Eu voto na Educação. E você? #todoseducacao

As eleições estão chegando e temos que estar atentos às propostas dos candidatos com relação ao que farão para melhorar a qualidade da educação. Não queremos bordões e sim ações efetivas para promover uma educação de qualidade para todos.

Há que se levar em conta todas as necessidades: analfabetismo, Educação Infantil, Ensino básico, Ensino profissionalizante, qualidade das universidades e muito mais.

O IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas divulgou nesta quarta-feira, dia 08 de setembro, o resultado da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) referente ao ano de 2009 o qual constata que a taxa de analfabetismo das pessoas de 15 anos em diante é de 9,7% equivalente a 14,1 milhões de pessoas analfabetas. Nestes dados não estão computados os analfabetos funcionais, ou seja, aqueles que são capazes de assinar o nome e ler um bilhete simples.

Estes dados são preocupantes principalmente porque apontam jovens de 15 anos em diante. Se fosse de 50 anos em diante teria ainda alguma justificativa, mas de 15 anos em diante é extremamente preocupante.

Diante destas e outras tantas preocupações que 27 entidades da sociedade civil elaboraram uma carta-compromisso que deverá ser entregue aos candidatos a cargos executivos e legislativos nas eleições de 2010, conforme noticia o blog Todos pela Educação:

Esta carta-compromisso conta com sete medidas gerais, que são as seguintes:

  1. inclusão, até o ano de 2016, de todas as crianças e adolescentes de 4 a 17 anos na escola;
  2. universalização do atendimento da demanda por creche, nos próximos dez anos;
  3. superação do analfabetismo, especialmente entre a população com mais de 15 anos de idade;
  4. promoção da aprendizagem ao longo da vida para toda criança, adolescente, jovem e adulto;
  5. garantia de que, até o ano de 2014, todas as crianças brasileiras com até os 8 anos de idade estejam alfabetizadas;
  6. estabelecimento de padrões mínimos de qualidade para todas as escolas brasileiras, reduzindo os níveis de desigualdade na Educação;
  7. ampliação das matrículas no ensino profissionalizante e superior.

Além de elaborarem esta carta-compromisso eles fiscalizarão as ações que estarão sendo realizadas para o cumprimento da mesma.

Além disso, pedem quatro compromissos dos futuros governantes, que devem ser transformados em leis e políticas públicas:

  1. ampliação adequada do financiamento da Educação pública;
  2. implementação de ações concretas para a valorização dos profissionais da Educação;
  3. promoção da gestão democrática nas escolas;
  4. aperfeiçoamento das políticas de avaliação e regulação.

Paulo Goulart, a exemplo de jornalista Heródoto Barbeiro e da atriz Dira Paes também participou voluntariamente deixando seu recado e também votando na Educação.

E você não vai votar na Educação?

Claro que sim. Para isto você deve acessar este link www.euvotonaeducacao.org.br e registrar o seu voto.

Toni Garrido também já votou e deixou a sua mensagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *