Eles têm senso de direção, elas nem sempre

Percebi que não tinha senso de direção quando, aos 18 anos tirei carta de motorista e ao pegar o carro não fazia a mínima idéia de que lado ficava minha casa quando me afastava dela. Vivia sem ter a menor noção de onde estava. Só sabia andar em linha reta. Se tivesse que entrar á direita e depois à esquerda e depois à direita novamente, pronto! Estava perdida!

Mesmo ao pedir informação, depois da terceira coordenada recebida, eu já não sabia mais como deveria proceder tendo muita dificuldade em visualizar o trajeto informado.

Comecei então a comentar minhas experiências e pude perceber que a maioria das minhas amigas sofria do mesmo mal. Fiquei então sossegada me conformando com meu destino.
Porém, quando me tornei educadora percebi o quão importante é trabalhar a noção espacial e a lateralidade no desenvolvimento cognitivo da criança e passei a desenvolver um estudo com este foco.

Percebi então que os meninos não sofriam esta dificuldade em se localizar, e que as meninas, em especial aquelas que gostavam das brincadeiras de meninos, também não. Porém, as meninas que brincavam de casinha e de boneca tinham muita dificuldade em se situar no espaço.

Hoje posso afirmar que as brincadeiras têm importância fundamental no desenvolvimento da noção espacial e por consequência do senso de direção.

Enquanto os meninos brincam de carrinho, subindo e descendo por pontes, contornando viadutos improvisados, as meninas estão mexendo a panelinha em movimentos circulares, fazendo o bebê dormir empurrando o carrinho para frente e para trás, e quando têm o bebê no colo o embalam com movimentos repetitivos balançando de um lado para o outro.

Como podem as meninas desenvolver o senso de direção se brincam sempre com movimentos circulares, voltando sempre ao lugar de origem.
As brincadeiras de menina sempre foram assim: brincar de roda, balanço, gangorra, carrossel, pular corda. Enquanto que os meninos brincavam de carrinho de rolimã, futebol, bicicleta, pipa, bolinha de gude, etc..

É por esta razão que é muito importante estimular as meninas com jogos e brincadeiras que venham desenvolver a noção espacial, a lateralidade e consequentemente o senso de direção.

Que brincadeiras?
Todas.

Deixe-as brincar do que quiser.
Não limite as brincadeiras estipulando quais são as de menina e de menino.

Deixe-as brincar, se socializar, se divertir e se desenvolver.

E você? Tem senso de direção apurado?

Compartilhe suas experiências e robusteça o meu estudo.

Estou aguardando!

53 thoughts on “Eles têm senso de direção, elas nem sempre

  1. onde está o autor, a autora deste texto sobre direção? gostaria de lê-lo para um grupo de moças que, assim como eu, não tem senso de direção. por favor me mandem o mome da autora.

    Cybele Reply:

    Olá Simone, tudo bem?

    A autora sou eu mesma, Cybele Meyer, a editora do blog Educa Já!. Este artigo é fruto de um estudo que fiz sobre o senso de direção de homens e mulheres e comprovei que as brincadeiras infantis contribuem ativamente para o seu desenvolvimento.
    Pode usar o texto, com certeza!
    Estou à disposição para qualquer esclarecimento sobre o tema.
    abraços

  2. Sempre fui uma menina criada livre no interior e nossas brincadeiras sempre foram subir em arvores, andar de carro de rolemã, bicicleta, empinar pipa, brincadeiras inerentes ao universo masculino, porém não desenvolvi o tal do raciocínio espacial, sou capaz de perder-me ao sair de um eleveaor ou dando voltas em um quarteirão, esta lógica não funcionou no meu caso. Devo ser uma excessão à regra, pois sofro muito em diversas situaçõoes onde tenho que direcionar-me.

    Cybele Reply:

    Olá Patricia, tudo bem?

    Muito bom o seu depoimento. Estou desenvolvendo um estudo mais afunilado sobre o senso de direção e conforme for tendo os relatos irei disponibilizando no blog e você vai acompanhando e participando. Vamos chegar às causas, pode esperar!
    Com carinho

  3. Olá!! Também sofro bastante com esse problema. Sempre ando mais do que deveria. Existe algum exercício para adultos que podem melhorar esse senso de direção? Obrigada!

    Cybele Reply:

    Olá Virginia, tudo bem?

    Há alguns exercícios de lateralidade e de noção espacial que devem ser praticados juntos e que podem amenizar, mas não superar.
    O pior é que quando a pessoa sabe que tem esta dificuldade, sempre que se vê diante de uma situação a qual tenha que usar seu senso de direção, já se sente bloqueada acentuando esta falta ainda mais. Para superar é necessário unir os exercícios com acompanhamento psicológico.
    Ainda bem que hoje temos o GPS que nos facilita demais!
    beijinhos e continue acompanhando o Educa Já!

  4. Bem, só pra você ter uma idéia de como sou, eu já entrei numa drogaria que fica numa esquina e, sem me lembrar em que porta entrei, saí na direção contrária pra onde eu ia… resultado? Cheguei em casa de novo! Chorei feito criança.. Hoje, meu marido está começando a acreditar em mim e não me deixa sair sozinha. É horrível!!! Espero que seu blog seja um lugar de, pelo menos, encontro das perdidas nesse mundo! hehehehe

    Cybele Reply:

    Olá Enaile, tudo bem?

    Faço votos que o meu blog seja relamente um ponto de encontro e que ninguém se perca pela internet rsssss
    Este problema de senso de direção é realmente muito complicado. O que me deixa mais tranquila é saber que o Jô Soares, pessoa que admiro demais, também não em senso de direção. 🙂
    Beijinhos e continue nos acompanhando.

  5. Sou um caso perdido.Se vou ao consultório médico, na saida dirijo-me a porta do banheiro, nunca aquela por onde entrei. De carro, perco o caminho de casa e faço um tour pela cidade.Se vou a casa de uma vizinha no andar acima,mesmo prédio, ao voltar, desço do elevador e dirijo-me ao ap. em frente e até tento abrí-lo com minha chave.Ja virei motivo de chacota e isso me deixa muito triste

    Cybele Reply:

    Olá Lucia, tudo bem?

    Sei bem o que é isso.
    Acredito que tenha também um pouco de distração no meio.
    Quando eu me proponho a prestar atenção até que me saio melhor.
    Uma das minhas grandes dificuldades é encontrar meu carro nos estacionamentos. Aeroporto então já aconteceu de eu ter que voltar e pagar mais uma vez por exceder o tempo procurando o carro. Tiro foto do local, mas mesmo assim, não consigo me encontrar.
    Enfim… vamos convivendo com isto.
    Adorei seu comentário.
    Obrigada por abrilhantar o nosso espaço.
    Volte sempre!
    abs
    Cybele

  6. Olha, permita um homem participar do clube da luluzinha. Rsrsrs..Mas, por um acaso, caí de paraquedas e me sensibilizei com esta situação mais comum do que se imagina, que é o “senso de direção”. Vou tentar ajudar. Várias experiências científicas já foram feitas com pombos, para conhecer sua enorme capacidade de se localizar e seguir um rumo determinado. Tudo está relacionado com as linhas de força do campo magnético do nosso planeta. Com o ser humano, essas linhas de força, com segurança podemos dizer,afetam o senso de direção. O que precisamos fazer é nos tornarmos sensíveis a essas linhas. É lógico que quem desenvolveu, pela necessidade, esse dom, enquanto criança, agora leva uma CERTA VANTAGEM, mas é sempre tempo de ligar alguns neurônios, já que temos um exército de neurônios ociosos e que podem definhar sem serem utilizados na nossa curta existência.
    Precisamos escalar esses neurônios que estão na reserva, para participar desse jogo do nosso campeonato. Vou passar al guns exercícios para serem feitos. Primeiro exercício básico é: Com todo o tempo disponível e para se divertir, pegue uma biscicleta, ou mesmo à pé, se embrenhe em um bairro ou local desconhecido, sempre curtindo o máximo possível a natureza ou as obras, frutos da capacidade do Homem. Depois faça o exercío de voltar ao mesmo lugar; mas não se afobe, se precisar de ajuda, deixe o orgulho de lado.Isto é um bom começo. Se gostaram posso dar mais algumas dicas. Boa sorte. Claudio

    Cybele Reply:

    Olá Claudio, tudo bem?

    Adorei sua participação.
    Aqui não tem clube da Luluzinha não. Os comentários masculinos são muito bem-vindos!
    Pode nos dar mais dicas. Vou adorar, afinal meu senso de orientação é pessimo.
    Obrigada por visitar o Educa Já!
    abs e volte sempre!

  7. Também não tenho senso nenhum de direção, tenho bastante problemas com isso.. até hoje nunca me importei, mas agora está começando a me atrapalhar já que viajo bastante.

    Gostaria também de solciitar mais dicas do Claudio, que me pareceu boa a primeira 😀

    Cybele Reply:

    Olá Gustavo, tudo bem?

    Obrigada pelo seu relato e por contribuir com o enriquecimento do Educa Já!
    Assim que seu comentário for publicado as pessoas que já comentaram recebem um aviso de novos comentários e o Claudio então poderá entrar em contato com você.
    Volte sempre!
    abraços
    Equipe Educa Já!

  8. Olá, Gustavo.
    Eu vou passar algumas informações importantes que podem ajudar. Vamos lá.
    Existem vários tipos de orientação de posição:
    -Verbal
    -geométrica
    -Fotográfica
    -Orientação do pombo
    Dependendo da situação de suas várias memórias, você poderá fazer uso daquela que melhor tenha desenvolvido durante a sua experiência de vida. Por exemplo, você poderá ter uma melhora na orientação, se, no caso de ter uma boa memória verbal e auditiva, falar durante suas viagens, observando (em voz alta) detalhes do trajeto para você mesmo. Na prática: aquele monte parece um sino de ponta-cabeça, e eu o cruzo deixando-o do meu lado esquerdo (puro exercício).
    Assim podemos ter exercícios para os vários tipos de memória.
    Um conselho: Nunca se deixe levar passivamente, simplesmente, confiando em alguém
    que esteja a seu lado.

  9. Adorei o artigo, e confesso que sempre percebi essa dificuldade com várias de minhas amigas. Eu desde pequena, até pelo fato de ter mais parentes meninos do que meninas, brincava muito de futebol, video-game, e inumeras brincadeiras masculinas, e nunca tive problemas em ler mapas, me localizar, fazer contas, etc. Já as minhas amigas, e colegas de escola tinham estas dificuldades, em especial aquelas que brincavam com brinquedos e brincadeiras estritamente femininas. Penso que os brnquedos além de proporcionar diversão as crianças, também devem favorecer e estimular o raciocinio lógico, noção espacial, memoria,e vejo que os brinquedos femininos não causam estes estimulos. Os pais devem estar sempre em alerta e oferecer as suas filhas mais opções de brinquedos e não só bonecas e panelinhas.

  10. Olá pessoal fiquei muito feliz em achar este site… pensei que só eu sofria com este mal… sofro desde criança… toda vez que viajo perco o lado que minha casa esta… é só rodar um pouquinho que eu me desoriento toda…Queria saber mais dicas de exercicios de memória para que possa tentar diminuir este problema…

    Cybele Reply:

    Olá Fernanda, tudo bem?

    Obrigada por enriquecer o nosso post com seu comentário.
    Volte sempre que ficaremos felizes.
    abraços
    Equipe Educa Já!

  11. Olá
    Muito importante estes comentários. Quem sofre do mal de falta de senso de direção, como eu, sente-se confortado, rs, mas nunca acomodado!
    Gente, eu me guio por ruas ou avenidas principais. Mais ou menos assim:
    Eu quero entrar em uma Rua á minha frente, e sei que a Rua/Avenida principal está á minha esquerda. Conforme você vai se embrenhando na Rua, há possibilidades de aparecer em seu caminho uma curva por exemplo, coisa com a qual não estava contando, sendo assim, mentalize antes da manobra seguinte ( a curva ), a posição daquela Rua/Avenida que havia memorizado no início do percurso ( que está á sua esquerda ), desta forma, se virar á direita a Rua/Avenida pré memorizada ficará atrás de você, agora se virar a esquerda elá ficará em posição perpendicular à sua. Desta forma dificilmente se perderá.
    É claro que isto não é um Manual completo de sobrevivência, mas dá pra aguentar uns dias á espera de ajuda, rs.
    Abraços a todos! Sempre estarei por aqui para aprender mais e mais.

    Cybele Reply:

    Olá Léo, tudo bem?

    Obrigada pelo carinho e por enriquecer nosso blog com seu comentário.
    Continuamos juntos em 2013.
    abraços
    Cybele Meyer e Equipe Educa Já!

  12. meu DEUS achei que o problema era so meu, vi problemas mas graves que o meu, eu ja te evito sair pq me perco sempre e morro de vergonha disso nao sei ensinar ninguem um indereco nen o meu .gostaria de receber mas orientacoes

    Cybele Reply:

    Olá Ivani, tudo bem?

    Obrigada pelo carinho de sempre e por enriquecer o nosso espaço com seu comentário.
    Continuamos juntas em 2013.
    abraços
    Cybele Meyer e Equipe Educa Já!

  13. Tambem,sofro muito com isso me perco até em corredores de hospitais, entro por uma porta ,e quando vou sair sempre pego o lado contrário !!!

    Cybele Reply:

    Olá Vanessa, tudo bem?

    Obrigada pelo carinho de sempre e por enriquecer o nosso espaço com seu comentário.
    Continuamos juntas em 2013.
    abraços
    Cybele Meyer e Equipe Educa Já!

  14. Esse texto é de autoria do Max Gehringer!!!

    Cybele Reply:

    Olá Anna Bernardes, tudo bem?

    Deve estar havendo algum engano.
    Este artigo é de minha autoria, caso não o fosse teria dado o crédito.
    Gostaria que me indicasse o texto a que você se refere ser o mesmo com a autoria do Max Gehringer.
    Disponibilize o link, por favor.
    Fico no aguardo.
    abraços
    Cybele Meyer

  15. Olá.
    Ótimo texto!
    Sou morador de São Paulo,não gosto de dirigir exatamente por isso,consigo me perder dentro do Bairro onde moro á mais de 30 anos.
    O pior é que sempre que estou caminhando pelas ruas,as pessoas param pra me pedir informação,aí que a coisa aperta.

    Cybele Reply:

    Olá Sander, tudo bem?

    Obrigada por enriquecer o nosso blog com seu comentário.
    Obrigada pelo carinho de sempre.
    Continuamos juntos em 2013.
    abraços
    Cybele Meyer e Equipe Educa Já!

  16. Achei que era só eu que tinha esse problema apesar de ter brincado muito de carrinho, andado muito de bicicleta. Comecei a perceber que tinha esse problema quando comecei dirigir, aliás dirigir para mim já foi uma conquista pois tinha pânico precisei ir a um lugar especial com acompanhamento de psicologo para conseguir. Finalmente meu problema não é mais dirigir, tenho habilidade com o carro, mas infelizmente instalou-se outro, péssimo senso de direção e isso me trava para ir a certos lugares, pois quando me perco fico muito nervosa, minha presão arterial sobe, minha cabeça doi, minha boca seca. E se estou com outra pessoa do lado, fico me achando muito burra, mas já percebi que se estiver a pé ou de ônibus meu senso de direção não é tão ruim como quando estou dirigindo, dirigindo piora.

  17. Achei que era só eu que tinha esse problema apesar de ter brincado muito de carrinho, andado muito de bicicleta. Comecei a perceber que tinha esse problema quando comecei dirigir, aliás dirigir para mim já foi uma conquista pois tinha pânico precisei ir a um lugar especial com acompanhamento de psicologo para conseguir. Finalmente meu problema não é mais dirigir, tenho habilidade com o carro, mas infelizmente instalou-se outro, péssimo senso de direção e isso me trava para ir a certos lugares, pois quando me perco fico muito nervosa, minha pressão arterial sobe, minha cabeça doi, minha boca seca. E se estou com outra pessoa do lado, fico me achando muito burra, mas já percebi que se estiver a pé ou de ônibus meu senso de direção não é tão ruim como quando estou dirigindo, dirigindo piora.

    Cybele Reply:

    Olá Sarah, tudo bem?

    Obrigada por enriquecer o nosso espaço com seu comentário
    Continue acompanhando o Educa Já!
    abraços
    Equipe Educa Já!

  18. Achei o artigo curioso. Estava a ponto de descordar do título, mas depois de lê-lo consegui perceber o porquê do fato que vou relatar.
    Aqui em casa, a coisa acontece ao contrário: meu marido não possui nenhum senso de orientação, enquanto eu, modéstia a parte, tenho este bem desenvolvido. Um grande amigo meu também não é muito bom em se localizar. Percebi que tanto este amigo, como meu marido, foram crianças muito “superprotegidas”, que não brincavam na rua. Eram mais do vídeo game. Já eu fui criada ao contrário, brincando com os vizinhos, andando de bicicleta, jogando bola (não futebol, mas queimada, vôlei, etc). Nunca brinquei de bonecas (o desgosto da minha mãe). Não sei se há alguma relação, mas meu marido teve poucas experiências em andar a pé ou de ônibus. Sempre ia de carro. E eu andei mais a pé, e ainda, na infância, meu pai costumava me dar mapas para acompanhar os trajetos de carro. Acho que isso me ajudou muito.
    Só sei que, depois de ler seu texto, vou fazer o mesmo com minha filha: ela deve brincar de bonecas, mas também quero que ela tenha experiências mais externas com brincadeiras mais ao ar livre e que exija mais agilidade física. Claro que, no fim, a criança também vai escolhendo as brincadeiras que gosta mais.

    Cybele Reply:

    Olá Aline, tudo bem?

    Obrigada por enriquecer o nosso espaço com seu comentário.
    Ele foi excelente!
    Obrigada pelo carinho e continuamos juntas em 2013.
    abraços
    Cybele Meyer e Equipe Educa Já!

  19. Eu sou professor de matemática e não canso de dizer aos meus alunos com dificuldades, que é preciso pegar gosto pela matemática. Pegar gosto por alguma coisa não significa fingir que gosta, pois, nas pequenas coisas todos percebem a superficialidade das afirmações, e uma pessoa não aprende matemática fingindo que gosta. O que eu quero dizer com isso?
    Eu quero dizer que ninguém deixa de ter habilidade para algo, se realmente aquilo lhe dá prazer. Não digo necessidade, que pode ajudar uma pessoa a adquirir uma habilidade, mas não é o que leva a pessoa a ser muito boa no que faz; o que realmente importa é o prazer que aquilo lhe dá. Tem muita gente que se acha burra por não ter qualquer senso de direção, mas não deveria pensar assim, pois esta é apenas uma das infinitas habilidades que podemos ou não adquirir. A grande questão é que nos cobramos pelas habilidades que não temos, e isto é marcante e parece que a todo momento aparece para nos atormentar. Um exemplo: Quando a pessoa necessita fazer uma viagem qualquer, desconhecendo totalmente o caminho e possuindo esse tipo de dificuldade, parece que o mundo vai desabar, o medo ou pânico toma conta e tudo parece ficar travado, e muitas vezes uma situação dessas pode até levar a um acidente. Olha é melhor pegar um ônibus, taxi ou pedir o socorro de alguém. Esta não é a solução que agrada a muita gente, então o que fazer? “PEGAR GOSTO”.
    Para pegar gosto, precisamos fazer uma reflexão e buscar algo que nos dê realmente prazer. Assim como a matemático vive estudando as formas geométricas de tudo que encontra, o estilista vive comparando as formas, o humorista vive pensando em observar uma piada em tudo, o coreógrafo num novo movimento, o escritor em material para o seu novo livro, assim também deve ser o seu pensamento voltado para as habilidades que almeja. Mas, como já disse, não pode ser fingimento.
    Vamos à luta se realmente isto é importante. Caso contrário, a falta de senso só preocupa quando precisamos dele, aí a solução é deixar para quem gosta disso e não se culpar ou ter vergonha, porque todos somos bons em muitas coisas que nem nos damos conta. Obrigado

