Educação na Cultura Digital #debate

Participei do debate de hoje promovido pelo EducaRede, um programa da Fundação Telefônica cujo tema foi “Experiência de educação e cultura digital” o qual participaram da mesa

Participantes: Bianca Santana – Jornalista e coordenadora do Projeto Recursos Educacionais Abertos na Casa da Cultura Digital. No Mestrado em Educação da Universidade de São Paulo, pesquisa os usos das tecnologias digitais na educação de jovens e adultos.

Priscila Gonsales – Jornalista com mestrado em Educação, Família e TIC pela Pontifícia Universidade de Salamanca (Espanha), atua na área de Educação desde 1997, principalmente em organizações do 3º Setor. É também pesquisadora do Cenpec e responsável pela coordenação do Programa EducaRede Brasil.

Luciano Meira – É professor adjunto do Departamento de Psicologia da UFPE e pesquisador da Pós-Graduação em Psicologia Cognitiva da mesma instituição. Também é consultor de estudos de usabilidade do Cesar (Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife), organização sem fins lucrativos associada ao Centro de Informática da UFPE.

Debora Sebriam – Mestre em Engenharia de Mídias para a Educação pela Universidade Técnica de Lisboa, Université de Poitiers e Universidad Nacional de Educación a Distancia. Atualmente é membro da equipe de Informática Educacional do Centro Educacional Pioneiro em São Paulo.

Moderadora: Milada Gonçalves – Integrante do EducaRede e do Grupo de Estudos Educar na Cultura Digital.

Logo na abertura Mila faz uma provocação para a mesa: O que você entende por cultura digital?

Cada um dos integrantes da mesa partilhou o seu foco: Bianca Santana diz que educar na cultura digital é também aprender na cultura digital, afinal a troca é quesito fundamental. Acrescenta que também é incentivar o protagonismo juvenil para que utilize suas próprias estratégias com o uso das ferramentas digitais. Débora Sebriam levantou uma questão importante que é a preocupação que se deve ter sobre o material que as crianças acessam fora da escola, por exemplo, nas lanhouses, e que se deve tirar o foco do computador e abrir para todas as telas digitais. Repensar o currículo escolar e retomar o conceito de educar é um ponto extremamente importante que deve estar presente sempre, além do professor ter a sensibilidade de integrar no aprender o que de importante e interessante acontece ao redor. Luciano Meira ressalta que é preciso falar da educação 2.0 que os jovens constroem nas lan houses. Falou bastante sobre jogos o qual você pode conferir abaixo:

Estamos vivendo um momento histórico em que a cultura digital está mudando a forma de ser e de estar de todos nós.

Uma questão interessante foi colocada através da seguinte pergunta: Autoria é sinônimo de propriedade?  Nos recursos educacionais abertos co conhecimento pertence a todo mundo. Todos partilham suas produções, seus artigos e tudo o mais que produzem. Infelizmente o mesmo não acontece na escola e na sala de aula, pois a lei de direitos autorais não caminha na mesma direção. Se o professor quer exibir um filme para seus alunos, não pode porque caracteriza exibição pública e a lei proíbe, comenta Bianca Santana.

Se você se interessa por debater sobre o Educar na Cultura Digital pode entrar para o grupo de Estudos acessando este endereço: http://www.educarnaculturadigital.org.br/ “e venha debater conosco de que maneira os meios tecnológicos podem favorecer a produção do conhecimento em contextos educativos. Será que isto já está acontecendo? Se o século XXI oferece a possibilidade de a web 2.0 enriquecer o modo de aprender e ensinar, formar o cidadão para as competências e habilidades que emergem destas novas práticas sociais, podemos dizer que isto se tornou um grande desafio para a Educação.

Você pode assistir o debate por inteiro através deste link http://tv.campus-party.org/player-brasil.php?v=qRb7lVqMBp8

Educar na Cultura Digital

Sexta-feira, dia 20 de agosto, você não pode deixar de participar do Grupo de Estudos “Educar na Cultura Digital: Geração Y, cibercultura e mudanças de comportamento” promovido pela Fundação Santillana, Fundação Telefônica e a Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) que valoriza a troca de conhecimento num ambiente online e interativo.

O debate contará com a participação de três especialistas: Léa Fagundes, coordenadora do Laboratório de Estudos Cognitivos do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, que se dedica há mais de 20 anos à informática educacional; Rodrigo Nejm, diretor de Prevenção da Safernet e responsável pela criação de materiais pedagógicos e pesquisas para prevenção aos cibercrimes contra Direitos Humanos no Brasil; e André Lemos, professor da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia e diretor do Centro Internacional de Estudos Avançados e Pesquisa em Cibercultura. A mediação será da apresentadora de rádio e TV, Renata Simões.

O objetivo deste debate é o de “colaborar para a absorção de novos códigos e linguagens da era digital” e com isto promover o desenvolvimento intelectual e cultural dos profissionais que utilizarão os recursos das TIC para promover a aprendizagem com ética e responsabilidade.

Este Grupo de estudos inicia-se agora em agosto e tem duração até dezembro. Neste período serão potencializados e aprofundados os conteúdos e a troca de experiências pertinentes aos cinco módulos: Mundo Digital, Geração Interativa (ou Geração Y); Aprendizagem na Cultura Digital; Ensino e Inovação Pedagógica; e Avaliação do uso das TIC.

Para a realização deste estudo foi disponibilizado um espaço online, com ambiente interativo, na plataforma do Programa EducaRede da Fundação Telefônica, com material didático, indicação de fonte de pesquisa, bate-papo e palestras transmitidas via streamer pela TV WEB da Fundação Santillana.

Para saber mais sobre o Projeto acesse AQUI.

Este primeiro encontro irá acontecer amanhã na 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo no Espaço Monteiro Lobato às 19 horas.

Quem não puder comparecer poderá acompanhar acessando www.educarnaculturadigital.org.br

Também poderão acompanhar via  Twitter http://twitter.com/educultdigital

Como também pelo Facebook http://migre.me/15UV7

Quem puder ir na Bienal e ainda não se inscreveu pode fazê-lo mandando email para Andrea  andrea.nascimento@moderna.com.br ou pelo telefone (11) 2790.1520.