Educação na mesa também é saber o que comer

Comer à mesaHouve uma grande mudança na alimentação depois da modernização da produção dos alimentos, a vida moderna nos força ao consumo chamado de prático, mas que traz consequências assustadoras para a saúde.

Um ponto pertinente e sempre atual é a alimentação das crianças, levando em consideração que o contato inicial com o que ela vai ingerir é dado pelos pais ou por quem está com a responsabilidade de alimentá-las, torna possível investir na escolha do que é menos processado e mais salutar.

As grandes produções de alimentos geram baixa qualidade nutricional porque exigem aumento de conservantes, substâncias químicas, corantes e uma infinidade de outros aditivos para preservá-los por mais tempo dentro de latas, embalagens e caixas. Sabemos que muitos desses processos foram desenvolvidos durante e após as Grandes Guerras e, infelizmente, foram adotadas pela sociedade e perduram até hoje, mesmo em um cenário diferente.

Investir em uma boa alimentação é uma maneira eficaz de evitar doenças e gastos em um futuro próximo, observar se a merenda escolar ou lanche na cantina da escola do seu filho segue uma alimentação balanceada e inclui frutas e sucos frescos por exemplo é uma atitude válida.

Tentar ensinar aos pequenos a seguir contra a corrente da publicidade que mais investe na aparência do produto do que nas suas qualidades – muitas vezes não é comida que está sendo vendida, mas sim uma embalagem que enche os olhos das crianças e o que se come são calorias vazias, com ausência de qualquer substância importante para o funcionamento e desenvolvimento do organismo, principalmente em fase de crescimento.

Os pais devem dedicar um olhar mais atencioso no que diz respeito ao que vai para o carrinho do supermercado, menor quantidade e mais variedade. Tão importante quanto os cuidados em visitar o pediatra, escolher um eficaz plano de saúde, a educação alimentar deve entrar no roll das atitudes diárias, mesmo que exija um pouco mais de trabalho, porém o resultado é mais satisfatório, afinal ninguém quer ter crianças doentes.

Pesquisas revelam que uma das principais causas da obesidade infantil é o mau hábito alimentar, sem dúvida, esse erro está na exagerada alimentação de fast-food, salgadinhos e refrigerantes em exagero. Aproveite a infância dos seus filhos e ofereça a chance para eles conhecerem o sabor de alimentos saudáveis.

O que você faz para melhorar a alimentação do seu filho?

Colaboração de Roberta Clarissa Leite

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *