Datas Comemorativas – Dia do Soldado

Fonte: Sempre Tops

O dia do soldado é comemorado no dia 25 de Agosto. A data, que tem por objetivo homenagear o trabalho dos membros do Exército Brasileiro, foi instituída em homenagem a Luís Alves de Lima e Silva, patrono do Exército brasileiro, nascido em 25 de agosto de 1803. Com pouco mais de 20 anos já era capitão. Luís Alves de Lima e Silva – Duque de Caxias -lutou e defendeu o Brasil em confrontos externos e internos.

Soldado é uma graduação do fundo da hierarquia militar. O termo soldado deriva do latim solidarius – alguém que é pago para servir.

No Brasil, o serviço militar é obrigatório por lei desde 1908. Ao completar 18 anos, todo rapaz deve se cadastrar em alguma das forças armadas (Marinha, Exército ou Aeronáutica). Na estrutura do governo brasileiro, estas estão integradas ao Ministério da Defesa e tem por objetivo a defesa dos direitos constitucionais.

A carreira de soldado proporciona ao jovem o aprendizado de valores como disciplina, organização, amor à pátria, solidariedade e perseverança, entre vários outros que orientam suas atividades dentro e fora do quartel.

O soldado exerce atividade em tempos de guerra e na manutenção da paz, dentro e fora do país. Presta auxílio à população em situações de calamidade.

Ao longo do século XX, o Dia do Soldado foi perdendo a sua popularidade e não mais é um dia público de festividade, nem mesmo são mais organizadas paradas militares em sua honra. Hoje as forças armadas brasileiras são homenageadas no dia 7 de Setembro, quando é comemorada a independência do Brasil de Portugal, ou no dia 15 de novembro, data em que se comemora a Proclamação da República.

Você pode acessar as postagens anteriores do Dia do Soldado

Sugestão de atividade

Fonte: Aprender e Cia

Feitos com luvas de plástico verde:

Encher com papel crepom a luva de plástico verde

Feito com palito de sorvete

Feito com canudinhoFeito com garrafa pet. Encher com papel crepom verde


http://2.bp.blogspot.com/_xq0jLp69uJw/SoG8shZIbBI/AAAAAAAANJo/38EE8gtxLVQ/s400/9.jpg

Datas comemorativas – DIA DO SOLDADO!

“Sigam-me os que forem brasileiros”é a célebre frase do Soldado Brasileiro,
Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias, na guerra do Paraguai.

Dia do Soldado!

Fonte Wikipédia

O Dia do Soldado é uma data brasileira para homenagear o trabalho dos membros do Exército Brasileiro, cuja celebração se iniciou em 1923.

Este dia é especialmente dedicado para homenager o herói militar brasileiro, Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias. Esta data é sempre celebrada em 25 de agosto, data do nascimento de Caxias.

Duque de Caxias

Fonte: Clickeducação

Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias, nasceu em 25 de agosto de 1803, na Vila de Porto Estrela (atual Duque de Caxias), no Rio de Janeiro. De família militar, sua vida sempre esteve ligada ao exército. Aos 5 anos de idade foi aceito como cadete. Aos 15 anos, já pertencia à Academia Real Militar. Recebeu várias promoções até alcançar o de marechal, posto máximo na hierarquia militar.

Caxias teve uma participação fundamental nas lutas de consolidação da Independência. Entre elas, podem ser citadas as campanhas na Bahia (1823) e na Cisplatina (1815-1825). Em 1837, já com a patente de tenente-coronel, comandou a luta para reprimir a revolta da Balaiada (Maranhão e Piauí, 1838-1841). Em 1841, é promovido a coronel e recebe o título de barão de Caxias. Em 1842, reprimiu manifestações liberais em Minas Gerais e São Paulo e os últimos focos da guerra dos Farrapos, o que lhe valeu o título de Conde e a escolha para o senado em 1846.

Internacionalmente, participou das campanhas contra o governo de Manuel Oribe (Uruguai) e o ditador Juan Manuel Rosas (Argentina). Alcançou a patente máxima do Exército, a de Marechal, durante a Guerra do Paraguai (1865-1870). Nessa guerra, liderou a Tríplice Aliança (Brasil, Argentina e Uruguai), conquistando Assunção, capital do Paraguai, em 1869. Graças à sua participação, recebeu o maior título de nobreza dado a um brasileiro pelo Imperador: o de Duque de Caxias.

Na administração, ocupou a presidência da província do Rio Grande do Sul em 1846 e o cargo de Ministro da Guerra em 1854 e 1861. Também foi presidente do Conselho de Ministros, função equivalente à do primeiro-ministro no sistema parlamentarista, em 1861.

Morreu em Desengano, hoje Juparanã, no Rio de Janeiro, em 7 de março de 1880.

25 de agosto – DIA DO SOLDADO

Fonte: IBGE

Todo país tem seus próprios símbolos nacionais: o hino, a bandeira, os brasões… Porém, mesmo não oficialmente, a imagem do soldado já é, em si, um símbolo de orgulho nacional. Traz significados de amor à pátria, sacrifício em nome da soberania do país, coragem e bravura na defesa de nosso território. Tudo isto representa o soldado, na guerra e na manutenção da paz dentro e fora de seu território.

No nosso país, o serviço militar é obrigatório por lei desde 1908. Ao completar 18 anos, todo rapaz deve se cadastrar em alguma das forças armadas (Marinha, Exército ou Aeronáutica) e fazer uma série de testes depois dos quais é convocado um percentual dos inscritos. Em muitos países, este alistamento é voluntário.

Ao optar por ser um soldado do Exército, o jovem pode contar com uma estrutura que lhe ensinará valores como disciplina, organização, amor à pátria, solidariedade e perseverança, entre inúmeros outros que orientarão suas atividades dentro e fora da caserna. É também uma chance de conhecer, iniciar-se ou aperfeiçoar-se em uma profissão, pela qual será remunerado como qualquer outro trabalhador da classe, com a diferença de estar servindo à nação.

DUQUE DE CAXIAS – O PATRONO

O dia 25 de agosto foi escolhido para ser o dia do soldado em homenagem a Duque de Caxias, nascido nesse dia, no ano de 1803. Duque de Caxias é o patrono do Exército Brasileiro devido a seu histórico de serviços à nação.

Entre outros feitos, participou da Guerra Cisplatina, que durou de 1925 a 1928, como capitão; serviu no Batalhão do imperador como major até 1831 e, em 1837, passou a tenente-coronel no comando do Corpo da Guarda da Corte. Esteve presente na Revolução Farroupilha, no Sul, em 1839, e na rebelião da Balaiada, no Nordeste, logo em seguida. Conseguiu pôr fim à guerra dos Farrapos, no Rio Grande do Sul. Teve um papel incomparável na guerra do Paraguai. Além disto, foi Senador, Ministro da Guerra e Presidente do Gabinete Ministerial em dois mandatos.

BIBLIOTECA À DISPOSIÇÃO

O Exército Brasileiro possui sua própria biblioteca – a Biblioteca do Exército (BibliEx), situada no Palácio Duque de Caxias (antigo Ministério da Guerra), no Rio de Janeiro, desde 1882. A BibliEx fica à disposição do público civil e militar e possui um acervo de cerca de 70 mil volumes, voltados principalmente à História do Brasil e à História Militar.

Possui ainda duas sucursais no estado: na Praia Vermelha e no Forte de Copacabana. Você pode conferir o acervo da BibliEx aqui.

DIA DO SOLDADO

Fonte: Trabalho nota 10

O Dia do Soldado é instituído em homenagem a Luís Alves de Lima e Silva, conhecido como Duque de Caxias, patrono do Exército Brasileiro, nascido em 25 de agosto de 1803. Foi um grande herói militar e, graças à suas qualidades, tornou-se o símbolo do herói brasileiro.

No dia 6 de janeiro de 1833, o major Luís Alves se casou com Ana Luísa de Loreto Carneiro Viana, de 16 anos. A cerimônia foi realizada no Rio de Janeiro, num dia de Reis, sem o consentimento dos pais da noiva. Inicialmente, a mãe de Ana não aprovava a união, pois Luís Alves não vinha de família nobre e era quatorze anos mais velho que Ana.

Enfim, o casamento foi aceito e a cerimônia civil acabou sendo feita com a presença de um padre. Na lua-de-mel, Ana propôs que Luís deixasse o Exército para viverem sem ausências repentinas. A esposa temia que as campanhas afastassem o marido de casa por muito tempo. Quando Luís partia para entregar ao Ministro da Guerra seu requerimento de dispensa, Ana voltou atrás e o incentivou a seguir a carreira.

Tiveram duas filhas que eram chamadas de Anicota e Aniquinha. O único filho morreu aos 14 anos. Seu pai o chamava de cadete, cadete Luisinho e Luisinho. Entre os familiares, Duque de Caxias era tratado como Luís. Caxias também teve um filho de criação a quem deu seu nome, Luís Alves. Um índio, órfão de mãe, que conheceu no Maranhão. Ele seria companheiro do filho legítimo de Caxias. Quando ficava triste, o menino passava dias vagando na floresta. Em testamento, Duque de Caxias deixou a ele todas as suas roupas.

DIA DO SOLDADO

Fonte: Ponto final

O dia 25 de agosto é consagrado ao soldado brasileiro. O soldado é o cidadão fardado precursor na defesa da sua pátria e das instituições. O civil é um soldado licenciado sempre pronto a ser convocado quando as circunstâncias exigirem. O Exército, a Marinha, a Aeronáutica e a Polícia Militar são forças devotadas à defesa da pátria, da ordem e das instituições.

O 25 de agosto foi designado Dia do Soldado porque neste dia, em 1803, nascia na cidade de Estrela, no Estado do Rio de Janeiro, Luiz Alves de Lima e Silva, o futuro Duque de Caxias, o maior soldado-estadista do nosso país. Descendente de uma família de militares, desde os cinco anos de idade ele já foi “programado” para a carreira dos seus ancestrais. Junto com seu pai, freqüentava o expediente no quartel do 20º Batalhão dos Sapadores Reais. Aos nove anos ingressou no Colégio Militar e aos 15 na Academia Militar, sempre alcançando o primeiro lugar.

Em 1823, incorporado ao regimento comandado pelo seu tio, em serros da Bahia, José Joaquim de Lima e Silva, que havia assumido o comando das forças brasileiras, então sob o comando do general (mercenário) francês Pedro de Labatu, que lutavam contra as tropas portuguesas do famigerado sanguinário brigadeiro Luiz Ignácio Madeira de Mello. Vencido na batalha do Pirajá, Madeira de Mello recua para a cidade de Salvador e aceita os termos impostos pela rendição. Ele abandona a cidade e se retira para a sua pátria, Portugal.

Cumprida, com heroísmo, esta missão, seguiu Caxias com seu regimento para o Maranhão, sufocando lá a Balaiada com tanto denodo que lhe valeu a promoção ao posto de coronel. Voltando ao Rio de Janeiro, foi destacado para sufocar a rebelião de Sorocaba, chefiada pelo ex-presidente da Província de São Paulo, Rafael Tobias de Aguiar. Contou com a participação da Marquesa de Santos, com o padre Diogo Antônio Feijó, ex-regente do Império e outras figuras importantes de uma monarquia agonizante (isso acontecia em 1842, dois anos após a falsa maioridade do príncipe D. Pedro, futuro Pedro II).

Sufocada a rebelião de Sorocaba, Caxias foi chamado a pacificar Minas Gerais, derrotando os liberais daquela Província. Em 1845, conseguia pacificar o Rio Grande do Sul, convulsionado com dez anos de guerra civil, onde usou de toda a sua competência e autoridade de verdadeiro estadista, conseguindo uma paz honrosa para os combatentes. Foi honrado com as insígnias de general e o título nobre de Marquês de Caxias. Em 1851/52 lutou no Uruguai, contra o caudilho Oribes e os partidários do ditador argentino Juan Manoel Rosas. Em 1855 foi nomeado Ministro da Guerra, em 62 presidiu o Conselho e em 63 chegou a Senador. A guerra contra o Paraguai seguia a passos lentos, com brilhantes vitórias e alguns reveses, como o de Curupaiti, de sérias conseqüências.

Caxias foi chamado a assumir o comando das forças aliadas, substituindo o argentino Bartolomeu Mitre. Reorganizou, rearmou, disciplinou e saneou os exércitos aliados e partiu para a ofensiva, vencendo as forças regulares do “El Supremo” ditador paraguaio Francisco Solano Lopes. O cerco de Humaitá, a batalha do Avaí, os combates de Lomas Valentina, Angostura e Itororó abriram a porta da capital paraguaia às tropas brasileiras e aliadas. Esta fase da guerra foi chamada de “Dezembrada” e culminou com a entrada triunfal dos aliados em Assunção no dia 5 de janeiro de 1869. Porém a guerra não terminou aí, pois Lopes se retirou para o nordeste com os remanescentes de suas tropas.

Caxias, já velho e cansado, passou o comando para o príncipe Gastão de Orleans, o Conde d´Eu, que perseguiu o inimigo até o Cerro Corá, onde alcançou a 1º de março de 1869. O cabo Chico Diabo matou o ditador e a guerra acabou. Foram suas últimas palavras: “Me muero com mi pátria”. Caxias morreu em 1880.

CANÇÃO DO SOLDADO
(Capitão Cassula)
Letra: F. Saluviti
Música: Ismael Euclides C. Maranhão

Nós somos da Pátria a guarda,
Fiéis soldados,
Por ela amados.
Nas cores de nossa farda
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.

Em nosso valor se encerra
Toda a esperança
Que um povo alcança.
Quando altiva for a Terra
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.

Estribilho
A paz queremos com fervor,
A guerra só nos causa dor;
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada,
Lutaremos sem temor.(bis)

Como é sublime saber amar!
Com a alma adorar
A terra onde se nasce.
Amor febril
Pelo Brasil,
No coração nosso que passe!

E quando a Nação querida,
Frente o inimigo,
Correr perigo,
Se dermos por ela a vida:
Por sua glória,
Sua vitória.

Assim ao Brasil faremos
Oferta igual
De amor filial
E a ti, Pátria, salvaremos!
Rebrilha a glória
Fulge a vitória

Estribilho
A paz queremos com fervor,
A guerra só nos causa dor;
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada,
Lutaremos sem temor.(bis)

Ouça a Canção do soldado

CONCURSO ESCOLA PROMOVIDO PELO DESABAFO DE MÃE

QUE ACONTECE TAMBÉM AQUI E NO BLOG FUTURO DO PRESENTE.

PARA PARTICIPAR BASTA RESPONDER À PERGUNTA: Você acredita que há experiência positiva envolvendo pais e professores?

O melhor relato ganhará um KIT ESCOLAR DA MERCUR – HOT WHEELS (para meninos). Você deverá postar clicando em comentários.

Você poderá participar até o dia 31 de agosto.

Fico no aguardo do seu relato.

Concurso da educação vai preencher mais de 6 mil vagas

O edital foi lançado na segunda-feira (11) pelo governador Eduardo Campos e pelo secretário de Educação, Danilo Cabral

Com o objetivo de diminuir o déficit de professores e melhorar o serviço na Rede Estadual de Ensino, o Governo anunciou esta semana que vai contratar 6.504 novos servidores para atuarem na Secretaria de Educação.

Serão 3.303 professores do ensino regular, 320 docentes para educação especial e 129 de professores de música. Há ainda 1.662 vagas para técnicos educacionais e 1.680 para assistentes administrativos.

O edital foi publicado no Diário Oficial do Estado e no site da Seduc: www.educacao.pe.gov.br, na terça-feira (12).

As inscrições estão abertas até o dia 5 de setembro e as provas devem acontecer em novembro deste ano. “Queremos contar com esse pessoal já para o ano letivo de 2009″, disse o governador Eduardo Campos.

Para Campos, há demanda de servidores públicos em outros setores, mas ele aposta na educação como fundamental. “Priorizamos a Secretaria de Educação porque estamos não só repondo o pessoal, mas colocando os agentes administrativos, que não tínhamos. Você imagina o que é uma escola com mais de mil alunos sem ter uma secretária na escola? Essas mínimas condições mudam completamente o ambiente da escola”, explicou o governador.

Ele lembrou ainda que, apesar da carência de profissionais, as escolas estão funcionando normalmente. “Já estamos com professores em sala de aula, professores temporários e vamos fazer o concurso para colocar os permanentes. O Estado chegou a ter 14 mil professores temporários, mas agora existe uma política de reposição, qualificação e requalificação das pessoas”, afirmou.