Falando em exemplo…

Olá amigos professores,

Na semana passada, coloquei o vídeo falando das cinco Metas do Ministério da Educação e falei também da responsabilidade que temos em cobrar de todos, e de nós mesmos, o cumprimento destas Metas.

Hoje venho dizer que muito mais do que cobrar, temos sim que colocar a mão na massa e através de nossas atitudes fazer com que as mudanças aconteçam.

Compartilho com vocês um exemplo vivido pela Professora Sandra Maria Silva de Macedo, que também é leitora do Educar Já! e que tive o prazer e a oportunidade de conversar pelo MSN.

A conversa iniciou-se sem qualquer comprometimento e eu, como de costume, perguntei de onde ela estava falando. “Sou de Pesqueira. Fica a 215 quilômetros de Recife”. Que delícia, respondi, adoro Recife.
Ela então continuou: “Porém, não moro mesmo na cidade de Pesqueira e sim, no município chamado Salobro. Tem uma média de 500 habitantes”.
E você dá aula em Salobro? Perguntei. Ela então completou: “Sim, porém não moro em Salobro e sim no Sítio que fica a três quilômetros da Vila. Estou como coordenadora da Educação Infantil, 1º e 2º ciclos e também dou aulas de Arte e Geografia”.
Salobro, por se localizar tão longe da capital e por ainda ser uma Vila, sofre com as dificuldades vividas tanto pelos professores, que são em menor número do que a necessidade, quanto pela infra-estrutura precária bem como pela falta de recursos.

Mas isso não é empecilho, pois como Sandra mesma diz: “Lutamos por uma escola de qualidade, mas muitas vezes é difícil! Falta um pouco de tudo: material, recursos, enfim… Agora estamos terminando um refeitório com muito trabalho e ajuda de todo o nosso pessoal. Arrecadamos dinheiro com festas e bingos”.

Comentou que na Feira de Ciências a escola trabalhou o Projeto de Alimentação e Saúde postado aqui no Blog. “Foi show. Teve inclusive a pirâmide alimentar. Os alunos se envolveram bastante. Não queriam que acabasse. Perguntaram se todo o mês iria ter feira!!! (risos)”.

Pedi então que me mandasse as fotos e ela me enviou as da Festa Junina que teve como tema o cooperativismo: “São João e cooperação com muita animação!”.

Olhem o capricho de todos!
Este exemplo tem que ser divulgado, compartilhado, incentivado e elogiado!
Parabéns a você Sandra e todos da sua escola.

Deliciem-se com as fotos.

Cinco Metas do Ministério da Educação

Ao assistir este filme temos a impressão de que será muito fácil realizar estas cinco metas e assim teremos Todos na Escola.

Porém, quem lida com Educação sabe o quanto é difícil dar um passo na direção de proporcionar uma mínima mudança.

Só quem respira Educação sabe quantas barreiras têm que ser vencidas diariamente.

Só quem dorme e acorda vivendo Educação sabe que não é nada simples.

Principalmente porque esse “Todos” se refere a mim, a você, aos moradores da nossa rua, do nosso bairro, da nossa cidade, do nosso estado, do nosso país.

Justamente por envolver todos nós que fica difícil.

Mas não podemos desistir!

Temos sim que COBRAR de TODOS o cumprimento destas Cinco Metas.

Somente assim propiciaremos mudanças.

Quem quiser navegar no site TODOS PELA EDUCAÇÃO é só clicar AQUI

SE QUISER DEIXAR UM COMENTÁRIO E NÃO CONSEGUIR ABRIR A JANELA, CLIQUE COM O BOTÃO DIREITO DO MOUSE E ESCOLHA A OPÇÃO “ABRIR EM NOVA JANELA”.

Qual a melhor opção para ao sucesso – ensino presencial ou a distância?

Na era do conhecimento a informação é apenas um detalhe, afinal cada dia está mais fácil ter acesso a ela. Um simples “clic” e você está diante das mais variadas formas de transmissão de conteúdo.

Neste mundo globalizado como se deve agir para se destacar no mercado de trabalho? Como fazer a diferença?

A diferença está justamente na qualidade do agir. Há que se ser competente para agir com eficiência. Somente deter o conhecimento não qualifica ninguém a agir e colher bons resultados.

Seja bem-vindo à era das idéias e da criatividade!

Para se colocar os pés nesta realidade tem que haver investimento qualificado, e este investimento tem que ocorrer na Educação seja ela presencial ou a distância.

Já está mais do que na hora de se mudar o paradigma de que Educação de qualidade é aquela que se recebe nas Universidades Federais ou nas tradicionalmente renomadas, bem como não se pode mais dividir a Educação como “dentro dos muros da escola” e fora deles. Educação tem que ser uma só, afinal a aprendizagem não tem limites e nem pode ser aprisionada por uma via de mão única.

O diferencial tem que estar na comprometida plataforma de ensino bem como na boa formação de professores e tutores independente da Educação ser presencial e/ou a distância.

Em qualquer dos casos a figura do professor é de suma importância seja no fator motivacional estabelecendo uma comunicação oral ou virtual despertando o interesse e o aprimoramento propiciando uma individualização e conseqüente aprendizado reflexivo e metacognitivo, seja elucidativa estimulando a construção colaborativa de conhecimento, potencializando o desenvolvimento de habilidades pertinentes e da cosmovisão que embasará suas atitudes diante dos acontecimentos.

Para se ter este posicionamento é fundamental que se analise o público a ser atingido, ou seja, seguindo a visão Freinetiana, que seja levantado o perfil do aluno indicando qual é a sua realidade permitindo conciliar a aprendizagem com as reais propostas de mercado.

O olhar do professor tem que ser global e individualista.

Além do que, o professor tem que estar ciente de que deve descartar a metodologia tradicional e tornar-se parceiro da tecnologia uma vez que, em sua maioria, este é um imigrante digital atuando diretamente com alunos nativos digitais.
Esta realidade irá exigir que o professor invista em sua atualização e que passe a estreitar intimidades com o mundo tecnológico utilizando-se dos inúmeros recursos disponibilizados no ciberespaço promovendo uma aprendizagem efetiva e personalizada.

Personalizar a aprendizagem é respeitar o ritmo de cada um e suas limitações bem como suas aptidões e habilidades estimulando o desenvolvimento e potencialização das múltiplas inteligências proporcionando que o indivíduo se destaque neste mundo globalizado e que se integre no mercado de trabalho.

Dessa forma se estará fazendo a diferença!

Este texto está participando do projeto BLOGUEIRO REPORTER na categoria Artigo/Carreira (Educação)uma iniciativa de Edney Souza
Você gostou? Então vote para que este texto seja escolhido. É só clicar AQUI

Criatividade!

VAMOS PRESTIGIAR O TRABALHO, EMPENHO E CRIATIVIDADE DA NOSSA COLEGA DE PROFISSÃO FÁTIAM RONDON

Esse projeto faz parte da 1° semana literária “Viajando no mundo da leitura”. O tapete foi confeccionado pela prof. Simone

ASSISTA AO VÍDEO ABAIXO:

Vídeo 5. Viajando no mundo da leitura, dos alunos da escola rural EMEB “Sítio dos Campos” cidade de Mogi-Mirim, São Paulo, Brasil

AGORA É SÓ CLICAR AQUI E VOTAR NO VÍDEO 5.

ASSISTA AO OUTRO VÍDEO:

Vídeo 13. “Viagem Pelo Mundo Da Leitura”, da EMEB “Profº Orlando Boni”, Mogi Mirim, S. Paulo, Brasil

AGORA É SÓ CLICAR AQUI E VOTAR NO VÍDEO 13.

Vamos mostrar que a EDUCAÇÃO tem peso para ganhar o Oscar da Internet Brasileira.
Infelizmente não existe na categoria “Blog” o tema EDUCAÇÃO. Estamos concorrendo em “Variedades” com 200 concorrentes. Precisaremos de muitos votos para conseguirmos uma porcentagem significativa.

Tenho certeza que, unindo nossas forças, conseguiremos.

Para votar faça o seguinte:

1º clique no selo do iBEST no início da página. Ele te levará ao meu link de voto.

2º – clique em votar.

3º – irá abrir uma janela preta pedindo para você se cadastrar. Coloque seu e-mail e sua senha e clique em ok.

4º a janela se fechará. Então você deverá ir ao seu e-mail e esperar o envio do iBEST pedindo para que você confirme seu e-mail.

5º ao confirmar clicando no link indicado você será novamente encaminhada à página do voto.

Então é só votar no “Educar Já!”.

E desde já agradeço!!!!

A criatividade não tem limites…

Exposição de arte na Galeria de Arte Moderna de Hirshorn em Washington DC.

A regra era que o artista poderia usar somente uma folha de papel.

ASSISTA AO MARAVILHOSO VÍDEO “AI, QUE SAUDADE DE OCÊ…” NA MELODIOSA VOZ DE CRISTINA MOTTA, UMA COMPOSIÇÃO DE VITAL FARIAS NO “AQUI VOCÊ DESABAFA“.

VOCÊ QUER GANHAR O LIVRO QUE A MAITÊ PROENÇA ACABOU DE LANÇAR?

Pois a minha amiga Sam do site A vida como a vida quer está promovendo esta oportunidade.

SAIBA COMO:

Para concorrer você só precisa fazer um comentário interessante sobre
este texto ou sobre os preconceitos que afetam o mundo feminino ou das
celebridades. Fácil, né? Ela está esperando ansiosa para ler seus
comentários, suas histórias, simpatia ou antipatia pelo tema. Na
segunda-feira ela divulgrá quem levou o exemplar autografado! ;)
CLIQUE AQUI PARA PARTICIPAR

Criatividade!

Ser humano: ser criativo por natureza.

O fotógrafo britânico Carl Warner criou uma série de fotografias utilizando apenas alimentos para formar cenários.

O fotógrafo conta que já é conhecido na vizinhança de sua casa, em Kent na Inglaterra, por passar horas na quitanda procurando o melhor brócolis ou a melhor pimenta para “compor” seus cenários.


Nesta floresta as árvores são feitas de brócolis com ervilhas penduradas.
As estradas são pavimentadas com cominho.
O gramado é feito de ervas e as montanhas de pão.
As nuvens são de couve-flor


Esta cena rural de inspiração italiana é composta por um carrinho feito de fatias de lasanha e campos de macarrão.
Árvores de pimentão, salsa e manjericão.
Ao fundo, um vilarejo de queijo.


Esta caverna é feita com frutos do mar.
As rochas são feitas de pão.
As rochas do fundo do mar são de couve-flor
Para dar a sensação tridimensional às fotos, cada cenário é composto em uma mesa de cerca de 1,2 metros por 2,4 metros


Arroz, coco, grãos diversos e um céu de folha de repolho roxo compõem esta “paisagem” bucólica.


Árvores de folhas de couve.
Rochas de batata doce.
Desfiladeiro de pão
Céu de repolho roxo.


O mar vermelho desta praia é feito de fatias de salmão.
Batatas e pão formam as rochas.
Um barquinho feito de ervilhas completa o cenário.


O arco-íris (prato) ficou perfeito por trás das flores de verduras e batatas


Casas de queijo.
Toldos e cestos de macarrão.
Grãos, legumes e verduras formam esta ruela.


Culinária italiana com muitas verduras e macarrão.
Casas de queijo.


A primeira vista não se percebe que as montanhas são de pão…


Balões de frutas e legumes.
Árvores de brócolis
Rochas de batatas
Lavouras de espiga de milho e pepino
Cidade de queijo
Torre de cenoura
E por ai vai…


Nesta cena alpina, biscoitos do tipo grissini e presunto de Parma se transformam num carrinho que será puxado pela estrada de salame ladeada por árvores de bacon.


Presunto – céu, montanhas, cachoeira e rio
Pão – rochas
Biscoito grissini – casa e trapiche
Salame – telhado


Nesta cena alpina as estrelas são os frios.
Biscoitos do tipo grissini e presunto de Parma se transformam no trenó puxado pelas montanhas de neve feitas de outros frios, como peru defumado e mortadela.
O presunto de Parma também se encontra nos pinheiros.

Secretaria de Educação do DF divulga resultado para cargo de monitor

Bárbara Renault
Do CorreioWeb

18h40-A Secretaria de Educação do Distrito Federal divulgou nesta quinta-feira (14) o resultado do cargo de monitor de creches públicas da capital. O órgão vai chamar 432 aprovados no processo seletivo. A contratação será por 11 meses com salários de R$ 650 para a área de Educação Infantil e de R$ 850 para a Educação Especial. A carga é de 40 horas semanais.

Os candidatos selecionados devem comparecer às Diretorias Regionais para as quais foram selecionados, nos dias 21 e 22 de fevereiro, das 8h30 às 18h, para assinatura dos contratos. Aqueles que conseguirem aprovação serão avaliados durante os primeiros 15 dias de experiência, como estágio probatório. Caso o rendimento seja insuficiente, o contrato pode ser desfeito. Os aprovados devem ser lotados nas áreas citadas e nos 15 pólos de educação precoce existentes no DF. Para todas áreas, são exigidos no mínimo seis meses de experiência na especialidade de monitor.

De acordo com a secretaria, os monitores devem dar suporte aos professores na execução das atividades essenciais na Educação Infantil e Educação Especial Infantil e do Ensino Fundamental. Entre as atribuições da função, estão receber e entregar crianças aos pais, organizar as salas de aula e o material pedagógico, acompanhar os alunos nos horários de refeições, realizar procedimentos necessários a higienização do aluno, entre outros.

Confira AQUI a lista de aprovados.

Cerca de 325 mil disputam 20 mil vagas temporárias na Educação neste domingo
Plantão | Publicada em 15/02/2008 às 11h05m
O Globo Online

SÃO PAULO - Cerca de 325 mil candidatos disputam neste domingo uma das 20 mil vagas de emprego temporário oferecidas pela secretaria estadual de Educação. A prova acontece neste domingo, a partir das 9h. As vagas são destinadas a agentes de serviços escolares, com salário de R$ 602,03, e agentes de organização escolar, que tem salário de R$ 627,49.

Os candidatos devem comparecer com pelo menos 30 minutos de antecedência. Em todas as regiões do estado há locais de provas. A contratação de funcionários temporários atende determinação do Ministério Público do Trabalho para demissão de funcionários contratados via Associações de Pais e Mestres (APMs).

Os novos funcionários temporários devem começar a trabalhar em 1º de abril, por até 12 meses. A secretaria planeja outro concurso, desta vez para funcionários efetivos destinados ao cargo de secretário de escola. Serão 2.545 vagas.

http://oglobo.globo.com/educacao/mat/2008/02/15/cerca_de_325_mil_disputam_20_mil_vagas_temporarias_na_educacao_neste_domingo-425665208.asp

Seletiva para agentes de educação será domingo em Sorocaba

A Escola Estadual Professor Aggêo Pereira do Amaral, no Jardim Cruzeiro do Sul, será, em Sorocaba, o local da prova que a Secretaria Estadual de Educação aplicará neste domingo, 17, às 9h, para selecionar funcionários temporárias para escolas da rede. Em todo o Estado, cerca de 325 mil candidatos disputarão 20 mil vagas para agentes de serviços escolares e agentes de organização escolar.

Os candidatos devem comparecer com pelo menos 30 minutos de antecedência. Em todas as regiões há locais de provas. As classificações serão por DEs (Diretorias de Ensino) e os candidatos concorrerão às vagas de sua DE. Já na ficha de inscrição o candidato indicou a DE de sua opção.

A contratação de funcionários temporários irá atender determinação do Ministério Público do Trabalho para demissão de funcionários contratados via APMs (Associações de Pais e Mestres). Os novos funcionários temporários devem começar a trabalhar em 1º de abril, por até 12 meses. O salário de agente de serviços escolares é de R$ 602,03. Agente de organização escolar tem salário de R$ 627,49.

A Secretaria planeja outro concurso, desta vez para funcionários efetivos destinados ao cargo de secretário de escola. Serão 2.545 vagas.

A escola Aggêo Pereira do Amaral fica na rua Hércules Tavares, 389.

http://www.bomdiabauru.com.br/index.asp?jbd=2&id=158&mat=114581

Ler faz bem à saúde!

Hoje em Portugal se comemora o Dia dos Namorados e minha amiga Isabel Menezes colocou em seu blog Amor de biblioteca o convite para que se festeje também o Afeto pela Biblioteca.

Ela cita em seu blog Sugestões Amorosas as quais reproduzo abaixo:

No Dia dos Namorados, S. Valentim:

- Leve o amor da sua vida [marido, esposa, namorado(a), familiar, amigo(a)] numa visita à Biblioteca

- Ofereça chocolates, doces, um cartão, flores, etc., à sua bibliotecária preferida

- Dê um presente que dura uma vida: inscreva alguém que você ama como leitor da biblioteca

- Visite a biblioteca e faça uma requisição romântica: livros , CD´s ou DVD’s de amor ou em que o romance esteja presente.

- Faça um marcador de livros personalizado e ofereça à sua pessoa amada.

- Leia um autor ou sobre um tópico que você ame.

- Não tenha vergonha de promover e declarar o seu amor também pelas bibliotecas e livros neste dia!

“Vá para a cama com um livro” ou “Partilhe um livro com alguém que você ama”!

Não se esqueça de celebrar o seu Amor de Biblioteca!

Saiba mais sobre o assunto acessando o Amor de Biblioteca


Conta uma história
Cybele Meyer

O ser humano sempre adorou contar suas histórias.

Tudo que acontecesse durante o dia e tivesse uma conotação diferente, já virava história, recheada de “floreios”, que seria contada ao final do dia para todos os familiares quando se reunissem na varanda após o jantar.

O hábito de contar história, melhor dizendo, contar lendas, é milenar tendo origem antes mesmo da escrita a qual eram passadas de geração para geração através da fala onde cada um dava seu toque pessoal.

As lendas mitológicas primam pelo temor que o homem sempre teve diante dos fenômenos da natureza e ao contar seus episódios atribuía a estes fenômenos formas de deuses ou de monstros horríveis.

Estes relatos geravam lendas onde o imaginário superava a realidade e tinham como característica principal: a fatalidade.

Com isto havia a intenção de expressar toda a sua impotência diante do desconhecido.

As lendas são contadas até hoje, muitas ainda através da oralidade conservando sua característica principal: a criatividade.

As histórias voltadas para as crianças aconteceram por volta do século XVII quando a criança passou a ser considerada um ser diferente do adulto, com necessidades e características próprias.

Foi nesta época também que a criança começou a receber uma educação diferenciada onde havia uma preocupação em prepará-la adequadamente para a vida adulta.

Nesta época as histórias eram elaboradas de forma a robustecer estes ensinamentos.

O conto de fadas, desde os seus primórdios, e sabe-se que “Cinderela” já era contado na China no século IX d.C., teve sempre a preocupação de enfatizar a discriminação social, a luta pelo poder, o “conseguir” num vale tudo, bem como a maldade, os maus tratos aos frágeis como crianças e menos afortunados, as buscas incansáveis e a solidão.

Mas também atravessou séculos exaltando valores essenciais ao ser humano como o amor, a solidariedade, a justiça, a compreensão e o bem como vencedor.

Um personagem, de suma importância nos contos de fadas, é justamente o das fadas. Elas são sempre incumbidas do dever de fazer justiça trilhando o caminho do bem e da verdade.

As fadas são sempre representadas pela figura feminina dotadas de grandes virtudes e poderes sobrenaturais.

São a própria expressão do amor.

Mas há o mal que também é representado pela figura feminina, a bruxa, que não mede esforços para conseguir alcançar seus objetivos maléficos não importando os meios que utilizará para chegar até eles.

Há quem diga que o simbolismo fada e bruxa é uma alusão a eterna dualidade feminina.

Normalmente, os Contos de Fadas têm como enredo, provas dificílimas de serem cumpridas, obstáculos a serem vencidos pelo príncipe que normalmente é o herói das histórias, propiciando um encontro com o seu “eu” interior podendo então, ao vencer, se sentir seguro e viver feliz ao lado de sua amada.

Esta linguagem simbólica que envolve personagens e enredos acaba agindo no inconsciente das crianças vindo a auxiliar na resolução de conflitos internos tão normais na infância.

O maniqueísmo envolvendo os personagens tanto para o bem quanto para o mal, facilita a compreensão da criança dos valores básicos para uma vida em sociedade.

A intenção é justamente esta a de levar a criança a se identificar com o herói que é bom. Este sentimento trará uma sensação de segurança e proteção contribuindo para que a criança adquira o equilíbrio quando adulto.

Nas fábulas além de existir o certo a ser seguido e o errado a ser evitado, há a presença forte dos animais, talvez pela afetividade existente entre homem e animal, sendo esta uma forma de estreitar ainda mais estes sentimentos.

Este tipo de história aparece desde século XVIII a.C. na Suméria sendo reinventada no Ocidente por Esopo, um grego que viveu no século V a.C. Mas foi o francês Jean La Fontaine (1621/1692) que introduziu definitivamente a Fábula na Literatura Ocidental.

Na verdade, como já mencionamos acima, elas eram escritas para os adultos, mas até hoje são fábulas apreciadas no mundo infantil.

Nas fábulas, os animais simbolizam características pertencentes ao ser humano e que com o passar do tempo, incorporaram de tal forma, que viraram símbolos. Temos como exemplo o leão que é a imagem da magnitude, da realeza; a raposa que simboliza a astúcia e a esperteza; o cordeiro que representa a ingenuidade e o lobo que é sempre o vilão.

Estes textos recheados de encantamento não só inebriam as crianças como libertam a criança existente dentro de cada adulto.

Há que se ter um cuidado todo especial quanto à interpretação destes contos justamente em razão deste encantamento, razão pela qual se propicia a identificação da criança com o personagem.

As histórias infantis tiveram sempre por finalidade a união do lúdico com o pedagógico.

A magia da literatura é justamente trabalhar com a fantasia.

Podemos, através desta linguagem mágica, transmitir às crianças todos estes conceitos como respeito, educação, solidariedade, companheirismo, que estão praticamente em extinção, em razão da família não ter mais tempo para transmiti-los.

Vamos tentar resgatar o tão sonoro:

… e viveram felizes para sempre!


Teatralizando a literatura
Cybele Meyer

É através da leitura que as pessoas têm oportunidade de aprender a pensar e até a sonhar. A pessoa que desenvolve o hábito da leitura está abrindo uma porta gigantesca para experiências de vida onde a criação do autor pode ser desfrutada a qualquer hora, em qualquer lugar e quantas vezes quiser. Esta criação é compartilhada através do tempo se tornando imortal.

Através da leitura se tem acesso ao conhecimento.

Este mesmo encantamento ocorre com as crianças ao ler ou ouvir uma história. Quando a criança se identifica com a mensagem transmitida pela história, a escuta inúmeras vezes com a mesma atenção e interesse.

O contar histórias exerce uma magia no indivíduo estimulando-o a ler. Este estímulo o colocará em contato com diversos gêneros de leitura como os contos, crônicas, fábulas, lendas, parábolas, poemas, prosas e outros, tornando a leitura um hábito em sua vida, propiciando-o ser um multiplicador de conteúdos.

Saber contar histórias é ter criatividade para dar vida aos personagens. É criar um ambiente de encantamento, de suspense ou mesmo de emoção. É fazer a pessoa viajar através das palavras sentindo-se parte da história.

O ser humano sempre adorou contar histórias. O hábito de contar história, melhor dizendo, contar lendas, é milenar tendo origem antes mesmo da escrita a qual eram passadas de geração para geração através da fala onde cada um dava seu toque pessoal.

O conto de fadas, desde os seus primórdios, e sabe-se que “Cinderela” já era contada na China no século IX d.C, teve sempre a preocupação de enfatizar a discriminação social, a luta pelo poder, o “conseguir” num vale tudo, bem como a presença da maldade, dos maus tratos aos frágeis como crianças e menos afortunados, em suas buscas incansáveis e na solidão do abandono e da rejeição.

Mas também atravessou séculos exaltando valores essenciais ao ser humano como o amor, a solidariedade, a justiça, a compreensão e o bem como vencedor.

Esta linguagem simbólica que envolve personagens e enredos acaba agindo no inconsciente das crianças vindo a auxiliar na resolução de conflitos internos tão normais na infância.

O maniqueísmo envolvendo os personagens, tanto para o bem quanto para o mal, facilita a compreensão da criança no que diz respeito aos valores básicos para uma vida equilibrada em sociedade.

A intenção é justamente esta, de levar a criança a se identificar com o herói que é bom. Este sentimento trará uma sensação de segurança e proteção contribuindo para que a criança adquira o equilíbrio quando adulto.

As histórias infantis tiveram sempre por finalidade a união do lúdico com o pedagógico.

Existem muitos recursos que ao serem utilizados em classe nas aulas de literatura, roda de leitura e outros, facilitam a imaginação criadora do aluno resultando diretamente na produção de texto.
Um destes recursos é a teatralização o qual jogar com a voz faz imaginar a presença de diferentes personagens; alterá-la diante dos diversos estados emocionais provoca a sensação de tristeza, de dor ou de alegria. Os gestos caracterizam cada personagem. O fundo musical, o cenário composto, os efeitos sonoros e muitos outros atributos podem ser usados na representação de uma história literária.

Enfim, todos os recursos são válidos para que se desenvolva na criança o hábito da leitura. E se o adulto ainda não o desenvolveu, sempre é tempo.


A poesia nos envolve com seu perfume inebriante

Não se deve inibir que aflore a poesia existente dentro de cada ser humano.

A poesia e fonte de sensibilidade e de fantasia.

A criança desde o seu nascimento tem contato com a poesia através das cantigas de ninar. As cantigas de roda, as parlendas, os trava-línguas são poesias puras. A rima, um dos acessórios da poesia, agrada muito as crianças.

O exercitar a rima faz com que as crianças se mantenham atentas à sonoridade das palavras e o ritmo, ao ser bem marcado, proporciona a interação com a cadência dos versos.

A poesia é fonte inigualável de criatividade a qual a criança se sentirá instigada a aguçar sua sensibilidade na tentativa de criação dos versos que comporão as estrofes.

O objetivo de se trabalhar a poesia com as crianças está longe da intenção de se formar poetas, mas sim de expandir a linguagem poética que poderá incidir sobre os mitos, contos, fábulas, lendas e tantos outros.

As crianças adoram brincar, imaginem a delícia que é brincar com as palavras!

Qualquer um pode brincar de poesia. Uma bela canção é poesia musicada, o final da história “entrou por uma porta e saiu pela outra, quem quiser que conte outra” é poesia,
“E viveram felizes para sempre!” é poesia pura.

Já dizia o poeta que a poesia é a voz da alma. É quando se pode falar das coisas, não como elas são, mas como gostaríamos que fossem. O poeta tem o dom de dar vida às coisas. É por esta razão que a poesia ao ser trabalhada com a criança aproxima-se muito do mundo imaginativo e a linguagem metafórica, que a extasia, também exerce a magia de estreitar os laços com o mundo adulto ao perceber que o homem também é capaz de pensar como menino.

Trabalhar poesias em sala de aula não é tarefa fácil, porém aflorando a sensibilidade, e esta se unindo à imaginação poderá dar excelentes resultados.