Educa Já e Cybele Meyer desejam um Feliz Natal!

Queridos amigos que acompanham o Educa Já!

Desejo a vocês um Natal maravilhoso e que 2013 chegue repleto de saúde, felicidade e grandes realizações.

Este ano que passou foi maravilhoso principalmente porque tivemos vocês sempre por perto.

A caminhada é sempre mais amena quando se tem ao lado um amigo.

Sintam-se abraçados!

Com carinho

Equipe Educa Já! e Cybele Meyer

Dia das Mães – Ganhe um livro de presente – Resultado do sorteio

RESULTADO DO SORTEIO DOS TRÊS EXEMPLARES DO LIVRO

INTELIGÊNCIAS NA PRÁTICA EDUCATIVA – Cybele Meyer

1º exemplar – Comentários no blog

Ganhadora foi FERNANDA TARDIN com o número 19

2º exemplar – Participações no Facebook

Ganhadora foi PATY FONTES com o número 70

3º exemplar – Participações no Twitter

Ganhador foi Senhor_h com o número 8

Abaixo o vídeo do sorteio. Tenham paciência ao assistir pois não foi editado.

Muito obrigada pela participação de todos.
ADOREI!
Super beijo
Cybele Meyer

RELAÇÃO DE PARTICIPANTES PARA O SORTEIO QUE ACONTECERÁ LOGO APÓS O MEIO-DIA

Como serão sorteados 3 exemplares:

  • 1 para os comentários realizados aqui no blog
  • 1 para os Tuites e RT
  • 1 para os comentários, compartilhamentos e curtir do Facebook

Segue abaixo a lista dos nomes que estão concorrendo em cada ambiente:

COMENTÁRIOS AQUI DO BLOG COLOCADOS EM ORDEM DE POSTAGEM

  1. Cris Guimarães
  2. DANIELLE CHRISTINE FERNANDES DE OLIVEIRA
  3. Roseli Basile
  4. Débora Martins
  5. Rosário
  6. Eva Torres
  7. Melissa peixoto Machado
  8. Paula Belmino
  9. Kátia Maria
  10. Severiana Paulino Rodrigues
  11. Eliane
  12. Juvanea Araujo
  13. sueli Pereira dos santos
  14. Lucia Silva
  15. MARIA DE FÁTIMA FERNANDES
  16. Silvia
  17. Eliete Santos Silva
  18. Mara
  19. Fernanda Tardin
  20. Fabiane Amorim Nunes de Melo da Silva
  21. Idelta Diniz
  22. Adriana Sá de Britto
  23. Denise Marchand
  24. Luciana Dias
  25. KENIA CARUSO VICENTE
  26. Elizangela Lima
  27. Lucia Meyer
  28. Doraci Vendramini
  29. Marli Fiorentin
  30. Maria Gorette

PARTICIPAÇÕES REALIZADAS ATRAVÉS DO FACEBOOK

1-                 Suintila Valiño Pedreira – curtiu

2-                 Talita Moretto – curtiu

3-                 Suintila Valiño Pedreira – compartilhou

4-                 Talita Moretto – compartilhou

5-                 Ana Maria Timbó Muniz  – CURTIU

6-                 Camila Micheletti – curtiu

7-                 Berlitz Rick – curtiu

8-                 Erika Baruco  – ccurtiu

9-                 Berlitz Rick – compartilhou

10-             Fabíola Maciel Saldão

11-             Talita Moretto

12-             Educador Ivanilson Costa

13-             Débora Martins curtiu

14-             Débora Martins compartilhou

15-             Cristina Lobão Tchalian curtiram isso.

16-             Jornal E Educação Anj curtiu

17-             Jornal E Educação Anj compartilhou

18-             Eliane Varisto Eu queroooo!

19-             Edson Nascimento

20-             Aline Pires

21-             Lidia Chaib

22-             Roseli Basile

23-             Talita Moretto

24-             Suintila Valiño Pedreira

25-             Berlitz Rick

26-             Débora Martins

27-             Erica Akira Suguimoto Daikawa

28-             Daniel Caixeta Queiroz Garcia

29-             Paula Belmino Belmino

30-             Roseli Basile

31-             Berlitz Rick

32-             Roseli Basile

33-             Erica Akira Suguimoto Daikawa

34-             Paula Belmino Belmino

35-             Jornal E Educação Anj

36-             Eliane Varisto

37-             Fabiana Prianti

38-             Eliane Varisto

39-             Arte Eliane G M

40-             Josafá Henrique Souza

41-             Claudinha Vega

42-             Graça Santos

43-             Ivone Cardozo Souza

44-             Elenice Azevedo

45-             Lucilia O Barros Tzoulas

46-             Sergio Falcão Flor

47-             Flávia Mattos

48-             Livraria Universitaria Regina

49-             Robson Lima de Souza

50-             Edivaldina Oliveira

51-             Bia Diniz

52-             Edson Nascimento

53-             Mônica Barroso Reis

54-             Cristina Lobão Tchalian

55-             Educador Ivanilson Costa

56-             Bel Almeida

57-             Adri DE C S

58-             Gerdiena Dykstra

59-             Ana Maria Timbó Muniz

60-             Aila Silva

61-             Camila Augusto

62-             Paula Belmino Belmino

63-             Lidia Chaib

64-             Erica Akira Suguimoto Daikawa

65-             Suintila Valiño Pedreira

66-             Talita Moretto

67-             Débora Martins

68-             Roseli Basile

69-             Berlitz Rick

70-             Paty Fonte

71-             Daniel Caixeta Queiroz Garcia

72-             Natania Nogueira

73 –           Joceane Borges

74-            Josane Batalha Sobreira

75-            Martha Delhi Lopes Moura

76-            Marli Fiorentin

77-            Wilma Leoncio Yazawa

78-            Berlitz Rick

79-            Manoel Araujo Filho


PARTICIPAÇÕES PELO TWITTER

1-         gemaria_ser

2-         vamoslerjm

3-         elianesuzel

4-         leninha_pereira

5-         leninha_pereira

6-         cris_guimaraes

7-         oliversaad

8-         senhor_h

9-         evacgtorres

10-       evacgtorres

11-       ericaakira

12-       severianapaulin

13-       severianapaulin

14-       Emiliamarciarr

15-       Eliaspramos

16-       Camilinhamlopes

17-       MarioSerg1o

18-       cris_parente

19-       carolbaggio

20-       ninaensina

21-       doctor_fritz

22-       veburnquist

23-       cris_parente  novo tuite

24-       fernandagtardin novo tuite

25-       fernandagtardin RT

26-       fernandagtardin novo tuite

27-       fenniixx

28-       vamoslerjm

29-       ksampaioribeiro

Logo após ao meio-dia farei o sorteio, gravarei em vídeo e disponibilizarei aqui no blog para que todos acompanhem como se deu o sorteio.

BOA SORTE A TODOS!

****************************************************************************************************

Domingo, dia 13 de maio, comemoramos o Dia das Mães, por esta razão meu post de hoje abordará tópicos voltados à mãe que existe em cada professora e à professora que existe em cada mãe.

  • Começarei perguntando se você já estimulou seu filho a conhecer-se a si próprio?
  • Ele tem consciência de qual será sua reação diante de um determinado acontecimento?

Você até pode se perguntar se isso é importante, mas se eu lhe disser que se ele tiver esta consciência poderá administrar melhor suas atitudes, entender seus sentimentos e até saber como aflorar sua autoestima você refletirá de forma diferente, não é?

E se eu lhe disser que de repente você não precisa estimular o “conhecer-se a si mesmo” porque ele já tem esta habilidade nata e desde bebê demonstra reações que fizeram você perceber o quanto ele é intrapessoal.

Leia comigo: É possível identificar esta habilidade no bebê quando…

“… ao acordar distrai-se com tudo que está ao seu redor. Brinca com suas mãos, fica olhando os mobílies e  brinquedos pendurados no berço, e muitas vezes, se distrai com o desenho do próprio lençol.”

Porém, o bebê com a inteligência intrapessoal nata estranha com mais facilidade as pessoas que não fazem parte do seu convívio. Este dado é muito importante, principalmente para o caso de precisar deixar o bebê no berçário para ir trabalhar. Se você tem este conhecimento em relação ao seu filho poderá agir de forma a ajudá-lo na adaptação. Se as profissionais da Creche também tiverem este conhecimento, a adaptação do seu filho será muito tranquila, pois agirão de forma colaborativa.

Este é um dos tópicos abordados no meu livro “Inteligências na Prática Educativa” que descreve cada uma das oito inteligências promovendo um olhar diferenciado para entender o outro e identificar, através de pequenos gestos, a inteligência que é mais potencializada abrindo caminho para estimular as demais. Somente assim formaremos cidadãos.

“A consciência de cidadania possibilita que o indivíduo se encontre não como objeto de direito, mas como protagonista desse direito, vivenciando situações de erro, de acerto e de aprendizagem.”

O conteúdo deste livro foi desenvolvido para servir de fio condutor às reflexões, análises e discussões na arte de educar, seja na escola seja na família.

A partir dessas perspectivas espero oferecer caminhos e subsídios para auxiliar a todos que de uma forma ou de outra estão envolvidos no processo de educar. Essa relação dialógica tem como pano de fundo as inteligências múltiplas do psicólogo Howard Gardner, e fomenta a expectativa da descoberta de novos caminhos e novos sentimentos que contribuirão para a formação do indivíduo.

A ideia é que este livro seja um companheiro constante, ficando sempre à mão para ser consultado sempre que a observação destacar um comportamento importante. Por esta razão o índice foi elaborado de forma personalizada, por inteligências, para que a consulta se torne rápida e eficaz.

Para concorrer ao sorteio de três exemplares do livro Inteligências na Prática Educativa (um exemplar para os comentários do blog, um exemplar para os tuites e outro para o Facebook), você deve:

1- Deixar um comentário aqui no blog  ou/e

2- Tuitar ou Retuitar sobre o sorteio usando a tag #educaja

 

3- No Facebook curtir e/ou compartilhar

4- Quanto mais você tuitar, curtir ou comentar mais chances terá de ser sorteado.

5- Você terá até o dia 10/05 às 12h para comentar e tuitar.

6- No dia 10/05 às 12h05 será realizado o sorteio utilizando o http://www.random.org/

7- Em seguida aos dois ganhadores será enviado e-mail com orientações para o recebimento  do prêmio.

8- A intenção é fazê-lo chegar antes do domingo – Dia das Mães

Boa sorte a todos e aguardo a participação de vocês.

Para quem ainda não assistiu segue abaixo o vídeo sobre o livro “Inteligências na Prática Educativa”

Comemoremos a Páscoa do bem

Acredito ser a Páscoa uma excelente oportunidade para reforçar alguns valores importantes para a boa formação dos nossos filhos.

Sem ser preciso abordar o foco religioso acho que o exemplo e a orientação é o melhor caminho para que as crianças se apropriem do respeito ao próximo, da solidariedade, do ser gentil, do fazer o bem sem recompensas imediatas, das ações simples que envolvem o cotidiano, e que aos poucos estão se perdendo através do tempo em razão da falta de uso.

Pedir licença para entrar na casa das pessoas é uma ação que não ouço há muito tempo.

As pessoas não pedem mais “licença” nem para pegar alguma coisa que não lhes pertence. As conhecidas como “palavrinhas mágicas” se tornaram tão mágicas que sumiram. Ninguém mais usa o “por favor” e o “obrigada”.

Cumprimentar o outro então, não faz mais parte das ações diárias. Quando muito, um jovem ao encontrar o outro diz: E aí? E o outro responde: Fala! E encerrou a conversa.

Agora, procure mudar a sua atitude e começar a cumprimentar o porteiro do prédio, o gari da rua, o carteiro, a caixa do supermercado. Quando o açougueiro for lhe atender faço o pedido e ao final diga “por favor”. Depois de ser atendida termine o contato com um “obrigada”, um “até logo”. O filho ficará encantado, porque a reação das pessoas quando são tratadas com respeito e consideração são incríveis.

Como viajo muito e consequentemente pago muitos pedágios quando recebo o troco, normalmente eles me desejam “boa viagem”, e eu retribuo com um “bom trabalho”. É impressionante a reação deles! Sorriem e agradecem muito.

Assim sendo, convido a todos para iniciarmos nesta Páscoa “ações do bem” ensinando nossos “pequenos” a olharem o outro com olhos de amizade e de respeito.

Não há quem não goste de ser tratado com carinho.

Vamos espalhar o amor nas pessoas com quem temos contato. Se cada um fizer isso com aqueles que estão ao seu redor, num instante conseguiremos o mesmo efeito que a internet conseguiu com a sua rede.

Estaremos conectados no amor.

Feliz Páscoa para todos vocês!

 

Somos um mosaico de diversidade #SindromeDeDown

Hoje, dia 21 de março, comemora-se o Dia Internacional da Síndrome de Down, e para iniciar a nossa conversa gostaria de dizer que:

Somos iguais e tão diferentes.
Somos únicos.

Somos brancos, pretos, amarelos, vermelhos, pardos.
Altos, baixos, gordos, magros, instruídos, analfabetos, ricos, pobres, miseráveis.
Somos todos iguais, porém muito diferentes.
Somos únicos.

Somos bons, maus, desprendidos, apegados, amorosos, egoístas,
sorridentes, emburrados, bem humorados, mal humorados, honestos, desonestos, ativos, preguiçosos, animados, indolentes, prestativos, folgados.
Somos todos iguais com índoles diferentes.
Somos únicos.

Por sermos únicos não podemos ser visto como “um todo” e sim com “um” no meio de “todos”.

Como sou educadora, meu foco vai para a sala de aula, local onde ficam reunidos todos os alunos, sendo que cada aluno é único e deve ser tido e tratado como tal.

O professor deve enxergar a diversidade que habita a sua sala de aula tornando-a um grande time em busca da vitória.

Fazendo analogia com o time de futebol imagine que todos os jogadores sejam tratados como se fossem alunos numa sala de aula. O técnico(professor) explica teoricamente as posições que os jogadores exercem dentro de campo, e como se dá uma partida de futebol. Em seguida propõe aos jogadores (alunos) exercícios físicos como corrida, flexão e alongamento. No dia do jogo(avaliação) o técnico(professor) não respeitando a diversidade dos seus jogadores (alunos) propõe que todos ocupem a mesma posição em campo.

Então pergunto: Qual seria o resultado?

Respondo: catastrófico

Por quê? Porque  todas as outras posições estariam sem seus jogadores. A posição ocupada por todos os jogadores ao mesmo tempo também não funcionaria, pois somente os que tivessem habilidade e competência para exercê-la é que jogariam.

Se o técnico não enxerga a diversidade da sua equipe e não identifica em cada jogador qual  habilidade e competência ele tem mais desenvolvidas, não poderá escalá-lo para atuar em uma posição específica.

Quanto mais atento for o olhar do técnico e mais diversificada forem as suas ações melhor será a atuação da sua equipe e consequente resultado.

Em sala de aula o professor deve levar em consideração a mesma filosofia.

Há aquele aluno que entende melhor a linguagem visual, o outro que se identifica com a linguagem auditiva, o outro que é cinestésico, o outro que é mais lento, ou mais rápido e o professor deve respeitar estas diferenças extraindo de cada um o que ele tem de melhor.

Afinal, somos um grande mosaico de diversidades.

É fundamental que o professor saiba que as diferenças não devem separar ou isolar, mas entender que elas existem justamente para completar o todo.

Cada um de nós, não importando de que jeito somos, devemos dar ao outro o que ele precisa, e devemos abrir as portar para receber o que nos falta.

Somente assim completaremos um ao outro.

São as diferenças que nos aproximam. Que permitem que sejamos simplesmente seres humanos iguais nas nossas diferenças.

Quem tem o privilégio de ter em sala de aula um aluno com Síndrome de Down ou qualquer outra necessidade especial tem a oportunidade de abrir seus horizontes e perceber que caminhar num ritmo diferente não o impede de chegar ao seu destino.

É justamente esta a mensagem que este grupo de jovens quer passar através  do livro “Manual da Acessibilidade”. O livro foi escrito por eles e está sendo lançando hoje (quarta-feira, dia 21 de março) na Sede das Organizações das Nações Unidas – ONU, em Nova York. Eles estão representando o Brasil na celebração da criação do Dia Internacional da Síndrome de Down. A data já era celebrada por 60 países, mas a partir de hoje entra para o calendário dos 193 países integram a ONU.

 Clique na imagem para assistir

Veja as postagens anteriores sobre o assunto

Alunos especiais em sala de aula #dicas – 2007

Dia Internacional da Síndrome de Down – 21 de março – 2009

Incentivo à leitura – Sindrome de Down – 2008

Incentivo à leitura – crianças portadoras de necessidades especiais – 2011

Dia Internacional da Mulher – Datas Comemorativas

Escrevi hoje este artigo no site Oficial da cidade de Itu o qual sou colunista e gostaria, além de sugerir a leitura, de complementar minhas reflexões sobre o Dia Internacional da Mulher focando a abordagem do assunto e a mudança de paradigma envolvendo a figura feminina, pelos professores.

A escola hoje recebe alunos de ambos os sexos, diferente da minha época em que havia escolas só para meninas e escolas só para meninos impedindo a convivência entre gêneros. Normalmente as escolas só de meninas eram de freiras e dos meninos de padres, também tendo algumas laicas.  Estudei toda a minha vida em colégio de freiras, portanto, só de mulheres e lá, além de todas as matérias que integravam o currículo, aprendíamos como arrumar uma mesa para diferentes ocasiões, como fazer uma bainha de calça usando ponto paris, como cerzir meias, além de culinária, puericultura, artesanato, música dentre outras. Éramos preparadas para sermos excelentes esposas e donas de casa primorosas.

Estudei lá até o final do Magistério (antigo Normal) e quando me formei meu pai, emocionado, me disse estar realizado, pois eu estava pronta para me tornar uma excelente esposa. Qual não foi seu espanto quando lhe informei que desejava ingressar na Faculdade de Direito. Ele quase enfartou! É bom lembrar que isso aconteceu em 1973, auge da Ditadura Militar e meus pais, indignados, não conseguiam compreender como sua filha podia ter se tornado uma subversiva (palavra deles). Na verdade eu só queria contribuir para a mudança da realidade brasileira uma vez que o patriotismo pulsava na mesma cadência que o pulsar do meu coração.

Com a valentia da minha juventude prestei vestibular escondida dos meus pais e ingressei na Faculdade. A turma era de 44 pessoas sendo que somente 8 eram mulheres e eu a mais nova.  A luta foi dura e longa, mas valeu a pena! Há muitas experiências vividas que contarei em outra oportunidade, mas optei por compartilhar com vocês este relato para exemplificar as dificuldades vividas pelo sexo feminino, num tempo não muito distante.

Quando pequena eu só brincava de vestido, pois até o final da década de 60 eu não podia usar calça comprida porque era vestimenta somente de homem ou de “mulher de vida fácil”, como se costumava dizer.

O assunto pílula anticoncepcional então era assunto proibido, pois estava muito mais ligado à perda da virgindade do que ao método contraceptivo.

Contando estas ações e reações se têm a impressão de que faz muito tempo, porém não faz tanto tempo assim e é por esta razão que as conquistas femininas devem ser tratadas com a seriedade que elas merecem.

O Dia Internacional da Mulher representa muito mais do que palavras doces e uma rosa na mão. Representa a conquista da mulher, a duras penas, para obter um lugar ativo e produtivo na sociedade. Mas ainda há muito a se conquistar e muitos conceitos e pré-conceitos a serem mudados. É por esta razão que a escola, hoje acolhendo alunos de ambos os sexos, pode promover a reflexão e consequente formação de opinião abordando assuntos igualmente importantes como:

– A obsessão pela beleza o qual a mulher acaba por destruir seus traços únicos se tornando mais uma na produção de mulheres em série – todas com as mesmas características: lábios preenchidos, seios e nádegas siliconadas, cintura fina…

– A cobrança constante para que a mulher tenha um namorado, marido, filhos…

– A insinuação de que sempre que a mulher consegue um bom emprego, uma bolsa de estudos no exterior ou algo similar foi em razão do uso do seu corpo e não da sua capacidade.

– Toda vez que a mulher defende seu ponto de vista de forma contrária é rotulada de louca ou de mal amada.

– Ter salários diferenciados ocupando a mesma função que o homem;

– Ser discriminada seja no trânsito,  por ser loira, ser magra, ser alta, ser gorda, ser baixa…

– A imposição de ter que agir de determinada maneira, caso contrário, nenhum homem se interessará por ela.

E tantas outras situações que ainda discriminam a mulher em nossa sociedade.

A escola pode e deve trabalhar Valores através de reflexões de atitudes dos próprios alunos dando destaque para a Ética. Somente através da formação embasada em valores é que conseguiremos transpor toda esta discriminação e formar pessoas conscientes do seu papel na sociedade.

Parabéns para as mulheres que fazem a diferença!