  20. Olá, Cybele. Desejo um ano novo de muita alegria junto daqueles que você ama. A propósito, por que às vezes você demora para dar um retorno a um comentário? Sempre que posso dou uma passadinha por aqui. Abraço. Claudio.

    Cybele Reply:

    Olá Cláudio, tudo bem?

    Que você tenha tido um Feliz Natal e que o ano de 2013 chegue repleto de realizações.

    Quanto a sua pergunta lhe digo que eu mesma gosto de responder aos comentários e quando estou trabalhando fora da minha cidade acabo demorando, mas sempre retorno.
    Abraços e obrigada pelo carinho.
    Continue nos acompanhando.
    Cybele Meyer

  21. Muito legal esses depoimentos. Eu vivia me comparando com a minha irmã, que mais parece um gps. Tem uma noção de espaço incrível e nunca se perde no trânsito. Parece ter memória fotográfica. Daí me perguntava o motivo de tanta diferença. Eu me perco no estacionamento. Evito ir para lugares desconhecidos, sempre me mantenho a direita pra não atrapalhar e acabo dando voltas nos quarteirões. Mapas de ruas pra mim, então, não funciona na prática. Não consigo reter informação quando se trata deste assunto. Guardar trajetos, nem pensar…A gente se sente limitada, Até acessar este site eu encarava como um distúrbio e não uma falta de habilidade. Legal saber que sou normal!

  22. Eu sou mais uma que pensava que era a única a ter esse problema, hoje procurando informações, encontrei esse site, confesso que li os comentários e ri muito das histórias, como muitos riem de mim quando me perco, jé me perdi na minha faculdade que só tem três andares, nunca vou sozinha a lugares desconhecidos e preciso ir vinte vezes a um lugar pra aprender o caminho, pensando assim, não tem graça porque isso limita minha independência, continuo em busca de informações e dicas para melhorar.

  23. Ufa, ainda bem que achei este blog!! Tenho o mesmo mal… já fui milhares de vezes a um mesmo lugar e quase nunca consigo decorar o caminho direito, enquanto a maioria das pessoas simplesmente “pega de primeira”. Eu juro, os outros dizem que é porque eu sou avoada, relaxada, acomodada, que só quero saber de “ficar passeando” em vez de “se espertar pra vida”, mas eu tento realmente decorar os caminhos, só que depois da terceira rua já me perco toda! Isso me dói muito, e entro em pânico só de pensar que vou ter aulas de direção…não é nem por aprender a manusear o carro, é por andar na cidade SOZINHA. Quanto ao seu estudo, posso dizer que quando eu era criança eu brincava na maioria das vezes de boneca, nunca fui apegada a brincadeiras mais masculinas haha bem, é isso… 😉

  24. Gostei dessa dica de andar por bairros desconhecidos despreocupadamente e depois tentar voltar, pode ser um bom exercício. Sei que, no meu caso, terei que pedir orientação,rs. Não sei se já comentei aqui, mas sei que já li outras vezes e hoje, preocupada com esse meu problema, resolvi encarar o Google e procurá-lo pra ler de novo. As pessoas que não passam por isso não têm noção do quanto é constrangedor, limitador. O pior é o pânico de se perder, a vergonha de pedir orientação de um trajeto que todo mundo sabe que você já fez e já devia saber de cor. Eu só decoro um trajeto depois de ir umas dez vezes, é um saco!

  25. Olá.

    Gente, demais ler isto.
    Eu sou tb, como muitas aqui, desorientada:O
    Adoro dirigir, dirijo bem, masss, saio muito pouco e quando saio, preciso verificar a rota num mapa antes de sair, se tiver algum desvio no caminho e estiver por algum lugar que não me seja familiar, meu Deus, daí acho que fico rodando até achar uma rua conhecida. Por este motivo não ando muito de carro e, como alguém falou acima, até mesmo ao sair de um elevador posso perder o senso e direção. Isso é horrível não é?
    Quanto ao seu estudo, eu li em algum lugar sobre isso, que os homens, em sua maioria, possuem senso de direção apurado, por isso costumam ser bons motoristas, não é que nós mulheres dirijamos mal, mas se não somos muito orientadas, concordem que fica difícil, né?
    Tenho 4 irmãos, Quanto pequena, sempre brinquei de boneca, mas nem sempre gostava de brincar sozinha então sempre concordávamos que brincaria das coisas de meninos se eles brincassem de brincadeiras de meninas, então não sei mesmo se isso funciona muito, embora nunca acompanhei brincadeiras como essas de carinhos e rolimã.
    Este assunto é interessante. Que bom se fosse possível detectar e corrigir as dificuldades de lateralidade e senso de direção nas crianças.

    Boa sorte em seu estudo..

  26. Os meus parabéns pelo seu blog.
    Como compreendo as pessoas que têm um péssimo sentido de orientação. Eu sofro desse mal desde que me conheço e sempre me causou limitações quer na minha vida pessoal quer profissional. Ir a um sítio desconhecido é uma angústia. Se vou por uma estrada que tenha de virar á esquerda e depois á direita, é garantido que na volta me engano no caminho. Se vou a um hospital com um corredor com várias saídas é certo que na volta saio pelo lado errado. A faculdade que frequentei tinha vários andares e corredores; para não me enganar nas diversas salas onde tinha as aulas, trazia um pequeno papel com um esquema dos sítios por onde devia ir. Quando vou aos centros comerciais procuro sempre estacionar no exterior, porque se estacionar nos parques subterrâneos é certo que me perco e ando às voltas para dar com a saída, mesmo com as indicações nas placas. Isto causa-me um mal-estar tão grande que evito ir para sítios que não conheço, e quando vou tento ir sozinho porque se me enganar não tenho ninguém ao lado a criticar. Como resultado, tornei-me uma pessoa sem vida social.

  27. nossa amei seu blog, sofro tanto com isso, me perco dentro de um shopping, se tiver q ir em algum lugar onde tenho q entrar em varis portas certeza me perco,,,, ja passei por varias situações constrangedoras e horrivel..kkk

  28. Nossa!! Que alívio descobrir q sou normal, meu senso de direção é péssimo, me perdo facilmente, sem contar q se estiver em uma BR por exemplo e eu pensar q estamos indo para o sul meu corpo inteiro acredita q estamos indo para o sul, mesmo q na realidade esteja indo para o norte. É muito ruim isso!!!!

  29. Bem, já sabia q este problema era de certa forma “normal”, o q desconhecia era esse desconforto q todos nós sentimos… Achava q só eu me sentia mal… Ou q somente uma parcela mínima na população sofresse desse mal. Agora vejo q de certa forma é quase comum… Fiquei surpresa e aliviada ao mesmo tempo. Tbm dirijo bem, sem problemas… Com meu GPS… rsrs Certa vez a bateria dele estava fraca, e estava voltando para casa depois de uma visita a um cliente. Quase entrei em pânico!! Qdo me dei conta, estava a 2 quarteiroes de casa e tremendo de medo…

  30. Gente, tenho isso e o que mais me magoa é que as pessoas tiram sarro de mim, me sinto burra! Me acham burra! Não dirijo mais pra não pagar mico

  31. Sempre me incomodei com isso. Entro nessa turma, dos “sem senso de direção”, muito, muito baixo mesmo. Porem, sou do grupo dos marmanjos, dos homens. E claro, convivo com brincadeiras desde sempre: que isso é “coisa de mulher”, que tem pesquisas sobre baixo nivel de testosterona, “coisa de menininha”, etc… No entanto, sou hétero pra caramba, hehehe, e com níveis de testosterona acima do normal… Mas isso não mudou meu senso de direção. Porém, tenho boa noção de lateralidade (não me confundo com esquerdas e direitas, a não ser por “falta de atenção”, outro grande problema que tenho e que provavelmente está relacionado com o problema que é foco deste artigo. E sempre culpei essa minha distração pelo fato de ser artista). Mas, assim como seu artigo sugere, minhas brincadeiras na infância se restringiram muito em desenhar, tocar, ler gibis e livros e ouvir música, enfim, pouca atividade física. Com uma bronquite bem forte dos 4 aos 11 anos e uma avó que mandava nos meus pais e dizia que que eu não podia praticar esportes e brincar como as outras crianças (apesar de hoje sabermos que é o contrário, esporte é necessário pra problemas respiratórios), pois minha avó acreditava no perigo em beber “leite com manga”, eu tinha muitas vezes que sair escondido pra brincar. Depois dos 14 anos que eu fui por conta própria praticar esportes, artes marciais, etc. Mas parece ter sido pouco e também pouco tarde pra resolver alguns aspectos… Hoje tento desenvolver melhor e estudar o assunto. Mas, meu foco na minha vida são as minhas músicas e desenho. Afinal, depois dos 40 deve ficar ainda mais difícil… Ou seja, o que for possível (e quem tiver dicas, agradeço), para desenvolver meu senso de direção vou fazer com calma e tranquilidade, o que não der, fica pra próxima “encadernação”…

  32. assistir uma matéria internacional sobre senso de localizaçao e o pesquisador disse que esta habilidade esta muito ligada a produção de testosterona na qual o homem tem em maior quantidade que a mulher, seria este hormônio o principal elemento propiciador.

  33. Nossa!! Estou feliz por não ser a única no planeta! Não tenho o menor senso de direção e isso me incomoda demais. É muito desagradável, preciso melhorar isso, mas ainda não consegui.

  34. Eu sou canhota e tenho dificuldade em saber qual é o lado esquerdo e qual o direito.
    Mas tenho outro problema: crio naturalmente uma imagem na minha mente dos lugares que conheço, baseada na direção para a qual cada local está virado. Se por algum motivo, indo para determinado local que já conheço, não prestei atenção no caminho que fiz para chegar lá, e acontecer de eu ter a impressão que o local está “virado” para outro lado, não reconheço mais o lugar. Preciso vira-lo para a direção certa (aquela que ja está registrada em minha mente) e só então reconhecerei o lugar. Preciso fazer isto por exemplo com a minha casa, pois nas primeiras vezes que fui lá, não prestei atenção no caminho que fiz, e registrei uma direção errada (para a qual ela estava virada). Todos os dias quando chego em casa (ou saio para outro lugar) , preciso desvirar a direção em minha mente para me localizar. Na maioria das vezes esta “desvirada” é automática, mas as vezes não é e fico sem me localizar. É muito difícil de explicar isso. Será que alguém tem este problema também? Saliento que tenho isso desde criança, me lembro desde os sete anos de ter este problema. Por outro lado não é algo que me incomoda muito, pois é só parar o carro e me concentrar um pouco, logo consigo virar a direção da minha localização em minha mente e sigo em frente.

  35. Estou lendo isso em pleno 2017, por um lado alivia mas confesso q até na minha alto estima essa questão mexe, meus familiares principalmente primos não entendem, acham q tenho “preguiça”, falta de atenção, falam q não lembro pq tenho medo, emfim. E isso dá uma certa insegurança tmb até porque pretendo entrar na facul, e já fui lá uma vez, e percebi q não tenho senso p andar lá, fui numa sala de psicologia , e n sabia p que rumo estava o lugar da cantina … Será q existe um certo tratamento?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *