Campanha contra a violência sexual infantojuvenil no Carnaval

Ontem fiz a postagem falando sobre o abuso sexual e orientando o professor a como proceder diante de um possível caso. Hoje completo a postagem porém com o foco no Carnaval.

A Fundação Telefônica em parceria com a Childhood  Brasil lança campanha publicitária para sensibilizar a população sobre a exploração sexual contra crianças e adolescentes que tende a crescer nesta época de Carnaval.

“Proteja as nossas crianças e adolescentes. Violência sexual é crime. Denuncie. A bola está com você”.

Essa mensagem será vista no carnaval deste ano em bolas gigantes circulando pelas arquibancadas, camisetas, abadás, abanadores e tatuagens temporárias dos foliões, nos bailes, blocos e escolas de samba.

A veiculação destas peças começa no dia 28 de fevereiro(segunda-feira) e vai até 18 de março. Os filmes que estão sendo produzidos irão ao ar na TV a partir do dia 05 até o dia 20 de março

Essa é a primeira vez que a campanha nacional contra a violência sexual infantojuvenil é realizada durante os desfiles de carnaval.“Queremos transformar a festa num espaço de defesa dos direitos da criança, articulando os setores estratégicos para contribuir com a redução dos índices de violência cometida contra crianças e adolescentes, com foco na prevenção e divulgação de canais de denúncia”, afirma Karina Figueiredo, secretária executiva do Comitê Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes.

A campanha faz parte da estratégia do projeto Ação Proteção, de enfrentamento ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, que é desenvolvido pelo programa Pró-Menino da Fundação Telefônica desde fevereiro de 2010, em conjunto com o Ministério Público do Estado de São Paulo e com a Childhood Brasil. “A população é peça-chave no combate à exploração e é preciso desmistificar a questão, esclarecer as pessoas e orientá-las a denunciar de forma responsável. Daí a importância da campanha”, afirma Sergio Mindlin, diretor-presidente da Fundação Telefônica.

A campanha foi desenvolvida pela Young & Rubicam. Foram feitos dois filmes para TV, em forma de animação, com 30 segundos cada, além de spot de rádio, com as vozes dos famosos Ana Hickmann, Roberto Justus, Luciana Mello, Jair Oliveira, Tânia Khalil, Jair Rodrigues e Simoninha.

A veiculação será realizada nos principais veículos de comunicação dos 30 municípios participantes do projeto, em seis regiões: Vale do Ribeira, Vale do Paraíba, região de Presidente Prudente, de São José do Rio Preto, Baixada Santista e Litoral Norte. Essa mesma campanha voltará a ser veiculada na semana de 18 de maio, quando se comemora o Dia Nacional do Enfrentamento contra a Exploração Sexual.

A iniciativa tem o objetivo de sensibilizar a população para a gravidade do problema e incentivar a denúncia de casos de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes. Para divulgar o Ligue 100 (Disque Denúncia Nacional de Abuso e Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes) e os Conselhos Tutelares de cada estado, os cartazes, banners, porta-documentos, adesivos de carro, sacolas plásticas e outros brindes trarão a frase “Tem coisas que não dá para fingir que não vê. “O Brasil recebe grande número de turistas neste período, principalmente no Nordeste, e precisamos conscientizar as pessoas, porque muitas vezes os organizadores fazem vista grossa, como se tudo fosse permitido”, diz Karina.

2 thoughts on “Campanha contra a violência sexual infantojuvenil no Carnaval

  1. REALMENTE, “TEM COISAS QUE NÃO DÁ PARA FINFIR QUE NÃO VÊ.”
    A SOCIEDADE TEM QUE SE CONSCIENTIZAR E INFORMAR CADA VEZ MAIS,QUE CÇA TEM QUE SER AMPARADA, PROTEGIDA E RESPEITADA, POIS O QUE SE VÊ DIARIAMENTE EM NOSSO PAÍS SÃO OS ABUSOS,EXPLORAÇÃO SEXUAL NA INFÃNCIA, PEDOFILIA, DROGAS E FAMÍLIAS SEM A MENOR CONDIÇÃO DE CUIDAR DOS FILHOS, INCAPAZES, E…A VIOLÊNCIA AUMENTA, GRADATIVAMENTE, ATÉ ATINGIR UM PONTO QUE NÃO CONSEGUIMOS MAIS SANAR O MAL. TEMOS QUE TRABALHAR COM AS FAMÍLIAS,E O MEIO EM QUE VIVEM. ESSAS CAMPANHAS SÃO VALOROSAS E DEVEM PROSSEGUIR,POIS APÓS O CARNAVAL OS PROBLEMAS SÓ AUMENTAM, PRINCIPALMENTE O NÚMERO DE ADOLESCENTES GRÁVIDAS.PARABENIZO ESSA INICIATIVA E ESPERO QUE A SUA DIVULGAÇÃO ATINJA OUTROS ESTADOS E POR QUE NÃO TODO O BRASIL?
    ATENCIOSAMENTE,
    ANA MARIA

  2. Boa tarde!

    Somos uma Instituição Educacional em Recife,situado a rua Real da Torre, 233 Madalena Recife-Pe.Gostaríamos de participar desta campanha contra o meonor e adolescente, distribuindo abanadores da campanha no período do Carnaval em nossa Região, já que, estamos com uma campanha bem parecida institucionalmente.
    Quais as possibilidades de também participarmos.
    Aluisio de Souza Campos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *