Por que as crianças mordem?

A mordida é, e sempre foi um meio de defesa principalmente para se conseguir o que se quer. É uma forma “drástica” de se comunicar.
Alguns passam por isso, outros não. Alguns são incentivados por brincadeiras dentro de casa, outros por comportamentos fora de casa (foram mordidos) e outros por índole.
O que precisa ser feito é mostrar a eles que existem outras formas para se demonstrar esse “querer” e o se “defender”.

Normalmente as mordidas são praticadas por crianças pequenas em fase de amadurecimento que estão tomando contato com sentimentos como medo, frustração, angustia e tantos outros que instigam diferentes formas de comunicação e defesa, passando do choro, enquanto bebês, para a mordida em crianças um pouco maiores.
A criança que morde usa a mordida como meio de comunicação, como último recurso, e não como uma forma de violência ou agressividade.

Os pais e professores devem ficar atentos em não supervalorizar o ato “a mordida” e sim analisar as causas que levaram a criança a morder. Muitas vezes, a mordida pode ocorrer também para chamar a atenção em razão da supervalorização da ocorrência.
Quando a mordida acontece é normal os pais ou professores fazerem discursos para a criança tentando mostrar-lhe que isso não se deve fazer. Porém, este comportamento de nada adianta uma vez que a criança com esta idade (entre 2 e 4 anos) ainda não tem esse entendimento.
Normalmente as mordidas acontecem na escola e em razão de quererem o mesmo brinquedo. O ideal é o professor repetir a cena só que ensinando a criança a pedir o brinquedo e o outro a emprestá-lo.

Porém, ao acontecer um caso de mordida, este comportamento tende a se repetir outras vezes, então o ideal é não deixar a criança brincar muito próxima umas das outras. A criança pequena senta sempre muito perto do “amigo” para brincar e esta proximidade facilita o uso da mordida como recurso de comunicação. Se estão sentados um pouco distantes um do outro (é claro que não estou falando, em hipótese alguma, para isolar a criança), quando se perceber que um está querendo o brinquedo do outro e que está ficando bravo por não consegui-lo é neste momento que a mordida virá, então o professor terá tempo de evitá-la em razão da distancia entre eles.
O início do ano, na fase de adaptação é muito comum este tipo de comportamento. No momento em que não mais houverem mordidas, a probabilidade de acontecer um novo caso será muito remota. Eles acabam esquecendo desta habilidade.

Os pais, em casa, devem prestar a atenção em como o filho reage quando contrariado. Se a reação for tentar morder é nesse momento que vocês têm que falar um NÃO bem acentuado para que ele perceba que isso não é certo. Então poderão ensiná-lo a pedir, e somente quando ele realizar o que se está ensinado é que vocês irão agradá-lo demonstrando que ele agiu de forma “linda”.

Na verdade tudo é um aprendizado e a escola, como uma forma ampla de socialização, é um campo favorável a este tipo de comportamento.
Mas não fiquem preocupados, esta fase passa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *