Com a corda no pescoço #LendoeRelendo

Fui convidada pela equipe do Lendo e Relendo para fazer uma matéria que acabou sendo capa do informativo, conforme imagem acima, e que compartilho com vocês aqui no blog.

O Lendo e Relendo é um Programa de Jornal e Educação associado a ANJ (Associação Nacional de Jornais) que leva para as salas de aula o Correio Lageano.

Iniciou em 2004 com seis escolas e 2.500 alunos. Atualmente, com o apoio de vários parceiros, beneficia 40 escolas, 1.200 professores e mais de 15 mil alunos das redes estadual, municipal, particular e entidades.

Em 2012 completou oito anos. Durante o último ano contribuiu para a formação leitora de mais de 15 mil estudantes, os quais tiveram a oportunidade de ver seus textos e ações no informativo Lendo e Relendo.

Continue lendo… 

Caso tenha dificuldade em ler na imagem segue abaixo a matéria na íntegra:

Com a corda no pescoço

E lá se foi o primeiro semestre e com ele, para muitos, a expectativa de tirar boas notas e retornar tranquilo às aulas após as férias de inverno.

A decepção de quem não conseguiu atingir a média e se sente “com a corda no pescoço” pode ser percebida claramente, pois ao contrário do que muitos pensam, nem sempre o tirar nota baixa é sinônimo de preguiça, de falta de comprometimento ou até mesmo de falta de interesse pelos estudos. Muitas vezes o aluno se sente confuso não identificando, com clareza, como deve fazer para estudar e aprender o que estudou.

Claro que eu poderia começar dando dicas famosas como: prestar atenção na aula, anotar o que achar importante, estudar em casa diariamente o conteúdo dado em sala, e tantas outras nossas conhecidas. Mas não é esta a minha intenção. O que quero na verdade é que o aluno se conheça e com isso trace seu próprio caminho de estudo alcançando a aprendizagem. Para isto é importante identificar qual a linguagem que o aluno tem potencializada para que consiga se comunicar, primeiramente consigo mesmo, e depois com o seu professor. Pareceu confuso? Pois então vou explicar:

Temos três canais de comunicação: o visual, o auditivo e o cinestésico. Quem tem o canal cinestésico mais desenvolvido precisa sentir o seu corpo e por isso necessita fazer para aprender; quem tem o canal visual mais desenvolvido necessita ver para aprender e quem tem o canal auditivo mais desenvolvido necessita ouvir para aprender. Vocês perceberam que sempre mencionei “mais desenvolvido”, pois na realidade temos os três canais, sendo que um é mais potencializado que os outros dois.

Diante disso vou fazer três perguntas para que você identifique qual dos seus canais é mais desenvolvido:

1-     Quando o professor está ministrando a aula oralmente você:

a)     Precisa olhar para ele prestando atenção em todos os seus movimentos;

b)    Fica anotando o que o professor fala sem precisar ver o que ele está fazendo;

c)     Fica mexendo na sua mochila ou em outros pertences.

 

2-      As anotações feitas em seu caderno em sala de aula normalmente têm:

a)     Texto com palavras grifadas com caneta colorida ou marca texto;

b)    Apenas palavras e referências;

c)     Gráficos, mapas conceituais, caricaturas, desenhos, etc.

 

3-     Nas reuniões em família você:

a)     Fica sentado prestando atenção em tudo que falam ou fazem;

b)    É quem recebe os convidados, conta piadas, conta histórias;

c)     É quem arruma a mesa, traz as bebidas, serve os convidados, etc.

 Resultado:                                                                                                    

Se a letra “a” foi a mais escolhida sua comunicação é “Visual”                                             Se a letra “b” foi a mais escolhida sua comunicação é a “Auditiva”                                       Se a letra “c” foi a mais escolhida sua comunicação é a “Cinestésica”

Agora que você já sabe qual é o seu canal de comunicação, vamos às dicas de como estudar e obter melhor aproveitamento.

Comunicação visual: estudar ressaltando com cores diferentes os tópicos importantes, relacionar o conteúdo com as ações/gestos do professor; criar histórias em quadrinhos com o conteúdo.

Comunicação auditiva: ler e estudar em voz alta; substituir a letra de uma música pelo conteúdo e cantá-la, usar diferentes tons de voz para ressaltar o que é importante ou o que apresenta dificuldade.

Comunicação cinestésica: estudar caminhando; mascar chiclete durante o estudo, estudar jogando bolinha na parede ou qualquer atividade que o faça sentir confortável.

5 thoughts on “Com a corda no pescoço #LendoeRelendo

  1. Parabéns Cybele pelo esclarecimento.É sabido que o processo de ensino aprendizagem envolve vários fatores e, sua contribuição é muito valiosa para facilitar esse processo.

    Cybele Reply:

    Olá Lusimar, tudo bem?

    Obrigada pelo comentário e por acompanhar o Educa Já!
    Tenha uma ótima noite!
    abraços
    Cybele Meyer

  2. como sempre amei!!!!!!!! Beijos minha querida mestra!

    Cybele Reply:

    Querida Eliane,

    Obrigada pelo carinho de sempre!
    Muitos beijinhos
    Cybele Meyer

  3. Olá querida Cybele…adorei a matéria e parabéns pelo trabalho lindo…
    Fiz aquelas questões e escolhi uma letra de cada rsrs quer dizer que tenho os três tipos de comunicação? rsrs mais ou menos não é?

    Sabes que já recebi minha revista Educatrix… ameeei!!!!
    Estou preparando um post para divulgar e agradecer viu? Logo te aviso… Bigaduuu

    Amiga, tem sorteio no blog de Livros e Leitura, o nosso primeiro… dá uma passada lá para conferir e participar ok?

    Bjinhos e bom fds

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *