Educação na Cultura Digital #debate

Participei do debate de hoje promovido pelo EducaRede, um programa da Fundação Telefônica cujo tema foi “Experiência de educação e cultura digital” o qual participaram da mesa

Participantes: Bianca Santana – Jornalista e coordenadora do Projeto Recursos Educacionais Abertos na Casa da Cultura Digital. No Mestrado em Educação da Universidade de São Paulo, pesquisa os usos das tecnologias digitais na educação de jovens e adultos.

Priscila Gonsales – Jornalista com mestrado em Educação, Família e TIC pela Pontifícia Universidade de Salamanca (Espanha), atua na área de Educação desde 1997, principalmente em organizações do 3º Setor. É também pesquisadora do Cenpec e responsável pela coordenação do Programa EducaRede Brasil.

Luciano Meira – É professor adjunto do Departamento de Psicologia da UFPE e pesquisador da Pós-Graduação em Psicologia Cognitiva da mesma instituição. Também é consultor de estudos de usabilidade do Cesar (Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife), organização sem fins lucrativos associada ao Centro de Informática da UFPE.

Debora Sebriam – Mestre em Engenharia de Mídias para a Educação pela Universidade Técnica de Lisboa, Université de Poitiers e Universidad Nacional de Educación a Distancia. Atualmente é membro da equipe de Informática Educacional do Centro Educacional Pioneiro em São Paulo.

Moderadora: Milada Gonçalves – Integrante do EducaRede e do Grupo de Estudos Educar na Cultura Digital.

Logo na abertura Mila faz uma provocação para a mesa: O que você entende por cultura digital?

Cada um dos integrantes da mesa partilhou o seu foco: Bianca Santana diz que educar na cultura digital é também aprender na cultura digital, afinal a troca é quesito fundamental. Acrescenta que também é incentivar o protagonismo juvenil para que utilize suas próprias estratégias com o uso das ferramentas digitais. Débora Sebriam levantou uma questão importante que é a preocupação que se deve ter sobre o material que as crianças acessam fora da escola, por exemplo, nas lanhouses, e que se deve tirar o foco do computador e abrir para todas as telas digitais. Repensar o currículo escolar e retomar o conceito de educar é um ponto extremamente importante que deve estar presente sempre, além do professor ter a sensibilidade de integrar no aprender o que de importante e interessante acontece ao redor. Luciano Meira ressalta que é preciso falar da educação 2.0 que os jovens constroem nas lan houses. Falou bastante sobre jogos o qual você pode conferir abaixo:

Estamos vivendo um momento histórico em que a cultura digital está mudando a forma de ser e de estar de todos nós.

Uma questão interessante foi colocada através da seguinte pergunta: Autoria é sinônimo de propriedade?  Nos recursos educacionais abertos co conhecimento pertence a todo mundo. Todos partilham suas produções, seus artigos e tudo o mais que produzem. Infelizmente o mesmo não acontece na escola e na sala de aula, pois a lei de direitos autorais não caminha na mesma direção. Se o professor quer exibir um filme para seus alunos, não pode porque caracteriza exibição pública e a lei proíbe, comenta Bianca Santana.

Se você se interessa por debater sobre o Educar na Cultura Digital pode entrar para o grupo de Estudos acessando este endereço: http://www.educarnaculturadigital.org.br/ “e venha debater conosco de que maneira os meios tecnológicos podem favorecer a produção do conhecimento em contextos educativos. Será que isto já está acontecendo? Se o século XXI oferece a possibilidade de a web 2.0 enriquecer o modo de aprender e ensinar, formar o cidadão para as competências e habilidades que emergem destas novas práticas sociais, podemos dizer que isto se tornou um grande desafio para a Educação.

Você pode assistir o debate por inteiro através deste link http://tv.campus-party.org/player-brasil.php?v=qRb7lVqMBp8

One thought on “Educação na Cultura Digital #debate

  1. Muito boa a reflexão, a pluralidade da mesa levou o debate para pontos bem distintos da cultura digital. Me interesso muito pelo assunto e percebo que todos ainda temos muito que aprender…
    Parabéns pela dedicação a essa nova fronteira da educação!
    abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *