Datas comemorativas – Halloween

 

Veja as publicações dos anos anteriores:

Halloween – 2010

Halloween – 2010 cont

Halloween – 2009

Halloween – 2008

Halloween – 2008 cont

Happy – Halloween –

Fonte – Portal do Professor

Tania Maria Redel Petreceli

SANTA MARIA – RS COL EST TANCREDO NEVES

Nível – Ensino Fundamental II, Ensino Médio, Jovens e Adultos

 

Dados da Aula

O que o aluno poderá aprender com esta aula

Ampliar vocabulário.

Relacionar contextos históricos com atuais.

Desenvolver habilidades escritas, orais e manuais.

Pesquisar na Internet.

Criar cartoon.

Duração das atividades
Quatro horas aula
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

Ferramentas básicas ao uso do computador e de pesquisa na Internet.

Postagem de trabalhos em blog.

Criação de cartoon.

Estratégias e recursos da aula

O que podemos fazer:
Atividade 1-

Halloween é uma festividade que atrai os alunos. Nas aulas de Inglês ela deve ter seu espaço como uma atividade de aprendizagem além de promover cultura geral.

Iniciar a aula conversando sobre superstições, medos e pesadelos.

Com a pergunta “Do you believe in ghosts?” proporcionar um debate.
(Reservar um tempo para a troca de idéias.)

Questionar quanto à expressão “nightmare“. O que significa? Como são os “nightmares” de vocês?

Vamos ver que personagens podem habitar nossos “nightmares” no vídeo a seguir.
Após, assistir ao vídeo disponível em

http://www.youtube.com/watch?v=xpvdAJYvofI acesso em 26/09/09

Este vídeo apresenta um capítulo do filme de Tim Burton – “The nightmare before Christmas”, nele podemos assistir a música “This is Halloween” cantada pelos personagens do filme.

Continue lendo…

Muitas ideias!!!

Fonte: Sintian Schimidt

 

Continue vendo outras sugestões …

Datas comemorativas – Halloween

Veja as publicações dos anos anteriores:

Halloween – 2009

Halloween – 2008

Halloween – 2007 (Veja abaixo)

31 DE OUTUBRO – DIA DAS BRUXAS

Halloween ou Dia das Bruxas é uma festa típica da Inglaterra, Estados Unidos e Canadá que acontece tradicionalmente todos os anos, no dia 31 de outubro.
À noite, crianças e adolescentes, vestidos com fantasias de fantasmas, bruxas, múmias, drácula, duendes, gnomos, entre outras criaturas, e carregando abóboras iluminadas com velas, praticam o mesmo ritual: bater de porta em porta, pedindo doces aos moradores.
Aqui, a festa já entrou para o calendário, sendo promovida, principalmente, pelos cursos de língua inglesa.

ORIGEM
O Halloween foi criado pelo povo celta, que viveu nas Ilhas Britânicas cinco séculos antes de Cristo. Eles inventaram a festa para marcar o fim oficial do verão, o início do ano novo, o término da última colheita, a renovação das leis, retorno dos rebanhos e armazenamento das provisões para o inverno.
A festa tinha vários nomes como Samhain, Samhein, La Samon e Festa do Sol. Mas o que prevaleceu foi Halloween, adaptada de “All Hallows Eve”, que significa véspera do Dia de Todos os Santos, comemorado em 1o de novembro.
Para o povo druída, Samhain marcava o fim do verão com direito a um festival em sua homenagem, conhecido como Festival Druida de Samhain, comemorado em 31 de outubro.
Segundo a lenda, as almas dos que morreram ao longo do ano voltavam para tomar os corpos dos vivos no ano que se iniciaria. Um dos rituais mais marcantes da festa eram as fogueiras acesas nas casas durante as comemorações. Os vivos que não queriam ser possuídos apagavam o fogo para que o local parecesse ser frio e indesejado, além de se vestirem com fantasias de criaturas assustadoras e desfilarem na vizinhança para afugentar os espíritos que vagavam.

TRICK OR TREAT
Originária da Irlanda, a frase traduzida significa “travessuras ou gostosuras” e é falada pelas crianças e jovens no momento em que pedem doces na vizinhança.
Quem for solicitado, deve separar as gostosuras numa sacolinha, caso contrário uma travessura pode estar por vir. Ou seja, dê um treat para não ganhar um trick.
Nos Estados Unidos, também é comum não só a troca de doces e guloseimas como de presentes entre os amigos na noite de Halloween.

EM ALGUNS PAISES
Na Irlanda, as crianças também iam de casa em casa pedindo alimentos para comemorar a noite de Halloween, sempre em nome da deusa Muck Olla. Tradição que se repete na Inglaterra, Estados Unidos e Canadá, sendo até hoje festejada nestes e em outros países.
O Dia das Bruxas é uma festa alegre e divertida que conta também com a participação dos adultos. Eles enfeitam casas, lojas, escritórios e ruas com cores (preto, lilás e roxo) e temas (fantasmas, múmias, caveiras, bruxas, abóboras, gato preto, caixões, drácula, duendes, gnomos) que lembram assombração.
Quando foram introduzidas nas cidades norte-americanas, as brincadeiras do Halloween eram consideradas violentas. Jovens quebravam janelas e cercas das fazendas, causando prejuízos aos proprietários. Com o passar dos anos, a festa passou a ser comemorada de modo saudável, sem episódios de violência.
No Brasil, a noite de Halloween é lembrada já na segunda quinzena do mês de outubro pelos cursos de inglês, bares, restaurantes e boates que, geralmente, promovem festas e happy-hours para homenagear a data.

LENDA DA ALMA PENADA
Além das bruxas e do gato preto, outro símbolo muito comum nas festas de Halloween é Jack O’Lantern, personagem de origem céltica, representado por uma abóbora com um rosto esculpido e uma vela iluminando seu interior.
Uma lenda irlandesa diz que num certo dia 31 de outubro, um homem alcoólatra e agressivo chamado Jack bebeu demais e o Diabo descera à Terra para levar sua alma. Jack, então, pede a ele para deixá-lo viver, além de mais um copo. O Diabo cede mas Jack não tem dinheiro para pagar e implora para que ele se transforme em moeda. O Diabo concorda e minutos depois, Jack vê a moeda, guardando-a em sua carteira. Só que o fecho tem o formato de uma cruz, fazendo com que o Diabo suplique para sair. Jack, então, resolve propor um trato: libertar o Diabo e ficar vivo por mais um ano. O Diabo não tem como não aceitar e concede o pedido a Jack, que resolve mudar seus hábitos, passando a ser menos violento com sua família.
No ano seguinte, exatamente no dia 31 de outubro, o Diabo volta e reclama por sua alma. Jack o convence a pegar uma maçã numa árvore próxima e sem que ele perceba, risca uma cruz no tronco com um canivete. O Diabo foge e promete só retornar dez anos depois. Mas Jack não aceita e diz que só irá libertá-lo se ele nunca mais aparecer. O Diabo concorda mais uma vez.
Um ano se passa e Jack morre. Ao entrar no céu, é barrado, tendo que se dirigir ao inferno, onde sua entrada não é permitida pelo Diabo. Mesmo assim, ele fica com pena da alma de Jack e lhe oferece um pedaço de carvão que ele usa para iluminar um nabo esculpido em forma de lanterna. Ela vai iluminar os caminhos do espírito de Jack. Daí o nome Jack O’Lantern, uma alma errante vagando pelo mundo dos vivos

AS ABÓBORAS
Conta a lenda que na festa de Samhain, as fogueiras das casas eram acesas a partir das brasas de uma fogueira sagrada. Para levar a brasa, os moradores usavam um nabo como se fosse um lampião. Daí, os irlandeses, assim como Jack, passaram a esculpir nabos e também beterrabas e usá-los como lanternas ou lampiões.
Quando emigraram para a América, não encontraram nabos e beterrabas em grande quantidade, tendo que trocar por abóboras. Desde então, fazem parte da decoração nas noites de Halloween. Elas também representam as almas dos mortos, segundo a lenda de Samhain.

IDÉIAS PARA ENFEITAR A CLASSE

Fantasminha pode ser para decorar a sala ou pode ser feito um para cada criança. Pode ser confeccionado em EVA ou papel cartão.
Colar atrás um pirulito ou doce.

Aranha é feita de pratinho de papel. Deve ser pintada, cortada ao meio e costurada dos lados.
Depois de pronta, colocar pirulitos ou balas dentro e pendurar na porta da sala para que as crianças peguem ao irem embora para casa


Pode ser feito como lembrancinha, como porta-retrato utilizando a foto da criança.

Sacolinhas podem estar cheias de balas e brinquedos. Podem ser confeccionadas e enfeitadas com papel.

Bruxinhas de EVA

DESENHOS PARA PINTAR

CAIXA SURPRESA

Molde

ABÓBORA

Molde

Referências

http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/datas/halloween/home.html
http://blog.orolix.com.br/blog/brincandoeducando/
http://www.kadike.com.br
http://www.qdivertido.com.br/vamosbrincar.php

Projeto para o Dia das Bruxas

Fonte: Editora Informal

A bruxa Horrilda estava toda confiante com a chegada do Halloween. Iria montar muitas abóboras horrorosas e com elas assustar todo o mundo! Mas para a sua surpresa as abóboras e demais vegetais sumiram do mercado! E sabe por que? As crianças não comem mais vegetais e os vendedores resolveram esquecê-las. Mas Horrilda têm uns amigos na fazenda que e irão ajudá-la. Leve seus alunos a este passeio: ajude Horrilda montar sua abóbora e ensine às crianças um pouquinho sobre o valor nutritivo dos vegetais.

Neste mês comemoramos o Halloween, o mês das bruxas! E todos nós queremos participar, fazendo lindas abóboras e ir de casa em casa assustar todo mundo! Mas há um problema, está existindo uma grande falta de abóboras e vegetais na cidade, isso porque, as crianças não gostam de vegetais, sendo assim, legumes e vegetais não estão mais sendo vendidas nas feiras e supermercados.
Para resolver o problema, a Bruxa Horrilda convidou todas as crianças a procurar a Super Bruxa Feiózoca. Pois como ela é muito experiente, foi escolhida para resolver este caso! Ela aconselhou procurar a fazenda da Bruxalândia , onde todos poderiam colher o material necessário, podendo, assim, participar do concurso da mais Bela Abóbora!
A visita à Bruxalância será composta de pequenos jogos e atividades, todos relacionados a questões de plantações de verduras, vegetais e ervas, que poderão ser feitos na quantidade e na ordem que o educador preferir.
A seqüência de jogos será aplicada pela “Bruxa Horrilda” que será o educador ou animador que conduzirá a atividade. Se este tiver espírito festivo poderá se fantasiar de Bruxo e isto será muito bem aceito pelas crianças. Apenas um chapéu de bruxa na cabeça também ajudará a animar a brincadeira.
No caso do educador não achar conveniente usar fantasia ele poderá se dirigir a “uma bruxa imaginária”, como se ela tivesse pedido que tal coisa fosse feita e o professor está agora transmitindo aos alunos.

Narração: A entrada na Bruxolândia somente será permitida às crianças que conhecerem sobre vegetais. Assim a “Bruxa Horrilda” pede que seja aplicado um “teste”:

Preparação: Providencia-se pequenos pedaços de vegetais crus (um para cada aluno) de 10 qualidades diferentes. As crianças colocam-se em círculos, sentados no chão e com os olhos vendados.

Desenrolar: Colocam-se os pedaços de vegetais um a um na boca das crianças observando-se sempre a mesma ordem. No término, os alunos abrirão os olhos e tentarão fazer uma lista de vegetais que comeram. Para ficar mais fácil, os alunos podem ser divididos em equipes (de 4 ou 5 alunos cada uma) para tentarem resolver juntos esta tarefa.

Explicação: No final a “Bruxa Horrilda “, irá explicar a importância de ter-se uma alimentação equilibrada rica em proteínas, fibras e vegetais, e como estes últimos têm um grande valor nutritivo.

Narração: Para se fazer o nariz das abóboras o ideal é uma boa cenoura. Feiozóca leva a “turma” para conhecer uma plantação de cenouras. O fazendeiro não é “de muitos amigos” e não quer dar, nem tampouco vender algumas cenouras. A Bruxa consegue finalmente convecê-lo dizendo que os meninos irão ajudá-lo na plantação.

O fazendeiro é muito exigente é ficará controlando a operação, se as sementes não forem colocadas corretamente nas covas, o fazendeiro fará os meninos retirá-las e começar tudo de novo até que fique do jeitinho que ele quer.

Preparação: As crianças devem ser divididas em quatro equipes com igual número de participantes*. Estas equipes participaram do jogo em forma de revezamento e para isto devem ficar em fileiras uma ao lado da outra atrás de uma linha demarcada no chão para ser a linha de partida.

Na frente de cada fileira marca-se, com giz, uma cruz no chão distante uma da outra 1 m, em cima de cada marca colocam-se “três sementes de cenouras” na verdade, três pedrinhas. Na frente das sementes enfileiradas terão três círculos de cerca de 30 cm de diâmetro, que serão as covas, estes círculos também estarão distantes um do outro cerca de 1m. O desenho ao lado mostra como deverá ser preparado este jogo.

Desenrolar: A primeira criança de cada fileira sai em direção às sementes, pega cada uma delas e coloca, uma por uma nas covas, de forma que cada cova fique com uma semente plantada. Feito isso ela corre na direção de sua equipe e lá chegando bate na mão do próximo elemento. Como o fazendeiro não ficará contente com a forma que as sementes foram plantadas, o próximo elemento deverá, após Ter sido tocado na mão pelo seu antecessor, correr e pegar cada uma das pedras nas covas e na volta colocar cada uma nos seus lugares respectivos, marcados com o “x” no chão. De volta a sua equipe bate na mão do próximo elemento de sua equipe que sairá correndo e colocará as “sementes” novamente na cova. Estas operações, de plantar e “desplantar” serão feitas sucessivamente até todos os elementos da equipe tenham jogado.

Vence a equipe que terminar primeiro e com todos os seus elementos sentados.
O fazendeiro finalmente fica agradecido pela ajuda das crianças e da uma cenoura para cada uma delas.

* No caso de não ser possível ter o número igual de participantes para cada equipe, pode-se resolver facilmente a situação fazendo com que o primeiro aluno da equipe que tem um elemento a menos jogue duas vezes.

A dobradura do sapo está disponibilizada no www.editorainformal.com.br/atividades/atividades-set.htm

Os cabelos das abóboras são feitos de leguminosas, que podem ser agrião, chicória ou mesmo alface. Começando, portanto, por eles a “Bruxa Horrilda” leva todos para o primeiro canteiro, que é de alface.
Lá chegando percebem que o Espantalho que deveria estar tomando conta do canteiro de alfaces abandonou o seu posto. Pesquisando a bruxa percebe que a razão disso é porque a horta esta infestada de passarinhos que não param de bicar e comer todas as alfaces. Isto está deixando o espantalho louco por não conseguir defender o seu pedaço.
As crianças serão convidadas para ajudar o Espantalho. Mesmo porque elas precisam comprar as alfaces para montarem as suas abóboras e quem as vende é o Espantalho fujão.
Preparação: As crianças devem ser dividias em quatro equipes, para cada uma delas dá-se o nome de uma cor, por exemplo: vermelho, azul, verde e amarelo. Se for possível amarra-se uma fita da cor da equipe no braço de cada um dos membros da equipe.
Delimita-se uma área para desenvolver-se o jogo, que poderá ser uma parte de uma quadra poliesportiva. O importante que esta área seja quadrada. No centro de cada um dos lados da quadra coloca-se um “gol”, que será o ninho do passarinho.

Este gol pode ser feito com duas travas ou dois marcos distante 1m um do outro (dois tijolos, por exemplo). Desta forma haverá um gol para cada equipe e, para marcar esta propriedade, coloca-se uma fita na cor da equipe em cada um deles.
Providenciam-se bolinhas de ping-pong na razão de uma bolinha por participante. Estas bolinhas ficarão dispostas aleatoriamente pelo campo.
Será bastante interessante ter um juiz em cada ninho (gol). O jogo não utilizará goleiros.

Desenrolar: As crianças deverão espantar os passarinhos assoprando, pois são encantados e esse é o único meio de espantá-los. Além do mais o espantalho não gosta que os maltratem. , por isso quer levá-los de volta ao seu ninho, o grupo que terminar primeiro ganhará o jogo e as alfaces de graça!


Perfume de bruxa
As bruxas também gostam de andar bem perfumadinhas e fazem os preparados em seus grandes caldeirões pretos. Muitas vezes elas utilizam de ervas que encontramos na fazenda.Um exemplo é o perfume que a Horrilda vai ensinar às crianças:

Você precisará de:• Um punhado de alecrim
• 1 copo de água
• 4 colheres de álcool

Modo de preparo:
Juntar o punhado de alecrim ao copo de água e levar ao fogo até ferver. Deixar em ebulição por cerca de 5 minutos. Deixar esfriar. Filtrar o chá em um filtro de papel próprio para café. Adicionar ao chá filtrado as 4 colheres de álcool. Colocar em um vidro, fechar bem e usar após o banho.
Enquanto se espera o chá ferver e esfriar pode-se fornecer algumas informações sobre o alecrim:
O alecrim é uma planta bonita de folhas pontudas parecidas com aquelas do pinheirinho de Natal e muito cheirosa.
Ela é usada como tempero na cozinha: É usada como tempero nas carnes de peru e frango e é de uso obrigatório na cozinha portuguesa.
Como cosmético: usado nos cabelos para torná-lo cabelo brilhante e sedoso, ferver suas folhinhas em uma panelinha aberta retira todos os odores da cozinha, pode ser usada embrulhada em lencinhos dentro das gavetas e armários e deixará a roupa cheirosa.
Como remédio: dor de cabeça, para melhorar o funcionamento dos rins e facilitar a digestão.
Para plantar um pé de alecrim basta retirar uma mudinha de uma planta adulta. Ela cresce com muita facilidade em qualquer tipo de solo, prefere os lugares ensolarados. Fica com aproximadamente um metro de altura e permanece verde o ano todo.

Ainda para fazer cabelos diferentes para as abobóras os meninos chegam à Horta do Mago Hérbaloso Meticuloso e ele irá explicar a todos que as ervas são um método natural de fazer alguns remédios, que em forma de chás e pomadas, são utilizados desde o começo dos tempos.
Um pouco de história:
Alguns papiros datados de 1550 ac mostram que os egípcios usavam ervas na medicina, na cosmética e na culinária, mas principalmente para embalsamar corpos.
A Índia atingiu o apogeu do uso de ervas ao ponto de ser a motivadora das frotas europeias lançarem-se ao mar em busca de temperos e especiarias… Da Índia vieram a babosa, o cravo, a canela, a pimenta e o gergelim.
Até hoje as pessoas costumam Ter hortas caseiras para soluções na área da cosmética e medicinal, por exemplo:

Para os cabelos
Camomila: para clarear
Sálvia: para escurecer
Urtiga: para combater a queda
Alecrim: para fortificar
Salsa: para estimular o crescimento

Para perfumar:
Camomila, gerânio, lavanda e calêndula

Medicinal
Para a digestão: Alecrim, camomila, hortelã, melissa e tomilho
Calmante: Hortelã, sálvia, manjericão, calêndula
Tosse: Aneto, camomila, confrei, hortelã, manjericão, xarope de
agrião, xarope de guaco

Temperos mais famosos
Orégano, manjericão, hortelã e alecrim

Seria muito interessante se um colaborador fizesse o papel do Mago Herbaloso Meticuloso e após dar a explicação acima tivesse a sua disposição alguns vasos com pequenas amostras das ervas citadas.
Uma explicação sobre o nome científico de cada uma das ervas poderá ser reforçada com a aplicação do seguinte jogo.


Jogo de forca na horta

Allium shoenosprasum cebolinha
Aloe Vera Babosa
Anthemis nobilis Camomila
Coriandum sativum Coentro
Melissa officinalis Erva cidreira
Ocimum basilicum Manjericão
Rosmarinus officinalis Alecrim
Rumex scutatus Azedinha
Ruta graveolens Arruda
Symphytum officinalis Confrei

No quadro negro ou em um cartaz, fazer vinte e dois tracinhos, uma vez que a maior palavra desta lista tem vinte e um caracteres e um espaço.
_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _
Dividir os meninos em quatro equipe e escolher uma palavra da lista

Desenrolar:

Cada equipe poderá dizer uma letra que acredita faz parte da palavra escolhida pelo “MAGO”. O coordenador do jogo (O Mago ou a Bruxa Horrilda) irá verificar se a palavra que ele escolheu possui a letra falada. Em caso positivo, colocará a letra sobre o risco correspondente a posição que a letra possui na palavra.
Vamos supor que a palavra escolhida foi:
M E L I S S A O F F I C I N A L I S

E a letra falada pela equipe foi N, assim esta letra será colocada na posição:

__ __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ __ N __ __ __ __ __ __ __

Se a letra aparecer duas vezes ela será colocada somente uma, sendo necessário que as crianças a mencionem novamente para ser outra vez colocada.
As linhas terão sempre os vinte e dois espaços independentemente do seu comprimento. Ficando simplesmente em branco a fim de não serem indicativos da palavra escolhida.
As equipes uma a uma vão dando palpite sobre as letras e estas vão sendo colocadas nos lugares correspondentes quando estiverem presentes na palavra escolhida.
Quando um número razoável de letras for colocado já será possível as equipes adivinharem a palavra que foi escolhida pelo coordenador do jogo. Assim cada equipe poderá arriscar um palpite, mas isto somente poderá ser feito na sua vez de jogar e mesmo assim, somente quando tiverem mencionado acertadamente uma das letras. A equipe deverá adivinhar a palavra, mas mencioná-la em seu nome corriqueiro. Quem acertar ganha um ponto.
Recomeça-se a jogada da mesma forma, vencerá o jogo a equipe que primeiro fazer três pontos.

Com todo o material necessário à mão, cada equipe de bruxos faz seu boneco de abóbora, que será avaliada pela Horrilda, premiando com balas a mais bela abóbora!
Uma outra forma de terminar esta atividade será preparando com as crianças alguns pratos típicos da fazenda. Abaixo estão algumas receitas que podem ser apreciadas pelas crianças:

Mergulhados em calda de urubu branco
(Fondue de legumes)
Você precisará de:
• 4 cenouras
• 1 pé de aipo
• 1 couve-flor pequena
• 1 erva-doce
• 1 repolho
• 1 cebola pequena
• 1 embalagem de queijo branco
• 3 fatias de presunto
• sal, pimenta e outros temperos
Modo de preparo:
Cortar as cenouras (depois de descascadas), o aipo, e erva-doce em tiras.Separam-se os pequenos ramos da couve-flor. Lavar todos os legumes em água fria e escorre-los bem. Lavar também o repolho e tirar–lhe o centro.
Cortar em pedacinhos o presunto e a cebola e depois misturar com o queijo branco em uma tigela pequena. Juntar o sal, a pimenta e outros temperos à gosto.
Colocar a tigela no meio do repolho e este num bonito prato e em volta, colocar os legumes cortados em tiras e já servir o fondue!
Comem-se os legumes mergulhando-os no molhe do potinho.

Legumes ao leite de morcego encantado
Você precisará de:
• alface
• 1 cebola
• 1 pepino grande
• 3 tomates
• 50 g. De queijo branco
• 8 azeitonas pretas
• 4 colheres de sopa de azeite
• 1 colher de sopa de suco de limão
• hortelã seca
• sal
Modo de preparo:
Cortar o alface em tiras com tesoura de cozinha. Cortar o pepino (depois de descascado) e os tomates em cubo. Colocar o alface numa saladeira e juntar com os legumes cortados e a cebola. Cortar o queijo em cubos pequenos. Fazer o molho com o sumo de limão, azeite, hortelã e sal e misture bem. Deitar o molho sobre os legumes, colocar as azeitonas nas bordas da salada e o queijo no meio.

Salada de pernas de lagarto verde
Você precisará de:
• 1 pepino
• 1 iogurte
• 2 queijos frescos
• 1 dente de alho
• sumo de meio limão
• 2 colheres de sopa de azeite
• hortelã
• sal e pimenta
Modo de preparo:
Cortar os pepinos em cubos grandes depois de descascá-los e coloca-los em uma tigela.Em outra tigela, colocar o iogurte e o queijo fresco e juntar o alho picado, a hortelã e o sumo de limão e também o azeite, o sal e a pimenta. Misturar bem.
Deitar este molho sobre o pepino e a sua salada está pronta!


Fonte: Bala de Goma

Clique nas figuras para vê-las em tamanho maior

.

.

.

.

Mais ideias criativas do blog Bala de Goma

Molde

You might also like:

<strong>31 DE OUTUBRO – DIA DAS BRUXAS</strong>

Halloween ou Dia das Bruxas é uma festa típica da Inglaterra, Estados Unidos e Canadá que acontece tradicionalmente todos os anos, no dia 31 de outubro.
À noite, crianças e adolescentes, vestidos com fantasias de fantasmas, bruxas, múmias, drácula, duendes, gnomos, entre outras criaturas, e carregando abóboras iluminadas com velas, praticam o mesmo ritual: bater de porta em porta, pedindo doces aos moradores.
Aqui, a festa já entrou para o calendário, sendo promovida, principalmente, pelos cursos de língua inglesa.

<strong>ORIGEM</strong>
O Halloween foi criado pelo povo celta, que viveu nas Ilhas Britânicas cinco séculos antes de Cristo. Eles inventaram a festa para marcar o fim oficial do verão, o início do ano novo, o término da última colheita, a renovação das leis, retorno dos rebanhos e armazenamento das provisões para o inverno.
A festa tinha vários nomes como Samhain, Samhein, La Samon e Festa do Sol. Mas o que prevaleceu foi Halloween, adaptada de “All Hallows Eve”, que significa véspera do Dia de Todos os Santos, comemorado em 1o de novembro.
Para o povo druída, Samhain marcava o fim do verão com direito a um festival em sua homenagem, conhecido como Festival Druida de Samhain, comemorado em 31 de outubro.
Segundo a lenda, as almas dos que morreram ao longo do ano voltavam para tomar os corpos dos vivos no ano que se iniciaria. Um dos rituais mais marcantes da festa eram as fogueiras acesas nas casas durante as comemorações. Os vivos que não queriam ser possuídos apagavam o fogo para que o local parecesse ser frio e indesejado, além de se vestirem com fantasias de criaturas assustadoras e desfilarem na vizinhança para afugentar os espíritos que vagavam.

<strong>TRICK OR TREAT</strong>
Originária da Irlanda, a frase traduzida significa “travessuras ou gostosuras” e é falada pelas crianças e jovens no momento em que pedem doces na vizinhança.
Quem for solicitado, deve separar as gostosuras numa sacolinha, caso contrário uma travessura pode estar por vir. Ou seja, dê um treat para não ganhar um trick.
Nos Estados Unidos, também é comum não só a troca de doces e guloseimas como de presentes entre os amigos na noite de Halloween.

<strong>EM ALGUNS PAISES</strong>
Na Irlanda, as crianças também iam de casa em casa pedindo alimentos para comemorar a noite de Halloween, sempre em nome da deusa Muck Olla. Tradição que se repete na Inglaterra, Estados Unidos e Canadá, sendo até hoje festejada nestes e em outros países.
O Dia das Bruxas é uma festa alegre e divertida que conta também com a participação dos adultos. Eles enfeitam casas, lojas, escritórios e ruas com cores (preto, lilás e roxo) e temas (fantasmas, múmias, caveiras, bruxas, abóboras, gato preto, caixões, drácula, duendes, gnomos) que lembram assombração.
Quando foram introduzidas nas cidades norte-americanas, as brincadeiras do Halloween eram consideradas violentas. Jovens quebravam janelas e cercas das fazendas, causando prejuízos aos proprietários. Com o passar dos anos, a festa passou a ser comemorada de modo saudável, sem episódios de violência.
No Brasil, a noite de Halloween é lembrada já na segunda quinzena do mês de outubro pelos cursos de inglês, bares, restaurantes e boates que, geralmente, promovem festas e happy-hours para homenagear a data.

<strong>LENDA DA ALMA PENADA</strong>
Além das bruxas e do gato preto, outro símbolo muito comum nas festas de Halloween é Jack O’Lantern, personagem de origem céltica, representado por uma abóbora com um rosto esculpido e uma vela iluminando seu interior.
Uma lenda irlandesa diz que num certo dia 31 de outubro, um homem alcoólatra e agressivo chamado Jack bebeu demais e o Diabo descera à Terra para levar sua alma. Jack, então, pede a ele para deixá-lo viver, além de mais um copo. O Diabo cede mas Jack não tem dinheiro para pagar e implora para que ele se transforme em moeda. O Diabo concorda e minutos depois, Jack vê a moeda, guardando-a em sua carteira. Só que o fecho tem o formato de uma cruz, fazendo com que o Diabo suplique para sair. Jack, então, resolve propor um trato: libertar o Diabo e ficar vivo por mais um ano. O Diabo não tem como não aceitar e concede o pedido a Jack, que resolve mudar seus hábitos, passando a ser menos violento com sua família.
No ano seguinte, exatamente no dia 31 de outubro, o Diabo volta e reclama por sua alma. Jack o convence a pegar uma maçã numa árvore próxima e sem que ele perceba, risca uma cruz no tronco com um canivete. O Diabo foge e promete só retornar dez anos depois. Mas Jack não aceita e diz que só irá libertá-lo se ele nunca mais aparecer. O Diabo concorda mais uma vez.
Um ano se passa e Jack morre. Ao entrar no céu, é barrado, tendo que se dirigir ao inferno, onde sua entrada não é permitida pelo Diabo. Mesmo assim, ele fica com pena da alma de Jack e lhe oferece um pedaço de carvão que ele usa para iluminar um nabo esculpido em forma de lanterna. Ela vai iluminar os caminhos do espírito de Jack. Daí o nome Jack O’Lantern, uma alma errante vagando pelo mundo dos vivos

<strong>AS ABÓBORAS</strong>
Conta a lenda que na festa de Samhain, as fogueiras das casas eram acesas a partir das brasas de uma fogueira sagrada. Para levar a brasa, os moradores usavam um nabo como se fosse um lampião. Daí, os irlandeses, assim como Jack, passaram a esculpir nabos e também beterrabas e usá-los como lanternas ou lampiões.
Quando emigraram para a América, não encontraram nabos e beterrabas em grande quantidade, tendo que trocar por abóboras. Desde então, fazem parte da decoração nas noites de Halloween. Elas também representam as almas dos mortos, segundo a lenda de Samhain.

<strong>IDÉIAS PARA ENFEITAR A CLASSE</strong>

<a href=”http://bp2.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx36HGvzPFI/AAAAAAAAAY4/IMJJ9rB3lyw/s1600-h/48_1106a.jpg”><img style=”float:left; margin:0 10px 10px 0;cursor:pointer; cursor:hand;” src=”http://bp2.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx36HGvzPFI/AAAAAAAAAY4/IMJJ9rB3lyw/s320/48_1106a.jpg” border=”0″ alt=””id=”BLOGGER_PHOTO_ID_5124526950994623570″ /></a>
Fantasminha pode ser para decorar a sala ou pode ser feito um para cada criança. Pode ser confeccionado em EVA ou papel cartão.
Colar atrás um pirulito ou doce.

<a href=”http://bp3.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx36nWvzPGI/AAAAAAAAAZA/jVGDiCX7mjI/s1600-h/48_3226.jpg”><img style=”float:right; margin:0 0 10px 10px;cursor:pointer; cursor:hand;” src=”http://bp3.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx36nWvzPGI/AAAAAAAAAZA/jVGDiCX7mjI/s320/48_3226.jpg” border=”0″ alt=””id=”BLOGGER_PHOTO_ID_5124527505045404770″ /></a>
Aranha é feita de pratinho de papel. Deve ser pintada, cortada ao meio e costurada  dos lados.
Depois de pronta, colocar pirulitos ou balas dentro e pendurar na porta da sala para que as crianças peguem ao irem embora para casa

<a href=”http://bp1.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx37A2vzPHI/AAAAAAAAAZI/eTwdg-jGhjE/s1600-h/48_1602.jpg”><img style=”float:left; margin:0 10px 10px 0;cursor:pointer; cursor:hand;” src=”http://bp1.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx37A2vzPHI/AAAAAAAAAZI/eTwdg-jGhjE/s320/48_1602.jpg” border=”0″ alt=””id=”BLOGGER_PHOTO_ID_5124527943132068978″ /></a>
Pode ser feito como lembrancinha, como porta-retrato utilizando a foto da criança.

<a href=”http://bp1.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx37g2vzPII/AAAAAAAAAZQ/dIHjRDfrK0c/s1600-h/46_405a.jpg”><img style=”float:right; margin:0 0 10px 10px;cursor:pointer; cursor:hand;” src=”http://bp1.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx37g2vzPII/AAAAAAAAAZQ/dIHjRDfrK0c/s320/46_405a.jpg” border=”0″ alt=””id=”BLOGGER_PHOTO_ID_5124528492887882882″ /></a>
Sacolinhas podem estar cheias de balas e brinquedos. Podem ser confeccionadas e enfeitadas com papel.

<a href=”http://bp0.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx37vmvzPJI/AAAAAAAAAZY/GQHzmbD7MWo/s1600-h/48_2657.jpg”><img style=”float:left; margin:0 10px 10px 0;cursor:pointer; cursor:hand;” src=”http://bp0.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx37vmvzPJI/AAAAAAAAAZY/GQHzmbD7MWo/s320/48_2657.jpg” border=”0″ alt=””id=”BLOGGER_PHOTO_ID_5124528746290953362″ /></a>

Bruxinhas de EVA

<strong>DESENHOS PARA PINTAR</strong>

<a href=”http://bp1.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx37-2vzPKI/AAAAAAAAAZg/bMdY_aDcy0Y/s1600-h/brux.gif”><img style=”float:right; margin:0 0 10px 10px;cursor:pointer; cursor:hand;” src=”http://bp1.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx37-2vzPKI/AAAAAAAAAZg/bMdY_aDcy0Y/s320/brux.gif” border=”0″ alt=””id=”BLOGGER_PHOTO_ID_5124529008283958434″ /></a>

<a href=”http://bp1.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx38N2vzPLI/AAAAAAAAAZo/ZSdjx3IWCjU/s1600-h/bruxinha.gif”><img style=”float:left; margin:0 10px 10px 0;cursor:pointer; cursor:hand;” src=”http://bp1.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx38N2vzPLI/AAAAAAAAAZo/ZSdjx3IWCjU/s320/bruxinha.gif” border=”0″ alt=””id=”BLOGGER_PHOTO_ID_5124529265981996210″ /></a>

<a href=”http://bp3.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx38wWvzPMI/AAAAAAAAAZw/2aMUgbkOqcY/s1600-h/susto.gif”><img style=”float:right; margin:0 0 10px 10px;cursor:pointer; cursor:hand;” src=”http://bp3.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx38wWvzPMI/AAAAAAAAAZw/2aMUgbkOqcY/s320/susto.gif” border=”0″ alt=””id=”BLOGGER_PHOTO_ID_5124529858687483074″ /></a>

<strong>CAIXA SURPRESA</strong>
<a href=”http://bp0.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx39NmvzPNI/AAAAAAAAAZ4/Sn-ZwJmGu9o/s1600-h/caixa+surpresa.gif”><img style=”float:left; margin:0 10px 10px 0;cursor:pointer; cursor:hand;” src=”http://bp0.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx39NmvzPNI/AAAAAAAAAZ4/Sn-ZwJmGu9o/s320/caixa+surpresa.gif” border=”0″ alt=””id=”BLOGGER_PHOTO_ID_5124530361198656722″ /></a>
<a href=”http://bp3.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx39cWvzPOI/AAAAAAAAAaA/miEUuE6R5VY/s1600-h/surpresa_COR.gif”><img style=”float:right; margin:0 0 10px 10px;cursor:pointer; cursor:hand;” src=”http://bp3.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx39cWvzPOI/AAAAAAAAAaA/miEUuE6R5VY/s320/surpresa_COR.gif” border=”0″ alt=””id=”BLOGGER_PHOTO_ID_5124530614601727202″ /></a>

<strong>ABÓBORA</strong>
<a href=”http://bp0.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx390mvzPPI/AAAAAAAAAaI/PS6vIeSgJKk/s1600-h/pp_cor.gif”><img style=”float:left; margin:0 10px 10px 0;cursor:pointer; cursor:hand;” src=”http://bp0.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx390mvzPPI/AAAAAAAAAaI/PS6vIeSgJKk/s320/pp_cor.gif” border=”0″ alt=””id=”BLOGGER_PHOTO_ID_5124531031213554930″ /></a>
<a href=”http://bp1.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx3-B2vzPQI/AAAAAAAAAaQ/bYIXToGHhUs/s1600-h/abobora_cor.gif”><img style=”float:right; margin:0 0 10px 10px;cursor:pointer; cursor:hand;” src=”http://bp1.blogger.com/_xq0jLp69uJw/Rx3-B2vzPQI/AAAAAAAAAaQ/bYIXToGHhUs/s320/abobora_cor.gif” border=”0″ alt=””id=”BLOGGER_PHOTO_ID_5124531258846821634″ /></a>

<strong>Referências</strong>

http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/datas/halloween/home.html
http://blog.orolix.com.br/blog/brincandoeducando/
http://www.kadike.com.br
http://www.qdivertido.com.br/vamosbrincar.php

Datas comemorativas – HALLOWEEN

HISTÓRIA DO HALLOWEEN

A palavra Halloween tem origem na Igreja católica. Vem de uma corrupção contraída do dia 1 de novembro, “Todo o Dia de Buracos” (ou “Todo o Dia de Santos”), é um dia católico de observância em honra de santos. Mas, no século V DC, na Irlanda Céltica, o verão oficialmente se concluía em 31 de outubro. O feriado era Samhain, o Ano novo céltico.
Alguns bruxos acreditam que a origem do nome vem da palavra hallowinas – nome dado às guardiãs femininas do saber oculto das terras do norte (Escandinávia).

O Halloween marca o fim oficial do verão e o início do ano-novo. Celebra também o final da terceira e última colheita do ano, o início do armazenamento de provisões para o inverno, o início do período de retorno dos rebanhos do pasto e a renovação de suas leis. Era uma festa com vários nomes: Samhain (fim de verão), Samhein, La Samon, ou ainda, Festa do Sol. Mas o que ficou mesmo foi o escocês Hallowe’en.

Uma das lendas de origem celta fala que os espíritos de todos que morreram ao longo daquele ano voltariam à procura de corpos vivos para possuir e usar pelo próximo ano. Os celtas acreditavam ser a única chance de vida após a morte. Os celtas acreditaram em todas as leis de espaço e tempo, o que permitia que o mundo dos espíritos se misturassem com o dos vivos.

Como os vivos não queriam ser possuídos, na noite do dia 31 de outubro, apagavam as tochas e fogueiras de suas casa, para que elas se tornassem frias e desagradáveis, colocavam fantasias e ruidosamente desfilavam em torno do bairro, sendo tão destrutivos quanto possível, a fim de assustar os que procuravam corpos para possuir, (Panati).

Os Romanos adotaram as práticas célticas, mas no primeiro século depois de Cristo, eles as abandonaram.

O Halloween foi levado para os Estados Unidos em 1840, por imigrantes irlandeses que fugiam da fome pela qual seu país passava e passa ser conhecido como o Dia das Bruxas.

Travessuras ou Gostosuras?(Trick-or-treat)

A brincadeira de “doces ou travessuras” é originária de um costume europeu do século IX, chamado de “souling” (almejar). No dia 2 de novembro, Dia de Todas as Almas, os cristãos iam de vila em vila pedindo “soul cakes” (bolos de alma), que eram feitos de pequenos quadrados de pão com groselha.

Para cada bolo que ganhasse, a pessoa deveria fazer uma oração por um parente morto do doador. Acreditava-se que as almas permaneciam no limbo por um certo tempo após sua morte e que as orações ajudavam-na a ir para o céu.


Abóboras e velas: Jack O’Lantern (Jack da Lanterna)

A vela na abóbora provavelmente tem sua origem no folclore irlandês. Um homem chamado Jack, um alcoólatra grosseiro, em um 31 de outubro bebeu excessivamente e o diabo veio levar sua alma. Desesperado, Jack implora por mais um copo de bebida e o diabo concede. Jack estava sem dinheiro para o último trago e pede ao Diabo que se transforme em uma moeda. O Diabo concorda. Mal vê a moeda sobre a mesa, Jack guarda-a na carteira, que tem um fecho em forma de cruz. Desesperado, o Diabo implora para sair e Jack propõe um trato: libertá-lo em troca de ficar na Terra por mais um ano inteiro. Sem opção, o Diabo concorda. Feliz com a oportunidade, Jack resolve mudar seu modo de agir e começa a tratar bem a esposa e os filhos, vai à igreja e faz até caridade. Mas a mudança não dura muito tempo, não.

No próximo ano, na noite de 31 de outubro, Jack está indo para casa quando o Diabo aparece. Jack, esperto como sempre, convence o diabo a pegar uma maçã de uma árvore. O diabo aceita e quando sobe no primeiro galho, Jack pega um canivete em seu bolso e desenha uma cruz no tronco. O diabo promete partir por mais dez anos. Sem aceitar a proposta, Jack ordena que o diabo nunca mais o aborreça. O diabo aceita e Jack o liberta da árvore.
Para seu azar, um ano mais tarde, Jack morre. Tenta entrar no céu, mas sua entrada é negada. Sem alternativa, vai para o inferno. O diabo, ainda desconfiado e se sentindo humilhado, também não permite sua entrada. Mas, com pena da alma perdida, o diabo joga uma brasa para que Jack possa iluminar seu caminho pelo limbo. Jack põe a brasa dentro de um nabo para que dure mais tempo e sai perambulando. Os nabos na Irlanda eram usados como seu “lanternas do Jack” originalmente. Mas quando os imigrantes vieram para a América, eles acharam que as abóboras eram muito mais abundantes que nabos. Então Jack O’Lantern (Jack da Lanterna). na América passa a ser uma abóbora, iluminada com uma brasa.

Sua alma penada passa a ser conhecida como Jack O’Lantern (Jack da Lanterna). Quem presta atenção vê uma luzinha fraca na noite de 31 de outubro. É Jack, procurando um lugar.
enganara Satã ao subir uma árvore. Jack então esculpiu uma imagem de uma cruz no tronco da árvore, prendendo o diabo para cima a árvore. Jack fez um acordo com o diabo, se ele nunca mais o tentasse novamente, ele o deixaria árvore abaixo.
De acordo com o conto de povo, depois de Jack morrer, ele a entrada dele foi negada no Céu, por causa de seus modos de malvado, mas ele teve acesso também negado ao Inferno, porque ele enganou o diabo. Ao invés, o diabo deu a ele uma brasa única para iluminar sua passagem para a escuridão frígida. A brasa era colocada dentro de um nabo para manter por mais tempo.
Os nabos na Irlanda eram usados como seu “lanternas do Jack” originalmente. Mas quando os imigrantes vieram para a América, eles acharam que as abóboras eram muito mais abundantes que nabos. Então o Jack O’Lantern (Jack da Lanterna), na América, era em uma abóbora, iluminada com uma brasa.

BRUXAS

As bruxas têm papel importantíssimo no Halloween. Não é à toa que ela é conhecida como “Dia das Bruxas” em português. Segundo várias lendas, as bruxas se reuniam duas vezes por ano, durante a mudança das estações: no dia 30 de abril e no dia 31 de outubro. Chegando em vassouras voadoras, as bruxas participavam de uma festa chefiada pelo próprio Diabo. Elas jogavam maldições e feitiços em qualquer pessoa, transformavam-se em várias coisas e causavam todo tipo de transtorno.

Diz-se também que para encontrar uma bruxa era preciso colocar suas roupas do avesso e andar de costas durante a noite de Halloween. Então, à meia-noite, você veria uma bruxa!

A crença em bruxas chegou aos Estados Unidos com os primeiros colonizadores. Lá, elas se espalharam e misturaram-se com as histórias de bruxas contadas pelos índios norte-americanos e, mais tarde, com as crenças na magia negra trazidas pelos escravos africanos.

O gato preto é constantemente associado às bruxas. Lendas dizem que bruxas podem transformar-se em gatos. Algumas pessoas acreditavam que os gatos eram os espíritos dos mortos. Muitas superstições estão associadas aos gatos pretos. Uma das mais conhecidas é a de que se um gato preto cruzar seu caminho, você deve voltar pelo caminho de onde veio, pois se não o fizer, é azar na certa.

Halloween pelo mundo

A festa de Halloween, na verdade, equivale ao Dia de Todos os Santos e o Dia de Finados, como foi absorvido pela Igreja Católica para apagar os vínculos pagãos, origem da festa. Os países de origem hispânica comemoram o Dia dos Mortos e não o Halloween. No Oriente, a tradição é ligada às crenças populares de cada país.

Espanha
Como no Brasil, comemora-se o Dia de Todos os Santos em 1º de novembro e Finados no dia seguinte. As pessoas usam as datas para relembrar os mortos, decorando túmulos e lápides de pessoas que já faleceram.

Irlanda
A Irlanda é considerada como o país de origem do Halloween. Nas áreas rurais, as pessoas acedem fogueiras, como os celtas faziam nas origens da festa e as crianças passeiam pelas ruas dizendo o famoso “tricks or treats” (doces ou travessuras).

México
No dia 1º comemora-se o Dia dos Anjinhos, ou Dia dos Santos Inocentes, quando as crianças mortas antes do batismo são relembradas.
O Dia dos Mortos (El Dia de los Muertos), 2 de novembro, é bastante comemorado no México. As pessoas oferecem aos mortos aquilo que eles mais gostavam: pratos, bebidas, flores. Na véspera de Finados, família e amigos enfeitam os túmulos dos cemitérios e as pessoas comem, bebem e conversam, esperando a chegada dos mortos na madrugada.
Uma tradição bem popular são as caveiras doces, feitas com chocolate, marzipã e açúcar.

Tailândia
Nesse país, existe o festival Phi Ta Khon, comemorado com música e desfiles de máscaras acompanhados pela imagem de Buda. Segundo a lenda, fantasmas e espíritos andam entre os homens. A festividade acontece no primeiro dia das festas budistas.

Alguns significados simbólicos

A abóbora: simboliza a fertilidade e a sabedoria

A vela: indica os caminhos para os espíritos do outro plano astral.

O caldeirão: fazia parte da cultura – como mandaria a tradição. Dentro dele, os convidados devem atirar moedas e mensagens escritas com pedidos dirigidos aos espíritos.

A vassoura: simboliza o poder feminino que pode efetuar a limpeza da eletricidade negativa. Equivocadamente, pensa-se que ela servia para transporte das bruxas.

as moedas: devem ser recolhidas no final da festa para serem doadas aos necessitados.

Os bilhetes com os pedidos, devem ser incinerados para que os pedidos sejam mais rapidamente atendidos, pois se elevarão através da fumaça.

A aranha – simboliza o destino e o fio que tecem suas teias, o meio, o suporte para seguir em frente.

O morcego – simbolizam a clarividência, pois que vêem além das formas e das aparências, sem necessidades da visão ocular. Captam os campos magnéticos pela força da própria energia e sensibilidade.

O sapo – está ligado à simbologia do poder da sabedoria feminina, símbolo lunar e atributo dos mortos e de magia feminina.

Gato preto – símbolo da capacidade de meditação e recolhimento espiritual, autoconfiança, independência e liberdade. Plena harmonia com o Unirverso

Cores:

Laranja – cor da vitalidade e da energia que gera força. Os druidas acreditavam que nesta noite, passagem para o Ano Novo, espíritos de outros planos se aproximavam dos vivos para vampirizar a energia vital encontrada na cor laranja.

Preto – cor sacerdotal das vestes de muitos magos, bruxas, feiticeiras e sacerdotes em geral. Cor do mestre.

Roxo – cor da magia ritualística.

PAPEL DE CARTA HALLOWEEN

Fonte: Quero Colorir

Clique na figura para vê-la em tamanho aumentado.
Imprima e distribua para seus alunos

DESENHOS PARA COLORIR

Fonte:

MODELO DE BRUXA

Fonte: Oficina de Criatividade

MOLDE
Clique na figura para vê-la em tamanho aumentado