Festa Junina

PARA SE INSCREVER NO CURSO CLIQUE AQUI

Acenda a fogueira do seu coração que a festa já vai começar!

Site do Menino Maluquinho

E aí compadre e comadre? Estão preparados para a festa junina? O meu arraial já está prontinho, tem história, música, dança, brincadeiras e, é claro, muita comida gostosa! Quer ver?

História

Você sabe por que as festas juninas receberam esse nome? Todo mundo conhece a história de que elas são chamadas de juninas por acontecerem no mês de junho. Mas o que pouca gente sabe é que, antigamente, na Europa, a comemoração era conhecida como festa joanina em homenagem ao nascimento de São João Batista.

Mais tarde, os portugueses incluíram São Pedro e Santo Antônio nas festanças e também outros elementos, como as grandes fogueiras, que serviam para afastar as pragas agrícolas e trazer boas colheitas, os fogos de artifício e as bombinhas, que espantavam o mau-olhado, e os balões coloridos, que levavam pedidos aos santos.

As festas de junho são comemoradas em três datas principais:
· 13 de junho – festa de Santo Antônio;
· 24 de junho – festa de São João;
· 29 de junho – festa de São Pedro.

É claro que, como os brasileiros adoram festas, qualquer dia do mês de junho é dia de comemorar e, do norte ao sul do país, as barraquinhas de guloseimas vão surgindo, a música toca alto e a dança vai até o sol raiar! E viva São João!!!

Quitutes

Festa junina não é festa junina se não tiver muitos e variados quitutes. Huuummm… Só de pensar, fico com água na boca! Apesar de ter muitas coisas em comum, a culinária típica das festas juninas não é igual em todas as regiões do Brasil. No Norte, por exemplo, o biju e a tapioca são os quitutes mais saboreados nessas ocasiões. No Sul, o pinhão é a sensação das festas. No Sudeste, é o pão de queijo que faz sucesso. Na Região Centro-Oeste, a pamonha não pode faltar e, no Nordeste, o apetite dos festeiros é estimulado com muito cuscuz, cocadas, bolinhas de jenipapo e amendoim. Nas festas do meu bairro, cada um leva um prato.

A mãe do Junin faz pé-de-moleque e o pai da Carol sabe cozinhar uma canjica maravilhosa. A vó da Juju gosta de fazer receitas com milho verde: ela faz milho cozido, pamonha e bolo de milho. É tudo muito gostoso! Minha mãe é especialista em bolo de fubá, e eu também sei fazer algumas coisinhas gostosas. Nessa festa, eu vou levar a pipoca e a paçoca, que são receitas deliciosas e fáceis de fazer! Aí vai a minha receita de paçoca para que você também possa colaborar com um prato típico na sua festa junina:

Paçoca

Ingredientes:

1 quilo de amendoim torrado sem casca e sem pele
2 xícaras (chá) de açúcar
1 xícara de farinha de mandioca
1 colherinha de sal

Modo de preparar:

Misture todos os ingredientes e passe-os, aos poucos, no processador de alimentos ou no liquidificador até que se tornem um pó fino. Coloque a mistura em forminhas para moldar as paçoquinhas ou em canudinhos de papel. Pronto, agora você já pode se deliciar com essa receita simples e gostosa!

Quadrilhas

A quadrilha foi trazida para o Brasil pela Corte portuguesa e, inicialmente, era dançada apenas pela nobreza. Com o tempo, ela foi se popularizando, e a dança servia para representar o dia-a-dia dos trabalhadores da roça e os perigos e dificuldades que eles enfrentavam a caminho do trabalho. Além da quadrilha, outros tipos de dança também animam as comemorações juninas, como, por exemplo, o forró no Nordeste, o cateretê na Região Sudeste, o cururu na Região Centro-Oeste, o vaneirão no Sul e o boi-bumbá, que aquece os festejos do Norte brasileiro. E, quando falamos em dança, não podemos esquecer das cantigas que todos gostam de cantar e que alegram as festas. Essas duas são as minhas preferidas:

Pula a fogueira

Pula a fogueira, Iaiá
Pula a fogueira, Ioiô
Cuidado para não se queimar
Olha que a fogueira
Já queimou o meu amor.

Capelinha de Melão

Capelinha de Melão
É de São João,
É de cravo, é de rosa,
É de manjericão.

São João está dormindo,
Não me ouve não,
Acordai, acordai, acordai João.

Brincadeiras

Sem dúvida nenhuma, essa é a parte da festa que eu mais adoro! Quem é que não gosta de corrida de saco, tiro ao alvo com bolinha de meia, pescaria, pau de sebo e corrida com ovo na colher? E ainda tem a brincadeira da cadeia, em que pagamos para prender nossos amigos ou as pessoas que estão atrapalhando a nossa diversão. Para sair, “o preso” tem que pagar também e, se não tiver dinheiro e ninguém quiser pagar para que ele saia de lá, pode contar que vai ficar lá a festa inteira! A brincadeira que os tímidos mais gostam é o correio elegante, pois é uma ótima forma de mandar recadinhos apaixonados para a pessoa de que estamos gostando. Mas o correio elegante não é só para namorados. Também podemos enviar mensagens, poesias e charadas para nossos amigos e familiares.

Infelizmente, nem todas as brincadeiras são divertidas e acabam bem. A cada ano que passa, os acidentes, incêndios e queimaduras aumentam muito durante o período das festas juninas por causa dos balões e dos fogos de artifício. Além disso, fabricar, vender ou soltar balões é proibido por lei. Quem cometer esse delito, além de ter que pagar uma multa, pode ficar preso (em uma cadeia de verdade) por um a três anos. Por isso, no meu arraial, brincadeira perigosa não entra de jeito nenhum! E, como eu gosto muito de balões, aprendi a fazer uns lindos, coloridos, divertidos, fáceis e que não causam nenhum tipo de acidente, nem para as pessoas e nem para a natureza! Então, mãos à obra, clique aqui para fazer o seu balão!

CONVITES

Fonte: Pra gente miúda

CLIQUE NAS FIGURAS PARA VÊ-LAS AUMENTADA

QUADRINHAS E DESAFIOS

NOITE DE SÃO JOÃO

NOITE FRIA DE JUNHO,
NOITE DE SÃO JOÃO,
PRA ESQUENTAR O FRIO,
VAMOS TOMAR QUENTÃO!

QUANTA ALEGRIA,
NA NOITE DE SÃO JOÃO,
VAMOS PULAR A FOGUEIRA,
E SOLTAR MUITO ROJÃO!

O BALÃO É PERIGOSO,
CRIANÇA NÃO SOLTE NÃO,
INVENTE OUTRA BRINCADEIRA,
PRA NOITE DE SÃO JOÃO!

Lá vem festa junina!

Pronto! Lá vem de novo as festas juninas!
Vão me vestir de mendigo,
Com uma roupa remendada,
Amassar o meu dedão,
Numa botina apertada!
E sujar a minha cara,
Com bigode de carvão…

Que baita humilhação!
E, depois, vem o pior:
vou ter que dançar quadria,
Abraçado com a Maria,
E rever minha vergonha,
em vídeo e fotografia!!!

Que destino apavorante,
é enfrentar cara a cara,
uma menina sardenta,
com trancinha de barbante!

Socorro, São Pedro!
Me acuda, Santo Antônio!
Me salva, São João!

Desafio do Zé Vicente

Maricota dos rabichos,
Nunca vi cabelo assim!
Isto é trança ou é palha
Muita seca de capim?

Zé Vicente, falador,
Eu não sei se é de fato,
Mais bonito o meu cabelo,
Ou o seu pé de pato!

Ô mocinha, deixa disto,
Eu não sou tão falador!
O meu pé é muito grande,
Porque sou bom caçador!

Zé Vicente, caçador,
Onde está a valentia
De quem fugiu de uma onça,
Lá no mato outro dia?

Pro meu pé, não olhe não,
Vem depressa ser meu par.
Ele é grande mas eu garanto,
Que ainda serve pra dançar…

Minha gente, até logo,
Vamos contentes brincar,
Sempre fomos bons amigos,
Não precisam duvidar!

A DANÇA DA PENEIRA

HOJE É DIA DE SÃO JOÃO,
VAMOS MENINA PENEIRAR,
A FESTA SERÁ ANIMADA,
QUANDO A SAIA BALANÇAR!

BALANÇA PRA LÁ,
BALANÇA PRA CÁ,
BALANÇA PRA LÁ,
DEIXE A POEIRA LEVANTAR!

DEIXE A PENEIRA NO CHÃO,
DÊ UMA VOLTA NO LUGAR,
PEGUE DEPRESSA A PENEIRA,
VOLTE LOGO A PENEIRAR!

BALANÇA PRA LÁ,
BALANÇA PRA CÁ,
BALANÇA PRA LÁ,
DEIXE A POEIRA LEVANTAR!

JOGUE A PIPOCA PRA CIMA,
VOLTE LOGO A PENEIRAR,
ELAS PULAM, PULAM, PULAM,
NINGÉM PODE SEGURAR!

BALANÇA PRA LÁ,
BALANÇA PRA CÁ,
BALANÇA PRA LÁ,
DEIXE A POEIRA LEVANTAR!

CASAMENTO CARPIRA

Padre – A noiva tá chegando! Vamo batê parma pr’ela, pessoar!!! Cadê o noivo ???

Noiva – Ai mãe, ele num vem, acho que vou dismaiá… (simula um desmaio e é acudida pela mãe e pela madrinha. O pai da noiva faz um sinal para o delegado se aproximar e cochicha alguma coisa em seu ouvido. O delegado concorda com a cabeça.)

Delegado – Pera aí seu padre; eu já vô buscá ele. (sai acompanhado por dois soldados armados de espingarda e cassetetes. Em seguida entra o noivo encurralado pelo delegado, que permanece no altar, grande parte da cerimônia, para que o “condenado” não fuja.)

Padre – Bão, vamo começá logo esse casório. Ocê, Ciquinha Dengosa, promete, de coração, prá marido toda vida, o Pedrinho Foguetão?

Noiva – Mas que pregunta isquisita seu vigário faz prá mim… Eu vim aqui mais o Pedrinho num foi prá dizê que sim???

Padre – E ocê Pedrinho, que me olha assim tão prosa, qué mesmo prá sua esposa a Sinhá Chiquinha Dengosa?

Noivo – Num havia de querê, num é essa minha opinião mas, se não caso com a Chiquinha , vô direto pro caixão… (diz isso olhando de esguelha para o delegado, que segura uma espingarda)

Padre – Então, em nome do cravo e do manjericão, caso a Chiquinha Dengosa com o Pedrinho Foguetão! E Viva os noivos!

Convidados – VIVA!!! (conforme os noivos passam, os convidados jogam arroz)

Padre – E vamo pro baile, pessoar!!!

QUADRILHA

CLIQUE NAS IMAGENS PARA VÊ-LAS AUMENTADA

PAINÉIS

CONVITES

Fonte: Oficina de Criatividade<

Festa Junina

AMIGOS PROFESSORES

Estou triste porque meu HD queimou e com ele foi embora todo o meu trabalho de anos.

Por este motivo estive ausente ontem.

Com calma tudo voltará ao normal!

Obrigada pela compreensão.

Abraços

Cybele Meyer

PAINEIS PARA DECORAR A FESTA JUNINA

Extraído da Oficina de Criatividade

A bandeira é feita de TNT e os caipininhas de EVA

CLIQUE NOS DESENHOS PARA VÊ-LOS AUMENTADO

ESTE PAINEL PODE SER FEITO DE PAPEL OU DE TECIDO.

ESTA BANDEIRA GRANDE É DECORADA COM PEQUENAS BANDEIRINHAS QUE SÃO DECORADAS COM ESPANTALHOS, FOGUEIRAS E BALÕES.

CONVITES PARA A FESTA JUNINA

CLIQUE NOS DESENHOS PARA VÊ-LOS AUMENTADO

MOLDE

MOLDE

MOLDE

MOLDE

São Paulo Companhia de Dança

A São Paulo Companhia de Dança inicia suas atividades educacionais com o Projeto Corpo-a-Corpo, que terá três edições no ano de 2008.

Marcamos um encontro com professores e arte-educadores no dia 14 de junho, sábado, das 10 às 12h30, com coordenação de Inês Bogéa. O tema será a “A Dança no Tempo”, com sugestões de abordagem sobre o conteúdo observado na dança, ajudando o professor na criação de estratégias em sala de aula.

O encontro tem como objetivo:

01. Apresentar o projeto “Corpo-a-Corpo”;

02. Apresentar a companhia e os artistas que estão trabalhando nesta primeira criação, através de um pequeno ensaio;

03. Oferecer ao professor/arte educador informações sobre o novo trabalho da companhia. O espetáculo tem o título provisório de “Histórias do Corpo que Dança” e transitará entre as várias gramáticas da dança, desde o balé clássico até a dança contemporânea;

04. Apresentar e distribuir material de apoio, incluindo material impresso e de audiovisual;

05. Estabelecer um diálogo direto com o professor/arte educador e a companhia, abrindo para perguntas e sugestões.

Caso sua instituição não possa participar deste encontro, estamos à disposição para agendarmos uma reunião a fim de estabelecermos uma futura parceria.

Haverá a emissão de certificado de participação no dia do encontro.

Segue abaixo um pequeno descritivo da Companhia e alguns de seus projetos iniciais.

Corpo-a-Corpo com Professores

Tema: A Dança no Tempo, com Inês Bogéa

Dia 14 de junho de 2008

Sábado, das 10 às 12h30

Na Sede da Companhia: Oficina Cultural Oswald de Andrade

Rua Três Rios, 363 – 1º. Andar -Bom Retiro – São Paulo

Para participar, contate-nos pelo tel. (11) 3333.0910, com Flávia, ou pelo email educativo.danca@assaoc.org.br, vagas limitadas.

Programação

Corpo-a-Corpo

Ensaios abertos

1ª Edição | dia 22 de julho

Primeiro Programa [CRIAÇÃO INÉDITA]

No Teatro Frei Caneca*, em duas sessões: às 11h e às 16h.

2ª Edição | dia 24 de julho

Segundo Programa [Les Noces | 1923, Bronislava Nijinska]

No Teatro Frei Caneca*, em duas sessões: às 11h e às 16h.

3ª Edição | Outubro

Segundo Programa [CRIAÇÃO INÉDITA e UM CLÁSSICO]

Em teatro a definir. Períodos matutino e vespertino.

Informações e agendamento pelo telefone (11) 3333.0910, com Flávia,

ou pelo email educativo.danca@assaoc.org.br

*Teatro Frei Caneca

Rua Frei Caneca, 569 – Shopping Frei Caneca, 6º andar | São Paulo

fones 3472-2226 / 2229 / 2230 |

www.teatroshoppingfreicaneca.com.br

Projeto Artístico

A São Paulo Companhia de Dança se propõe a trabalhar o repertório da dança num espectro amplo, que vai do século XIX ao século XXI, com um olhar atual. Será um trabalho que dialoga com diferentes gramáticas coreográficas, para mostrar traços do caminho mítico da dança clássica à contemporânea.

A segunda estréia é o lançamento da Companhia no universo das montagens consagradas do repertório internacional e nacional dos séculos XX e XXI. O programa contará com três peças representativas da dança: um grande momento da dança clássica, um clássico moderno e uma criação contemporânea.

Projetos Educativos e de Difusão & Memória

A São Paulo Companhia de Dança tem a atribuição de tornar a dança cênica acessível ao grande público, por meio de espetáculos, programas educativos e de formação de platéia e da divulgação de seus trabalhos nos meios de comunicação. Procura, assim, desenvolver projetos e programas de integração entre a dança e outras áreas do conhecimento, criando espaços para debates e discussões, com vistas ao aperfeiçoamento dos estudantes e dos profissionais da área. Outra meta central é promover o registro e a memória dessa arte.

A Companhia atua, portanto, em três vertentes interligadas: Produção de Espetáculos, Programas Educativos e Programas de Difusão e Memória. No âmbito educativo, nosso primeiro programa desenvolvido chama-se Corpo-a-Corpo. E, relacionados à missão da Companhia em Difusão e Memória, o projeto Figuras da Dança.

Corpo-a-Corpo

Programa que procura aproximar o jovem do universo da dança, Corpo-a-corpo consiste em aulas abertas e ensaios públicos com comentários sobre o processo de trabalho da São Paulo Companhia de Dança. A platéia, composta majoritariamente de jovens estudantes, terá estreito contato com o funcionamento de uma das facetas fundamentais de uma companhia de dança: a preparação de seus bailarinos, os ensaios que antecedem as montagens e todas as implicações técnicas e artísticas que essas etapas envolvem, mas de maneira clara e pouco formal. Estão programados ensaios abertos em julho e outubro de 2008.

Figuras da Dança

Fruto da parceria entre a Companhia e a Fundação Padre Anchieta, Figuras da Dança tem como foco o percurso artístico e a obra de importantes personagens da história da dança no Brasil, em série de depoimentos públicos que será gravada em DVDs e veiculada em programas da TV Cultura. Ao lado de material iconográfico e outros registros audiovisuais, Figuras da Dança apresentará o artista por ele mesmo: em diálogo com interlocutores especialmente escolhidos, diversos atores fundamentais da dança brasileira comentarão seu trabalho, ajudando a compor um painel histórico dessa arte no Brasil, com personalidades como Ivonice Satie, Ismael Guiser (1927-2008), Marilena Ansaldi, Penha de Souza e Ady Addor.

Inscrições para o ProUni vão até dia 6

Fonte: Estadão
Estudantes que cursaram o ensino médio em escolas públicas e tenham prestado o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) têm até o dia 6 de junho para concorrer a uma bolsa oferecida pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), do Ministério da Educação (MEC). São oferecidas bolsas parciais e integrais nas instituições de ensino superior cadastradas de todo o País. Mais informações pelo site: http://prouni-inscricao.mec.gov.br/prouni/.

Festa Junina

PAINEL PARA FESTA JUNINA

Extraído do Oficina de Criatividade

CLIQUE NA FIGURA PARA VÊ-LA AUMENTADA

Este mural tem 2 metros de comprimento, por 1,60 de largura.
Base de tnt, a bonequinha foi feita com papelão paraná coberta com tnt rosa para dar tom de pele.

Usar para os detalhes: resto de cetim, juta, tirinha de espelho que vende em loja de artesanato, eva…enfim vale aproveitar tudo.

Ele tem o formato da bandeira de festa junina, pois fica mais personalizado e você pode decorar como quiser dentro.

Ele tem umas alças que é onde você vai pendurá-lo, precisa de um cabo de vassoura ou coisa similar.

Inove nos murais faça diferente, este é o grande detalhe!

O tema do mural pode ser: Diferenças, regiões ou folclore

CLIQUE NAS FIGURAS PARA VÊ-LAS AUMENTADA

Este mural foi feito com a base de tnt, bonecos feitos com papelão paraná, coberto com tnt rosa, as roupas utilizei tecidos, tnt, chitas, tuli e para acessórios e detalhes, usei o eva.

No mural tentei colocar um pouquinho de cada região:
o gaúcho( região sul)
o índio(porque é uma grande influência no Brasil),
o cuiabano(região centro-oeste),
a baiana(região nordeste, mais especificamente a Bahia),
lampião( região nordeste),
caipira(região nordeste) e o
pião de rodeio( região sudeste e centro oeste).

Estes personagens são muito marcantes no nosso cotidiano, mas você pode personalizar com os personagens que achar melhor.

Tudo foi colado com a cola quente.

FESTA JUNINA – IDÉIAS

Extraído do Brincando e Educando

ESPANTALHO

MOLDE

ESPANTALHO ANIMADO

IDÉIA PARA PAINEL

É HORA DA PESCARIA

Faça peixinhos em EVA ou papel cartão.

Na ponta de cada um cole um clips.

Use varinhas de plástico ou faça com palitos de churrasco e na ponta da fita cole uma minhoca.

Atrás dela cole um imã. É ele que vai pegar os peixinhos!!!

CONVITE DE ESPANTALHO

ESPANTALHO PARA DECORAR!


Feito de pratinhos descartáveis, EVA e retalhos.

PORTA RECADOS PARA RECEBER OS CONVIDADOS

Porta Recados com o tema de festa junina!
Uma graça!
Pode ser feito para decorar a entrada da escola com recadinhos,incentivando os alunos a participarem da festa…

CASAL DE ESPANTALHO

LEMBRANCINHAS

Festa Junina

FESTA JUNINA

extraído do Brasil Escola

O mês de Junho é caracterizado por danças, comidas típicas, bandeirinhas, além das peculiaridades de cada região. É a festa junina, que se inicia no dia 12 de Junho, véspera do Dia de Santo Antônio e encerra no dia 29, dia de São Pedro. O ponto mais elevado da festa ocorre entre os dias 23 e 24, o Dia de São João. Durante os festejos acontecem as quadrilhas, os forrós, leilões, bingos e os casamentos caipiras.

A tradição de comemorar o dia de São João veio de Portugal, onde as festas são conhecidas pelo nome de Santos Populares e correspondem a diversos feriados municipais: Santo Antônio, em Lisboa; São Pedro, no Seixal; São João, no Porto, em Braga e em Almada.

O nome “junina” é devido à sua procedência de países europeus cristianizados. Os portugueses foram os responsáveis por trazê-la ao Brasil, e logo foi inserida aos costumes das populações indígenas e afro-brasileiras.

A festa de São João brasileira é típica da Região Nordeste. Em Campina Grande, na Paraíba, a festa junina atrai milhares de pessoas. A canjica e a pamonha são comidas tradicionais da festa na região, devido à época ser propícia para a colheita do milho. O lugar onde ocorrem os festejos juninos é chamado de arraial, um espaço ao ar livre cercado ou não, e onde há barracas ou um galpão adaptado para a festa.

As festas de São João são ainda comemoradas em alguns países europeus católicos, protestantes e ortodoxos. Em algumas festas européias de São João são realizadas a fogueira de São João e a celebração de casamentos reais ou encenados, semelhantes ao casamento fictício que é um costume no baile da quadrilha nordestina.

Festa Junina e suas Tradições

Fonte: Sua Pesquisa.com

As tradições fazem parte das comemorações. O mês de junho é marcado pelas fogueiras, que servem como centro para a famosa dança de quadrilhas. Os balões também compõem este cenário, embora cada vez mais raros em função das leis que proíbem esta prática, em função dos riscos de incêndio que representam.

No Nordeste, ainda é muito comum a formação dos grupos festeiros. Estes grupos ficam andando e cantando pelas ruas das cidades. Vão passando pelas casas, onde os moradores deixam nas janelas e portas uma grande quantidade de comidas e bebidas para serem degustadas pelos festeiros.

Já na região Sudeste são tradicionais a realização de quermesses. Estas festas populares são realizadas por igrejas, colégios, sindicatos e empresas. Possuem barraquinhas com comidas típicas e jogos para animar os visitantes. A dança da quadrilha, geralmente ocorre durante toda a quermesse.

Como Santo Antônio é considerado o santo casamenteiro, são comuns as simpatias para mulheres solteiras que querem se casar. No dia 13 de junho, as igrejas católicas distribuem o “pãozinho de Santo Antônio”. Diz a tradição que o pão bento deve ser colocado junto aos outros mantimentos da casa, para que nunca ocorra a falta. As mulheres que querem se casar, diz a tradição, devem comer deste pão.

Festas Juninas no Nordeste

Embora sejam comemoradas nos quatro cantos do Brasil, na região Nordeste as festas ganham uma grande expressão. O mês de junho é o momento de se fazer homenagens aos três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio. Como é uma região onde a seca é um problema grave, os nordestinos aproveitam as festividades para agradecer as chuvas raras na região, que servem para manter a agricultura.

Além de alegrar o povo da região, as festas representam um importante momento econômico, pois muitos turistas visitam cidades nordestinas para acompanhar os festejos. Hotéis, comércios e clubes aumentam os lucros e geram empregos nestas cidades. Embora a maioria dos visitantes seja de brasileiros, é cada vez mais comum encontrarmos turistas europeus, asiáticos e norte-americanos que chegam ao Brasil para acompanhar de perto estas festas.

Comidas típicas

Como o mês de junho é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados, relacionados às festividades, são feitos deste alimento. Pamonha, cural, milho cozido, canjica, cuzcuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos.
Além das receitas com milho, também fazem parte do cardápio desta época: arroz doce, bolo de amendoim, bolo de pinhão, bombocado, broa de fubá, cocada, pé-de-moleque, quentão, vinho quente, batata doce e muito mais.

Simbologia Junina

FOGUEIRA

As fogueiras juninas merecem uma consideração à parte. A de Santo Antonio é quadrada. A de São João, redonda. A de São Pedro, triangular.

O festeiro escolhido para comandar os festejos de qualquer um dos santos de junho deve escolher um bom Capitão de Mastro e um bom Alferes de bandeira, os quais organizarão a fogueira, tratarão da implantação do mastro para a bandeira e mandarão confeccionar (onde ainda não existir) a própria bandeira.

É adequado, também, fincar-se um pau-de-sebo no local da festa, para diversão dos jovens. A fogueira centraliza a festa.

A LAVAGEM DO SANTO

Na festa de São João, em alguns locais se costuma realizar a “lavagem” ou o “batismo” do santo. Este ritual deve ser realizado antes da meia-noite, quando todos os participantes formam uma procissão com andores onde estão dispostas as imagens de alguns santos e se dirigem às margens de um riacho, rio, lagoa ou córrego das proximidades. Entoam pelo caminho diversas cantorias como:

“Viva São João Batista
Vivia Batista João

Vivia São João Batista
Que foi batizado
No rio de Jordão.”

Chegando ao riacho, sempre com cantos e com velas acesas, cada devoto recebe nas mãos uma imagem de um santo e a mergulha brevemente nas águas, ou então apanha um pouco da água e a despeja sobre a imagem. Também neste momento, cada devoto faz o sinal da crua e às vezes com a própria representação do santo. Durante a lavagem é comum cantar:

“Lira, oi lira
Corrida do mar
Quem tem seus pagãos
Pode vim batizar”.

A lavagem abençoa a imagem do santo e a água. É costume também, banhar os pés , rosto, mãos, e outras partes do corpo com o intuito e busca de proteção.

CASAMENTO CAIPIRA

A cerimônia de casamento caipira é uma manifestação realizada durante os festejos juninos, principalmente nos dias dedicados a São Pedro.

Dependendo da região e estado do Brasil o Casamento Caipira é conhecido também por outros nomes como Casamento Matuto e Casamento na Roça.

O Casamento Caipira é uma paródia às cerimônias tradicionais. O cerimonial é precedido de um grande cortejo pelas ruas da cidade, onde os principais personagens da representação são: a noiva grávida, o noivo, o delegado, o padre, os pais dos noivos, padrinhos, etc. O enlace caricaturado se desenvolve em meio à fugas do noivo, as indecisões da noiva e ameaças por parte dos pais, vigário e o delegado.

Após a celebração do casamento, inicia-se a quadrilha.

O CAIPIRA

O caipira é um tipo humano de uma determinada região. Sua vida simplória, sua falta de instrução e por vezes, até falta de higiene, são fatores hereditários que tornaram-no uma figura característica do interior paulista. Mas como qualquer tipo humano, ele possui belíssimas tradições que chegaram até nós através de gerações.

Nas festas juninas o caipira aparece já como símbolo e não mais como a representação da figura interiorana.

“AS SORTES”, VOCÊ QUER SABER A SUA?

Nas noites de 13, 24 e 29 ou na passagem do respectivo dia anterior para esses dias (o instante mágico é a meia-noite) se podem tirar “sortes” do santo, ligadas à amor, à profissão, a destino ou outros assuntos.

O Brasil é um país muito rico em acervo cultural, mas é de fundamental importância conhecê-lo, para que possamos compor a identidade de nosso povo. É através destas manifestações folclóricas, que mantêm vivas as tradições e costumes de um povo, preservando deste modo, sua identidade para futuras gerações.
Rosane Volpatto

Decoração para a Festa Junina

Extraído do Brincando e Educando

Este girassol é feito tendo como base um chapéu de palha,muito usado nas festas juninas.

Recorte uma boa quantidade de petálas de EVA ou um papel mais resistente e vá colando com cola quente em toda a aba do chapéu.

Faça o caule da flor e cole atrás do chapéu.Decore como quiser!

Esse girassol deixará a festa bem alegre e pode ser usado inclusive para decorar as mesas ou todo o ambiente.

Espantalhos na Festa Junina!

Este espantalho é uma graça e vai deixar a festa junina bem mais alegre!

Vamos ao material:

* Bola de isopor tamanho 4

*Papel crepom amarelo

*Fita de pano 2 cm (estampada xadrex)

*Papel colorset estampado (xadrex)

*Papel para enrolar balas (marrom ou preto)

Primeiro, enrole a bola de isopor com o crepom amarelo, corte o papel em forma de círculo e picote as pontas.
Amarre o papel com barbante para ficar firme.
Cole o laço de fita xadrex.

Faça os olhos e o nariz de papel mesmo.
Cole com cola quente o papel de bala que formará o cabelo.Corte um pouco a parte que não é toda picotada.
Faça o chapéu com papel colorset. Neste modelo foi usado copo de papel colorido. Se não achar pode ser com o copo de plástico, pois esta foto foi tirada de uma revista de 1995(Faça Fácil)

O espantalho depois de pronto,pode ser adaptado em qualquer coisa: Em cetinhas de palha, em copos,ect

Bonecos de caixas de leite

Vejam que decoração simples e bonita:

São bonequinhos feitos de caixas de fósforos formando uma bela festa junina!

Minha dica é a seguinte:

Fazer estes bonecos com caixas de leite para decorar as mesas ou até mesmo compor um cenário…

Para fazê-los basta usar muitos retalhos de papéis variados e bem coloridos…

As próprias crianças podem confeccionar cada um o seu boneco.
Use a aula de artes para esta atividade.
Créditos: Revista Faça Fácil – Edição 125-Junho/1995

Espantalho feito com palitos de picolé e EVA.

O material pode a ser usado pode ser modificado,no lugar do EVA podemos usar o papel cartão.
Os olhos que aqui são móveis podem ser de papel também.

Faça um chapéu e decore com a flor de girassol.
Faça o nariz em forma de triângulo.
Os cabelinhos também são feitos com palitos pintados de amarelo.
Algumas lojas já vendem estes palitos coloridos!

Decore sua escola, sala de aula e toda a Festa Junina!!!

Decoração bem caipira!

Este espantalho é feito com caixa de leite.
O corpo dele é uma caixa de leite recortada em cima formando um macacão.
Depois cubra com papel fantasia.
O braço é feito com um rolinho de jornal e TNT amarelo com palha nas pontas.
A cabeça é uma bola de jornal coberta com papel Kraft.
Os cabelos também são de kraft.
Olhos e bocas são desenhados.
No macacão coloque retalhos de EVA.
É bem simples de fazer…