Nome ou apelido?

A escola é o ambiente mais propício para se obter apelidos. Colocar apelido em sintonia com o nome, como uma abreviação por exemplo, sempre foi tida como uma forma carinhosa e mais próxima de tratar uma pessoa. Quando se passa a chamar Luciana de “Lu”, Mariana de “Mari”, Josefa de “Jô”, Francisco de “Chico” e assim por diante, é sinal de que nos tornamos mais próximo daquela pessoa, nos tornamos amigos(as).

Esta prática ocorre justamente em razão da convivência contínua. É por esta razão que o colocar apelido ocorre geralmente no ambiente escolar, familiar ou de trabalho.

O colocar apelido em alguém pode ser uma atitude saudável desde que a pessoa apelidada concorde com ele. Se o apelido causar constrangimento deixa de ser um ato carinhoso e passa a ser considerado bullying.

Como saber então se o apelidado está ou não de acordo com o apelido que recebeu?

O melhor a fazer é perguntar para o próprio se ele autoriza ser chamado pelo apelido ou se prefere ser chamado pelo nome. Ninguém melhor do que a própria pessoa para autorizar ou não.

Uma boa prática da escola é, logo no início do ano, quando a professora estiver fazendo a chamada pela primeira vez, perguntar para cada aluno se ele tem apelido e se gosta de ser chamado por ele.

O que pode ser normal para um, pode ser traumático para outro. Tive uma aluna que adorava ser chamada de “pequena” em razão de ser estilo mignon. Outra também pequenina era chamada de “cisquinho”. Já Marina, que passou a ser chamada de Gisele em razão de ser alta e magra e lembrar a modelo Gisele Bündchen, detestava este apelido.

O apelido age diretamente no emocional do apelidado. É por esta razão que não há uma regra a ser seguida para se detectar se o apelido está interferindo ou não no dia-a-dia do apelidado.

Antes de chamar alguém pelo apelido, peça autorização. Assim você saberá a melhor maneira de agir sem ferir e nem intimidar.

Bullying #EuNaoCurto #BlogagemColetiva

Falar sobre Bullying é sempre pertinente, pois uma das formas de preveni-lo e combatê-lo é através da informação. Saber como ele acontece, quais são os ambiente propícios, que tipo de comportamento favorece o Bullying, quais os sintomas de quem está sofrendo Bullying, enfim tudo que puder ser informado é importante para que se erradique esta prática da nossa sociedade.

Com o crescimento do acesso à tecnologia o cyberbullying passou a ser mais um foco de preocupação e prevenção. Esta prevenção também vem através da informação que pode ser realizada através da própria tecnologia.

Faço uso do meu blog que tem foco na Educação para informar professores, gestores, pais e até alunos (que acessam o Educa Já! para pesquisa, uma vez que tem muito material didático) para divulgar informações sobre o que é o Bullying, o que é o Cyberbullying, e dar dicas mostrando que É na escola que o Bullying acontece.

O que caracteriza o Bullying são as atividades agressivas, repetidas e intencionais. praticadas por uma ou mais pessoas.

Quando na escola um apelido é colocado em um colega, porém ele não se importa, muitas vezes até acha engraçado e gosta de ser tratado desta forma, não se caracteriza como Bullying. Menciono isto, pois há quem ao presenciar um colega chamando o outro pelo apelido já dá o alerta de que está acontecendo Bullying. O chamar o outro pelo apelido por ele consentido se torna uma prática carinhosa e de aconchego. O Bullying causa constrangimento, mudança de comportamento, medo, vergonha, intimidação. Por isto é importante que haja cautela para não extinguirmos as muitas formas de tratamento que caracterizam uma proximidade maior no relacionamento quebrando a formalidade.

Os pais devem se manter atentos ao menor sinal de mudança de comportamento do seu filho. Este é o primeiro sintoma de que algo errado está acontecendo. Não espere que seu filho venha lhe contar que está sofrendo Bullying porque normalmente quem sofre Bullying se mantém calado, justamente pelo fator intimidação (medo). Quando isto acontecer é importante que os pais estimulem o diálogo propiciando um ambiente seguro para que o filho possa relatar o que está ocorrendo de fato. É importante também que os pais mantenham o controle e não tentem agir colocando o emocional na frente do racional. A forma como o Bullying está acontecendo deve ser analisada para que medidas eficientes e eficazes possam ser tomadas para extinguir a prática e não para afastá-la temporariamente ficando o filho/aluno à mercê de novas ameaças, ainda mais graves, num futuro próximo.

Há casos extremos em que a criança sofre Bullying dentro da sua própria casa, e na maioria das vezes pelos próprios pais e/ou irmãos. Muitas vezes os pais acreditam que chamando o filho de “bolão”, “gordo”, “esganado” ou mesmo fazendo comentários tipo “não precisa comer tudo agora como se o mundo fosse acabar” vão motivá-lo a moderar a quantidade de alimentos que está ingerindo. Na verdade isso não acontece, o que acontece é que estes comentários acabam gerando situações de Bullying, pois o filho começa a se sentir constrangido diante dos demais membros da família. Apelidos sobre o nariz como: nariguda, tucano, ou sobre o cabelo: zulu, pixaim, juba; sobre a calma como: sua lerda, tartaruga, molenga e tantas outras situações que a criança ou adolescente acaba sofrendo dentro da sua própria casa desestruturam-na emocionalmente pois em que lugar ela poderá se abrigar ou se proteger destas agressões?

Esta reflexão deve habitar cada um dos lares, pois também sabemos que a criança aprende por imitação e em alguns casos ela ao invés de reagir dentro de casa acaba imitando este comportamento fora de casa praticando o Bullying com outras pessoas.

Não podemos deixar de falar também sobre o Cyberbullying o qual o agressor se esconde atrás de perfis falsos e passa a atormentar insistentemente suas vítimas através das Redes Sociais mais usadas pelos colegas que convivem e interagem com as vítimas.

Neste caso as medidas devem ser rápidas para inibir o quanto antes esta prática. Há ambientes na internet especializados e que dão suporte aos agredidos como o Safernet que possibilita fazer a denúncia encaminhando-a direto para o Ministério Público. AQUI você encontra dicas sobre os atos ilícitos praticados na internet e também uma Cartilha de dicas sobre o navegar seguro

Poderíamos falar muito mais, pois este tema é muito abrangente e não envolve somente crianças e adolescentes. Há muitos casos de Bullying praticado em empresas envolvendo funcionários. Também poderia falar do Sexting que é a junção das palavras “sex” e “texting” que exprime a prática de enviar mensagens e fotos, via celular, com poses sensuais ou nuas. Normalmente são praticadas por adolescentes que mandam estas fotos para seus namorados ou afins e estes acabam mandando para seus amigos, que mandam para outros amigos até chegarem nas mãos de pessoas mal intencionadas que publicam na Rede.

Não vou discorrer agora para não ficar um texto muito longo, mas estes assuntos serão abordados em breve, pois como falei logo no início do post a informação é o melhor caminho para se combater o Bullying.

Este post integra a Blogagem Coletiva proposta pela Norton; Bullying #EuNaoCurto

Veja quem também está conosco

Arteen – @larsrock
LadyBug – @lufreitas
Lidi Faria – @Lidifaria
RodrigoSToledo – @rodrigostoledo
TecnoVisão – @Tecnovisao
WeRGeeks – @WeRGeeks

MRSalles – @mrsalles

Game Galaxia Internet fala sobre Bullying e os perigos na Rede

No sábado, dia 18 de junho, o jornal da Tv Cultura falou sobre o game Galaxia Internet destinado a crianças e adolescentes orientando sobre o navegar seguro na internet.

O jogo aborda assuntos como Bullying, assédio sexual orienta sobre o como frequentar Redes Sociais de forma segura, e tudo isso de forma lúdica e motivadora.

Excelente opção para trabalhar estes temas bem como orientar sobre o uso correto da internet.

Assista à reportagem clicando na imagem abaixo: O vídeo é do 1° bloco e começa a partir do 10:17 min

 

 

 

Cyber Bullying #internetsegura

Já falei sobre este tema algumas vezes mas retomo pois acho muito importante que os pais tenham conhecimento de como estas agressões acontecem e que providências devem tomar.  Também falei sobre Bullying aqui no Educar Já!, pois considero igualmente importante o conhecimento pelos professores e profissionais da área para que trabalhem pela prevenção e saibam como agir quando algum aluno está sofrendo Bullying.

Um meio muito usado aqui no Brasil para a prática do Cyberbulying é através de comunidades no Orkut, Twitter e Blogs em que o agressor se esconde atrás de perfis falsos e passa a atormentar insistentemente suas vítimas

O mais importante é NÃO fazer de contas que é só uma brincadeira de criança, pois os danos emocionais que esta prática causa, podem ser, em casos mais graves, irreversíveis.

Se você tem alguma denúncia a fazer ou sabe de algum conteúdo inapropriado denuncie AQUI.

Os pais devem se manter alertas também quanto a prática do Sexting.  Sexting é a junção das palavras “sex” e “texting” que exprime a prática de enviar mensagens e fotos, via celular, com poses sensuais ou poses nuas. Normalmente são praticadas por adolescentes que mandam estas fotos para seus namorados ou afins e estes acabam mandando para seus amigos até chegarem nas mãos de mal intencionados que publicam na Rede. O que os adolescentes alegam quando são questionados sobre esta prática, é de que “todo mundo faz isso”. Este é o principal motivo para que os pais fiquem atentos e alertem seus filhos sobre a importância e respeito pela privacidade.

Compete aos pais estarem atentos e manterem diálogo com os filhos(as) adolescentes alertando sobre os perigos e sobre a preservação do seu corpo.

Leia algumas dicas de como evitar o sexting em sua  casa.

Você pode ter acesso e fazer download gratuito desta Cartilha que aborda os principais itens para preservar seu filho(a) dos perigos da internet.

É na escola que o Bullying acontece

É muito importante que os pais se mantenham informados sobre o Bullying para poder identificar e saber como agir caso seu filho esteja sendo vítima dele.

Não esperem que seu filho(a) venha lhe dizer que está sofrendo Bullying na escola porque quem sofre o Bullying se mantém calado por intimidação, porém a mudança de comportamento é o primeiro sintoma da existencia da prática do Bullying.

Ninguém está livre de ser vitima de Bullying, por isso leia algumas orientações extraídas do livro “Crianças e Adolescentes Seguros” da Sociedade Brasileira de Pediatria, editado pelo Publifolha
– se suspeitar que seu filho está sofrendo bullying, pergunte diretamente a ele
– fique atento aos possíveis sinais e sintomas
– faça um registro diário dos incidentes
– afirme com confiança, quantas vezes for necessário, que você ama a criança e que ela não é culpada por sofrer bullying
– não concorde com o pedido de manter o bullying em segredo
– converse com a direção ou professor se o bullying estiver acontecendo na escola
– ajude seu filho a praticar estratégias de defesa, como gritar “não” e retirar-se do local com confiança
– dê a seu filho a chance de expressar seus sentimentos sobre o problema
– reúna-se com outros pais e discutam o que pode ser feito para cessar o bullying
– crie condições para encontrar-se com o filho, no caso de o bullying ocorrer a caminho da escola
– peça para que o(s) autor(es) seja(m) retido(s) na escola, para que seu filho tenha a chance de chegar em casa em segurança
– pergunte a seu filho se ele gostaria de ter aulas de defesa pessoal, caso você entenda que isso possa ajudá-lo em sua autoconfiança
– verifique se seu filho está tendo atitudes que provoquem a ira do autor
– incentive seu filho a convidar um colega para ir a sua casa, criando novas amizades
– se precisar de ajuda, entre em contato com profissionais ou instituições especializadas

Há também o Cyberbullying o qual as ameaças e agressões são realizadas através de mensagens via celular, MSN, Orkut ou qualquer outra mídia.

Se você quer se aprofundar no assunto Bullying há vários textos e vídeos sobre o assunto aqui no blog Educar Já!

O vídeo abaixo apresenta os diferentes tipos de ações utilizadas pelo autor do Bullying para agredir e intimidar suas vítimas.

Este post foi originalmente  publicado no Mãe com Filhos