Crianças no apartamento

Já vai longe o tempo em que as crianças brincavam na rua. Até já escrevi sobre isso quando falei sobre as alegrias da Infância.

Hoje, principalmente por questões de segurança, a criança vive “confinada” em apartamentos cada vez menores, sem espaço para gastar sua energia.

Muitos prédios contam com jardins e playground, porém há inúmeras regras onde a criança acaba sendo tolhida da mesma forma.

Sem espaço e sem amigos para correr, pular, brincar, gritar e tantos outros verbos desempenhados pela criança, ela se volta para outro foco como o de se tornar adulta. É por esta razão que vemos meninas de 4 anos com batom, vestidas de adulta, com comportamento e conversas de adulta, deixando para trás uma fase importantíssima que é a de ser criança.

Os meninos se apegam ao videogame e ficam ali sentados, inertes mexendo somente os dedos das mãos. Não pensem que sou contra o videogame, muito pelo contrário, acho que é um estimulador de raciocínio, de coordenação motora, de iniciativa, porém sou contra a ser somente esta a possibilidade de brincadeira da criança.

Criança também adora ter bichos como cachorros, gatos ou passarinhos e em apartamento nem sempre é possível, e se é permitido é mais um a ficar confinado.

Então vocês podem perguntar: “O que fazer se a violência é grande e a oferta de casas é mínima?”

Procure um prédio que tenha uma área grande para que as crianças possam correr juntamente com seu cachorro. Que tenha parquinho para que possam usar o balanço, o gira-gira e o escorregador, não precisa mais do que isso. Se tiver um tanque de areia, melhor ainda.

É importante que tenha jardim em alguns pontos para que a criança possa observar a natureza comunicando quando o inverno está chegando ou quando é a primavera que com suas flores coloridas e perfumadas alegra o ambiente.

A criança terá também a oportunidade de observar os passarinhos, abelhas, borboletas e até aranhas em sintonia com a natureza.

Tendo este cuidado na escolha do local para morar a criança se sentirá feliz com seu espaço e usufruirá de tudo que tem direito crescendo forte, saudável e feliz.

Este post foi originalmente postado no Mãe com filhos

O que você pensa sobre este assunto? Você tem alguma sugestão ou algum caso que queira compartilhar?

Deixe sua opinião!

10 thoughts on “Crianças no apartamento

  1. É… Gostei da parte do verde. Quando me mudei do apto. pra uma casa, os meninos ficaram mais confinados ainda, pois a rua aqui de casa não é nada segura, mas tinha uma goiabeira. Eles cresceram junto com ela e com guerrilhas de goiaba pobre em suas festinhas de aniversário. Os amiguinhos jamais esqueceram, pois fugia dos padrões buffet caro. Bons tempos. Hoje, são dois adolescentes bem resolvidos.

    Cybele Reply:

    Olá Lina, tudo bem?

    Excelente! Isto mostra que não precisa de muito para propiciar um crescer com belas lembranças. O mais importante é propiciar um espaço para que eles dêem asas para a criatividade.
    Adorei!
    Volte sempre!
    bjs

  2. Oi, querida,

    Sou mãe de filhos que muito ficam entre 4 paredes e que pretendo que logo mais passem a morar numa casa com quintal.

    Sei que muitos dos hábitos deles foram criados e/ou incentivados por nós, no meio da correria diária e dos exemplos que damos, que funcionam muito mais que qualquer discurso. – Olha eu aqui, em pleno sábado, teclando!!!

    Pois acho que ter limites que sejam usados consco e mostrem uma disciplina mínima também colabora pra que eles vejam que também não podemos ficar só em função daquilo que gostamos e que temos outras atividades e compromissos, sabe?!

    Tenho me policiado, mas como é difícil abrir mão da internet!!!

    Beijo,
    Ingrid

    Cybele Reply:

    Olá Ingrid, tudo bem?

