Poesia do Bem divulga trabalho com o livro Pedolândia

Livro 1

 

Paula Belmino, editora do blog Poesia do Bem desenvolveu com seus alunos, lá em Natal/RN, um belíssimo trabalho utilizando o livro Pedolândia.

Agradeço o imenso carinho de cada um de seus alunos bem como todo o seu empenho, disposição e comprometimento com a Educação, Paula Belmino!

Me sinto muito honrada por fazer parte de mais esse momento tão especial da vida escolar de vocês, de meus livros estarem presentes na leitura da Alice, e só posso dizer uma palavra; OBRIGADA!

Compartilho abaixo a “Dica de Leitura” que resultou nesse primoroso e criativo trabalho:

Passo por passo, pé ante pé, um mundo encantado de criança
Onde os primeiros passos são importantes pra dizer quem ela vai ser, quem ela é.
Ler, fantasiar, aproximar-se dos livros
E de maneira lúdica brincar, falando de valores, família, meio ambiente e regras de convivência para todos aprenderem e se educar.
Um livro cheio de mistério, onde irmãos vão descobrir um mundo novo… Pedolândia onde se fala a língua do pé. Parecida a língua do Pê que quando criança a gente aprendia dizer.
Pé de chuva, pensamento,
Pé de vento, livramento!
Pé descalço lá poderá também aprender?
E um bom pé de moleque, pra correr e também para comer.
Muita aventura para Gabriel e Gabriela, meninos que desobedecem aos seus pais, e num mundo encantado conhece o mal, mas salvo pelo pé direito logo fogem pra casa e aprendendo a falar a verdade, prometem nunca mais mentir aos seus pais, nunca mais enganar ou sair sem avisar. E os pais com muito perdão e alegria mudam o modo de agir, em vez de palmada ou castigo, as portas da liberdade aos filhos resolvem abrir.

PedolândiaCom este breve relato trago hoje a dica do livro: Pedolândia de Cybele Meyer, que a Alice recebeu de presente e claro divide com muitas crianças e entre elas meus alunos.
Além de ouvirem a história as crianças puderam na roda de conversar expor suas ideias, seus sentimentos, suas antecipações sobre os assuntos tratados no livro, além de enriquecer o vocabulário, conhecendo palavras diferentes e expressões idiomáticas que também já ouviram dos pais e avós e fazermos a interferência com outras que já ouviram fora da escola.
Por estarmos na semana das crianças usamos a história para falar dos direitos e deveres das crianças como brincar, ler, estudar, além de lazer e um bom relacionamento com a família e com os amigos. Realizamos algumas atividades como pintura do pé, onde trabalhamos coordenação motora fina e a sensibilidade, o tato, e um momento de descontração e maior aproximação das crianças através do toque e do prazer no riso e na gargalhada através do fazer cócegas ao pintar os pés e banhá-lo com água e sabão, num escalda-pés divertido.
Outra atividade foi à ilustração da história, já que é por meio do grafismo infantil, que a criança pode manifestar algumas de suas emoções e revelar como ela interpreta, além de ser percursor da escrita e de fundamental importância para o avanço das hipóteses silábicas.
Também reconstruímos as árvores de Pedolândia que ao invés de produzir frutas davam sapatos, botas, chinelos e pedimos aos pais que mandassem sapatinhos de quando as crianças eram bebês, numa tentativa de aproximar criança e pais da escola, numa maneira prazerosa e que resgata o amor, e o afeto, em doces lembranças da vida infantil. As crianças colocaram seus saptinhos na árvore na sala e reforçamos a importância de se amar as plantas e cuidarmos bem delas, a final só as árvores de verdade são fontes de alimento para nós e como estamos na primavera, reutilizamos garrafas pet e tinta guache para pintarmos flores lembrando do outro livro da escritora Cybele Meyer: A flor amarela
Vejam algumas fotos e os desenhos das crianças:

Pé 1 Pé 2 Pé 3 Pé 4 Pé 5 Pé 6 Pé 7

Pé 10 Pé 9 Pé 8

Pintura do pé, momento de afeto e escalda-pés com espuma, um momento prazeroso de se sentir o toque, sorrir e claro falar sobre higiene dos pés para a boa saúde corporal.

Pé 11 Pé 12