As quatro estações

Quatro estações

Conhecidas como Primavera, Verão, Outono e Inverno estas são as quatro estações presentes na natureza. Elas são as responsáveis pelo planejamento do homem em relação ao plantio e respectiva colheita, à contemplação das flores, a programação de férias, ao usar ou guardar os casacos e os cobertores no armário e mais o que a cada um interessar.

Com a certeza de que elas se repetirão ano após ano o comércio se prepara antecipadamente abastecendo-se de eletrodomésticos, coleções e tendências da moda, bem como a agricultura se renova produzindo frutas, verduras e legumes contando com as chuvas que muitas vezes pregam peça tardando a aparecer em razão da própria ação do homem. Mas isso é um assunto que merece um artigo específico.

O ser humano, integrante dessa Natureza a qual incide as quatro estações, também vive mudanças só que não da mesma forma que a Natureza.

Quando o ser humano nasce, chega com ele a Primavera, e esta será comemorada todos os anos, no mesmo dia do mesmo mês, não importando qual seja o dia da semana. A primeira Primavera fará com que os familiares, amigos e conhecidos venham apreciar, com seu olhar curioso e cheio de carinho, o novo ser que acaba de desabrochar.

Mas logo a Primavera se vai dando espaço ao Verão que permanecerá ativo durante toda a caminhada. Esta é a estação mais longa na existência de cada um de nós.

Nos primeiros meses emitirá raios, que nesse caso serão sonoros, estabelecendo a comunicação entre bebê e mãe avisando que este está com fome, que melecou a fralda, que não quer ficar sozinho, que quer colinho e tantos muitos outros recados.

O Verão iluminará a vontade de sentar, de engatinhar, de andar, de correr, de saltar, de…

Também aquecerá o abraço, o beijo, o carinho, bem como a palavras, a frase, o riso, o choro…

O verão estará presente durante toda a vida.

Haverá momentos em que o Outono chegará fazendo cair os dentes indicando que a criança está crescendo, mas em seguida, novamente, dará espaço ao Sol do Verão que chegará aquecendo os hormônios sugerindo que a adolescência chegou.

Haverá verões muito quentes. Também haverá verões mais amenos, mas sempre haverá verões.

Mesmo quando o Inverno chegar cobrindo com sua neve silenciosa cada fio de cabelo, consumindo aos poucos o caminhar ligeiro transformando-o em lento e cuidadoso. Quando a vista deixar de avistar e a coluna não mais se conservar tão ereta, ainda assim haverá Verão.

O Verão só deixará de existir quando o existir em nada mais estiver.

Datas Comemorativas – Inverno

INVERNO – 21 DE JUNHO

Fonte: Portoweb

A palavra Inverno vem do latim: hibernu, tempus hibernus. Esse tempo hibernal está associado ao ciclo biológico de alguns animais ao entrar em hibernação e se recolherem durante o período de frio intenso. É a estação que sucede o Outono e antecede a Primavera. Durante este período o principal sistema meteorológico é a frente fria. Outro aspecto que se observa nesta estação são as constantes inversões térmicas que causam nevoeiros e neblinas.

Solstício vem do latim: solstitiu = Sol Parado. É correspondente aos extremos máximos do deslocamento do Sol, o qual inverte o seu sentido de deslocamento, portanto o Sol precisa parar seu movimento para retornar.

O Solstício de Inverno – é quando predomina menor período de claridade do ano.

21 de junho – Início do Inverno

Fonte: Paulinas

As estações do ano existem devido à inclinação do eixo terrestre (de aproximadamente 23.027º) em relação ao plano da órbita da Terra ao redor do Sol e ao movimento de translação da Terra em torno do Sol.
Ao percorrer sua órbita ao redor do Sol, a Terra é iluminada pelos raios solares de maneiras diferentes, conforme sua posição.

Observa-se que, nos dias 23 de setembro e 20 de março, ambos os hemisférios terrestres são igualmente iluminados. Porém, nos dias 21 de dezembro e 21 de junho, os hemisférios sul e norte diferem quanto à iluminação.
Chama-se de solstício as posições em que a Terra se encontra em 21 de dezembro e 21 de junho. Por exemplo, dizemos que no dia 21 de junho há solstício de inverno no hemisfério sul, ou seja, ocorre a noite mais longa do ano, e solstício de verão no hemisfério norte, onde se registra o dia mais longo do ano.

Em 21 de junho, devido à inclinação do eixo terrestre, o hemisfério sul recebe menos luz solar, marcando assim o início do inverno; conseqüentemente, em posição inversa, o hemisfério norte está mais voltado para o Sol, dando início ao verão.

O inverno, no hemisfério sul, vai de 21 de junho a 23 de setembro. A estação é caracterizada pela baixa temperatura na região centro-sul. Pode também ocorrer chuva com tempestades de granizo em algumas regiões, bem como pode haver geadas, tão temidas pelos agricultores.

No inverno, os dias são mais curtos e as noites, mais longas. As árvores perdem suas últimas folhas amareladas, e as sementes, lançadas na terra, parecem apodrecer e morrer, porém suas raízes crescem e se fortalecem dentro da terra, à espera da primavera, para explodirem com vida nova.

O inverno é importante para a natureza, porque esta precisa descansar para recuperar as forças despendidas nas outras três estações. Os reinos vegetal e animal precisam hibernar para acordar com mais disposição e vigor.

Início do inverno

Fonte: Ática Educacional

Entre os dias 21 e 23 de junho, no Brasil e em todo o hemisfério sul, ocorre o solstício de inverno. O solstício de inverno corresponde ao dia em que os raios solares atingem o hemisfério sul da Terra com a menor inclinação em relação ao eixo terrestre. Portanto, as temperaturas nesse dia tendem a ser menores. A noite desse dia tem a duração mais longa do ano, mas o clima de inverno não necessariamente é mais característico nesse dia, pois depende muito de outros fatores como latitude, altitude, direção dos ventos, umidade, etc.

O início do inverno, em 21 de junho, no hemisfério sul coincide com o início do verão no hemifério norte.


Fonte: Geografia Crítica – volume 1, de J. W. Vesentini e Vânia Vlach.
São Paulo, Ática, 2000.

FIGURAS PARA COLORIR

Fonte: Cantinho Alternativo

PODE PROPOR BRINCADEIRAS COM FANTOCHES DE MEIAS