Premio Conexão Cultura – Veja como participar

Prêmio Conexão Cultura

O Prêmio Conexão Cultura – A sua história em suas mãos é uma iniciativa da
Fundação Padre Anchieta que reconhece ações de telecentros e lan houses que
vão além das funções cotidianas. São iniciativas que facilitam o acesso dos
seus frequentadores a benefícios culturais e sociais.

O Prêmio está relacionado a duas questões estratégicas para o país: a
emancipação digital e a desigualdade social. Quanto maior a distância entre
a população e os serviços e benefícios das novas tecnologias da informação,
mais precária será a situação educacional, financeira e de empregabilidade.
Assim, reconhecer e divulgar boas práticas de emancipação digital dos
telecentros e lan-houses, um dos objetivo do Prêmio, é uma maneira de
colaborar para a construção de um ciclo virtuoso, que leve a mais empregos,
melhores condicões sociais e cidadania.

Com esta iniciativa, procura-se mostrar que os Centros de Acesso à Internet
são também locais de formação profissional e desenvolvimento cultural. É um
meio para estimular a autonomia e a capacidade do cidadão de usufruir dos
serviços criados pela sociedade da informação.

OBJETIVOS

O prêmio tem como principais objetivos:

– Reconhecer estratégias inovadoras;
– Premiar os centros que, além de inovar, promovam a expressão e inclusão da
diversidade brasileira no mundo digital e seus benéficos sociais;
– Identificar espaços que provoquem relevantes efeitos sobre seus
frequentadores e sobre sua comunidade.

CATEGORIAS

Centros de Acesso à Internet Públicos
1. Gestão

– Modelo de negócio
– Sustentabilidade
– Ação inspiradora
2. Minha história

– Caso de sucesso de usuário
– Registro de história vitoriosa
– Impacto na modificação social

Centros de Acesso à Internet Privados
1. Gestão

– Modelo de negócio
– Sustentabilidade
– Ação inspiradora
2. Minha história

– Caso de sucesso de usuário
– Registro de história vitoriosa
– Impacto na modificação social

PREMIAÇÃO

Para ler o REGULAMENTO clique AQUI

Para se INSCREVER clique AQUI

O CARNAVAL NA IDADE MÉDIA – A FESTA DOS LOUCOS

Segue uma coletânea de informações sobre o Carnaval na Idade Média, para ser usado com alunos do ensino fundamental e Médio. O texto trata da Festa dos loucos.

Fonte:Brasil: História e Ensino

Para garantir a expansão do Cristianismo durante os últimos séculos de existência do Império Romano e na Idade Média, a Igreja foi forçada a consentir com a prática de certos costumes pagãos. O Carnaval acabou sendo permitido, o que serviu como “válvula de escape” diante das exigências impostas aos medievos no período da Quaresma.

Na Idade Média, o Carnaval passou a ser chamado de “Festa dos Loucos”, pois o folião perdia completamente sua identidade cristã e se apegava aos costumes pagãos. Na “Festa dos Loucos”, tudo passava a ser permitido, todos os constrangimentos sociais e religiosos eram abolidos. Disfarçados com fantasias que preservavam o anonimato, os “cristãos não-convertidos” se entregavam a várias licenciosidades, que eram, geralmente, associadas à veneração aos deuses pagãos.

Promovidas pelo baixo clero, são testemunhadas desde o final do século XII até ao do século XVI. Nelas se elegia, entre os subdiáconos, e a exemplo das Saturnais e dos vários reis carnavalescos, um “dominus festi”, um soberano da festa, vulgarmente designado como “Bispo” e, por vezes, “Papa dos Loucos”, o qual assumia toda a autoridade durante o período dos festejos.

“Padres e clérigos podem ver-se usando máscaras e aparências monstruosas nas horas do ofício. Dançam no coro vestidos de mulheres, lacaios ou menestréis. Cantam canções licenciosas. Comem chouriços pretos no altar enquanto o oficiante diz a missa. Jogam aí aos dados. Incensam com um fumo fétido procedente da sola de sapatos velhos. Correm e pulam pela igreja, sem corar da sua vergonha. Viajam finalmente pela cidade e seus teatros em miseráveis carruagens e carroças; e suscitam o riso dos seus companheiros e circunstantes através de representações infames, com trejeitos indecentes e versos torpes e libertinos” .

No Carnaval medieval vivia-se uma vida ao contrário. A vida oficial – religiosa, cristã, casta, disciplinada, reservada, etc. – era trocada pela vida não-oficial – a pagã e carnal. O sagrado que regulamentava a vida das pessoas era profanado e as pessoas passavam a ver o mundo numa perspectiva carnavalesca, ou seja, liberada dos medos e da ética cristã.

É importante ressaltar que as manifestações carnavalescas da Idade Média eram fundamentalmente vividas, não meramente assistidas por um público. Por isso o Carnaval deste período não é compreendido como um espetáculo, mas antes como uma manifestação. Essa manifestação acontecia em um espaço onde era criado um segundo mundo regido pela lei da liberdade, um mundo entre a vida e a arte.

O Carnaval era uma segunda vida, baseada no riso e na festa. Nas festividades carnavalescas, as pessoas burlavam a vida oficial, com suas hierarquias, tabus, valores políticos ou morais.

ma figura que se destacava na Festa dos Loucos era o Bufão. O bufão é uma figura característica da Idade Média e início do renascimento. Não se tratava de personagens que se vestiam como artistas para fazer números. Era uma postura de vida, pessoas com grande veia cômica que assumiam este estado e continuavam a ser bufões em todas as instâncias da vida cotidiana.

Os bufões e bobos são personagens características da cultura cômica da Idade Média. Os bufões e bobos não eram atores que desempenhavam seu papel no palco. Situavam-se entre a vida e a arte A loucura no bufão era uma paródia do espírito oficial, convencional.

Na Quaresma, todos os cristãos eram convocados a penitências e à abstinência de carne por 40 dias, da quarta-feira de cinza até as vésperas da páscoa. Para compensar esse período de suplício, a Igreja fez “vistas grossas” às três noites de carnaval.

Com a chegada da Idade Moderna, a “Festa dos Loucos” se espalhou pelo mundo afora, chegando ao Brasil, ao que tudo indica, no início do século XVII. Trazido pelos portugueses, o ENTRUDO – nome dado ao carnaval no Brasil – se transformaria na maior manifestação popular do mundo e, por tabela, numa das maiores adorações aos deuses pagãos do planeta.

SUGESTÕES DE ATIVIDADES

1. Leia o texto com os alunos, fazendo uma analogia entre o Carnaval que temos hoje e aquele que existia na Idade Média.
2. Fale sobre a constante vigilância da Igreja sobre a sociedade e os limites que esta vigilância possuía. Discuta o significado da expressão “válvula de escape”, usado no texto.
3. Peça que os alunos identifiquem as permanências, os costumes que permaneceram presentes na celebração do Carnaval até os dias de hoje.
4. Ilustre a Festa dos Loucos com trechos do filme da Disney “O Corcunda de Notre Dame”
5. Peça aos alunos que destaquem do texto as palavras desconhecidas e busquem seu significado no dicionário, ressaltando a importância de se ampliar o vocabulário através da leitura de textos.

FONTES:
BORGES, Paulo Alexandre. Da loucura da cruz à festa dos loucos: loucura, saedoria e santidade no cristianismo (2001) Dsiponível em: http://religioes.no.sapo.pt/pborges2.html, acesso em 15/02/2010.

CARNEIRO, Eduardo de Araújo, CARNEIRO, Egina Carli de Araújo Rodrigues. Carnaval: de culto pagão à festa popular. Disponível em: http://www.duplipensar.net/artigos/2007s1/historia-do-carnaval-de-culto-pagao-festa-popular.html, acesos em 15/02/2010.

PADILHA, Pricila Genara. Carnavalização e Liminaridade: o bufão como ente-liminal. Revista Gambiarra. Disponível em http://www.uff.br/gambiarra/artigos/0002_2009/teatro/Genara/, acesso em 15/02/2010.

Começa na segunda-feira

Olá amigos,

O Curso A Arte de Contar Histórias começa na segunda-feira dia 28 de setembro.
Aproveite para se inscrever.
Qualquer dúvida entre em contato pelo cybelemeyer@yahoo.com.br
Estou te esperando.

…..PROMOVE DE 28 DE SETEMBRO A 21 DE NOVEMBRO…..

**************a ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS**************

O ser humano sempre adorou contar histórias. O hábito de contar história é milenar tendo origem antes mesmo da escrita a qual eram passadas de geração para geração através da fala onde cada um dava seu toque pessoal.Você que aprecia contar histórias poderá participar do curso “A arte de contar histórias”

Público alvo:

Profissionais de Educação: Professores, Coordenadores, Orientadores, Diretores, Contadores de histórias, bibliotecários, atores e pessoas interessadas no tema.

Metodologia:

É um curso com abordagens teóricas que destacará a importância de se narrar histórias aflorando o contador que existe em você.

Será um curso totalmente a distância que utilizará a plataforma Moodle sendo que o acesso às aulas ficará disponível 24 horas por dia permitindo que você faça o seu próprio horário de estudo.

A cada semana será disponibilizado o material de estudo e as mediações do Tutor e interações com o grupo serão feitas por meio de fórum de discussão.

Todo o material será disponibilizado no ambiente de estudo.

Os alunos serão avaliados por sua participação nos fóruns e pela participação dos trabalhos solicitados.

Módulos:

Serão trabalhados dois módulos com início no dia 28 de setermbro de 2009 e finalização no dia 21 de novembro 2009

O curso se dará no espaço Educar Já! Cursos e Oficinas

Tutora do curso: Cybele Meyer

Investimento:

Até 24 de setembro – R$ 80,00 (oitenta reais)

Após 24 de setembro – R$ 100,00 (cem reais)

Os dados para efetuar o depósito serão enviados por email

Após realizado o depósito deverá o aluno enviar através de e-mail, comprovante do depósito junto com seu nome completo e e-mail para que se possa efetuar a inscrição.

Certificado:

Terá direito ao certificado o aluno que cumprir todas as atividades propostas pelo curso e obtiver média igual ou superior a 7,0. O certificado será enviado por documento registrado – pelos correios – em até 30 dias após o término do curso. Os dados que constarão no certificado serão aqueles que o aluno cadastrar no formulário de inscrição.

O Educar Já! Cursos e Oficinas tem parceria com o SinproVales (Sindicato dos Professores)que assinam junto o Certificado.

O curso tem carga horária de 90 h/a

Maiores informações através do e-mail cybelemeyer@yahoo.com.br

VAGAS LIMITADAS

Profissão Professor

Todo sábado às 10h a TV Cultura apresenta o programa Profissão Professor onde aborda a partilha dos trabalhos que foram vencedores do Prêmio Victor Civita Educador Nota 10.

O cenário do programa é a reprodução de uma sala dos professores onde os profissionais, representados por atores profissionais, representam e comentam trabalhos reais desenvolvidos pelos professores vencedores do Premio Educador Nota 10.
Sabemos que é na sala dos professores que mora a riqueza dos comentários, análises, sugestões, angústias vividos em sala de aula pelos profissionais da educação. O programa faz um mix de ficção e realidade, ou seja, experiências reais.

A reunião de planejamento também é uma oportunidade fértil para que dificuldades encontradas pela turma sejam discutidas e analisadas com o intuito de minimizar algumas situações constantes no ambiente escolar.


NO AR!
Agora sim, esta tudo pronto para a estreia, Não perca, dia 8 de agosto, às 10h, na TV Cultura, Profissão Professor 2009.


DIREÇÃO EM CENA
As últimas orientações do diretor aos atores antes do início da gravação em estúdio.

Também os alunos da rede pública de ensino têm participação ativa nas gravações.


ALUNO TAMBÉM TEM VEZ
Gravações externas em escolas. Em vários episódios, estudantes da rede de ensino estão com nossas atrizes, participando ativamente do programa.

Você poderá ver mais fotos dos bastidores do programa.

A nossa profissão exige um eterno aprender e uma sintonia muito forte com a escola e a família do aluno. A parceria professor/escola/família é fundamental para que a aprendizagem ocorra de forma eficaz.
Vejo uma Educação mais consciente, colaborativa, com aplicabilidade. Uma Educação que passará a utilizar a WEB 2.0 como ferramenta de aprendizagem, possibilitando uma interação e integração entre professor/aluno permitindo a formação de opinião, o desenvolvimento da linguagem escrita, a iniciativa e tantos outros resultados, que com certeza, iremos constatar.

Acredito que agora é uma boa hora para se motivar o interesse pelo conhecimento continuado nos nossos professores, que andava muito tímido, escondido por razões diversas.

Tenho fé que a Educação voltará em breve a ocupar o lugar de respeito do qual nunca deveria ter saído.

Concurso: Aniversário "Educar Já!"

Vocês lembram que no início do mês de agosto, mês em que o Educar Já! faz aniversário, nós combinamos que quem contasse alguma situação vivida seja com filho, irmã, pai, mãe, aluno, professor, avó, vizinha ou qualquer outro personagem, engraçada ou não, viraria uma apresentação personalizada no SlideShare.

Pois então, nossa querida MAGALI KRAEMER participou com um episódio muito engraçadinho.

Aqui vai o email que ela me mandou e abaixo, no slide, a história:

Olá Cybele!!!
Esse fato acontaceu comigo em 2000, por volta de outubro, novembro, não lembro a data ao certo. Era meu segundo ano como docente, tinha uma turma de pré e um aluno apaixonado por mim. O garotinho declarava ao vento sua admiração e vivia dizendo que iria casar-se comigo…Até os pais comentavam que em casa ele falava no tal casório.
Certo dia, …

É sempre muito prazeroso registrar episódios que nos são significativos.

Este é o presente do Educar Já! para a Magali.

Esta nossa brincadeira foi ilustrada com os vídeos maravilhosos que retraram a MÃE PAPARAZZI, a MÃE POLVO, a MÃE CARRAPATO, a MÃE TRADUTORA e tantos outros como você pode assistir AQUI

Se você também te um momento especial, registre-o e mande para esta galeria.

Obrigada Magali Kraemer pela participação.

Beijinhos a todos

Hoje é Dia de Vacinação

A segunda fase da Campanha de Vacinação contra a poliomielite acontece hoje, sábado, dia 19 de setembro de 2009. Na verdade era para ter acontecido em agosto, porém em razão da pandemia da gripe A H1N1 a data da segunda dose foi transferida para hoje.

Todas as crianças com até cinco anos de idade devem receber a segunda dose nos postos de saúde e de vacinação de todo o país das 08h às 17h, e o Zé Gotinha estará presente em muitos deles para receber, brincar e incentivar a vacinação da criançada.

O estado de São Paulo não registra nenhum caso de poliomielite há mais de 20 anos, haja vista a importância e o comprometimento dos pais com a vacinação.

Não esqueçam de levar a Carteirinha de Controle de Vacinas, pois nos postos de saúde também estão disponíveis diversas outras vacinas caso você esteja atrasada com alguma.



VACINAR SEU FILHO É UM ATO DE AMOR!