Somos um mosaico de diversidade #SindromeDeDown

Hoje, dia 21 de março, comemora-se o Dia Internacional da Síndrome de Down, e para iniciar a nossa conversa gostaria de dizer que:

Somos iguais e tão diferentes.
Somos únicos.

Somos brancos, pretos, amarelos, vermelhos, pardos.
Altos, baixos, gordos, magros, instruídos, analfabetos, ricos, pobres, miseráveis.
Somos todos iguais, porém muito diferentes.
Somos únicos.

Somos bons, maus, desprendidos, apegados, amorosos, egoístas,
sorridentes, emburrados, bem humorados, mal humorados, honestos, desonestos, ativos, preguiçosos, animados, indolentes, prestativos, folgados.
Somos todos iguais com índoles diferentes.
Somos únicos.

Por sermos únicos não podemos ser visto como “um todo” e sim com “um” no meio de “todos”.

Como sou educadora, meu foco vai para a sala de aula, local onde ficam reunidos todos os alunos, sendo que cada aluno é único e deve ser tido e tratado como tal.

O professor deve enxergar a diversidade que habita a sua sala de aula tornando-a um grande time em busca da vitória.

Fazendo analogia com o time de futebol imagine que todos os jogadores sejam tratados como se fossem alunos numa sala de aula. O técnico(professor) explica teoricamente as posições que os jogadores exercem dentro de campo, e como se dá uma partida de futebol. Em seguida propõe aos jogadores (alunos) exercícios físicos como corrida, flexão e alongamento. No dia do jogo(avaliação) o técnico(professor) não respeitando a diversidade dos seus jogadores (alunos) propõe que todos ocupem a mesma posição em campo.

Então pergunto: Qual seria o resultado?

Respondo: catastrófico

Por quê? Porque  todas as outras posições estariam sem seus jogadores. A posição ocupada por todos os jogadores ao mesmo tempo também não funcionaria, pois somente os que tivessem habilidade e competência para exercê-la é que jogariam.

Se o técnico não enxerga a diversidade da sua equipe e não identifica em cada jogador qual  habilidade e competência ele tem mais desenvolvidas, não poderá escalá-lo para atuar em uma posição específica.

Quanto mais atento for o olhar do técnico e mais diversificada forem as suas ações melhor será a atuação da sua equipe e consequente resultado.

Em sala de aula o professor deve levar em consideração a mesma filosofia.

Há aquele aluno que entende melhor a linguagem visual, o outro que se identifica com a linguagem auditiva, o outro que é cinestésico, o outro que é mais lento, ou mais rápido e o professor deve respeitar estas diferenças extraindo de cada um o que ele tem de melhor.

Afinal, somos um grande mosaico de diversidades.

É fundamental que o professor saiba que as diferenças não devem separar ou isolar, mas entender que elas existem justamente para completar o todo.

Cada um de nós, não importando de que jeito somos, devemos dar ao outro o que ele precisa, e devemos abrir as portar para receber o que nos falta.

Somente assim completaremos um ao outro.

São as diferenças que nos aproximam. Que permitem que sejamos simplesmente seres humanos iguais nas nossas diferenças.

Quem tem o privilégio de ter em sala de aula um aluno com Síndrome de Down ou qualquer outra necessidade especial tem a oportunidade de abrir seus horizontes e perceber que caminhar num ritmo diferente não o impede de chegar ao seu destino.

É justamente esta a mensagem que este grupo de jovens quer passar através  do livro “Manual da Acessibilidade”. O livro foi escrito por eles e está sendo lançando hoje (quarta-feira, dia 21 de março) na Sede das Organizações das Nações Unidas – ONU, em Nova York. Eles estão representando o Brasil na celebração da criação do Dia Internacional da Síndrome de Down. A data já era celebrada por 60 países, mas a partir de hoje entra para o calendário dos 193 países integram a ONU.

 Clique na imagem para assistir

Veja as postagens anteriores sobre o assunto

Alunos especiais em sala de aula #dicas – 2007

Dia Internacional da Síndrome de Down – 21 de março – 2009

Incentivo à leitura – Sindrome de Down – 2008

Incentivo à leitura – crianças portadoras de necessidades especiais – 2011

6 thoughts on “Somos um mosaico de diversidade #SindromeDeDown

  1. parabens pela reportagem que fala sobre a diferença,porque a beleza da vida esta justamente nas diferenças,pois seria muita sem graça a vida se tudo fosse igual. por isso,viva a diferença.

    Cybele Reply:

    Olá Maria Claudete, tudo bem?

    Obrigada pelo carinho do comentário.
    Continue acompanhando o Educa Já!
    E Viva a diferença 🙂
    abraços
    Equipe Educa Já!

  2. Maravilhoso!

    Cybele Reply:

    Olá Arlete, tudo bem?

    Obrigada pelo carinho do comentário.
    Continue acompanhando o Educa Já!
    abraços
    Equipe Educa Já!

  3. Meu irmão também tem o mesmo problema e eu amo ele demais! Ele é tudo de bom que aconteceu em nossas vidas! Muito carinhoso e inteligente. Obrigada por falar da importância da diferença. Valeu por tudo mesmo.

    Cybele Reply:

    Olá Pimentinha, tudo bem?

    Obrigada pelo carinho de sempre.
    Continuamos juntas em 2013.
    abraços
    Cybele Meyer e Equipe Educa Já!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *