Os games como recurso didático #educacao

Já vai longe a época em que os games didáticos eram menos expressivos e motivadores que os games de entretenimento. Hoje eles são tão dinâmicos quanto.

O game Achados e Perdidos indicado para crianças de 6 a 11 anos consiste em a criança achar objetos que não estão dentro do contexto do cenário apresentado. Este game estimula a lógica e consequente interpretação de texto. Quem está trazendo este game para o Brasil é a Divertire que já trouxe a série COELHO SABIDO que é o maior fenômeno de vendas de jogos educativos atingindo a marca de 1 milhão de cópias distribuídas.

Há um tempo atrás a escola já indicava alguns games como reforço de algumas disciplinas, porém hoje eles estão sendo usados como a própria ferramenta de ensino. A secretaria de educação de São Paulo reservou uma verba para investir em softwares educacionais como recurso de aprendizagem.

O jogo Labirinto, por exemplo, é um excelente recurso para desenvolver não só a coordenação motora mas também a lateralidade, o criar estratégias bem como a percepção visual. Há também o Labirinto para crianças de 2 a 6 anos.

O Sokoban é um excelente jogo de raciocínio lógico. O objetivo é agrupar as peças num determinado espaço. Como os movimentos são limitados a atenção tem que ser constante e a criatividade tem que estar em plena atividade para poder superar os obstáculos e não ficar sem saída. É um excelente estímulo à capacidade de resolver problemas. O game é interessante tanto para crianças quanto para adultos.

Os games são excelentes recursos para se trabalhar a atenção, o raciocínio, a criatividade, o experimentar, a coordenação e inúmeras habilidades tão importantes para o desempenho na formação geral da criança. Sugiro o texto de José Manuel Moran, especialista no uso das TICs na educação que embasará o incentivo a esta prática dos pais em parceria com a escola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *