O sentimento interfere no comportamento da criança

Não são somente os adultos que se sentem desmotivados quando se vêem diante de problemas ou situações estressantes, bem como diante de algum incômodo físico. A criança também se deixa abater por estas situações e demonstram, através de suas atitudes, que algo não está bem.

Assim como as interferências negativas, as positivas também influem no comportamento e no desempenho da criança.

Em recente pesquisa realizada pela Universidade de Washington e pela Universidade da Califórnia na qual foram ouvidas 70 crianças de cinco a sete anos ficou comprovado que a incidência de fatores negativos podem promover alterações de comportamento bem como comprometer o desenvolvimento escolar. Os fatores positivos também promovem alterações só que favoravelmente.

Rita Callegari, psicóloga do Hospital São Camilo (SP), afirma que a criança, desde o seu nascimento, já sabe identificar o que lhe é prazeroso e o que lhe incomoda. Ela comunica esse sentimento através do choro. Ela sabe que as cólicas intestinais não lhe dão prazer e deixa isso muito claro através do choro. O colo lhe dá prazer e expressa este sentimento através do riso e do parar de chorar. Tanto a fome quanto o estar com a fralda suja lhe causam desconforto e a criança expressa este sentimento através do choro.

Conforme a criança vai crescendo, vai sabendo administrar e identificar conscientemente estes sentimentos. É por esta razão que é muito importante o diálogo claro e honesto com seus filhos.
Se você teve um dia estressante, ao chegar em casa explique ao seu filho que você está cansado e sem ânimo para brincar em razão dos problemas ocorridos. Esta atitude evitará que ele tenha uma interpretação errada de que você está chateado(a) com ele, além do que, lhe mostrará que estas situações fazem parte da rotina diária.
Procure também saber como foi o dia do seu filho e valorize tanto o “bom dia” quanto o “dia difícil” orientando sobre os reflexos que estas situações podem provocar na rotina diária das pessoas.

As considerações focam também muitas das perguntas realizadas pelas nossas leitoras que compartilham situações similares na qual muitas vezes a criança se vale de sintomas físicos como “dor de barriga”, “dor de cabeça”, “vômitos” e outros como fazer birra, ficar agressivo, berrar e chorar para deixar de vivenciar uma determinada situação, como a de não ir para a escola, tão comum nesta fase do ano, ou não realizar algo que seus pais lhe pedem.

O diálogo ainda é o melhor recurso para estes casos. A criança precisa saber  por que tem que ir para a escola, o porque tem que se alimentar, porque tem que guardar seus brinquedos e assim por diante.

A segurança dos pais diante destas situações, bem como o não ceder a estes sintomas não permitindo que a criança falte na escola, deixe de se alimentar, não guarde seus brinquedos serão de suma importância no processo de amadurecimento e segurança da criança.

Seu filho ou aluno tem atitudes inconstantes?

 

Há crianças e adolescentes que num determinado momento se mostram educadas e gentis e que, no momento seguinte, apresentam atitudes grosseiras e mal educadas. Quando isto acontece com frequência é preciso ficar atenta. Emoções fortes como raiva, tristeza e medo são alguns dos sentimentos que aparecem justamente em razão de se ser indeciso. O não saber como agir naquele momento pode desenfrear atitudes drásticas causando sofrimento levando o indivíduo a “brigar” consigo mesmo.

 

Adolescentes com atitudes inconstantes se mostram eternamente insatisfeitos, pois querem um determinado celular e, após ganhar, já acham que não era bem aquele que ele queria; quer muito ir a uma festa e quando chega lá,  acha que não era bem este tipo de festa que queria. Basta um único comentário sobre seu cabelo ou sua roupa para querer mudar ou nunca mais vestir. Pode também dizer que detesta determinado perfume, mas porque viu a propaganda do perfume na TV já resolve que este é o melhor que existe. O mesmo acontece com as amizades. Hoje é amigo de um, amanhã de outro e assim com tantas outras ações.

 

Quando adulto esta inconstância pode se acentuar principalmente quando este vive em busca da sua verdadeira identidade. É fundamental dialogar com esta criança ou adolescente mostrando a importância da diversidade e do saber o que quer.

Elogiar quando ele tem atitudes pertinentes também é um bom recurso, pois dará segurança para novas ações.

 

Sugiro a leitura do artigo “O meio e a construção da identidade” pois irá robustecer ainda mais o nosso tema.

E você já vivenciou situação semelhante com seus alunos ou filho? Compartilhe conosco.

A eficácia dos combinados

Acho muito pertinente falar sobre a eficácia dos combinados no comportamento das crianças.

Criança assimila bem tudo que é combinado. Muitos problemas de indisciplina e mau comportamento podem ser amenizados se os pais e professores fizerem combinados.

Vale lembrar que tudo que é combinado deve ser cumprido. De nada adianta combinar e depois não cumprir. Se isso acontece o efeito é mais desastroso do que se manter indiferente ao comportamento do filho/aluno.

O vídeo abaixo mostra o resultado de um teste realizado com crianças com o intuito de medir a capacidade de disciplina das crianças.

O combinado é o seguinte: uma pessoa coloca um marshmallow na frente da criança e combina que se ela não o comer até a moça voltar, a criança ganhará mais um marshmallow.

A teoria defendida é de que quanto mais disciplinada for a criança mais chances de ser bem sucedida na escola ela terá.

Se a criança for bem sucedida na escola terá grandes chances de ser bem sucedida no mercado de trabalho e consequentemente na vida

Assista e observe que quando a criança se compromete, principalmente quando há um objetivo a ser alcançado, ela cumpre.

Eu amei este filme. Não me canso de assistir.

Bela pesquisa!

E você? Assistiu? O que achou da pesquisa?

Como você está se comportando?

Na correria do dia a dia normalmente ligamos o “piloto automático” e seguimos em frente tomando decisões, realizando tarefas, interagindo com pessoas, ficando aborrecida(o), se sentindo alegre, realizada(o), cansada(o), muitas vezes acabada(o) e nem quando deitamos à noite para dormir refletimos sobre o que vivemos e como vivemos.

Nesta “loucura” muitas vezes não percebemos que nosso comportamento pode estar tumultuando e dificultando a convivência no ambiente de trabalho, nos momentos de lazer com a família e amigos ou em casa. Não temos tempo para olhar o outro e ver se a sua expressão nos dá como resposta se ele está feliz ou não por nos ter ao seu lado.

Foi com o objetivo de puxar o “breque de mão” e forçar uma parada para reflexão que elaborei o Teste sobre “Temperamento” que disponibilizo logo abaixo.

Não é nada saudável passar o dia inteiro correndo, conseguindo dar conta de todas as atividades e não conseguir tirar uns cinco minutos para refletir sobre como foi o nosso comportamento diante de determinado fato.

Sei que somos seres complexos e que não apresentamos somente um determinado tipo de comportamento, por isto não podemos ser “rotulados” categoricamente como sendo “dinâmica e comunicativa, perfeccionista, imprevisível e negativista”, porém quando paramos para realizar um teste, automaticamente, refletimos sobre o resultado apresentado verificando se realmente nos identificamos com o conteúdo ali apresentado.

Aproveite, faça o Teste e veja se o resultado  condiz com a sua maneira de agir:

Como é o seu temperamento?

O temperamento é o reflexo das particularidades que o indivíduo demonstra no seu comportamento principalmente quanto a sua personalidade, sua afetividade e sua atenção. Eles são independentes e podem se apresentar em diferentes graus.

Em situações de dificuldades como é o seu otimismo?

a) Sempre elevado;

b) Instável;

c) Muito baixo;

d) Nunca sou otimista.

Em situações novas como é a sua ousadia?

a) Sempre elevada;

b) Instável;

c) Muito baixa;

d) Nunca sou ousada(o).

Em locais onde há muita gente você é extrovertida(o)?

a) Sempre;

b) Instável;

c) Às vezes tímida(o);

d) Nunca sou extrovertida(o).

Em situações desconhecidas você é reflexiva?

a) Sou impulsiva(o);

b) Muito pouco;

c) Às vezes;

d) Sempre .

Quando você vai a eventos normalmente se veste de modo extravagante?                       

a) Sempre;

b) Às vezes;

c) Sou discreta(o);

d) Nunca sou extravagante.

Você é perfeccionista em suas ações?

a) Nunca sou perfeccionista;

b) Pouco pragmático;

c) Às vezes;

d) Sempre.

Seu contato com as pessoas normalmente é afetivo e caloroso?

a) Sempre;

b) Às vezes;

c) Com reservas;

d) Sou sempre frio e impessoal.

Normalmente você é uma pessoa irritável?

a) Nunca me irrito;

b) Sou resignado;

c) Às vezes;

d) Sempre.

Você é uma pessoa acomodada?

a) Nunca me acomodo;

b) Sou aplicado;

c) Às vezes;

d) Sempre.

Tudo que lhe fazem você acha que foi de propósito?

a) Sempre;

b) Às vezes;

c) Alguns sim;

d) Sou muito mimada(o).

Se a maioria das alternativas escolhidas foi a letra “a”      

Dinâmica e comunicativa

Você é uma pessoa que não deixa que obstáculos atrapalhem a realização das suas atividades e sonhos. Você não pensa duas vezes em arriscar para ver qual o resultado que irá obter. Sabe aproveitar as oportunidades, toma decisões rápidas, pois tem plena certeza que saberá lidar com o resultado, mesmo que este não seja o esperado. Você é desinibida, segura, alegre e procura sempre enxergar o lado bom das coisas. Para você o copo está sempre meio cheio e nunca meio vazio.

Parabéns!

Se a maioria das alternativas escolhidas foi a letra “b”          

Imprevisível

Podemos dizer que você é uma pessoa imprevisível. Dificilmente traça planos a longo prazo e na maioria das vezes opta por ações com baixo grau de dificuldade e empenho. Se percebe que a situação poderá não dar certo, deixa de lado e parte para outra menos necessária ou se conforma em simplesmente não fazer nada. Na maioria das vezes consegue realizar o proposto, mas nunca se preocupa em realizar de forma que fique perfeito. Consegue surpreender sempre os que te rodeiam pelo fato de você ser imprevisível.

Procure determinar e cumprir metas tentando superar esta instabilidade comportamental e emocional.

Se a maioria das alternativas escolhidas foi a letra “c”      

Negativista

Você é aquela pessoa que incorporou o negativismo e que sempre acha que se uma ação pode dar errado, dificilmente dará certo. Este pensamento consome sua energia e faz com que ao resolver algum problema você já aja com desmotivação e se preparando para o fracasso, o que torna o resultado uma realidade. Você tem que se empenhar em mudar este tipo de pensamento, pois acabará perdendo o estímulo à vida. Saiba que a vida é feita de acertos e erros de sucessos e fracassos e que boa parte destes resultados dependem das nossas ações.

Se a maioria das alternativas escolhidas foi a letra “d”  

Perfeccionista

Você está atenta a tudo e a todos e exige que todos tenham uma atitude impecável dentro dos padrões que são importantes para você. Dificilmente você aceita uma falha, mesmo que esta venha de você. Você é do tipo que presta atenção aos mínimos detalhes e que não poupa esforços para realizar tudo o mais impecável possível. Isto não é de todo mal porque normalmente você faz tudo muito bem feito, porém é extremamente desgastante tornando a convivência ao seu lado muito conturbada.

Tente encontrar o meio termo.

Agora que você já fez o Teste vamos continuar a reflexão:

Vamos supor que o resultado apontou que você é uma pessoa imprevisível, que opta por planos rápidos e fáceis de serem executados, que desiste diante da menor dificuldade ou opta por resolvê-la de qualquer maneira, sem qualquer empenho. Você pode não ter se dado conta de que está agindo desta maneira. Se você tivesse refletido sobre o seu comportamento poderia entender que este comportamento pode ser um dos fatos geradores de você não progredir de acordo com suas expectativas.

Ou vamos supor então que o Teste tenha apontado que você é uma pessoa negativista e que por esta razão reclama de tudo. Estar sempre na expectativa do fracasso consome todas as suas energias e acaba lhe provocando uma apatia gigantesca. As pessoas não se sentem bem ao lado de uma pessoa que fala de doença o tempo todo, que sempre conta uma “desgraça”, que reclama de tudo e que sempre que alguém tenta ajudá-la,  rebate imediatamente com a frase que já virou bordão: “eu sei que não vai dar certo”.

Ser perfeccionista também não é o melhor dos resultados porque exige muito de si mesma(o) e de todos que a(o) rodeiam. Tenho uma conhecida que sempre me diz que nunca arruma os armários porque eles nunca estão desarrumados. O perfeccionista está em constante estado de alerta para que tudo fique sempre na mais perfeita ordem e dificilmente aceitando o erro. Errar faz parte do ser humano. Crescemos através do erro. É claro que não estou falando do erro por negligência ou imprudência, mas daquele que a pessoa, tentando acertar, acaba errando, e de agora em diante não trilhará mais este caminho. O perfeccionista acaba promovendo uma insegurança nas pessoas que o rodeiam, pois elas se sentem acuadas com medo de errar e ser recriminada.

E finalmente ser dinâmica e comunicativa. Normalmente a pessoa dinâmica tem olhos para enxergar tudo à sua volta e por isto se sente segura nas suas ações. Não estou falando aqui da pessoa que passa como um trator por cima de tudo que encontra pela frente, esta não é dinâmica e sim egoísta que só vê a si mesma. Estou falando daquela pessoa que sempre encontra um tempo para ajudar uma pessoa, para integrar nas suas atividades uma emergência. Já diz o ditado que se você quer pedir um favor a alguém, peça para quem não tem tempo. Quem tem tempo dificilmente o fará. Assim sendo, saiba que você sempre poderá contar com a ajuda de uma pessoa dinâmica e comunicativa.

Estas são algumas das inúmeras características que apresentamos quando falamos de “Temperamento”.

Espero que este Teste sirva de estímulo para que você reserve um tempinho durante o seu dia para analisar como você está se apresentando tanto para o outro quanto para você mesma.

Você acha que esta conversa serviu de alerta para você olhar para você mesma?

O objetivo maior, muito mais do que dar nome ao seu temperamento é fazer você ter um olhar mais reflexivo sobre o seu temperamento.

Compartilhe conosco a sua opinião.

Ela enriquecerá ainda mais a nossa conversa.

O comportamento é o reflexo do sentimento

Não são somente os adultos que se sentem desmotivados quando se veem diante de problemas ou situações estressantes, bem como diante de algum incômodo físico. A criança também se deixa abater por estas situações e demonstram, através de suas atitudes, que algo não está bem.

Assim como as interferencias negativas, as positivas também influem no comportamento e no desempenho da criança.

Em pesquisa realizada pela Universidade de Washington e pela Universidade da Califórnia na qual foram ouvidas 70 crianças de cinco a sete anos ficou comprovado que a incidencia de fatores negativos podem promover alterações de comportamento bem como comprometer o desenvolvimento escolar. Os fatores positivos também promovem alterações só que favoravelmente.

Rita Callegari, psicóloga do Hospital São Camilo (SP), afirma que a criança, desde o seu nascimento, já sabe identificar o que lhe é prazeroso e o que lhe incomoda. Ela comunica esse sentimento através do choro. Ela sabe que as cólicas intestinais não lhe dão prazer e deixa isso muito claro através do choro. O colo lhe dá prazer e expressa este sentimento através do riso e do parar de chorar. Tanto a fome quanto o estar com a fralda suja lhe causam desconforto e a criança expressa este sentimento através do choro.

Conforme a criança vai crescendo, vai sabendo administrar e identificar conscientemente estes sentimentos. É por esta razão que é muito importante o diálogo claro e honesto com seus filhos.

Se você teve um dia estressante, ao chegar em casa explique ao seu filho que você está cansado e sem ânimo para brincar em razão dos problemas ocorridos. Esta atitude evitará que ele tenha uma interpretação errada de que você está chateado(a) com ele, além do que, lhe mostrará que estas situações fazem parte da rotina diária.

Procure também saber como foi o dia do seu filho e valorize tanto o “bom dia” quanto o “dia difícil” orientando sobre os reflexos que estas situações podem provocar na rotina diária das pessoas.

As considerações focam também muitas  situações similares na qual muitas vezes a criança se vale de sintomas físicos como “dor de barriga”, “dor de cabeça”, “vômitos” e outros como fazer birra, ficar agressivo, berrar e chorar para deixar de vivenciar uma determinada situação, como a de não ir para a escola, tão comum em qualquer fase do ano, ou não realizar algo que seus pais lhe pedem.

O diálogo ainda é o melhor recurso para estes casos. A criança precisa saber  porque tem que ir para a escola, o porque tem que se alimentar, porque tem que guardar seus brinquedos e assim por diante.

A segurança dos pais diante destas situações, bem como o não ceder a estes sintomas não permitindo que a criança falte na escola, deixe de se alimentar, não guarde seus brinquedos serão de suma importancia no processo de amadurecimento e segurança da criança.

Você concorda que o sentimento influi diretamento no comportamento?

Não deixe de participar compartilhando sua opinião a respeito.

Este texto foi originalmente postado no Mãe com Filhos