Veja o resumo do seminário Mitos X Fatos do #GloboEducação hoje em São Paulo

O Globo Educação – parceria da Globo com o Unicef e com a Fundação Roberto Marinho – promoveu o I Seminário Nacional Educação: Mitos e Fatos nesta sexta-feira, dia 6, em São Paulo. O evento reuniu especialistas na área para discutir as percepções a respeito de quatro temas: o valor que o brasileiro dá ao conhecimento; remuneração de professores x qualidade do ensino; o perfil dos alunos de escola pública e a capacidade de algumas crianças em aprender. Entre os participantes convidados estavam: Cleuza Repulho, presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação; Fernando Abrucio, cientista político, professor da FGV-SP; Luiz Felipe Pondé, filósofo, escritor e ensaísta; e Ricardo Henriques, economista, superintendente executivo do Instituto Unibanco.

A jornalista Mônica Waldvogel foi a mediadora do encontro e destacou a importância do fórum. “O objetivo do Globo Educação é refletir sobre temas relevantes e promover debates a respeito do sistema educacional brasileiro por meio de seminários presenciais, campanhas, matérias jornalísticas e internet”, disse. Para ampliar a discussão e mostrar as diversas visões sobre os mitos e fatos, foram exibidos vídeos produzidos pela Central Única das Favelas (CUFA) com depoimentos de moradores de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR), Manaus (AM) e Recife (PE). A partir das entrevistas apresentadas, os especialistas contribuíram e analisaram as percepções sobre cada tema proposto.

Para Fernando Abrucio, a educação é muito mais que um diploma. “É um fenômeno de transformação social. Precisamos começar a mostrar que vai muito além da escola”, ressaltou. Já Ricardo Henriques comentou que para aumentar a valorização do conhecimento, é preciso reforçar a relação entre a educação e a vida das pessoas. “A experiência na escola precisa de encanto para gerar adesão. O processo de aprendizagem envolve paixão. Sem esse ingrediente, você escolariza e não consegue ter o papel transformador. Um dos maiores desafios da escola é dar conta do cotidiano, do comum”, disse.

Sobre a remuneração dos professores, os participantes reforçaram a necessidade de um plano de carreira, que estimule a atração de novos talentos. “Se nós dobrássemos o salário, o desempenho do educador não melhoraria. É preciso encontrar algum mecanismo que dê perspectivas a médio e longo prazo”, comentou Abrucio. Para Cleuza Repulho, é necessário valorizar o que pode ajudar o desenvolvimento do país. E a educação tem um papel fundamental nesse processo.

O seminário discutiu ainda o perfil dos alunos de escola pública e os métodos e capacidade de aprendizagem dos estudantes. “O mito de que tem menino que não aprende não é real. As pessoas têm diferenças religiosas, sociais, o fato de ter tempo para estudar quando está em casa ou não, além das questões fisiológicas”, destacou Pondé. Ricardo Henriques lembrou também da enorme diversidade brasileira. “Parte do nosso desafio é entender a riqueza das escolas públicas. Temos jovens negros, ribeirinhos, da periferia urbana. Precisamos reformular as práticas pedagógicas. Não podemos ter uma visão idealizada e ter um paradigma da ‘família margarina’”.

Todo o conteúdo do seminário será exibido no Globo News Especial, dia 15 de dezembro.

Adorei ter participado. Foi muito enriquecedor e em breve farei um post com minhas considerações sobre tudo que foi debatido lá.

É sempre um prazer rever minha querida Priscilla Brum que me enche de mimos.

Veja que lindos os presentes que ganhei:  sacola retornável para levar na bolsa, caderninho de anotações de bolsa, kit de mesa com vários post it que eu adoro e um clips lanterna para ler meus livros quando não puder ficar de luz acesa. AMEI!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *