Dia da Internet Segura – 11 de fevereiro de 2014 #SaferNet


Dia da Internet Segura - 2014

“CONSTRUINDO JUNTOS UMA INTERNET MELHOR”

      O uso da internet nas escolas é uma realidade. Através da internet os alunos podem navegar pelas informações além de se conectarem com inúmeras pessoas através das redes sociais ou outros veículos que compõem o Ciberespaço.

    Compete aos pais e professores orientarem os filhos/alunos para que tenham um navegar seguro. Para isto é necessário que tenham acesso às informações e que compartilhe suas descobertas.

    Na escola o professor pode participar usando animações, vídeos, fotos, entrevistas, documentários.

      O Educa Já! juntamente com Cybele Meyer e Moacir Torres estão disponibilizando gratuitamente a Revista abaixo para ser trabalhada em sala de aula.

Vamos no dia 11 de fevereiro de 2014, todos juntos, construir uma navegação na internet mais segura.
Te espero!

Histórias de um Lobo #TetraPak

Recebi da Tetra Pak este presente maravilhoso: o livro HISTÓRIAS DE UM LOBO.

É uma obra que relaciona fauna e cultura, ação inédita, resgatando importantes informações científicas sobre o lobo-guará.

O lobo-guará, como a maioria dos predadores do topo da cadeia alimentar, está no planeta há milhões de anos e carrega uma espetacular experiência genética de sobrevivência.”

Numa linguagem simples e de fácil entendimento compila histórias e mitos da cultura popular brasileira relacionados à espécie ameaçada de extinção.

A Tetra Pak é patrocinadora do livro publicado pela editora Avis Brasilis e que reúne anos de trabalho de campo e extensiva pesquisa do biólogo Rogério Cunha de Paula, além de 20 anos de registros de imagens do Adriano Gambrini, um dos mais importantes fotógrafos da atualidade.

As 164 páginas são preenchidas com 150 fotografias, selecionadas de uma base de mais de três mil imagens deste animal que é um dos símbolos da fauna brasileira.

Um dos compromissos da Tetra Pak é conservar e usar de forma sustentável a diversidade biológica para benefício das gerações presentes e futuras.

O livro pode ser encontrado nas livrarias e pelo site da editora www.avisbrasilis.com.br

Doutores da Alegria levam Projeto Plateias Hospitalares à Beneficência Portuguesa de São Paulo nesta sexta-feira (26/7)

Humanizar o atendimento ao paciente e proporcionar leveza para quem está internado é a proposta dessa iniciativa

Os Doutores da Alegria realizam na próxima sexta-feira (26), a partir das 9h30, uma edição especial do projeto Plateias Hospitalares no Salão Nobre da Beneficência Portuguesa de São Paulo (Rua Maestro Cardim, 769 – Bela Vista). Parte do elenco de palhaços da ONG fará uma apresentação da Roda Besteirológica, um dos clássicos do repertório do grupo.

A iniciativa é um dos pilares na ampliação da atuação da ONG, que segue com as visitas aos leitos hospitalares infantis – base de seu trabalho desde 1991, quando foi fundada – mas agora avança no intuito de transformar o hospital cada vez mais em um espaço de vida e de arte.

Assim, Plateias Hospitalares tem por objetivo ampliar o acesso à cultura, levando apresentações artísticas de qualidade a pacientes, visitantes, profissionais de saúde e colaboradores de hospitais, que no momento que estão hospitalizados dificilmente tem acesso à arte. A Beneficência Portuguesa de São Paulo é um local propício uma vez que conta com um salão para 300 lugares, além de outros espaços entre os prédios e jardins do Hospital (são 5 blocos em mais de 30.000 m², o que representa mais de 140.000 m² de área construída).

“O nosso objetivo é contribuir para que adultos e crianças enfrentem com mais motivação o tratamento da doença. Além disso, o grupo traz uma maior compreensão sobre o atendimento médico, que reflete positivamente no atendimento de toda a equipe multidisciplinar”, enfatiza Fadi Antoine Taraboulsi, Superintendente de Hotelariado Hospital.

Sobre os Doutores da Alegria

Doutores da Alegria é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos que atua junto a crianças hospitalizadas, seus pais e profissionais da saúde. A essência do trabalho é a utilização no hospital da paródia do palhaço que brinca de ser médico, tendo como referência a alegria e o lado saudável dos pacientes e colaborando para a transformação do ambiente onde se inserem.

Fundada por Wellington Nogueira em 1991, a ONG está focada em três eixos: a ampliação de seu público; a articulação de políticas públicas nas áreas de cultura e saúde e de grupos e organizações de palhaços que atuam em hospitais; e a formação de artistas capazes de contribuir com outras realidades, tanto de palhaços e profissionais de saúde como de outros segmentos.

Com mais de 900 mil visitas já realizadas, unidades em funcionamento em São Paulo, Rio de Janeiro e Recife e 40 palhaços profissionais (não voluntários) em seu elenco, tem ampliado seu público contemplando outras faixas etárias em suas ações nos hospitais e levando variadas formas de arte aos pacientes por meio de outros projetos, como o Plateias Hospitalares. Também apresenta espetáculos e rodas besteirológicas em teatros.

Reconhecida por seu profissionalismo e atuação inovadora, articula uma rede de iniciativas semelhantes em todo país, com mais de 630 grupos de palhaços que visitam hospitais. E desempenha um papel referencial na pesquisa da linguagem do palhaço e na formação de jovens, artistas profissionais e interessados, por meio de sua Escola.

Mantida por doações de pessoas e empresas, a organização possui a certificação de utilidade pública nas esferas federal, estadual e municipal. Recebeu o Prêmio Criança da Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança, foi incluída três vezes na lista das 100 melhores práticas globais da divisão Habitat da Organização das Nações Unidas. Recebeu ainda o Prêmio Cultura e Saúde, em 2009 e 2010 pelo Programa Cultura Viva, iniciativa conjunta dos Ministérios da Cultura e Saúde. Recentemente, recebeu a certificação do Conselho Nacional de Assistência Social – CNAS.

DOUTORES DA ALEGRIA – NA BENEFICÊNCIA PORTUGUESA DE SÃO PAULO

PLATEIAS HOSPITALARES

Sexta-feira, 26 de julho de 2013. A partir das 9h30

Endereço: Rua Maestro Cardim, 769 – Bela Vista – São Paulo (SP)

Meu filho tem autismo, e agora? #sorteio

Esta é a pergunta que normalmente vem à mente dos pais quando ficam sabendo do diagnóstico. O medo, a insegurança e muitas vezes o desespero toma conta da família, principalmente, em razão da falta de informação sobre o que vem a ser o autismo.

A autora do livro “Meu filho tem autismo, e agora?”, Susan Larson Kidd, lançado pela M.Books, afirma que os pais ao saberem do diagnóstico sentem-se aterrorizados e que “toda a vida da criança passa na frente dos seus olhos. Isto causa muita ansiedade e é debilitante, em vez de útil”.

Ela gosta de “explicar para pais e professores que criar crianças com autismo pode ser um longo passeio em uma montanha-russa. Nesta subimos e descemos, damos voltas sem fim, rápidas e lentas, e até andamos de cabeça para baixo.”

Regras básicas como:

– Se algo não funciona, tente outra coisa.

– O único especialista em autismo é uma pessoa com autismo

– Cada criança com autismo é diferente – o que funciona para uma pode não funcionar para outra.

– Talvez você não conheça o autismo, mas conhece seu filho, e isso é o bastante,

ajudam os pais a se sentirem mais seguros e a entenderem que “o único modo errado de abordar o autismo é não tentar nada”.

O autista sente dificuldade para se comunicar e para entender a comunicação do outro, por isso usar recursos visuais para se comunicar pode ser uma boa estratégia. Orientar visualmente cada ação da criança pode ser um excelente recurso para ela obter sua autonomia nas atividades e ações rotineiras.

Um bom exemplo é esta sequência de fotos orientando, passo a passo, como a criança deve agir para usar o banheiro.

Esta é uma pequena amostra do quão interessante e útil são as abordagens deste livro.

SOBRE A AUTORA: Susan Larson Kidd é consultora educacional e comportamental, commais de 25 anos de experiência em educação especial. Sua filosofia e prática baseiam-se na convicção de que todas as crianças podem aprender – é nossa tarefa descobrir como elas aprendem. Suas áreas de especialização incluem distúrbios do espectro autista (TEA) e distúrbiode hiperatividade/déficit de atenção entre outros. Ela reside em Duluth, no estado de Minnesota, Estados Unidos.

Você gostou? Quer ganhar um exemplar?

Pois então participe do sorteio clicando aqui:

http://www.yesganhei.com/sorteios/61961

 

SEMANA MUNDIAL DO BRINCAR – Entre 19 a 26 de maio

Abertura será simultânea em quase 20 estados e, em São Paulo, ocorre no SESC Itaquera e no Parque das Bicicletas, na região do Ibirapuera

Com o objetivo de difundir a importância da prática do brincar, Semana é realizada às vésperas do Dia Mundial do Brincar, celebrado em 28/5

A rede Aliança pela Infância inicia, no próximo dia 19 de maio, a quarta edição da Semana Mundial do Brincar, que se estenderá até dia 26/5 nos quase 20 estados nos quais a organização conta com núcleos de atuação.

Na capital paulista, a abertura oficial da SMB será realizada no SESC Itaquera, com apresentação da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, e também no Parque das Bicicletas, com apresentação do projeto Acalanto para gestantes. Além do SESC Itaquera, todas as demais 31 unidades da organização vão integrar o evento.

Participando pela segunda vez, a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo confirma a participação de suas bibliotecas no programa – Álvares de Azevedo, José de Anchieta, Monteiro Lobato, Rubem Borba, Vicente Paulo Guimarães.

De acordo com Giovana Barbosa de Souza, gestora institucional da Aliança Pela Infância, a SMB ocorre às vésperas do Dia Mundial do Brincar, comemorado no dia 28 de maio. “Realizamos a Semana perto desta data para sensibilizar a sociedade sobre a sua importância. Por isso trabalhamos para reunir crianças e idades e culturas diferentes, fomentando a prática do brincar de forma coletiva e em espaços públicos e privados”, diz.

 Além da  atividades lúdicas, durante a Semana também serão realizados debates, palestras e mobilizações. “Como a brincadeira é essencial para o lazer e fonte de prazer, proporcionamos, ainda, uma ampla reflexão sobre o tema para pais e educadores para favorecer a construção de uma infância digna”, explica a gestora institucional da rede.

Várias outras organizações também se engajaram na SMB e organizam várias atividades. O Instituto Alana vai promover brincadeiras de rua no Jardim Pantanal e oferecer um auditório para um debate, no dia 24/5, com Rosane Almeida, do Instituto Brincante, Lucilene Silva , da OCA Associação Aldeia de Carapicuíba e Ana Leticia Albano UNICAMP, neste momento a reflexão será sobre os desafios do Brincar .

Pela primeira vez, o Núcleo de Pesquisa do Brincar da PUC-SP participa da ação e vai realizar três atividades gratuitas, no dia 21 de maio, entre às 14 e às 21 hs –  Brincando no Quintal, no Museu da Cultura (rua Monte Alegre, 984); Brinquedos e brincadeiras (oficinas para pais, professores e outros interessados), no mesmo endereço; e Brincando na Brinquedoteca, na Rua Monte Alegre, 1.104.

Outra atividade programada, desta vez para o dia 25/5, é o 3º Sábado Brincante da Luz e Lápis, que será realizado das 10h30 às 13h30 no Parque da Barragem de Guarapiranga. No GRAAC e no Hospital Samaritano de São Paulo, haverá contação de histórias para as crianças.

Além destas, confirmaram participação na Semana Mundial do Brincar a LBV – Legião da Boa Vontade – e a Fundação Bandeirantes.

Toda programação oferecida pela Semana Mundial do Brincar é gratuita e a ação conta com apoio institucional do Instituto C&A, Instituto Alana e da Associação Mahle.

Em 2012, 60 municípios do País realizaram atividades simultâneas durante a SMB, dos quais 15 capitais – o dobro comparado a 2011. No total, 76.242 pessoas participaram ativamente, sendo 57.571 crianças e 18.671 adultos.

A expectativa é reunir, neste ano, 60 mil crianças e 30 mil adultos em 70 municípios do País.

Sobre a Aliança Pela Infância

A Aliança pela Infância é uma rede social fundada em 1997, na Inglaterra, pelo educador Christopher Clouder. Presente em 20 países, tem atuação permanente na disseminação desses temas e, mais recentemente, na abordagem das questões do impacto da exposição das crianças à programação televisiva.

No Brasil, a Aliança foi criada em 2001 e nos primeiros 10 anos de atuação atendeu mais de 15 mil crianças. Foi formada por um grupo de pessoas lideradas por duas pedagogas, referências no trabalho dirigido à criança e à educação: Ute Craemer, fundadora da Associação Comunitária Monte Azul, conhecida pela disseminação da pedagogia Waldorf entre as comunidades de vulnerabilidade social; e Adriana Friedman, antropóloga especializada no brincar, coordenadora do NEPSID – Núcleo de Estudos e Pesquisas em Simbolismo, Infância e Desenvolvimento e autora de vários livros.

A Aliança pela Infância no País possui 14 núcleos em cidades brasileiras – em São Paulo, na capital, Botucatu, Holambra e Campinas; na Bahia, em Salvador, Sapiranga e Serra Grande; em Minas Gerais, em Juiz de Fora e Carmo da Cachoeira. Os demais núcleos estão em Aracajú (SE), Florianópolis (SC), Campo Grande (MS), Nova Friburgo (RJ).

Paciente com câncer de mama escreve blog em tempo real #AlbertEinstein

O câncer de mama é o que causa mais mortes entre as mulheres em todo o mundo. De acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), a estimativa é que mais de 50 mil novos casos tenham sido diagnosticados no Brasil em 2012.  Este tipo da doença é temido pelas mulheres não só pela alta prevalência, mas também pelos efeitos físicos e psicológicos do tratamento.

 Apesar de ser mais comum após os 35 anos de idade, o câncer de mama pode se desenvolver em mulheres jovens. E foi o que aconteceu com Marcela Ribeiro, de 23 anos.

 Em dezembro de 2012, Marcela foi diagnosticada com câncer de mama. “Achei que o mundo estava acabando”, conta.  Ao iniciar seu tratamento, a jovem criou um blog para manter os familiares e amigos mais calmos, além de ter um local para desabafar.

 O caso da Marcela está entre a raridade, por ter apenas 23 anos.  Mesmo assim, ela soube ter maturidade para começar a enfrentar o tratamento. A ideia do blog surgiu a partir de um e-mail que escreveu a todos que tinham demonstrado solidariedade e carinho por ela. Este fato aconteceu em seu primeiro dia de quimioterapia. O e-mail circulou tanto que ela resolveu continuar escrevendo sobre a doença.

O departamento de Mídias Digitais do Hospital identificou o blog por meio do monitoramento na internet e a convidou para escrever em um blog dentro da fan Page do Hospital, chamado “Eu, Paciente”. Com pouco mais de um mês no ar já são mais de 4.000 acessos por mês, o que deixa a Marcela feliz. “Foi uma surpresa muito grande para mim, quando o Einstein me chamou. Eu acreditava que apenas entravam ali no blog alguns amigos e familiares. Saber que uma pessoa que eu nunca tinha nem visto estava lendo aquilo que eu escrevi, e ainda mais, que essa pessoa estava interessada em ler mais, foi muito legal! Eu li muitos blogs de pacientes quando recebi o diagnostico (e leio até hoje) e eles me ajudaram bastante, então o convite soou pra mim como uma forma de retribuir a todas essas pessoas.”, afirma Marcela sobre o convite.

Além de ser um espaço para que Marcela compartilhe a rotina do seu tratamento, o blog é um espaço para ajudar aquelas que passam por situações parecidas com a de Marcela, além de instruir mulheres de todas as idades a fazerem o exame de mama.

Para aquelas que estão passando pela mesma situação, ela deixa uma mensagem: O primeiro recado de todos é CALMA! O mundo não acabou. Se desesperar, ou sentir pena de si mesmo não vai levar a lugar nenhum. Chora o que tem para chorar, tenha a raiva que tiver pra ter, mas depois lava o rosto, sacode a poeira e bola pra frente. A vida continua, e quando todo este processo chegar ao fim eu e você vamos ter uma historia e tanto pra contar!

Para conhecer mais sobre o blog acesse: AQUI ou

https://www.facebook.com/HospitalAlbertEinstein/app_136658983174076

 [+] Sobre Hospital Israelita Albert Einstein –  O Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) é um dos mais conceituados da América Latina, por acreditar que seu trabalho não é tratar doenças, mas cuidar de pessoas. Capaz de atender a todas as demandas da cadeia de valor de prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação da saúde, o Einstein destaca-se pelo seu desempenho em procedimentos de alta complexidade.