    Concordo plenamente com você. O estilo de vida que levamos hoje é completamente diferente do de anos atrás onde a criança além de morar em casa também podia brincar na rua com os amigos exercitando a socialização e o desenvolvimento motor. Hoje, o crescer em um apartamento é comum, porém é preciso que também se ofereça situações em que a criança possa correr, saltar, brincar, gritar, conviver com outras crianças. Muitas vezes levar a criança para a praça onde tenha brinquedos como balanço, gangorra, escorregador, etc é uma boa opção. A criança tendo contato com estas duas opções (o brincar no apartamento e o brincar ao ar livre) irá saber se comportar tanto num quanto no outro.
    Concordo plenamente com o seu exemplo final. As crianças aprendem pelo exemplo.
    Com carinho

  3. Olá. Adorei o post! Quando eu tive a Gabi nãopensava nisso pois morava com a minha mãe. Mas quando me casei e procurei uma casa pensei nisso. Hoje moro num condomínio de casas pequenas com quintal pequeno, mas que dá para ela brincar de água e correr a vontade, e que no condomínio tem área com piscina adulto e infantil e parquinhos de areia. Aqui a criançada corre pela rua e todo dia aparece uma criança diferente para brincar. Parece uma cidade pequena com ruas estreitas, com muito verde, árvores, flores…. Mas tb acredito que o local não é tão importante….o que importa é a disposição de cada pai e mãe em saber o qto o espaço é importante e sempre que puder levá-los para um parque, praça, etc. Eu mesma levo a Gabi para diferentes parquinhos todo dia e em dias de chuva vamos ao shopping no parquinho. Sempre há alternativas….. estamo em outros tempos, as alternativas aumentaram e com bons prestadores de serviços.

    Cybele Reply:

    Olá Sandra, tudo bem?

    Obrigada pelo seu comentário.
    Excelentes alternativas você propicia além de oferecer um espaço permanente para a Gabi brincar. Ela é privilegiada.
    Parabéns e continue acompanhando o Educa Já!
    com carinho

  4. ah, eu não tenho escolha, moro onde eu posso morar, ou seja, apê sem área livre disponível. O apartamento até que é espaçoso, mas mesmo assim tem criança caindo sobre mim de vez em quando. Duas crianças, aliás, minha filha e o pai dela. Eles fazem uma bagunça 🙂

  5. As vezes as condições que temos não são as melhores para a criação dos nossos pequenos, mas temos que nos esforçar para poder oferecer o melhor. Onde moro tb não tem play, nem jardim, mas tem um quintal onde o Italo joga futebol e corre com os vizinhos qdo eles estão por aqui. A opção tb são os passeios qdo possível, para a criança ter contato com a natureza. E até a escolha da escola pode ser outra opção de aproximar a criança de uma vida com mais ar livre.

    Cybele Reply:

    Olá Viviane, você disse tudo quando afirma que temos que nos esforçar para poder oferecer o melhor. Muitas vezes uma breve saída para brincar já faz toda a diferença.
    Obrigada por comentar.
    beijinhos
    Cybele

  6. A questão não é só esta. Pesquisem e descobrirão que a maior parte das reclamações são a de vizinhos que por qualquer barulhinho reclama para o síndico que por sua vez (também errado) vai lá incomodar reclamando dos barulhos das brincadeiras das crianças!! Isso é um absurdo. Depois não querem crianças violentas, depois não entendem porque as crianças ficam viciadas em videogames, redes sociais etc. Criança tem o direito de brincar. E o pior é que podem ter certeza que a maioria desses imbecis que reclamam da brincadeiras das crianças, quando crianças deviam fazer muito mais barulho, mas claro como possivelmente a maioria brincava na rua não tinha vizinho insuportável para reclamar. Vizinho só pode reclamar se o barulho for depois das 22hs, antes disso, é o seguinte: dor de cabeça tome remédio, precisa estudar coloque fone de ouvidos, quer dormir mais cedo ponha música ambiente ou instale um aquário para distrair sua mente, eita pessoas chatas, infelizes!!! Incrível como querem destruir a infância das crianças. Depois não reclamem da existência de serial killers, muitos deles não provém de famílias com problemas, como a maioria pensa, observem quem mais esta matando hoje em dia… pessoas comuns, provém de famílias comuns, e até com boa situação. É a maldade que pressiona e pira a cabeça das crianças. Vocês acreditam que eu li em um artigo sobre uma criança de 3 anos com medo de brincar dentro de casa (apartamento) porque qualquer barulhinho o vizinho debaixo vem reclamar!! Barulho que não passa das 22hs, reclame para o construtor que não fez acústica devidamente, barateou a construção e sobra para o vizinho?? Se algum dia alguém viesse reclamar ia ouvir sobre leis e direitos, e a começar … reclame para o construtor e deixem as crianças em paz! Feliz dia das crianças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *