crianças que estão de fora entram na roda. Ao chegar ao verso “E abraçai a mais faceira”, cada uma das quatro escolhe um par para que dancem o restante da canção em duplas, com pulos, avanços e recuos.

Cai, cai, balão

Cai, cai, balão
Cai, cai, balão
Aqui na minha mão
Não cai, não
Não cai, não
Não cai, não
Cai na rua do sabão

PARTICIPANTES No mínimo dois.
ORGANIZAÇÃO Em roda.
COMO BRINCAR Ao longo da canção, as crianças permanecem em roda e fazem gestos seguindo a letra.

Capelinha de Melão

I
Capelinha de melão é de São João
É de cravo, é de rosa, é de manjericão

II
São João está dormindo, não acorda, não
Acordai, acordai, acordai, João

PARTICIPANTES No mínimo dois.
ORGANIZAÇÃO Em roda.
COMO BRINCAR Na primeira estrofe as crianças giram em sentido horário. Na segunda, podem fazer paradas, girar no sentido oposto ou voltar-se para o centro da roda.

Hoje é domingo

Hoje é domingo,
Pede cachimbo.
O cachimbo é de barro,
Bate no jarro.
O jarro é de ouro,
Bate no touro.
O touro é valente,
Bate na gente.
A gente é tão fraco,
E cai no buraco.
O buraco é tão fundo,
Acabou-se o mundo.

PARTICIPANTES No mínimo dois.
ORGANIZAÇÃO Livre.
COMO BRINCAR Faça com que as crianças cantem juntas todos os versos, já que o objetivo desta parlenda é a memorização.

Minha canção (Enriquez, Bardotti e Chico Buarque)

Dorme a cidade
Resta um coração
Misterioso
Faz-se uma ilusão
Soletra um gesto
Lavra a melodia
Singelamente
Dolorosamente.

Doce é a música
Silenciosa
Larga meu peito
Solta-se no espaço
Faz-se a certeza
Minha canção
Réstia de luz onde
Dorme o meu irmão.

PARTICIPANTES No mínimo dois.
ORGANIZAÇÃO Em roda ou livre.
COMO BRINCAR Cada verso da música representa uma nota da escala musical. Faça com que as crianças percebam essa variação utilizando instrumentos como o xilofone, por exemplo, no início de cada verso. Também experimente cantar apenas as notas do começo de cada frase junto das crianças. Serve à iniciação musical.

Tenha acesso a mais canções clicando AQUI

12 thoughts on “Cantigas de roda

  1. Meu Deus , minha querida Cybele que saudades e que lembraças maravilhosas voce me fez recodar, e o pior ainda me julgo “professora” como não pensei em tão maravilhoso material de trabalho para meus pequeninos? voce tem razão, estamos vivendo uma época de tanta informação que deixamos passar coisas tão simples e belas. Vou aplicar as “nossas lembraças” para minha turminha, quando tiver o resultado te dou um toque certo? TE AMOOOO!!!! sempre, mesmo sem te dar muito noticias viu? Beijinhos Eliane

    Cybele Reply:

    Olá querida Eliane, tudo bem?

    Que delícia ter notícias suas! Fico muito feliz que você tenha gostado das sugestões.
    Quero sim, com certeza, que você me conte como as crianças reagiram.
    Vou ficar no aguardo.
    beijinhos e sucesso sempre! :)

  2. Olá Cybele, Sou sua fã, tenho crescido muito em meu trabalho desde que comecei moldar todos os meus projetos de acordo com os seus. Vc simplismente me fez melhorar a cada dia.
    Muito obrigada, que Deus te abençoe sempre. e que vc continue fazendo muitos profissionais por este brasil afora. bjs. fik com jesus.

    Cybele Reply:

    Querida Eliane,

    Obrigada pelo carinho das palavras.
    Volte sempre que desejar. Será sempre um alegria recebê-la aqui no nosso espaço.
    beijinhos

  3. Pingback: Datas comemorativas #Folclore | Educa já

  4. Olá. Não sou professora. Estava pesquisando para minha pequena menina, sobre cantigas de roda. A professora de seu colégio, deu uma aula sobre cantigas, e com surpresa, quando fui buscá-la , vi minha filha brincando de roda com suas amiguinhas. Foi como voltar ao passado naquele momento, vendo-me em minha filha, uma menina de sete anos, de mãos dadas com sua turma, cantando e dançando cantigas. Adorei a iniciativa da professora em ensinar sobre algo tão lindo, sem teclados, sem telas, sem enter ou shiffits, somente o momento alegre e sutil, com todo aquele encantamento e pureza de tempos atrás. Encontrei sua página, e adorei. Mostei para minha filha, cantamos juntas, foi uma maravilha compartilhar isto. Muito legal. Um abraço. Eliz

    Cybele Reply:

    olá Elizabeth, tudo bem?

    Obrigada pelo carinho do seu comentário.
    Continue nos acompanhando.
    Volte sempre!
    abraços
    Equipe Educa Já

  5. Olá, sou Coordenadora Pedagógica de turmas da Educação Infantil, 1º e 2º anos. Fiquei encantada com a sua página. Estou preparando um Projeto sobre cantigas de roda para as turminhas e amei o material que encontrei aqui. Parabéns!

    Cybele Reply:

    Olá Maria, tudo bem?

    Obrigada pelo carinho do comentário e por acompanhar o Educa Já!
    Volte sempre!
    abraços
    Equipe Educa Já!

  6. Eu recordei muitas lembranças pois mim sente mais alegre da vida pois se fosse por mim eu queria ser criança pois eu iria contruí minha vida….

    Cybele Reply:

    Olá Leandro, tudo bem?

    Obrigada por enriquecer o nosso espaço com seu comentário
    Continue acompanhando o Educa Já!
    abraços
    Equipe Educa Já!

  7. Linda sua página. Parabéns!
    Gostaria de um plano de ação para crianças maiores: 3ªs e 4ªs séries (9 a 12 anos).
    Sou diretora de uma escola de educação infantil e fundamental. Muito bom seu trabalho com as cantigas de roda para a educação infantil, mas gostaria de um plano de ação voltado para crianças maiores do ciclo II (3ªs e 4ªas séries) com o mesmo tema: cantigas de roda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>