Como ajudar meu filho(a) a perder o medo de ir ao pediatra

Ilustração

É normal a criança ter medo de enfrentar situações novas e que aparentemente parecem assustadoras, como visitar um médico ou tomar uma vacina. De um lado os pais querem proteger ao máximo para que a criança não se sinta ansiosa e insegura, porém às vezes não sabe como agir.

Dependendo da maneira como for tratada essa ida ao hospital ou consultório, a criança pode se sentir mais confortável e aos poucos entender que não oferece nenhum risco ao seu bem-estar, ao contrário, que ir ao médico ou tomar uma vacina são ações para proteger sua saúde e evitar enfermidades e que exames servem para prevenir o aparecimento de doenças.

O próprio ambiente hospitalar traz uma atmosfera diferenciada para os pequenos, por isso a importância dos pediatras decorarem a sala do consultório para que a criançada sinta que ali é um espaço amigável. Essa humanização hospitalar reflete em boas vindas para os pacientes, digamos, mirins, que vão fazer exames ou consultas de rotinas, como conferir o peso etc. É interessante os pais, ou quem levar a criança, explicar sobre o que vê, os profissionais de roupa branca, as salas para consulta, e tentar, levando em conta a idade, colocá-lo dentro daquele recinto de forma natural, assim como na escola tem os professores, nos hospitais e consultórios tem os médicos, e assim por diante.

Se diante do medo do seu filho(a), você mentir dizendo que vai para outro lugar e de repente chegar no hospital, pode não ser uma boa ideia. A tranquilidade e expectativa que a criança constrói ao pensar que vai a outro lugar de repente sofre uma mudança drástica, isso tende a piorar a situação. O melhor é de acordo com a idade e seu nível de compreensão, explicar o porquê da ida ao médico, e até, brincar com bonecos e mostrar o que é feito quando se vai a uma consulta.

Desta forma os pequenos se sentem mais integrados à situação e partem para fazer perguntas que vão ajudá-los a encarar com mais normalidade esse novo desafio. Explique com uma boneca ou um boneco os procedimentos que o médico pode fazer, medir temperatura, mostrar a língua, pesar, ouvir a respiração e etc.

Também não subestime o medo da criança, o que pode parecer para um adulto um dia completamente normal e rotineiro, para ela pode ser um desafio, uma descoberta de algo desconhecido e que exige um esforço a mais para superar. Principalmente as menores, que ainda não tem capacidade de lidar com a dor e somente a possibilidade ou ameaça de senti-la já se torna uma barreira.

Claro que depois dessa superação um sorvete ou um passeio no parque não é contraindicado. Se durante uma viagem para o exterior você precisar levar sua criança para um médico, não deixe de garantir atendimento através de um seguro viagem internacional, para que não tenha o risco de não ser atendida ou de pagar caro demais por uma consulta.

Seu filho(a) tem medo de ir ao médico? 

Crédito de Roberta Clarissa Leite

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *